Páginas

sábado, 8 de abril de 2017

Os benefícios do abraço

Abraços diários trazem benefícios para a saúde física e emocional                        

A emoção que sentimos com um simples abraço gera benefícios para o próprio bem estar. A força desse gesto está em sentir a proximidade do outro, reconhecê-lo como igual. A fraternidade e a comunicação generosa são algumas das características importantes que um abraço transmite. Uma psicoterapeuta norte-americana já dizia que nós precisamos de quatro abraços por dia para sobreviver, oito para nos manter e doze para crescer, definindo de forma clara a importância do abraço em nosso dia a dia.
Segundo a coach de inteligência emocional Inessa Franco, nós somos seres sociais com necessidade do reconhecimento de outro ser humano, mesmo que silencioso. “Quando damos um abraço e somos abraçados em troca, temos uma sensação de bem-estar e satisfação imediata, mas poucos sabem que, além deste sentimento de felicidade repentina, os abraços oferecem vários outros benefícios para a saúde física e mental”, conta Inessa.
Dentro de um abraço são promovidas conexões, nos dando a sensação de segurança e bem estar. “Além de terapêutico, esse simples ato de abraçar protege também dos efeitos da depressão, do estresse e da ansiedade. O hábito de abraçar pode ajudar até a melhorar a autoestima, transmitindo energia e coragem”, explica a coach.
Um abraço faz bem para o coração de diversas maneiras. Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte descobriram que, um breve abraço de 20 segundos pode contribuir na redução dos níveis de cortisol (que contribuem para o estresse). Os abraços diminuem os níveis de estresse e influenciam na redução da pressão arterial.
“O segredo do abraço está no fato dele nos permitir relaxar e tirar um momento para oferecer sinceridade, amor e leveza na agitada rotina do dia a dia”, esclarece Inessa.

Maioria dos brasileiros conhece alguém que perdeu o emprego, aponta Fiesp

Hábitos de consumo anterior à crise não devem ser retomados após recuperação
O cenário econômico ainda tem impactado fortemente a vida dos brasileiros. Em março, 72% das 1.200 pessoas ouvidas pela pesquisa Pulso Brasil afirmaram conhecer alguém que perdeu o emprego no último ano. O dado representa alta de 14 pontos porcentuais em relação a 2016, quando essa fatia representava 58% dos entrevistados. O número daqueles que conhecem pessoas que perderam o emprego e ainda não conseguiram recolocação também subiu, passando de 21% para 31%. A pesquisa foi encomendada pelo Departamento de Pesquisas Econômicas (Depecon), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e Ciesp junto ao Instituto Ipsos Public Affairs.
Entre os entrevistados que estão empregados e sentem medo de perder sua ocupação, houve aumento dos que desistiram de contrair novas dívidas ou estão tentando reduzir seu endividamento: de 44% em 2016 para 61% em 2017. Em paralelo a esta tentativa, há redução do número de pessoas que conseguiram mudar seus hábitos de consumo em favor da poupança, saindo de 25% para 13%, indicando que os brasileiros não conseguem reduzir ainda mais seu nível de consumo atual, que já está em patamar baixo por conta da crise econômica.
"Essa mudança de hábito de consumo das famílias é natural, apesar de ser ruim para a demanda. É um comportamento visto principalmente por quem passou por dificuldades. O consumidor está arredio a voltar a hábitos anteriores. É uma sociedade que está atemorizada quanto à ocupação", analisa Paulo Francini, diretor do Depecon.
Entre os que estão sem emprego, por demissão ou saída voluntária, aumentou o número dos que têm procurado outra fonte de renda (24% para 35%). Destaque também para o recuo de pessoas sem emprego que conseguiram reduzir seus hábitos de consumo (27% para 9%).
Sobre a situação atual de emprego, 57% dos entrevistados declararam permanecer no emprego em que estavam no ano passado. Por outro lado, 12% da população permanece sem emprego e 5% foram demitidos no último ano e não conseguiram recolocação.
No grupo dos sem emprego estão também 1% das pessoas que pediram demissão e não conseguiram recolocação. Os que optaram por "outras condições" de emprego somaram 20% dos entrevistados.
Expectativa
Quanto ao futuro, 38% dos brasileiros acreditam que a situação do emprego em 2017 continuará ruim e 37% sustentam esperança de melhora.
Em caso de recuperação da economia ainda este ano, a pesquisa aponta uma retomada bastante lenta e gradual do consumo, com 25% dos brasileiros afirmando que não pretendem voltar aos hábitos de consumo que tinham antes da crise, 22% retomando apenas alguns hábitos e 21% retomando os antigos padrões de forma gradual.

Consumo de energia elétrica no Estado de São Paulo se mantém estável no primeiro bimestre de 2017




Comparado com o mesmo período do ano anterior o crescimento foi de 0,36% nos dois primeiros meses deste ano

A Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo monitora a geração e consumo de todos os energéticos no Estado e apresenta estas informações, mensalmente no Boletim Energético, disponível em seu site na internet.
Nos meses de janeiro e fevereiro de 2017, verificou-se um consumo de energia elétrica de 21.270 gigawatts/hora (GWh), quantidade 0,36% maior que o verificado nos mesmos meses do ano passado, que foi de 21.194 MWh.

O comércio foi o setor que apresentou a maior queda, de 1,26%, consumindo no bimestre 4.945 GWh contra 5.008 no período anterior.

Para o secretário de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, João Carlos Meirelles, esses números demonstram que a recuperação econômica dos últimos meses, ainda não é sentida pelo mercado. "A recuperação da economia brasileira ainda é lenta e não é sentida no consumo de eletricidade. As empresas não conseguiram retomar a produção no inicio do ano e isso reflete essa estagnação no consumo de energia elétrica. A partir do segundo semestre de 2017 esperamos ter uma retomada da produção que impacte no aumento do consumo de energia elétrica", explica.

As residências paulistas consumiram no primeiro bimestre deste ano 6.613 GWh e o setor industrial 7.354 GWh. No mesmo período do ano passado foram consumidos 6.556 GWh nas residências, um aumento de apenas 0,87% e 7.298 nas indústrias, aumento de 0,77%.

Em 2016, a energia elétrica utilizada no Estado de São Paulo totalizou 127.065 GWh, contra 130.736 GWh em 2015.

Sobre o Boletim Energético
O Boletim reúne mensalmente informações de eletricidade referentes aos sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, além de gás canalizado e derivados de petróleo no Estado de São Paulo, com análises, quadros evolutivos e gráficos.

O documento completo está disponível no site da Secretaria de Energia e Mineração no endereço www.energia.sp.gov.br

Trabalho escravo: 31 pessoas são resgatados de multinacional chinesa em MT

Irregularidade teve a participação de sindicato de trabalhadores, que ajudou na fraude da contratação da mão de obra
Cuiabá - Trinta e um trabalhadores em condição análoga a de escravos foram resgatados em Nova Maringá (MT), a (369 km de Cuiabá, em uma ação conjunta da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso (SRTE/MT), Ministério Público do Trabalho (MPT) e Gerência de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil.
As vítimas trabalhavam no manejo da soja para a multinacional chinesa COFCO Agri, indústria de processamento de produtos agrícolas com sede nacional em São Paulo e instalações em todo o país. Além dos 30 trabalhadores resgatados, um está em tratamento de saúde por ter sofrido acidente de trabalho e segue vinculado à empresa. A COFCO foi autuada pela SRTE na quarta-feira (5) passada.

Os 31 trabalhadores foram recrutados pelo Sindicato dos Trabalhadores de Movimentação de Carga de Nova Maringá, a pedido da COFCO Agri, com base na "lei do avulso" (Lei nº 12023/09). A lei, entretanto, não foi cumprida, sendo configurada, segundo a equipe de auditores-fiscais na ação, fraude na relação trabalhista autônoma por ela preceituada.

Diante das irregularidades, comprovou-se a nulidade do contrato entre a empresa e o sindicato e todos os trabalhadores tiveram o vínculo empregatício reconhecido com a COFCO. A multinacional teve que se responsabilizar pelos direitos trabalhistas previstos na CLT (decreto-lei nº 5.452/43) e restituir financeiramente as vítimas, na íntegra, no ato de rescisão contratual conduzido pela equipe de fiscalização.

A procuradora do Trabalho Lys Sobral Cardoso, representante regional da Coordenadoria Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (CONAETE) do MPT, esteve no local e ressalta que o caso atrai uma atenção particular por envolver várias nuances do trabalho escravo contemporâneo. Ela cita o aliciamento de trabalhadores, a precariedade dos alojamentos, a falta de saneamento básico e água potável, a falta de assistência médica, as ameaças de agressão física, que chegaram a acontecer; a jornada exaustiva, o isolamento geográfico e a restrição à locomoção, além do grande número de envolvidos e de ter sido o sindicato um dos exploradores dessa forma de trabalho.

"Fica evidente a completa vulnerabilidade do trabalhador. Mesmo passados mais de 20 anos do reconhecimento da existência de trabalho escravo contemporâneo pelo Brasil e da criação de diversos meios de combate, que tornaram o país uma referência internacional no assunto, ainda se veem casos como esse.

A equipe constatou que havia vítimas em situação degradante há cerca de um mês, enquanto outras tinham sido contratadas quinze dias antes do resgate. Outro grupo maior e com maior tempo de vínculo já havia sido dispensado pelo sindicato. As contratações no período de safra geralmente são de até 60 dias.

Irregularidades - O primeiro direito desrespeitado foi o acesso à informação. Os associados 'arrebanhados' não tinham clareza de seu salário, nem sabiam, muitas vezes, que não teriam carteira assinada (considerada a modalidade 'trabalhador avulso').

Via de regra, o trabalhador era contratado para uma jornada de oito horas diárias (44 horas semanais são o máximo permitido por lei), para esforço físico em lavoura, a um salário de R$ 1.300,00. Mas não havia transparência no pagamento de horas extras em caso de 'dobra' (o empregado trabalha, neste caso, 16 horas seguidas), nem era concedido o 'descanso semanal remunerado (DSR), que corresponde à metade do sábado e a todo domingo. Observa-se que, tendo em vista o grande esforço físico exigido pela atividade, essa 'dobra' é proibida por caracterizar 'jornada exaustiva'.

O descanso intrajornada também foi desrespeitado. A legislação assegura um intervalo de uma a duas horas para cada jornada superior a seis horas totais, todavia ao trabalhador eram concedidos apenas 20 a 30 minutos, contando o tempo de deslocamento até o refeitório. Houve registro, ainda, de que a alimentação fornecida era de má qualidade.

Outra situação que configurou a condição análoga à de escravo foi o alojamento inadequado. Quando a equipe ao local, os trabalhadores haviam sido remanejados para dois hotéis, sendo que um deles oferecia também péssimas condições. Considerando tanto o hotel ruim quanto o alojamento anterior, eles ficaram submetidos à superlotação, que gerou transmissão de doenças entre os trabalhadores (como gripe); à ausência de banheiros em número suficiente, locais insalubres e com insetos; a colchões em estado degradado (rasgado, sujo, sem fornecimento de roupa de cama); ao não fornecimento de produtos de higiene pessoal; ao não fornecimento de água potável para beber (bebedouros); e a um alto índice de infeção (não havia copos descartáveis, só compartilhados).

As vítimas também relataram assédio moral, ameaças e até violência física promovidos pelo feitor. Havia cartazes no alojamento "proibindo greves", com multas impostas, numa clara atitude antissindical, ironicamente vinda de um sindicato. Um dos trabalhadores sofreu acidente de trabalho e não houve a emissão da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), mesmo sendo esta obrigatória.

Por fim, foi registrada a infração de "restrição à locomoção e à liberdade de romper o contrato e retornar à origem" e a estratégia do 'engano' no momento da contratação, com promessas de altos salários.

Rescisão - Todos os trabalhadores tiveram calculados pelos auditores-fiscais as verbas rescisórias de direito, sendo o caso considerado como de 'rescisão indireta por justa causa', quando o empregador é quem cometeu a irregularidade.

Foram pagas as horas extraordinárias referentes às 'dobras', ao horário de almoço não usufruído e aos sábados e domingos desrespeitados.

Todos receberam o pagamento de um mês de aviso prévio, mais férias e 13º salário proporcionais aos dias trabalhados e ao aviso. Tanto o FGTS como a multa rescisória foram recolhidos, bem como o INSS. Foi calculada, ainda, a diferença referente à produção que estava sendo paga 'a menor'.

O trabalhador que sofreu acidente está recebendo completo atendimento em saúde.

Com Informações da Assessoria de Imprensa do MPT e do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho - MT




Na comemoração dos 80 anos do Tribunal de Justiça Militar deputado Carlão Pignatari é homenageado


 

Corte Judiciária Militar condecorou personalidades 
civis e militares com Colar e Medalha de Mérito

O deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB) foi condecorado pelo Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo com a Medalha do Mérito Judiciário Militar Paulista. A cerimônia aconteceu na sede da Corte Judiciária Militar durante a comemoração do 80º aniversário da instituição, nesta sexta-feira (07/04).

O presidente do TJMSP, Silvio Oyama, fez a abertura formal do evento e deu as boas-vindas aos convidados. Foram condecoradas diversas personalidades com o Colar do Mérito Judiciário Militar e entregues medalhas para várias autoridades, entre as quais o deputado Carlão Pignatari. Estiveram presentes ao evento, ministros, desembargadores, deputados e autoridades civis e militares.

O Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo, criado no ano de 1937, tem sua composição prevista no artigo 80 da Constituição Estadual, sendo integrado por quatro juízes militares (coronéis da ativa da Polícia Militar) e três juízes civis (um juiz da carreira da magistratura militar, um do quinto constitucional-Ministério Público e um do quinto constitucional-OAB). 

A Justiça Militar não julga civis, mas apenas os militares, integrantes da Polícia Militar. Atualmente a Justiça Militar Paulista continua empenhada em buscar a modernidade, com excelência e qualidade para atender a seus jurisdicionados em conformidade com as Resoluções do Conselho Nacional de Justiça.

O deputado Carlão parabenizou a instituição e o empenho dos seus integrantes. "O Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo é um órgão de grande credibilidade e atua com exemplar eficácia para manter e preservar o bom nome da nossa Polícia Militar. Agradeço também ao presidente Silvio Oyama e os juízes pela honraria que me concederam", destacou o deputado Carlão Pignatari.

Ministro rejeita HC que pedia liberdade de Eduardo Cunha


O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou seguimento (julgou inviável) ao Habeas Corpus (HC) 142067, impetrado pela defesa do ex-deputado federal Eduardo Cunha contra a sua prisão preventiva decretada pelo juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR) no âmbito da operação Lava-Jato. Ele foi condenado, em primeira instância, à pena de 15 anos e 4 meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) não conheceu do habeas corpus impetrado pela defesa de Cunha e afastou a possibilidade de concessão da ordem de ofício, ao entender que a preventiva foi devidamente fundamentada na finalidade de garantir a ordem pública, buscando evitar o risco de reiteração delitiva, e na conveniência da instrução criminal, com o fim de impedir prejuízo às investigações. No Supremo, a defesa alega que não há qualquer elemento concreto nos autos que indique a probabilidade de reiteração delitiva de seu cliente, situação que viola “frontalmente o texto constitucional e o consagrado e desejável direito penal dos fatos”.
Decisão
O ministro Edson Fachin observou que, após a decisão do STJ, houve sentença penal condenatória da Justiça Federal do Paraná, ocasião em foi reconhecida, ainda que sujeita a recurso, a culpa do ex-deputado. O relator explicou que a sentença, ao manter a custódia cautelar, empregou fundamentos diversos do decreto de prisão, “notadamente a cogitada realização de intimidações mediante abuso do direito de defesa”.
“O estado de liberdade, atualmente, é alvo de ato jurisdicional superveniente, autônomo, de requisitos específicos e que desafia impugnação própria, cenário que importa alteração do título judicial que sustenta a medida prisional”, explicou Fachin. Ainda segundo ele, como a decisão que manteve a prisão preventiva não foi examinada ainda pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região nem pelo STJ, o exame do pedido pelo STF configuraria indevida dupla supressão de instância.
SP/AD

Peça teatral em Santa Fé do Sul

Amanhã, o Circuito Cultural Paulista, do Governo do Estado de São Paulo, agita a região com uma peça teatral, em Santa Fé do Sul que recebe a peça Razão Social, da Cia. Tertúlia de Acontecimentos, neste domingo, dia 9 de abril. O espetáculo conta a história de Sabino (Gero Camilo), um operário, e Jucelino (Victor Mendes), um estudante, que fogem da polícia no centro do Rio de Janeiro na madrugada de 31 de março para 1º de abril de 1964, dia do Golpe Militar. O espetáculo começa às 21h00, no Complexo Turístico, que fica na Av. Paulo Nunes da Silva, s/nº.

Trote Solidário da Fatec Jales faz doação ao Hospital de Câncer


O Hospital de Câncer de Barretos - Unidade de Jales foi a instituição beneficiada em 2017 pelo Trote Solidário promovido pela Faculdade de Tecnologia "Prof. José Camargo" - Fatec Jales. Por iniciativa da Fatec Júnior, alunos, professores e funcionários se mobilizaram de diferentes maneiras para arrecadar café em pó, marcando presença, por exemplo, em supermercados da cidade. Todo o empenho foi responsável pelo encontro do dia 27 de março, ocorrido no hospital, que reuniu a Direção, Coordenação, professores e alunos da faculdade, bem como representantes da instituição, para a entrega das doações.

Manhã nutricional com palestra e frutas para pacientes

Ter uma alimentação saudável é muito importante, ainda mais para quem passou ou esta passando pelo tratamento de câncer. Pensando nisso, o Hospital de Câncer de Barretos - Unidade Jales em parceria com a Fundação Educacional de Fernandópolis (FEF) e o Grupo Benassi, realizou uma manhã de muita informação nutricional aos pacientes em comemoração ao dia da Nutrição, lembrado no dia 08 de abril.

A supervisora de estágio da Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) na FEF, a professora Gizela de Carvalho e suas alunas Consuelo Scatena, Mariane Guimarães e Aline Vasconcelos estiveram na manhã da última sexta-feira orientando pacientes sobre como ter hábitos mais saudáveis por meio da alimentação. "É muito importante ficarmos atentos ao consumo excessivo de sal, de gorduras e alimentos embutidos e industrializados. Devemos descascar mais os alimentos e desembalar menos. O ato de descascar um alimento contribui para que nossa alimentação seja mais natural e saudável.", ressaltou Consuelo.

"Nós do Grupo Benassi ficamos honrados em poder contribuir com a doação de diversas frutas e a montagem de uma bela mesa de degustação para os pacientes do Hospital de Câncer – Unidade Jales. O Diretor da nossa Unidade, Antônio Guerrero, assim que recebeu o ofício solicitando nossa parceria neste evento, por meio de doação de frutas, ficou lisonjeado em poder contribuir com esta Instituição que é tão importante para nossa cidade e toda região ajudando tantas pessoas em seus tratamentos.", ressaltou José Souza de Oliveira, Supervisor de Vendas da Benassi.

Para a gerente administrativa, Camila Venturini ações simples como esta, fazem a diferença no tratamento oferecido. "Quero parabenizar o Grupo de Trabalho Humanizado (GTH) por mais essa atuação. Foi gratificante ver a adesão dos nossos pacientes.", finalizou.

Ação de uma colaboradora mobilizou Vitória Brasil em prol da Santa Casa

O município de Vitória Brasil é um dos referenciados aos atendimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) da Santa Casa de Jales. Em 2016 houve mais de 720 atendimentos ao todo no hospital.

A gestora do departamento comercial e auditoria, Viviane Ortega Bella (foto ao lado), moradora de Vitória Brasil, resolveu contribuir ainda mais com a instituição e teve a ideia de levar cofrinhos para o município, visto que a campanha ainda não percorreu outras cidades.

"Queria encontrar uma maneira de retribuir tudo o que a Santa Casa já proporcionou para mim e aos meus familiares. Além do mais tenho conhecimento e envolvimento dentro da instituição e sei das dificuldades financeiras enfrentadas, dessa forma pensei em levar os cofrinhos para o comercio de Vitória Brasil", destacou Viviane.

A colaboradora do hospital falou diretamente com o setor de Captação de Recursos que prontamente acolheu a iniciativa. "É prazeroso termos colegas de trabalho que estão na Santa Casa não apenas para receber seu salário no final do mês, mas estão focados em cuidar e ajudar aquilo que também é nosso", enalteceu Luciana Vicente, gerente de Captação de Recursos.

Viviane, colocou os cofrinhos nos seguintes estabelecimentos: Padaria do Rogério, Farmácia, Posto Modelinho, Lê modas, Lotérica, Mercado Bellão, Mercado da Neide, Padaria do Pistão, Drogaria Carvalho e Lanchonete do Penna.

"Os cofrinhos foram muito bem aceito pelos comerciantes e a população. Vejo o quanto as pessoas estão de braços abertos para ajudar a nossa Santa Casa, basta darmos o primeiro passo", relatou.

Ela ainda ressaltou que cada um dos colaboradores pode utilizar do convívio social e familiar para conscientizar a todos sobre a importância de contribuir, afinal o hospital é o único geral da região.

Quem quiser o cofrinho no estabelecimento é só entrar em contato pelo telefone (17) 3622-5003 e falar com Luciana ou Cristiane.

Santa Casa realiza a primeira doação regional de múltiplos órgãos via autorização judicial

Na segunda-feira, 3 de abril, a comissão de captação de órgãos da Santa Casa de Jales realizou a primeira captação total de órgãos na região de São José do Rio Preto por intermédio de um alvará judicial.

O advogado Leandro Montanari Martins apresentou um pedido de alvará judicial que foi encaminhado no domingo (02/04) ao juiz de plantão da 3ª vara da Comarca de Jales José Pedro Geraldo Nóbrega Curitiba.

Todo o trâmite foi necessário pois a paciente apesar de em vida relatar o desejo de ser doadora de órgãos era preciso de uma autorização da família como pai, mãe ou filhos. Nesse caso, específico, a doadora não tinha parentescos de primeiro grau, algo muito raro de acontecer.

O coordenador da comissão de captação de órgãos da Santa Casa de Jales, Paulo Lima, relatou o processo de captação.

"Por meio de exames clínicos e radiográficos realizados por três médicos foi constatado a morte encefálica da paciente na tarde de sábado, desse modo ao verificarmos que a mesma era uma potencial doadora de órgãos a família foi notificada e aceitaram prontamente. O processo de busca de possíveis receptores compatíveis foi iniciado após o alvará judicial", destacou Paulo.

A tia Emília Oliveira (foto), de Aparecida D’ Oeste, destacou que a sobrinha gostava de ajudar as pessoas. "Eu era a parente mais próxima e ela sempre relatou esse desejo, até mesmo porque o primo dela já tinha recebido um fígado que salvou a vida dele", relatou Emília. 

Após os procedimentos judiciais realizados pelo advogado e de posse do alvará foi iniciado uma busca ativa por meio da central de captação de Ribeirão Preto, órgão regulador de possíveis receptores, desse modo a equipe foi acionada para a realização da captação dos rins, fígado e córneas.

De acordo com informações da comissão de captação de órgãos da Santa Casa de Jales já havia um paciente pronto para receber um dos órgãos e o procedimento aconteceu conforme o esperado e o mesmo passa bem.

Uma equipe (foto ao lado) de São José do Rio Preto esteve presente acompanhando todo o processo, bem como os médicos Eliana Nunes Tamashiro, Shirley Emico Fujihara, Gabriela Permigiani Zocca, Marlene Santos de Oliveira e Ricardo Rodrigues Perbelini, da Santa Casa, que contribuíram na realização do procedimento.

Minha Biografia

Flávio Rodrigo Masson Carvalho Professor do UNIBAVE – Orleans - SC
equilibriumtc@hotmail.com


Escolhido entre mais de um milhão,

E ai comecei a morrer,

Com o ato da fecundação.

Nasci simples e ignorante,

E continuei morrendo,

O nascimento é traumatizante.

Estava seguro no ventre materno,

E continuei morrendo,

Nasci as portas do inverno.

Fui protegido na primeira infância,

E continuei morrendo,

Continuei na ignorância.

Na infância comecei ouvir vozes,

E continuei morrendo,

Descobri alguns algozes.

Na infância via espíritos,

E continuei morrendo,

Desmistifiquei alguns mitos.

Ignorante, me achei especial,

E continuei morrendo,

Adentrei muito cedo o sobrenatural.

Muito cedo precisaram me ajudar,

E continuei morrendo,

Na escuridão, busquei me orientar.

Foi na casa espírita que vi a luz,

E continuei morrendo,

Aprendi sobre Jesus.

Estudando a Doutrina do Amor,

E continuei morrendo,

Aprendi muito mais com a dor.

Aprendi que ver espíritos é natural,

E continuei morrendo,

Mas agora me sentia um igual.

Não me sentia mais um escolhido,

E continuei morrendo,

Mas não me sentia mais perdido.

Aprendi onde buscar a felicidade,

E continuei morrendo,

O caminho é a caridade.

Fora da caridade, não há salvação,

E continuei morrendo,

É a principal lei da evolução.

Descobri que meu pai vive,

E continuei morrendo,

Agora ele está livre.

Tinha muito que estudar,

E continuei morrendo,

Precisava urgente melhorar.

Cresci, ainda com muitas questões,

E continuei morrendo,

Não me livrei de todas as ilusões.

Cresci, mas não sem sofrimentos,

E continuo morrendo,

Mas também tive lindos

momentos.

Da minha vida toda, fiz uma análise,

E continuo morrendo,

Descobri a Espiritoanálise.

Aprendi a usar a minha mediunidade,

E continuo morrendo,

Me sinto capaz de ajudar a humanidade.

Mediunidade não é um presente de Deus

E continuo morrendo,

É uma ferramenta para ajudar os seus.

Hoje me sinto mais preparado,

E continuo morrendo,

Pois sou por mim mais amado.

Não quero mais só aprender com a dor,

E continuo morrendo,

Quero aprender com o amor.

Em breve meu corpo vai morrer,

E continuarei vivendo,

E livre meu espírito vai ser.
 
 



Rádio Bandeirantes leva ao ar série especial sobre a Páscoa

A Páscoa representa a passagem para uma vida nova. Por isso, a Rádio Bandeirantes FM 90.9 e AM 840 vai contar na próxima semana histórias de pessoas que deram uma reviravolta em suas trajetórias.

A partir de segunda-feira (10), a emissora leva ao ar a série especial Vida Nova, que apresenta personagens que adotaram um estilo de vida mais saudável, que começaram um relacionamento que mudou seu destino ou ainda que se redescobriram em uma nova atividade profissional.

O primeiro capítulo, por exemplo, traz a história de um homem que trabalhava no mercado financeiro. Ele estava ficando muito estressado e teve problemas de saúde por causa disso. Então, decidiu vender a empresa e montar um projeto social na área da saúde. Esta atitude já beneficiou milhares de pessoas carentes e trouxe muitas alegrias para as pessoas envolvidas.

Os cinco capítulos da série - produzida e apresentada por Caetano Cury e sonorizada por Roger Palm Duarte - serão levados ao ar durante os programas "O Pulo do Gato" (5h30), "RB News" (13h) e "Rádio Livre" (14h)

azz Sinfônica interpreta canções de Milton Nascimento, Tom Jobim e Edu Lobo no Clássicos deste sábado (8/4)

Neste sábado,8 de abril, o programa Clássicos exibe um concerto da Jazz Sinfônica na Sala São Paulo, com canções de grandes compositores da música popular brasileira. Com regência de João Maurício Galindo, a edição inédita vai ao ar às 21h35, na TV Cultura.

Com o intuito de resgatar as tradições das orquestras de rádio e televisão que fizeram sucesso entre os anos 1930 e 1970, e com a proposta de dar um tratamento sinfônico à música popular brasileira e universal, a Orquestra Jazz Sinfônica foi criada. O resultado é uma sonoridade ímpar, que tem lhe conferido protagonismo na criação de uma nova estética orquestral brasileira por meio de arranjos contemporâneos.

No concerto que a TV Cultura transmite neste sábado (8/4), o grupo apresenta canções clássicas de artistas como Milton Nascimento, Tom Jobim e Edu Lobo, grandes compositores da música popular brasileira. Com personalidade e postura moderna, a Jazz está atenta às diversas manifestações musicais nacionais e internacionais. Sua formação é bastante singular, unindo a orquestra de moldes eruditos a uma big band.

O Clássicos deste sábado conta com as canções Milagre dos Peixes (Milton Nascimento), SurfBoard (Tom Jobim), Aquarela de Samba (Cyro Pereira), Zanzibar (Edu Lobo) e Tico Tico no Fubá (Zequinha de Abreu). Esse repertório alcança públicos de toda classe social e idade e traz ritmos que estão na memória coletiva da cultura brasileira.

Projeto “Entre novos e velhos, somos apenas um”é realizado no Lar dos Velhinhos de Jales

por Daniel Zillo

Na tarde do dia 1° de abril, sábado, os alunos do curso de Serviço Social, da Unijales, acompanhados das professoras Kátia Juliara Cassuchi Bigulin, Maria Aparecida Moreira Martins e Tamar Naline Shumiski, proporcionaram aos moradores do Lar dos Velhinhos de Jales, momentos de descontração, contato com a música e educação. Muita atenção foi direcionada a eles, já que, estão sendo vistos dentro de nossa sociedade como excluídos.

Os alunos de Serviço Social exerceram a cidadania, quebrando o paradoxo da real situação dos idosos, mostrando, que é possível contribuir com momentos enriquecedores e marcantes, manifestando interesse , sabedoria e respeito por todos, tudo isso contextualizando a leitura com a realidade. Os idosos tiveram contato direto com diversas histórias e experiências.

 
 
"A interação entre os estudantes acadêmicos e pessoas da terceira idade, desperta à vontade no aluno de ler e produzir textos. Quando vivenciados, os temas preenchem a mente com segurança sobre o assunto. Partindo desta ideia, considero de extrema importância educadora e social a realização deste projeto", afirmou a professora Kátia Juliara Cassuchi Bigulin.
 
foto ao lado - As professoras Tamar Shumiski, Maria Aparecida e Katia Cassuchi acompanharam os alunos de Serviço Social ao Lar dos Velhinhos de Jales

O projeto " Entre novos e velhos, somos todos iguais", surgiu durante as aulas de práticas de leitura e produção de texto, com intuito de enriquecer o campo da leitura e fornecer argumentos e pensamento novos para a escrita. Foi escolhido um tema central: A velhice. Abordagem realizada através de leituras literárias, pensamentos filosóficos, dados estatísticos, depoimentos e Estatuto do idoso. Os alunos conseguiram visualizar o paradoxo do tema. Este projeto foi desenvolvido com os alunos que estão cursando Serviço Social, na Unijales, juntamente com a professora responsável pelo projeto, Katia Juliara Cassuchi Bigulin.

"A necessidade de falar, estudar e praticar ações envolvendo a velhice, parte da ideia pertinente da exclusão dos idosos na sociedade. A criação do estatuto do idoso causou uma profunda reflexão sobre a premência de criar leis para assegurar a integridade de pessoas na idade avançada", afirmou a professora Katia.

O Lar dos velhinhos São Vicente de Paulo representa a terceirização dos cuidados que deveriam ser realizados pelos filhos ou familiares próximos. Os alunos poderão praticar um pouco do artigo 3º do estatuto do idoso: " é obrigação da família, da comunidade, da sociedade, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, a alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária".

Case de sucesso foi apresentado o 31º Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado

A Santa Casa de Jales foi representada com o case de sucesso sobre a Alta Responsável no 31° Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo realizado na cidade de Santos nos dias 21, 22 e 24 de março.

 A enfermeira do município de Dirce Reis e docente da Funec em Santa Fé do Sul, Andréia Mura Peres (foto ao lado), teve a iniciativa de apresentar esse projeto após uma reunião que ela participou no final do ano passado, no qual a Santa Casa de Jales expôs o processo de implantação da Alta Responsável aos secretários municipais de saúde no Departamento Regional de Saúde de São José do Rio Preto.

"Fiquei muito entusiasmada com a iniciativa do hospital em articular com a rede de saúde de Jales a promoção na continuidade do cuidado após a alta hospitalar. Em janeiro desse ano participei de um outro encontro na Santa Casa para discutir e avaliar o processo da alta responsável e percebi, pela primeira vez em 13 anos de atuação na saúde, a integração dos serviços de saúde dos diferentes níveis de atenção", destacou Andréia.

Ao relatar o interesse da apresentação sobre a Alta Responsável na mostra de experiência exitosas que aconteceria no congresso, à enfermeira responsável técnica da instituição, Ana Lúcia da Silva, o administrador hospitalar, Rafael Carnaz Prado e a gestora da unidade de saúde de Dirce Reis, Izabel de Cássia Rocha Santiago, apoiaram a iniciativa.

"Durante a elaboração do trabalho percebi o quanto a equipe da Santa Casa de Jales está empenhada para obter resultados positivos com a implantação da alta responsável. Além do mais, esse projeto tende a diminuir a necessidade e frequência de reinternações do paciente, estabelecendo um vínculo com a atenção básica, potencializando suas ações na alta hospitalar por meio da continuidade do cuidado", proferiu Andréia.

O relato desse case de sucesso foi impresso em forma de pôster e apresentado durante o congresso. Para a Andréia o espaço oferecido concedeu a oportunidade de exporem experiências de sucesso de várias cidades, além de ser um incentivo a iniciação científica, oferecer um enriquecimento profissional, contribuir para mover novos projetos e propostas para qualificar a atenção à saúde.

A equipe (foto ao lado)da Alta Responsável da Santa Casa de Jales é formado por multiprofissionais dos setores da enfermagem, administração, farmácia, nutrição, médico, ouvidoria, CCIH, serviço social, educação permanente, tendo a ativa participação dos colaboradores: Ana Lúcia Silva, Ana Paula Fávaro, Anari Britto da Silva, Bruna Azevedo, Camila Altimari, César Augusto Rúbio, Érica Caldeira, Dr.ª Jaqueline Brasil, Jaqueline Fava, Juliana Cursi, Juliana Belai, Marcela Cavassani, Márcia dos Santos, Marisa Portelinha, Rafael Prado, Rodrigo Rodrigues e Rosineide Donda.

Formada Comissão Diocesana de Arquitetura e Arte Sacra

Os primeiros passos da Comissão Diocesana de Arquitetura e Arte Sacra, da Diocese de Jales, já iniciou, com sua segunda reunião que foi realizada no sábado, 1° de abril, na Cúria Diocesana

A Comissão está sobre a coordenação do padre Geraldo Trindade (foto), da paróquia São José Operário de Jales. Os poucos membros são Arquitetos, Engenheiros Civis e Artistas Plásticos da Diocese. O bispo diocesano D. Reginaldo Andrietta, também está acompanhando a comissão.

A reunião foi para
estudar o que é uma comissão de arte sacra, quais ás áreas de atuação, e como deve ser a formação, as metas e objetivos. Com trocas de ideias e elaboração de pequenos projetos, como formações nas comunidades, acompanhar as reformas, construções que são realizadas nas paróquias e comunidades da diocese.

No que diz respeito à arte sacra, tem por objetivo auxiliar as comunidades na análise dos projetos de construção, reforma, restauração, ampliação, adequação e adaptação externa das igrejas e seus anexos, a fim de garantir unidade e fidelidade às normas requeridas pela própria igreja para seus espaços.

"Cada paróquia que for construir ou reformar, terá orientações desta equipe, pois é uma equipe de serviço, ajuda, que possui os critérios básicos, de como se deve usar os materiais, facilitar as construções, e cada um em sua área orientará da melhor forma" afirmou padre Trindade.

Prefeitura de Urânia realiza limpeza da “Prainha” e Recinto de Exposições

 A administração municipal de Urânia desenvolveu, recentemente, uma ação de limpeza no Recinto de Exposição "Wanderley Gelonez", incluindo o local próximo à represa, para revitalizar a área e garantir condições de uso à população.

De acordo com o responsável pelo setor de obras, Marcos Abrantes, foram realizados serviços de coleta de lixo, poda de galhos, roçagem e varrição, pintura de guias, colocação de areia e, na represa, uma regulagem do nível da água.

A administração encontrou os locais tomados pelo mato alto, com muito lixo e entulho nas imediações. Os quiosques, que foram construídos pela administração anterior, com repasses do Governo do Estado de São Paulo, cujas instalações não foram concluídas e inauguradas, também estavam comprometidas pela sujeira e má conservação.

 
"O que estamos fazendo é um resgate e revitalização do local, que estava totalmente abandonado, para que a população tenha mais um ponto de encontro e lazer. Hoje já temos até jogos de vôlei de areia sendo realizados à beira da represa", declarou o prefeito Marcio Arjol.
 

Deputado Carlão reitera pedido para pavimentação do acesso ao matadouro de Santana da Ponte Pensa

O deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB), juntamente com o prefeito de Santana da Ponte Pensa, José Aparecido de Melo, mais conhecido por Zeca de Melo, reiterou o pedido de pavimentação da estrada que dá acesso ao matadouro municipal. Carlão e Zeca estiveram em audiência com o subsecretário de Assuntos com Municípios, Murilo Macedo, na Casa Civil, nesta segunda-feira (03/04), quando solicitaram a liberação de R$ 240 mil para a obra.
O prefeito informou que é um trecho de apenas 400 metros, que liga o campo de futebol ao matadouro municipal. "Mas é um trecho muito importante, onde se localizam uma horta, viveiro de mudas e granjas de suínos e aves para abastecer as creches", comentou. Portanto, a pavimentação contribuiria para manter os produtos mais limpos de poeira.

Disse ainda que esta obra foi reivindicada há mais de três anos e, recentemente, o governador Geraldo Alckmin, em visita à região, acenou para a possibilidade de liberar os recursos.

"Vamos envidar esforços para que o governador autorize a pavimentação desse trecho em Santana da Ponte Pensa, para contribuir para melhorar o transporte dos produtos gerados na granja e abatidos no matadouro municipal, que funciona plenamente", destacou o deputado Carlão Pignatari, que é Cidadão Honorário Santanense.

Um pouco mais de Luz

Adelvair David
 
 
Todo ser humano tem seus desejos e aspirações neste mundo, porém nem todos possuem no coração a certeza de que podem colaborar muito para a realização dos seus empreendimentos.
Dotado de capacidades muito grandes o homem poderia ter mais sucesso nas muitas lutas materiais, morais e espirituais. Encontramos criaturas derrotadas, que desistiram nas primeiras dificuldades, sempre alegando a má sorte, o destino ruim ou atribuindo a uma força externa que lhe impede as realizações.
É notório que cada homem reencarna neste mundo carregando as forças dos seus sucessos do ontem que são pontos positivos de partida, mas também com o sentimento de fracasso das experiências mal sucedidas que são entraves íntimos que funcionam como impedimentos nas suas lutas, porém, mesmo carregando essas limitações, é possível esforçar-se um pouco mais, dando mais de si para que a caminhada seja mais confortável e ditosa. Muitos desejam materialmente o que os outros possuem, mas não desejam trabalhar, se esforçar e aceitar, depois de ter feito a sua parte, as condições onde se encontram. Outros desejam as faculdades espirituais de uma pessoa, mas não querem pagar o preço de viver como eles vivem para possuí-las. Todos queriam a mediunidade de Chico Xavier, mas quem queria a vida do Chico? Poucos se determinaram a tal propósito.
Aconselhou o divino amigo, o meigo Senhor Jesus: "brilhe a vossa luz". Todo ser humano tem um potencial divino no seu coração que pode ser utilizado para superar os limites a que se encontra submetido, se o desejar. É preciso colocar um pouco de luz própria na caminhada, querer ser melhor, querer sair do lugar onde está e alcançar um patamar melhor.
O CAMINHO É LUMINOSO, MAS É PRECISO TER-SE LUZ NOS OLHOS PARA VÊ-LO ASSIM
 



PM prende criminosos que tentaram furtar agência bancária na região

Na madrugada desta quarta-feira, 5 de abril, criminosos tentaram furtar uma agência do Banco do Bradesco, no município de Santa Albertina, pertencente à 4ª Companhia do 16º BPM/I, utilizando artefatos explosivos. No entanto, a empreitada criminosa não obteve êxito, pois foi verificado que os criminosos não conseguiram levar o dinheiro dos caixas.

No local, restaram alguns explosivos que não detonaram, sendo necessário o acionamento do Grupo Antibomba do GATE que se deslocou de São Paulo até o local do crime para as ações de remoção e detonação dos artefatos.

Imediatamente, após a notícia do crime as equipes Policiais Militares iniciaram ações para identificação e prisão do envolvidos no crime visando uma resposta rápida à comunidade Santa-Albertinense.

Passadas algumas horas do ocorrido, dois suspeitos de participarem do crime foram capturados, sendo que um deles confessou a participação e foi preso, o outro após ser apresentado à autoridade de Polícia Judiciária foi liberado.

Um dos veículos usados no crime, que havia sido roubado em Jales, foi localizado às margens do Rio Grande, sendo apreendido.

Já na madrugada desta quinta-feira, 6 de abril, após incansáveis buscas, a PM localizou mais dois criminosos envolvidos, homiziados em uma mata entre Santa Albertina e Santa Clara D’Oeste, onde, após abordagem, ambos confessaram a participação no crime, sendo presos. Consta ainda que ambos possuem passagens pela Polícia pelos crimes de Tráfico de Drogas e Roubo, e traziam consigo seis lanches e um refrigerante que possivelmente seria levado para outros envolvidos.

Restou que, em 24 horas, segundo o tenente coronel PM Antonio Umildevar Dutra Junior, comandante do16º BPM/I, a Polícia Militar esclareceu o crime "e retirou do seio da sociedade três criminosos fugitivos que participaram da ação criminosa, dando, dessa forma, a resposta esperada pela sociedade"
 
Polícia Militar prende mais quatro 
 
Segundo nota divulgada pelo tenente coronel PM Antonio Umildevar Dutra Junior, comandante do16º BPM/I, nesta sexta-feira (07/04) informa que após cerca de 24 horas do ocorrido, a Polícia Militar já havia preso três envolvidos no crime, retirando do seio da sociedade três fugitivos que participaram da ação criminosa.

Entretanto, na manhã desta quinta-feira, 07 de abril, quatro criminosos, entre eles um portando arma de fogo, renderam um homem que dirigia um veículo Ford/Verona, obrigando-o mediante ameaça, a leva-los até a estação ferroviária de Santa Fé do Sul, onde o liberaram.

Diante da informação de mais este crime, e já com a suspeita de que tais indivíduos poderiam ser os envolvidos no ocorrido em Santa Albertina no dia anterior, a PM desencadeou uma operação com o objetivo de localizar e abordar tais indivíduos que estariam na composição férrea sentido São José do Rio Preto.

Com apoio do helicóptero Águia de São José do Rio Preto e efetivo reforçado foi possível realizar a abordagem aos quatro suspeitos quando o trem parou no porto seco de Simonsen, sendo que os indivíduos tentaram fugir ao perceber a presença policial, porém sem êxito, sendo todos presos.

Os quatro suspeitos confessaram a participação no roubo do GM/Cruze no município de Jales (veículo que foi utilizado no crime em Santa Albertina)  - na foto sendo retirado do rio Grande onde foi jogado pelos criminosos - , bem como assumiram a tentativa de Furto à Agência Bancária e ainda assumiram o Roubo do veículo Ford/Verona no município de Santa Clara D’Oeste.

Diante dos fatos, os criminosos foram presos e apresentados na Central de Polícia Judiciária de Jales, pelo fato de que a Ocorrência iniciou os registros naquele distrito, onde o Delegado determinou a Prisão Temporária dos quatro que permanecerão à disposição da Justiça.

Por fim, em menos de 48 horas transcorridas após o crime, sete envolvidos foram presos pela Polícia Militar, demonstrando assim a resposta esperada pela comunidade Santa-Albertinense, bem como a toda a região.

Com ótimo desempenho em 2016, Coopercitrus fatura R$ 3 bilhões

 Disse o presidente da Coopercitrus (Cooperativa de Produtores Rurais), José Vicente da Silva, em Assembleia Geral Ordinária da Coopercitrus, no dia 20 de março, em Bebedouro, SP: "2016 foi desafiador, mas proporcionou oportunidades de crescimento para a Coopercitrus muito além do que esperávamos". Foram com essas palavras que o presidente de uma das maiores cooperativas agrícolas do Brasil, definiu o momento de expansão e crescimento no exercício de 2016.

Com um faturamento da ordem de R$ 3 bilhões no exercício de 2016 (crescimento de 36% com relação a 2015) e a abertura de 38 novos empreendimentos, a Coopercitrus totaliza hoje 60 filiais no fornecimento de insumos, máquinas e implementos agrícolas e um quadro associativo de 26.140 cooperados, nos Estados de São Paulo e Minas Gerais. Tem por intuito oferecer soluções integradas no fornecimento de bens e serviços, buscando sempre resultados positivos sustentáveis, pela produtividade alcançada na aplicação de tecnologias inovadoras.

Assim, fornece a prestação de serviços em agricultura de precisão, realiza pós-venda efetivo em máquinas e atendimento técnico especializado em campo, realizado por consultores técnicos comerciais que regularmente visitam as propriedades dos cooperados. A Coopercitrus atende a cooperados das mais diversas culturas agrícolas, como cana-de-açúcar, citros, café, grãos, pecuária, hortifrúti, dentre outras, objetivando melhorar a renda e a produtividade dos cooperados.

São seis novas áreas de atuação que contemplam em Minas Gerais as cidades de São Sebastião do Paraíso, Cássia, Araxá, São Roque de Minas e Andradas e em São Paulo, a cidade de Araçatuba. Com a expansão, a cooperativa ampliou a capacidade de armazenagem de grãos de 40 mil para 136 mil toneladas, em café de 200 mil sacas para 1,6 milhões de sacas, além de adquirir três unidades fabris que inicialmente trabalharão com rações e suplementos minerais para ruminantes, com o intuito de agregar ainda mais a linha da Coopercitrus que hoje é completa e atende Pet, Peixes, Aves, Suínos, Ovinos, Equinos e Bovinos de corte e leite.

Cenário agrícola - O cenário de recessão pelo qual passa o Brasil resultou em um aumento da participação do setor agropecuário no Produto Interno Bruto. De acordo com balanço feito pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), mesmo com o decréscimo de 6,6% na atividade rural, a participação do setor no PIB passou de 21,5 registrados em 2015, para aproximadamente 23% em 2016. O Valor Bruto da Produção em 2016 fecha em R$ 527,9 bilhões, 1,8% abaixo do valor de 2015, que foi de R$ 537,5 bilhões.

Os jovens

Reginaldo Villazón

Os jovens (de 15 a 29 anos) constituem um quarto da população brasileira. Isto significa – conforme projeção do IBGE – que hoje existem 51,8 milhões de jovens no país. A maior parte deles só trabalha (45%). Uma parte só estuda (22%). Outra parte não trabalha nem estuda (20%). A menor parte trabalha e estuda (13%). A situação é preocupante. A melhor fatia deles (que trabalha e estuda) é a menor. A fatia dos mais vulneráveis (que não trabalha nem estuda) abrange um quinto de todos.

É natural que o IBGE tenha incluído indivíduos de 25 a 29 anos, porque hoje a juventude se estende a essas idades. A necessidade de desenvolvimento profissional e a instabilidade dos primeiros empregos retardam a independência econômica e as responsabilidades sociais da fase adulta. Também não seria infundado incluir indivíduos de 10 a 14 anos, pois hoje muitos deles já se ocupam de assuntos próprios dos jovens. Essa inclusão aumentaria em 9% a população brasileira considerada jovem.

A atenção com a juventude deveria ser bem maior. Muitos adultos imaginam que vão conquistar o país que almejam e vão materializar as cidades que desejam, simplesmente, confiando na democracia. No entanto, a tradição atesta que os detentores do poder dificultam o progresso, quando este afeta suas regalias. Claro que a participação dos cidadãos em favor do bem geral é fundamental. Mas não adianta esperar que a atual geração de dirigentes supere seus limites de sensibilidade e competência.

Torna-se óbvio admitir que o futuro próximo do nosso país e das nossas cidades será concebido e construído pelos jovens de hoje. E o futuro, mais adiante, pelos filhos deles. A sucessão de gerações – bem sabemos – é inexorável, necessária e benéfica. Por isto, zelar pelos jovens não é só uma questão de humanidade e justiça. Ademais, isso não pode ser adiado para priorizar aspirações sociais atuais. Problemas de difícil solução, que hoje se acumulam, serão resolvidos pelos dirigentes vindouros.

São imprescindíveis ações sociais de apoio aos jovens. Eles estão expostos a sérios enfrentamentos, como o contato com produtos perigosos (fumo, bebidas alcoólicas, drogas), os riscos de acidentes e violência urbanos, os perigos e ansiedades das primeiras experiências sexuais, o ingresso no mercado de trabalho exigente e frio. Quando contam com suporte na família, em entidades e projetos sociais, eles conseguem entender as dificuldades e contorná-las com esforço para não se abaterem.

Nós – adultos – devemos prestigiar mais os jovens, fazer mais por eles, botar mais fé neles. Eles são capazes de dominar o uso das novas tecnologias com muita desenvoltura e rapidez. Eles têm consciência da importância de assuntos como desigualdade social, direitos humanos, cidadania, liberdade de expressão, meio ambiente. Numa pesquisa, 70% dos jovens afirmaram ter bem clara a percepção de que eles têm capacidade de mudar o mundo para melhor. Pura verdade, eles farão isso.

Editais de Proclamas

Carolina de Alvarenga Peixoto da Motta, Oficial do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

MATHEUS CORRÊA TRUBANO e TAYLA ROBERTA DOLCI ROSSINI. ELE, natural de Campinas, deste Estado, nascido aos 06 de setembro de 1.990, assistente fiscal, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de José Jorge de Oliveira Trubano e de Daniela Antonia Corrêa Trubano. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 11 de março de 1.992, advogada, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Marcio Rogerio Rossini e de Andreza Galante Dolci.

AGUINALDO MARCIANO DA SILVA e DANIELA CÂNDIDA NANYA MARTINS. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 22 de junho de 1.982, auxiliar de produção, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Marciano da Silva e de Alzira Alves de Matos Silva. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 24 de julho de 1.977, auxiliar de cozinha, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Gualter José Martins e de Isako Nanya Martins.

EVERSON RODRIGUES BERSANETI e NAÉGELY AMARAL DE OLIVEIRA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 13 de agosto de 1.988, eletricista encanador, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Emerson Carlos Bersaneti e de Adriana Rodrigues Bersaneti. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 11 de abril de 1.994, enfermeira, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Abner de Oliveira e de Angela Aparecida Amaral de Oliveira.

VICTOR CORRÊA DA SILVA e LARISSA VIEIRA ALVES. ELE, natural de São Bernardo do Campo, deste Estado, nascido aos 15 de junho de 1.988, artesão, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Valdionor da Silva e de Lazara Ferreira Corrêa da Silva. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 30 de dezembro de 1.994, técnico em enfermagem, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Clodoaldo Alves e de Luciana Vieira Alves.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA - O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Carolina de Alvarenga Peixoto da Motta
Oficial


Folha Geral

da redação

O vereador
jalesense Tiago Abra (PP) quer saber do prefeito Flá Prandi (DEM) se foi apurada a responsabilidade pelo erro de inclusão do nome de um empresário na lista de devedores da Prefeitura, em junho de 2016. E quais as providências tomadas, inclusive quem vai arcar com o valor a ser pago a título de indenização.
Naquela ocasião,
o empresário arrumou a documentação em ordem e foi à Justiça em busca de seus direitos, tendo em vista que sua moral ficou abalada pela lista divulgada. De fato, quem lida no mundo empresarial sabe bem: uma notícia dessa repercute mal, moral e financeiramente.
Este ano,
a 2ª. Turma Cível e Criminal do Colégio Recursal em Jales confirmou a decisão do juiz Fernando Antonio de Lima, do Juizado Especial de Jales, que condenou a Prefeitura a pagar a indenização por danos morais (no valor de R$ 6 mil) e arcar com os honorários advocatícios estipulados em 10% do valor da condenação.
A atitude
do vereador Tiago Abra é correta e saudável. A transparência administrativa favorece a Câmara de Vereadores e a Prefeitura. Quando os problemas são resolvidos às claras, dentro das regras, acaba encerrado e sem chance de ser remoído.
O mesmo
vereador Tiago Abra questiona o prefeito Flá Prandi sobre a abertura de uma licitação, pela Prefeitura Municipal, para aquisição de um veículo novo e de alto valor. Para o vereador, os recursos orçamentários municipais são insuficientes para a Prefeitura arcar com obras emergenciais que, certamente, tem maior prioridade do que a aquisição de tal veículo e já dispõe de outro para viagens.
Em janeiro
deste ano, o prefeito Flá Prandi se envolveu num acidente rodoviário, relacionado com um caminhão, na Rodovia Washington Luís, próximo ao município de Cedral (SP). O prefeito sofreu leves escoriações e o veículo em que estava teve perda total. No requerimento, o vereador também solicita esclarecimento sobre o motivo daquela viagem a São Paulo.
Está proibido,
já há algum tempo, o tráfego de veículo pesado pelo viaduto Antonio Amaro, na Avenida Francisco Jalles. Mas o vai e vem diário de veículos de taras pequena e média continua abalando a estrutura do viaduto. Desde o embargo para veículo pesado, não se tem notícia de quais providências a administração está tomando para solucionar o problema.
Os "analistas"
lá do botequim da vila, de olho na política local, enfatizam que o prefeito Flá Prandi está perdendo oportunidade de vender seu peixe à população. O recape é uma oportunidade.
O cancelamento
de 78 pontos de acesso à internet pela Prefeitura vão causar uma economia de R$ 13 mil ao erário público. O vereador Abra quer saber quem usava esses pontos e se havia linhas privadas no meio. Todo corte de despesas sem prejuízo é ótimo e a administração municipal deve mesmo eliminar os excessos. Sabe-se muito bem que, nos segundos semestres, os cofres públicos dão uma secadinha.
Há quem
se faz perguntas. Por que um prédio onde funcionava uma creche na Avenida Maria Jalles, pertencente ao município, é usado por terceiros? Com uma reforma, pode-se instalar nele um órgão municipal, economizando pagamento de aluguel?
Não passa
um dia neste país – que dizem abençoado por Deus e que Ele é brasileiro – sem que haja uma denúncia de fraude ou corrupção. Agora é nos dois sentidos: de cima para baixo e de baixo pra cima. Na política, nos esportes, nas empresas. O pessoal que mete a mão no dinheiro alheio não se intimida, mesmo sabendo que pode ir parar na cadeia.
Na quinta-feira
(06 de abril), foi deflagrada pelo Ministério Público Federal em São Paulo, em conjunto com a Polícia Federal, a Operação Águas Claras, que apura o desvio de recursos públicos federais por dirigentes da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).
Três envolvidos
na Operação Águas Claras foram presos e um está foragido. Quatro empresários que participaram de licitações com indícios de irregularidades foram conduzidos coercitivamente a unidades da PF em São Paulo e no Rio de Janeiro. Outros 16 mandados de busca e apreensão também foram cumpridos.
As investigações
nos desportos aquáticos apuram o destino de cerca de R$ 40 milhões de recursos públicos, repassados à CBDA, que não teriam sido devidamente aplicados nas atividades desportivas da Confederação. Se a Polícia Federal continuar investigando os poderosos senhores dos esportes brasileiros, vai promover uma grande limpeza.
Este ano,
a Previdência Social divulgou que teve um déficit de R$ 151,9 bilhões em 2016. Depois o Ministério da Fazenda divulgou que, em janeiro deste ano, o montante de dívidas junto à Previdência Social atingiu R$ 432,9 bilhões. O povo não merece isso.
O Plenário
do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou, nesta quinta-feira, 6 de abril, dois Recursos Extraordinários com repercussão geral, reconhecendo a constitucionalidade da cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) da Petrobras, relativo a terreno arrendado no porto de Santos, e de uma concessionária de veículos no Rio de Janeiro, ocupando terreno em contrato de concessão com a Infraero.
A decisão,
tomada por maioria de votos, afastou a imunidade tributária para cobrança de imposto municipal de terreno público cedido a empresa privada ou de economia mista, com o fundamento de que a imunidade recíproca prevista na Constituição Federal, que impede entes federativos de cobrarem tributos uns dos outros, não alcança imóveis públicos ocupados por empresas que exerçam atividade econômica com fins lucrativos.