Páginas

sábado, 4 de março de 2017

Prefeitura de São Paulo extingue jornal impresso do Diário Oficial

 
O prefeito de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB), anunciou em um vídeo publicado em suas redes sociais que vai cancelar a versão impressa do Diário Oficial da cidade. Segundo Doria, todos os documentos já estão publicados apenas na versão digital.

Ele afirmou que a medida prevê uma redução de custos de R$ 1,5 milhão ao ano para a cidade — total gasto nos anos anteriores com a impressão em papel do D.O.

"Mais do que isso, é economia, sustentabilidade, agilidade no processo", afirmou

A publicação traz diariamente os atos dos poderes Executivo e Legislativo da capital, além do Tribunal de Contas do Município. Informações para servidores municipais também sai no jornal.

" A medida vai provocar economia de papel, sustentabilidade, agilidade no processos. Você pode acessar pelo seu celular, on-line", disse o prefeito no vídeo. Desde 2002, as publicações já estão disponíveis na internet", disse o prefeito

FOLHAGERAL

da redação


O secretário
 
Nilton Suetugo (foto) – da Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Mobilidade Urbana –, em virtude da homologação de licitação pertinente sem ocorrência de qualquer empecilho, disse que o recape asfáltico nas vias públicas da cidade de Jales poderia começar na segunda-feira (dia 6).
Só que
o melhoramento começou nesta sexta-feira (03) pela principal avenida do perímetro central, cujas ruas receberão primeiramente o recape, chegando ao final da execução em aproximadamente 138 mil metros quadrados de recape e um custo de mais de R$ 3 milhões. Uma empresa de Santa Fé do Sul vai executar o serviço de recape.

Os cuidados
com a cidade tem na Prefeitura o seu principal agente responsável. Quando a Prefeitura cumpre bem suas tarefas de limpeza, conservação e manutenção dos bens públicos, a comunidade pode ser motivada com sucesso a dar sua parte de contribuição. Não sujar a cidade, usar as lixeiras e respeitar os bens públicos viram obrigações para os cidadãos.
O vereador
Tiago Abra (PP) quer informações do prefeito Flá Prandi (DEM). Solicitou por escrito, com a aquiescência de seus pares na Câmara Municipal, cópias das portarias referentes à nomeação de todos os ocupantes de cargos comissionados, baixadas de 1º. de janeiro até o momento.
As nomeações,
alvo de análise do vereador Tiago, referem-se a ocupantes do primeiro, segundo e terceiro escalações da administração municipal jalesense. Nome por nome. Seja o que for, que o vereador deseja conferir, ele estará prestando bom serviço à Prefeitura e à comunidade.
Segundo
os "analistas" lá do botequim da vila, várias nomeações para cargos comissionados na administração de Jales devem acontecer até o mês de junho. E, dizem os "analistas", uma possível queda de arrecadação a partir de junho deve fazer parte das preocupações dos gestores municipais, visando evitar a entrada da Prefeitura num atoleiro.
Diante da
crise financeira que assola o país, os municípios estão buscando alternativas, na tentativa de evitar gastos desnecessários e melhorar os investimentos em benefício da população. O fim da publicação de atos oficiais em jornais impressos está sendo uma dessas alternativas. Passa a ser publicados no Diário Oficial Ekletrônico (DOE) que chega mais rápido e com fáci acesso. Eis um bom exemplo de como economizar gastos.
Com ouvidos
atentos no que pode acontecer, os "analistas" do botequim da vila revelam que a administração municipal de Jales poderá adotar esse novo sistema de publicação de atos oficiais. Tomara que sim. Meditas econômicas inteligentes devem ser estimuladas.
Pode ser
que gestores municipais tenham que respeitar acordos políticos e econômicos com jornais impressos, precisando manter as publicações nesses veículos por algum tempo. Mas não adianta prolongar com prejuízo o que não é mais necessário.
A inexistência
de oposição produz estagnação política. As notícias políticas desaparecem, os noticiários da imprensa e do rádio ficam pobres. Em Jales, o PSDB – que preferiu abrir mão de candidatura à Prefeitura em 2016 – fez acordos que o colocam longe de liderar uma oposição.
Hoje, o PSDB
jalesense está desaparecido do noticiário. Se continuar assim, sem dar conta que existe, vai sumir também dos acontecimentos políticos locais. O partido perdeu sua liderança, perdeu o rumo e a força da sua presença política.
Outros
partidos locais também enfraqueceram, como o PTB de Nice Mistilides e o PT de Luis Especiato. Vão ter que realizar grandes esforços políticos para ganharem de novo a atenção do povo, sem a qual só é possível andar de carona em outros partidos.
O PP conta
com dois vereadores na ativa, mas está dividido. O vereador Tiago Abra quer ter independência política, sem se envolver diretamente com a administração municipal. Por outro lado, o vereador Macetão prefere caminhar próximo à administração municipal com o intuito de alavancar louros para a sua jornada política.
Os demais
partidos políticos locais vão depender do desempenho dos seus representantes no Executivo e no Legislativo. Como sabemos, quatro anos não passam, voam. Os políticos locais que estão no poder vão ter que mostrar muito serviço à população.
Numa edição
passada, esta coluna publicou uma foto, registrando uma placa de sinalização de estacionamento proibido para veículos, na Avenida Maria Jalles. Nada deve justificar aquela placa, naquele local, já que lá existem terrenos vagos tomados pelo mato. Até agora, não há explicação nem providência do órgão público competente.
Falando em
placa de sinalização de trânsito, a Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Mobilidade Urbana já deve estar estudando o tempo limite de estacionamento para deficientes e idosos na área Azul da cidade. Ou vai ficar como está? Abusando da paciência dos demais pelo privilégio do tempo ilimitado para estacionar seu veículo.

Orquestra Violeiros de Santa Fé receberá prêmio Inezita Barroso

Os Violeiros de Santa Fé, orquestra da Estância Turística de Santa Fé do Sul (SP), será homenageada durante a Sessão Solene da 1ª edição do Prêmio Inezita Barroso, que acontecerá em maio, na Assembleia Legislativa.

O prêmio Inezita Barroso foi uma indicação do Deputado Estadual Itamar Borges, e tem o intuito de reconhecer e valorizar aqueles que mantêm as tradições da cultura caipira de raiz no Estado de São Paulo.

"Quero parabenizar a orquestra de Santa Fé e dizer o quanto estamos orgulhosos por receberem esse prêmio. Contem comigo e com toda minha equipe", concluiu o prefeito Ademir Maschio.

A orquestra é subsidiada pela Prefeitura Municipal por meio da secretaria Municipal de Cultura.

Pior saldo desde 2007

Pelo quarto mês consecutivo, o setor de serviços no Estado de São Paulo apresentou saldo negativo de funcionários. Em dezembro, foram eliminados 74.293 postos de trabalho, resultado de 125.393 admissões contra 199.686 desligamentos. Na comparação com o mesmo mês de 2015, ainda que ambos os saldos sejam negativos, houve uma ligeira melhora dos números do setor. Em dezembro de 2015 foram 84.383 empregos perdidos, sendo este o maior saldo de vagas eliminadas no último mês do ano desde o início da série histórica, em 2007.

No acumulado dos 12 meses de 2016, o saldo ficou negativo em 130.511 empregos, o pior resultado da série histórica iniciada em 2007. Esse é o segundo resultado negativo consecutivo para o acumulado de um ano já que em 2015 houve uma perda de 106.833 postos de trabalho com carteira assinada. Com isso, o estoque ativo de trabalhadores de dezembro deste ano, na comparação com o mesmo mês do ano passado, registrou queda de 1,8%, fechando o ano com estoque total de 7.294.116 empregados no setor de serviços paulista.

Sucesso na escola e na vida: Anglo Jales apresenta “O Líder em Mim”

por Daniel Zílio






 
1 -Alunos ingressantes e veteranos, do 1º ao 9º ano participaram da apresentação do projeto O Líder em Mim 2 - Os alunos do ensino fundamental II apresentaram o Hino para os alunos do ensino fundamental I 3 - s professoras do Anglo apresentaram a adaptação da peça teatral "A cigarra e a formiga", de Monteiro Lobato 4 - A gestora Élida Barison, as coordenadoras Daisy e Ana Silvia com as professoras que fazem parte do projeto O Líder em Mim
 
 
O Colégio Anglo Jales, realizou uma aula inaugural, na quarta-feira, dia 22 de fevereiro, para apresentar aos novos alunos e aos veteranos, o projeto "O Líder em Mim".
 
Na presença da gestora Élida Maria Barison da Silva, das coordenadoras, Daisy Romagnolli de Moraes Andrade e Ana Silvia Cavenagui Doho, de professoras e funcionários, os alunos do Anglo de Jales cantaram o Hino Nacional e o Hino de Jales, dando início a abertura do evento.

Na cerimônia de apresentação do O Líder em Mim, as professoras do Anglo de Jales apresentaram uma peça teatral, adaptada da obra, A cigarra e a formiga, do escritor literário Monteiro Lobato. De um modo simples e muito divertido, provaram que seguindo os 7 hábitos, sempre há uma forma de fazer o que já fazíamos, de um jeito melhor. "O Líder em Mim despertou em nossos professores uma abordagem tão abrangente que tornou o desenvolvimento de liderança uma parte integrante de tudo o que fazem", disse a coordenadora Daisy Romagnolli.

Os alunos também mostraram muito talento. Os líderes do fundamental I e fundamental II apresentaram seus hinos, que foram criados juntamente com a gestora Élida Barison da Silva e com a professora de música, Priscila Avelino.

Os 7 hábitos criam uma linguagem comum quando os envolvidos começam a usar uma mesma linguagem. Faz uma grande diferença quando todos entendem o que significa "fazer primeiro o mais importante", ou "procurar primeiro compreender, depois ser compreendido", ou "ser proativo", ou "comece com o objetivo em mente", ou "pense ganha ganha", ou "crie sinergia" e "afine o instrumento". As escolas que adotam "O Líder em Mim" frequentemente descobrem que os alunos passam a usar essa linguagem na sala de aula, entre eles e com seus pais.

No Brasil, o programa iniciou em 2013 e já foi implantado em mais de 300 escolas. Um programa desenvolvido pela Franklin Covey Co, nos Estados Unidos, baseado no livro "Os 7 hábitos de pessoas altamente eficazes" e adaptado à realidade brasileira pela Somos Educação, que tem a exclusividade desse programa.

No Anglo de Jales vai atender alunos do 1º ao 9º ano, professores e os gestores da escola. Trata-se de um programa com conteúdo, metodologia, material didático e treinamento para o aprendizado de liderança, valores e competências fundamentais para o sucesso na escola e na vida.

Evento na Casa da Sopa

A equipe de trabalhadores da Casa da Sopa de Jales (Instituição Beneficente Benedita Fernandes) está planejando uma noite agradável, com ótima música e comidas deliciosas. E, embora alguns detalhes ainda não estejam totalmente definidos, há a certeza da data: 03 de junho. Então, quem curte os eventos beneficentes e sempre prestigia as iniciativas da Casa da Sopa já pode agendar o primeiro sábado de junho para se divertir e ajudar.

Em breve, mais informações, como local e valores.


Aniversário


Marcelo Augusto Souza de Freitas Carvalho, com a esposa Patricia e o filho Augusto, festejará na terça-feira, 7 de março, mais um aniversário. A família reside em Ribeirão Preto (SP).

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial é reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação

A Faculdade de Tecnologia "Prof. José Camargo"- Fatec Jales obteve mais uma grande conquista! O curso de Tecnologia em Gestão Empresarial foi reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) pelo prazo máximo, ou seja, 3 anos (de acordo com a deliberação do Conselho, para reconhecimento, o prazo é de 1 a 3 anos).

Esse êxito se deve a uma série de fatores avaliados positivamente, como a matriz curricular, qualificação do corpo docente, projetos desenvolvidos, acervo bibliográfico, infraestrutura, entre outros, os quais permitem o oferecimento de um curso superior público de alta qualidade, capaz de contribuir para o desenvolvimento profissional e regional.


Fibromialgia: os desafios de uma doença invisível

Ana Cláudia Felizola,
para o Blog da Saúde


Sentir dores intensas por todo o corpo e ainda lidar com a desconfiança de quem não entende os sintomas. O duplo desafio é constantemente narrado entre pessoas diagnosticadas com fibromialgia, uma dor crônica caracterizada por se disseminar por várias partes do corpo e provocar fadiga, distúrbios de sono e episódios depressivos.

"No começo é bem difícil de você mesmo aceitar a doença, e também é ruim porque as pessoas acham que você está fazendo corpo mole", descreve o servidor público e músico Hélvio Sodré, de 33 anos, 10 deles debaixo do diagnóstico da fibromialgia.

Por ser silenciosa, não detectável em exames laboratoriais e não causar qualquer transformação externa na pessoa, muitas vezes a fibromialgia é vista como um transtorno apenas psicológico. "Como boa parte dos pacientes sofre muito porque tem dor crônica, eles acabam sendo imputados como doentes psicológicos, o que não é verdade. Eles sentem dor mesmo", reforça o reumatologista e coordenador da Comissão de Dor, Fibromialgia e outras Síndromes de Partes Moles, da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), José Eduardo Martinez.

Apesar de nem todos os pacientes com fibromialgia apresentarem depressão, o médico destaca a existência de uma relação entre as doenças. "A dor crônica leva à depressão e a depressão leva à dor crônica. Hoje a gente considera a depressão como fator agravante de quem tem fibromialgia", explica o reumatologista.

A origem da doença ainda não é totalmente conhecida. Contudo, já foi constatado que os fibromiálgicos apresentam alterações no sistema nervoso para o controle da dor. "A predisposição genética é uma das possíveis explicações, mas também há uma relação com estresse. Pacientes que têm uma vida em que foram submetidos a um número maior de fatores estressores têm tendência a ter mais dor", argumenta José Eduardo.

No caso de Hélvio, as dores começaram embaixo da escápula esquerda. "Começou do nada, até imaginei que fosse uma dor muscular por ter dormido de mau jeito. Tentei fazer fisioterapia, massagem, acupuntura, mas não passava, e ela começou a irradiar para outros lugares no corpo", relembra.

"Normalmente existem dois caminhos que levam as pessoas a ter dor no corpo", avalia José Eduardo. "Ou a pessoa já tem alguma doença que gera dor, como um problema de ombro, ou uma doença reumática, e na não resolução dessa dor localizada, ela acaba, ao longo do tempo, se generalizando. Outro caminho é o estresse crônico, que leva a tensão muscular, que gera dores musculares, o que acaba culminando em uma dor fora de controle e generalizada", aponta.

De acordo com o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) de Dor Crônica, do Ministério da Saúde, dados norte-americanos mostram que 31% da população têm alguma dor crônica, acarretando incapacidade total ou parcial em 75% dos casos. A fibromialgia acomete mais as mulheres na faixa etária de 30 a 55 anos, mas existem alguns casos em pessoas mais velhas, crianças e adolescentes. Por isso, a sociedade alerta para a importância de os pais observarem sintomas como dor desproporcional a lesões ou excesso de fadiga. A SBR calcula que, no Brasil, a doença afete cerca de 3% da população.


Diagnóstico e tratamento
Com a dor persistente, Hélvio Sodré procurou um reumatologista. Por meio de um exame em que o paciente deve manifestar dor em ao menos 11 dos 18 locais esperados de pontos musculares dolorosos, e a partir da exclusão de outras condições clínicas, como doenças reumáticas e distúrbios primários do sono, finalmente ele acabou diagnosticado com a fibromialgia.

"Tive muitos problemas no trabalho, precisei entrar com licenças médicas. Isso é muito ruim no seu processo de vencer as crises, mas o primeiro passo é entender que você tem essa condição e que é possível ter qualidade de vida mesmo com a doença", opina Hélvio. Para ele, a melhor saída encontrada foi por meio da prática de exercícios físicos – a principal recomendação médica para o tratamento da fibromialgia.


O desafio era, então, encontrar um exercício que aliasse prazer à melhora no quadro de saúde. "No início eu deixava um pouco de lado, aí a minha saúde oscilava muito", admite o servidor público, que chegou a fazer natação, musculação e exercícios aeróbicos na academia, antes de descobrir uma atividade de que realmente gostava. "Desde 2010 eu acompanhava canais de lutas. Sempre tive um fascínio muito grande, mas não me julgava em condições de praticar, me achava limitado pela fibromialgia", conta.




O servidor público Hélvio Sodré (à direita) recebe um certificado no muay thay

Só depois de ganhar mais confiança e força muscular na musculação, Hélvio resolveu se aventurar em uma aula de muay thai. "Decidi ir no meu ritmo. Expliquei a minha condição para o professor e ele falou que tinha outros alunos com fibromialgia e que conseguiram um bom resultado. Comecei devagar, fui conhecendo os limites do meu corpo e ganhando segurança", relembra. "Foi bom para a minha autoestima, saber que a doença não me limita a praticar o esporte", afirma.

"Sem dúvida praticar exercícios físicos é a intervenção mais importante e mais efetiva que a literatura mostrou no tratamento da fibromialgia. É importante e efetiva porque o exercício físico diminui a dor, melhora a depressão, a ansiedade, o sono e a fadiga, que são componentes importantíssimos da fibromialgia", destaca o reumatologista da SBR. "O paciente com fibromialgia tem que começar com uma atividade leve e progredir lentamente", reforça.

Em relação a medicamentos, o PCDT de dores crônicas indica o uso de relaxantes musculares apenas por curtos períodos de tempo, em casos de dor aguda, sendo desaconselhado o uso contínuo. Em geral, a doença é tratada com o uso de antidepressivos. Além disso, com a publicação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, foram institucionalizadas no Sistema Único de Saúde (SUS) a homeopatia, as plantas medicinais e fitoterápicos, a medicina tradicional chinesa/acupuntura, a medicina antroposófica e o termalismo social-crenoterapia. Essas terapias, associadas aos tratamentos convencionais, ajudam a minimizar os efeitos colaterais, trazendo maior qualidade de vida ao paciente durante o tratamento e ajudando-o a apresentar resultados positivos.

A estratégia para o tratamento ideal da dor crônica é uma abordagem multidisciplinar com a combinação de modalidades de tratamentos não farmacológico e farmacológico. O tratamento deve ser elaborado, em discussão com o paciente, de acordo com a intensidade da sua dor, funcionalidade e suas características, sendo importante também levar em consideração as questões biopsicossociais e culturais. A dor crônica é um estado de saúde persistente que modifica a vida. O objetivo do seu tratamento é o controle, e não a eliminação.

A Coordenação-Geral de Atenção Especializada do Ministério da Saúde realizou um levantamento no ano passado, junto aos estados que possuem hospitais habilitados em oncologia, e localizou 13 estados (AC, AL, BA, ES, MA, MG, MT, RO, RR, RS, SC, SP e TO) com centros da dor que atendem pelo SUS. Dos 27 estados, somente o Amazonas e o Piauí não contam com centros da dor pelo SUS ou privado.

A Sociedade Brasileira de Reumatologia disponibiliza uma cartilha com informações sobre a fibromialgia.

A Crise e o Carnaval

Flávio Rodrigo Masson Carvalho Professor do UNIBAVE – Orleans - SC
equilibriumtc@hotmail.com

 
Quanto mais eu vivo, menos entendo as coisas!

São 13 milhões de desempregados, e aumentando, a corrupção nos corroendo dolorosamente. Todos os políticos estão envolvidos.

O empresário "modelo" do pais, se encontra preso, envolvido até a alma em corrupção.

Políticos importantes, ex-governadores, estão presos, e muitos outros seguirão o mesmo caminho.

Retiramos a presidente do pais a pouco tempo, e pedem a retirada do atual presidente. Vão votar os ajustes na previdência, e esse que vos escreve não vai mais se aposentar, vou morrer trabalhando.

A inflação ainda nos assusta, os juros são monstruosos, nunca pagamos tantos impostos, e já ameaçam criar outros, e aumentar a alíquota de alguns.

E o mais grave, o aumento da violência. Vivemos em zona de guerra. Estão fazendo justiça com as próprias mãos.

Os presídios abarrotados. Um total desrespeito aos Direitos Humanos.

Não confiamos em nenhum político, em nenhum partido político.

Rasgam nossa Constituição a todo instante.

Estamos enojados, extremamente estressados, e alguns já estão desesperados.

Estamos descrentes, perdendo as esperanças, não vislumbramos uma melhora para um futuro breve.

Nunca tivemos com tamanha baixa auto-estima.

Estamos com medo!

Tudo isso até o início do carnaval!

Pois com o carnaval esquecemos de tudo!

Nunca houve tanta gente nas ruas, curtindo, brincando, festejando.

Os blocos de ruas aumentaram de tamanho, e em número de blocos. Em São Paulo houve um aumento de mais de 30% no número de blocos.

E os especialistas erraram feio nas estatísticas. Onde esperavam a concentração de cinco mil pessoas para brincar o carnaval, apareceram mais de cem mil. Onde estimaram cem mil, apareceram um milhão de pessoas.

Ou seja, o carnaval foi o maior sucesso!

Nunca festejamos tanto!

Nunca se viu tantas pessoas nas ruas!

O carnaval no Brasil é mesmo um sucesso!

Será que só prestamos para isso? Será que somos competentes apenas no que tange ao carnaval? Nós realmente somos um povo festeiro? Só sabemos festejar?

Onde estava essa gente toda nas manifestações contra a corrupção, contra a crise?

Se tivéssemos metade dessa gente nas manifestações, estaríamos hoje num Brasil melhor!

Acabou-se o carnaval! E agora?

Estão com razão aqueles que não nos levam a sério mesmo?

Somos um povo pacífico, porém passivo demais!

Como vamos mudar esse pais?

Talvez se encarássemos o Brasil como uma grande escola de samba, e convidássemos um carnavalesco para presidi-lo.

Talvez se nossas manifestações em busca de um pais melhor, ou quando estivéssemos reivindicando algo, fizéssemos embalados por um samba enredo, ou pelas clássicas marchinhas de carnaval.

Como disse aquele poeta, na letra de música: "Que pais é esse?"

Quanto mais eu vivo, menos entendo o Brasil e os brasileiros!

Será que o Brasil é mesmo o pais do carnaval? Do samba e do futebol?
 



Urânia intensifica serviços de recuperação de estradas rurais

A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, intensificou os serviços de recuperação das estradas rurais do município de Urânia. O trabalho teve como objetivo melhorar a trafegabilidade e acesso dos veículos do córrego da Porteira, já que o intenso volume de chuvas fez com que muitos pontos ficassem sem as devidas condições de tráfego.
 

A equipe realizou o desentupimento de tubos para travessia de água, evitando assim que o volume de água passe sob a estrada causando-lhe danos e evitando a travessia de pedestres. Além disso, o caminho foi ampliado facilitando a passagem dos veículos.

"Estamos trabalhando no sentido de oferecer condições para que os produtores, moradores e alunos que utilizam as estradas tenham segurança e conforto para trafegarem. Sabemos que o fluxo de veículos é intenso, por isso estamos trabalhando na recuperação dessas vias", comentou o diretor do Departamento de Agricultura e Meio Ambiente, Anderson Chapichi.

De acordo com o prefeito Marcio Arjol, a administração tem o compromisso com os moradores e agricultores do município. "Nossa malha rural é muito extensa e requer um esforço constante para que possamos deixá-la em boas condições de tráfego, buscando promover assim melhorias das condições de vida dos moradores da zona rural".

Festividades

Adelvair David

No afã de encontrar divertimento para espairecer ou por tradição é comum a criatura humana agir de forma impensada entregando-se a comportamentos nada saudáveis física e moralmente.
É positivo buscar o lazer para arejar a mente, sendo profundamente indicado pelos especialistas do comportamento humano, porém, a título de fazê-lo, deixar-se conduzir por desequilíbrios de toda sorte nunca será justificável.
Muitos morrem radicalizando ações que chamam de esportes, outros se perdem moralmente nas festas regadas a todos os tipos de alcoólicos ou substâncias que lhes tiram o controle. Outros se submetem a situações vexatórias, e alguns ainda produzem tal mal a si mesmos que ficam mutilados fisicamente, sequelados de muitas maneiras, tendo o arrependimento como marca de que não estavam no comportamento correto.
Compreendemos que o "carnaval" se amolda perfeitamente ao que estamos falando, por atavismo induz a criatura a soltar-se sem limites e mesmo que não o faça, a frequentar ambientes saturados de recursos vibratórios negativos, indutores de tudo o que não lhe é devido. Argumentam alguns que não se darão a nenhum desequilíbrio, então ouvimos certa feita de um amigo espiritual: Duas pessoas que atravessassem um pântano, uma sobrea e a outra alcoolizada, ambas chegariam ao outro lado impregnadas dos recursos provenientes do pântano, claro que o segundo estaria em pior situação, mas ambos estariam sujos.
Disse Jesus que: "porque larga é a porta, e espaçoso é o caminho que conduz a perdição." Neste sentido, não se poderá chamar de divertimento todo evento, necessário prudência na escolha.
FESTIVIDADES DEVEM EXPRESSAR UMA ALEGRIA QUE CONDUZA AO SOSSEGO E A PAZ.
 

Editais de Proclamas

Carolina de Alvarenga Peixoto da Motta, Oficial do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

THIAGO CASTILHO GABRIEL e FLÁVIA DE SIQUEIRA VIEIRA. ELE, natural de Andradina, deste Estado, nascido aos 19 de abril de 1.980, médico, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Edson José Gabriel e de Márcia Aparecida Gabriel. ELA, natural de Taubaté, deste Estado, nascida aos 21 de novembro de 1.988, enfermeira, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Carlos Roberto Arantes Vieira e de Odanira de Siqueira Vieira.

MARCO AURELIO VALIN MARCATO e YASMIN DE OLIVEIRA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 10 de outubro de 1.992, operador de máquinas, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Devanildo Marcato e de Rosângela Valin. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 25 de março de 1.993, secretária, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Elenita Helena de Oliveira.

JULIANO BRITO JORGE e JAQUELINE FERNANDA IZIDORO. ELE, natural de Taquaritinga, deste Estado, nascido aos 29 de março de 1.993, motorista, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Antonio Custodio Jorge e de Maria Brito Jorge. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 18 de janeiro de 1.996, operadora de caixa, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Luciano Izidoro e de Luciana Alexandrina do Nascimento.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA - O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Carolina de Alvarenga Peixoto da Motta – Oficial

Criativos

Reginaldo Villazón

Nos países desenvolvidos – onde a educação já é excelente –, governantes e educadores persistem na preocupação de investir mais recursos financeiros e aplicar medidas inovadoras no sistema educacional. Faz tempo, eles deixaram para trás a educação tradicional, centrada em disciplina, conhecimento e qualificação ao trabalho. Hoje, eles preparam crianças e jovens para obterem êxito na vida social, no exercício da cidadania, na realização profissional. Mas isso não basta, não é mais suficiente.

O planeta e a sociedade humana vêm passando por transformações imensas e isto exige reações decisivas. Na educação, agora existe o conceito de Educação Criativa, que se apoia em educação, arte e cultura para promover o desenvolvimento das crianças e dos jovens. Para começar, são necessários orientadores e professores de diversas especialidades. Depois, é preciso contar com ambientes, móveis, equipamentos e materiais que ofereçam possibilidade de realização de atividades em equipes.

Não há uma definição que limite a Educação Criativa. Podemos entendê-la como sendo meios de desenvolvimento de potencialidades, habilidades e comportamentos das pessoas. Alguns dos seus benefícios são: encontrar soluções diante de problemas, fazer uso de novas tecnologias e comunicar-se com clareza. Paralelamente, cresce no mundo a Economia Criativa, ou seja, empreendimentos que geram produtos e serviços concebidos de modo criativo. O trabalho humano convencional diminui.

Universidades e Institutos de Educação avançados adotam e difundem a Educação Criativa no mundo. A UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) gerencia uma rede cooperativa de 116 cidades (em 54 países) que decidiram priorizar iniciativas criativas no seu desenvolvimento. No Brasil, em 2015, o MEC validou 178 organizações criativas na educação básica do país. A nossa Educação Criativa cresce, envolvendo entidades, empresas e governos.

Hoje os brasileiros admitem que, além de combater a corrupção, o país tem necessidade de realizar amplas reformas para superar as dificuldades econômicas e sociais. As crises atuais requerem mudanças estruturais, sem as quais o país não voltará a se desenvolver. Entidades públicas e privadas discutem reformas na Constituição, na Educação, na Saúde, nos sistemas político, tributário, prisional e outros. Além disso, é preciso preparar o país para os novos desafios e oportunidades globais.

O Brasil precisa mesmo de reformas estruturais. Mas elas não serão eficazes, enquanto o país estiver nas mãos de dirigentes (públicos e privados) tradicionais. Ou seja, até que estes dirigentes tradicionais sejam atropelados pela geração de criativos. A história vai se repetir: sai geração velha, entra geração nova. Será ótimo quando a geração de criativos desmontar o Congresso Nacional, onde se reúnem fisicamente 594 parlamentares, ao custo de R$ 10 bilhões por ano, para longas discussões corporativas.

HC de Jales realiza baile de carnaval para pacientes e colaboradores

fotos - 1 - No sentido relógio:- Paciente Lu, Assistente de Captação de Recursos Ariely Siqueira, acompanhante Silvana Souza Felix e estagiária Carla Tondini 2 - Pacientes e voluntárias na escolha de máscaras 3 - Voluntárias da AVCC cantando marchinhas de carnaval




Na quarta feira, 22 de fevereiro, foi realizado um baile de carnaval para os pacientes do Hospital de Câncer de Barretos – Unidade Jales, organizado pelo Grupo de Trabalho Humanizado (GTH). A festa trouxe ao ambiente hospitalar grande alegria com decoração carnavalesca.


Os presentes contaram com pipoca, sorvete e músicas de carnaval, tais como "Mamãe eu quero", "Taí, eu fiz tudo pra você gostar de mim", entre outras marchinhas famosas.

Para a acompanhante Silvana Souza Felix a diversão foi garantida. "Eu achei uma ótima forma de distração e integração. Tem muitas pessoas que se se sentem acuadas e tímidas. Com o projeto nós pudemos conhecer outros pacientes e inclusive a própria equipe responsável pelo tratamento dos pacientes. Estão todos de parabéns.", relatou a moradora de Santa Helena do Goiás.

A gerente administrativa, Camila Venturini, explica que "Essas ações estão na programação do GTH e visa contribuir com a autoestima dos nossos pacientes, levando em consideração que o Carnaval traz alegria, comunhão com as pessoas, diversão, dança e música".

Para os idealizadores do projeto, o GTH, o resultado da iniciativa é muito gratificante. "Foi maravilhoso ver a integração dos pacientes e dos nossos colaboradores, eles realmente entraram no clima", ressaltou a enfermeira da Qualidade e da Educação Continuada Priscila Miranda.

"O Baile de Carnaval foi à continuidade do projeto de produção de máscaras, que foi realizado durante o mês de fevereiro. As peças produzidas ficaram realmente lindas, tanto as que foram usadas pelos pacientes quanto as que foram utilizadas na decoração do espaço.", finalizou Priscila.

A festa só se tornou possível graças aos doadores que sempre nos ajudam. Em especial à Aracini Salles Gonçalves, da Sorveteria 0 Grau, que doou os sorvetes, o Riva da Loja Vira Festa, que doou confetes e serpentinas, as voluntárias Betinha e Alda Viera, que estouraram a pipoca e ajudaram na decoração e à AVCC, que contribuiu com a doação dos saquinhos de pipoca, colares, o som que foi comando pelo voluntário César Lima e as voluntárias que cantaram marchinhas de Carnaval.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Cara & Cara

José Renato Nalini
secretário estadual de Educação


O CEE – Conselho Estadual de Educação de São Paulo realizou um evento para celebrar os 20 anos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira. O expositor foi o Professor Doutor Carlos Roberto Jamil Cury, reconhecida autoridade no tema.

Dentre as várias ponderações tecidas durante o encontro, uma delas foi bem instigante. A educação infantil impregnou o universo do pensamento pedagógico. Tem-se noção bem sedimentada de que a creche não é o lugar onde as crianças permanecem para que as mães trabalhem. É o início de um longo e infinito processo de aprendizagem. Não é por acaso que ela se chama hoje "creche-escola".

Ninguém tergiversa a respeito dos cuidados que a criança merece nos anos iniciais. É a faixa etária da assimilação das sensações, das primeiras impressões, do contato com o outro, dos traumatismos e das marcas indeléveis, que permanecerão vida afora.

Daí o crescimento da demanda por creches, em todos os municípios brasileiros. São Paulo tem 645 cidades e todas elas têm procura por esse equipamento educacional que se inseriu na realidade cotidiana. Por esse motivo, o projeto de edificação de creche-escola que o Governo do Estado implementou, oferece à municipalidade um modelo pedagógico exaustivamente estudado por pedagogos, arquitetos, educadores, psicólogos e especialistas na área.

Acomodações amplas, coloridas, com transparência que permite acompanhar de ambiente externo tudo o que acontece nas salas de atividades, nos berçários, nas dependências especialmente desenhadas para propiciar à criança tratamento condigno com a mais apurada qualidade de ensino/aprendizado inicial.

Esse investimento é muito dispendioso. Por isso a expressão "cara & cara" utilizada pelo conferencista do CEE. Cara como sinal de seu elevado custo, mas cara como adjetivo a exprimir o apreço que a comunidade destina a esse espaço do qual sairão crianças com expectativas muito ampliadas em relação às fases ulteriores de sua aprendizagem.

Vale a pena conhecer o projeto-padrão dessas creches-escola, principalmente quando elas já estão repletas de crianças de até 4 anos, vivazes e felizes, risonhas e peraltas, esperança nítida de que o Brasil tem tudo para dar certo.

Leilão da Santa Casa de Jales acontece em abril

 Falta pouco mais de um mês para o 9º Grande Leilão de Gado em prol da Santa Casa de Jales que será realizado no dia 9 de abril de 2017 no Comboio.

A equipe de voluntários do leilão está em busca de doações de gado, prenda ou dinheiro juntamente com o setor de Captação de Recursos do hospital que está trabalhando para que seja mais um sucesso de público e arrecadações.

Esse será o primeiro evento de 2017 realizado pela instituição e tem como intuito angariar dinheiro para custeios da Santa Casa, que está passando por um momento difícil e não consegue fechar as contas.

"O leilão é um dos eventos mais grandiosos realizados pelo hospital e conta com a importante participação dos voluntários. Gostaríamos de pedir a parceria de todos para que compareçam e prestigie esse encontro de solidariedade", destacou o provedor, da Santa Casa de Jales, Junior Ferreira.
No leilão será comercializado bebidas e também comida como espeto de carne e pão com carne moída em um preço acessível. A proposta é atrair famílias para participar do leilão e assim contribuir ainda mais com a instituição.
Os interessados em contribuir com a doação de gado, dinheiro ou prenda, deve entrar em contato pelos telefones (17) 3622-5003 ou 99704-2727.

Carnaval 2017 teve redução de 20% no número de mortos nas rodovias paulistas

Os acidentes com vítimas durante o Carnaval 2017 caíram em17,8%, com 61 ocorrências a menos neste ano, nas rodovias paulistas, se comparado com o feriado do ano passado. Os dados foram divulgados pela Polícia Militar na tarde desta quarta-feira, 1º de março.

Entre sexta-feira, 24 de fevereiro e esta quarta-feira, 1º de março, o Comando de Policiamento Rodoviário (CPRv) intensificou o patrulhamento nos mais de 22 mil quilômetros de estradas estaduais. A ação resultou na diminuição de 341 para 280 acidentes envolvendo vítimas.

No mesmo período, porém, houve uma morte a mais. No carnaval do ano passado foram 17 óbitos, contra 18 deste ano. O número de vítimas com ferimentos graves caiu em 4% (de 91 para 87). De vítimas leves, a redução foi de 24% (de 454 para 345).

Segundo a PM, foram fiscalizados mais de 26 mil veículos, sendo que 7.800 condutores foram submetidos ao teste do bafômetro. Ao todo, mais de 20 mil autos de infração foram lavrados e 1.222 motoristas foram autuados por dirigir sob efeito de álcool – destes, 23 foram presos por embriaguez ao volante.

A presença dos patrulheiros também auxiliou no combate direto à criminalidade. Durante a operação, 41 pessoas foram presas em flagrante por diversos crimes, além da recaptura de 13 foragidos da Justiça. Os PMs apreenderam ainda 46 quilos de drogas e cerca de mil munições de uso restrito.

Operação Carnaval 2017 na área do 16º BPM/I – A Operação teve início na sexta-feira 24de fevereiro e terminou nesta quarta-feira de Cinzas, 1º de março, contou com efetivo reforçado a fim de proporcionar à população maior segurança nos locais onde houveram eventos carnavalescos.

Segundo o Tenente Coronel PM Umildevar Dutra Júnior (foto), comandante do 16º BPM/I "o balanço foi positivo visto que não foram registradas ocorrências de gravidade relacionadas a eventos carnavalescos" .

De acordo com o que foi divulgado nesta quinta-feira, 2 de março, o efetivo designado exclusivamente aos locais dos eventos carnavalescos, realizou 459 buscas pessoais que resultaram na prisão de 3 procurados pela justiça. Foram fiscalizados ainda 247 carros e 129 motos, onde 8 condutores foram autuados por dirigir sob influência de álcool. Foi apreendida ainda uma arma de fogo e 17 munições.

Folha Noroeste


“Primavera feminina”

Dom Reginaldo Andrietta, Bispo Diocesano de Jales



Oito de março é o Dia Internacional da Mulher. Como as mulheres gostariam de comemorá-lo? Recebendo flores e presentes? Que bom receberem símbolos; melhor ainda serem respeitadas em sua dignidade e reconhecidas em seus direitos, finalidades dessa comemoração oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1975. Ela surgiu de lutas sociais e políticas, especialmente de mulheres trabalhadoras.

No dia oito de março de 1857, trabalhadores de uma indústria têxtil, de Nova Iorque, fizeram uma greve por melhores condições de trabalho e igualdade de direitos trabalhistas para as mulheres, movimento este reprimido com violência pela polícia. No dia oito de março de 1908, trabalhadoras do comércio de agulhas de Nova Iorque, fizeram uma manifestação para recordar esse movimento e exigir o voto feminino e o fim do trabalho infantil, sendo igualmente reprimidas.

Reconhecendo a importância dessa luta, uma Conferência Internacional de Trabalhadores e Trabalhadoras, realizada na Dinamarca, em 1910, decidiu que o oito de março seria o Dia Internacional da Mulher. Essa data passou a ser ainda mais significativa a partir de 25 de março do ano seguinte, quando um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova Iorque, causado por condições precárias de trabalho, matou 146 trabalhadores, sendo 123 mulheres.

Desde então, a luta das mulheres foi se expandindo, possibilitando muitas conquistas, entre as quais o direito ao voto feminino e a cargos públicos. Sua participação na cena eleitoral começou na Nova Zelândia, em 1893; na Finlândia, em 1906; e nos Estados Unidos, em 1919. No Brasil, o direito de voto das mulheres foi estabelecido por decreto, em 1932, e consolidado na Constituição de 1934.

Explorações e discriminações sofridas pelas mulheres, especialmente no trabalho, se tornaram focos de luta. No Brasil, por exemplo, a luta das empregadas domésticas por direitos iguais às demais categorias profissionais, dura cerca de um século; tomou expressão nacional a partir dos anos 50, perpassou os tempos sombrios da ditadura militar e alcançou êxito legal em 2015, no período de uma mulher, representante da classe trabalhadora, como presidente da República.

Apesar das conquistas, as discriminações contra as mulheres continuam alarmantes. No Brasil, seus salários são, em média, 73% dos homens. A diferença é ainda maior para as afrodescendentes. Elas são discriminadas nos cargos e carreiras, inclusive em funções públicas: 52% dos eleitores são mulheres, mas apenas 9,9% da Câmara dos Deputados e 5% do Senado são ocupados por mulheres.

Hoje, no Brasil, os trabalhadores estão correndo o risco de pagar longamente por uma aposentadoria que não usufruirão ou muito pouco. A falsidade apregoada para poder mudar as regras do INSS, alongando o tempo de contribuição e de serviço, visa dar sustentabilidade às empresas que contarão com menos mão de obra jovem, eximindo por mais tempo, tanto elas como o Estado, de partilharem benefícios. As mulheres, como sempre, serão as mais afetadas.

Por isso, até mesmo a ONU realizará de 14 a 24 de março deste ano, debates sobre o empoderamento das mulheres e seu vínculo com o desenvolvimento sustentável, focalizando todo tipo de violência cometida contra elas. Merece destaque nessa luta, a Marcha Mundial das Mulheres que, desde o ano 2000, realiza grandes mobilizações, especialmente no dia oito de março.

Que as flores e presentes no oito de março sejam, portanto, reconhecimentos da "primavera feminina". Ao lutarem por seus direitos, as mulheres lutam pela sustentabilidade da vida. Essa luta é profundamente cristã, afinal o próprio filho de Deus assumiu a condição humana por meio de uma mulher que se tornou início de uma nova humanidade, sem dominadores e dominados (cf. Lc 1,52).
 

Internado há dois anos e sete meses, Kauê comemora aniversário na Pediatria da Santa Casa

Celebração dos três anos de vida do pequeno Kauê foi marcada pela emoção
 
 
Há dois anos e sete meses internado na Santa Casa de Misericórdia de Marília, o pequeno Kauê da Silva comemorou o seu aniversário de três anos de vida com a equipe de Pediatria do hospital. A celebração teve direito a salgadinhos, bolo confeitado, suco e refrigerante.
A enfermeira Franciele Marini Dias Santorato lembrou que a equipe da Pediatria da Santa Casa criou um vínculo afetivo com a criança e a família. "A nossa intenção é fazer do setor a casa do paciente. Toda criança gostaria de ter uma festa de aniversário. Fazemos parte da família dele".
Santorato explicou que Kauê nasceu com uma encefalopatia que afetou as funções neurológicas e respiratórias dele. "É algo genético. Ele já teve um irmão com um quadro parecido".
De acordo com a gerente do Serviço Social da Santa Casa, Clotilde Carvalho de Souza, é um dos maiores períodos de internação na Pediatria que ela tem conhecimento. "Trouxemos um padre para batizá-lo em novembro do ano passado, uma vez que a família é católica. Acompanhamos o Kauê em tudo e também orientamos a família dele na conquista do benefício junto ao INSS (Instituto Nacional do Seguridade Social)".
Mãe de Kauê, a dona de casa Rita de Cássia Pereira da Silva falou da satisfação pelo carinho recebido na Santa Casa. "O pessoal aqui é sensacional. Fico mais aqui que em Ipaussu - cidade a 118 km de Marília, onde moro. A equipe cuida dele como se fosse um filho".
Recentemente, Rita entrou na Justiça para conseguir os equipamentos que garantem a estabilização do filho dela para poder voltar a Ipaussu. "A transferência estava difícil, mas agora parece que está mais encaminhada. Enquanto isso, utilizo o transporte da Prefeitura de lá para estar em Marília direto e poder acompanhá-lo. É muito bom poder contar com a Santa Casa".
A irmã de Kauê, Yasmin Vitória, de cinco anos, marcou presença na festa promovida pela Pediatria da Santa Casa neste dia 24 de fevereiro, brincou bastante na brinquedoteca do setor e encantou os profissionais e voluntários que prestigiaram a celebração dos três anos de vida do garoto.  
Kauê reagiu emocionado ao carinho de todos e no momento em que a equipe da Pediatria da Santa Casa cantava o "parabéns a você" o pequeno foi às lágrimas. 
Fonte: Assessoria de Imprensa - www.santacasamarilia.com.br  
imprensa@santacasamarilia.com.br
 

quinta-feira, 2 de março de 2017

Máfia do Asfalto: após ação do MPF em Jales (SP), Justiça bloqueia bens de 20 réus por fraudes em Auriflama

Ex-prefeito, empresários do grupo Scamatti e servidores estão entre os envolvidos; direcionamento de sete licitações causou prejuízos de R$ 1,29 milhão

A Justiça Federal determinou o bloqueio de bens de 12 pessoas e oito empresas envolvidas em licitações fraudulentas em Auriflama (SP) entre 2007 e 2012. Os réus integravam a chamada Máfia do Asfalto, que agia em dezenas de municípios do noroeste paulista e foi alvo da Operação Fratelli, deflagrada em abril de 2013. Entre os participantes do esquema estão o ex-prefeito da cidade José Jacinto Alves Filho, conhecido como Zé Prego, e empresários do grupo Scamatti, que coordenavam as fraudes. A decisão liminar é resultado de uma ação civil pública que o Ministério Público Federal em Jales ajuizou em agosto do ano passado.

A indisponibilidade de bens alcança o valor de R$ 1,29 milhão para cada uma das 12 pessoas que respondem ao processo. A quantia equivale ao prejuízo que as irregularidades causaram aos cofres públicos, em cifras atualizadas. O bloqueio do montante visa à garantia de recursos para o cumprimento de eventual sentença que condene um ou mais réus ao ressarcimento dos danos. Já o congelamento de ativos das empresas envolvidas chega ao total de R$ 1,69 milhão.

Os réus fraudaram sete procedimentos licitatórios em Auriflama durante as duas gestões de Zé Prego, todos financiados com recursos dos Ministérios das Cidades e do Turismo. O então prefeito foi cooptado por Olívio Scamatti para implantar no município o mesmo esquema que já vinha adotando em outras cidades: direcionar concorrências públicas para favorecer as empresas da família Scamatti, a qual mantinha contato com congressistas em Brasília e obtinha a liberação de verbas da União por meio de emendas parlamentares.

CONVITE. A Prefeitura de Auriflama parcelou irregularmente o objeto dos contratos, referente à construção de guias e sarjetas e ao recapeamento de ruas e avenidas do município. Algumas vias foram listadas em mais de um procedimento licitatório, embora o serviço a ser prestado fosse o mesmo. A manobra permitiu o enquadramento dos certames na modalidade convite, que exigia apenas a convocação de ao menos três empresas escolhidas pela própria administração pública. Caso os serviços fossem englobados em um número menor de licitações, a modalidade a ser adotada possibilitaria a participação de companhias que não faziam parte do esquema.

De acordo com o procurador da República responsável pela ação, nenhum estudo técnico foi produzido para demonstrar que a fragmentação de serviço traria vantagens econômicas em relação ao eventual ganho de escala. "Não há dúvidas de que os agentes públicos municipais parcelaram as obras de recapeamento asfáltico, com consequente fracionamento das despesas, a fim de permitir a utilização da modalidade 'convite', quando o adequado seria a modalidade 'tomada de preços'. Com isto, favoreceram as empresas do grupo Scamatti, que foram convidadas para todas as licitações, com pouca ou nenhuma publicidade", descreveu.

PARCEIRAS. Na tentativa de mascarar as fraudes, as diferentes empresas do grupo não participavam de um mesmo procedimento licitatório. Para que o direcionamento fosse concluído, a família Scamatti contava com empresas parceiras, que participavam ficticiamente dos certames. Em troca, recebiam o mesmo favor dos Scamatti em outras licitações na região. Com as ofertas previamente combinadas, as vencedoras sempre conseguiam os contratos com cifras pouco inferiores às das supostas concorrentes.

O esquema beneficiou três empresas do grupo Scamatti. A Scamvia Construções e Empreendimentos e a Demop Participações venceram cinco das sete licitações. As obras previstas nas outras duas, cujos editais tinham a mesma data, ficaram a cargo da Mirapav – Mirassol Pavimentação, que, apesar de possuir capital social irrisório, não ter funcionários e nunca ter desenvolvido atividades econômicas, assinou os contratos com a Prefeitura no valor total de R$ 230 mil. Para preencher o número mínimo de concorrentes, participaram dos processos as parceiras CBR - Construtora Brasileira, Ciro Spadacio Engenharia e Construção, Miotto & Piovesan Engenharia e Construção, Trindade Locações e Serviços e Ultrapav Engenharia e Construções.

SERVIDORES. O ex-prefeito não é o único agente público de Auriflama envolvido nas fraudes. O então assessor de Zé Prego, José Voltair Marques, conhecido como Zé do Brás, presidiu comissões de licitação responsáveis pelas obras e chegou a ser flagrado em conversas telefônicas com integrantes do grupo Scamatti tratando do esquema. Marisa Braz do Nascimento, à época diretora do Departamento de Compras e Processamento de Licitações da Prefeitura, também participou das irregularidades ao assinar os editais e atuar em várias fases do processo de contratação das vencedoras.

Ao lado de Zé Prego, dos servidores municipais e de Olívio Scamatti, fazem parte da lista de pessoas físicas que respondem ao processo os irmãos do empresário (Edson, Pedro, Mauro André e Dorival Scamatti) e sua esposa, Maria Augusta Seller Scamatti. Completam o rol de réus Luiz Carlos Seller e Guilherme Pansani do Livramento, que constituíram a Mirapav, e o engenheiro da Demop Fernando César Matavelli. Parte deles já é alvo de uma ação penal, também proposta pelo MPF, na qual são acusados por formação de quadrilha, falsidade ideológica e fraude em licitações.

Desta decisão cabe recurso pelas partes envolvidas e, ao final do processo de improbidade, o MPF quer que os réus sejam condenados não só ao ressarcimento dos danos, mas também ao pagamento de multas. A Procuradoria pede ainda que a Justiça determine a suspensão dos direitos políticos dos envolvidos e a proibição de firmar contratos com a administração pública ou receber benefícios fiscais e creditícios.

O número da ação de improbidade é 0001082-46.2016.403.6124. Já o número processual da ação penal é 0000372-31.2013.4.03.6124. A tramitação de ambas pode ser consultada em http://www.jfsp.jus.br/foruns-federais/.

Conselho Administrativo da Santa Casa aprova demonstrações contábeis e relatório de atividades de 2016

 O Conselho de Administração da Santa Casa conta com 20 membros, sendo 11 representantes da Irmandade, sete da sociedade e dois dos empregados
 
Em assembleia geral e reunião ordinária convocadas, respectivamente, pelo provedor da Santa Casa de Misericórdia de Marília, Milton Tédde e pelo presidente do Conselho de Administração, Romildo Raineri Junior, no dia 18 de fevereiro, a instituição teve suas demonstrações contábeis e o relatório de atividades de 2016 aprovados.
 
"Temos uma obrigação com a sociedade. Este encontro nada mais é do que a demonstração do resultado de muito trabalho e de muito sacrifício. Abordamos as partes financeira, assistencial e de relacionamento", ressaltou Tédde.
 
De acordo com o provedor da Santa Casa, mesmo enfrentando dificuldades o hospital conseguiu cumprir com o seu compromisso. "A nossa credibilidade é muito importante neste processo. A diretoria da instituição não mediu esforços para garantir aos pacientes um atendimento muito bom e isso é traduzido em paz, harmonia e muito amor".
 
Tédde lembrou que o diálogo é extremamente necessário entre o Poder Público e os hospitais. "Somos referência em alta complexidade e os diretores da instituição estão empenhados em contribuir com a sociedade. A Santa Casa não é minha, nem da diretoria. É da sociedade. Vamos continuar trabalhando com qualidade e responsabilidade".
 
O superintendente da Santa Casa, Sérgio Stopato Arruda, ressaltou que esta avaliação de desempenho é fundamental. "Temos um foco na qualidade dos serviços prestados e é neste sentido que trabalhamos de forma contínua".
 
Arruda fez questão de mencionar que o hospital fechou 2016 com superávit. "Mostramos nesta reunião os indicadores qualitativos e quantitativos e tivemos a aprovação unânime do relatório".
 
O Conselho de Administração da Santa Casa conta com 20 membros, sendo 11 representantes da Irmandade, sete da sociedade e dois dos empregados.
 
"Tivemos um panorama do que aconteceu no ano passado. As despesas e as receitas foram expostas, dúvidas tiradas e fechamos o encontro com a aprovação, tanto do relatório de atividades como das demonstrações contábeis de 2016", comentou o presidente do Conselho de Administração da Santa Casa, Romildo Raineri Júnior.
 
A busca pela melhoria no setor de Hotelaria da Santa Casa foi discutida na ocasião. A ideia é promover a reforma dos 28 apartamentos da Ala F e trazer este setor para um padrão de hospitais de primeiro mundo. Cada unidade hospitalar como esta conta com cama elétrica, sofá, poltrona, ar-condicionado, TV de LED e janela de alumínio, além do banheiro com todas as condições de acessibilidade. O custo por apartamento é de aproximadamente R$ 49 mil.
 
Na mesma reunião do Conselho de Administração ficou definido que cada membro da Irmandade poderá fazer uma doação para a Santa Casa no valor de R$ 1.000,00, divididos em cinco parcelas de R$ 200,00. Os boletos de cobrança já serão encaminhados neste mês de março aos interessados. Vale lembrar que é uma participação voluntária.
 
Raineri Júnior salientou que a Santa Casa está dando um salto de gestão de qualidade. "O foco das ações da diretoria está em estruturar o hospital para que a instituição figure entre as melhores do Brasil. Para esta transformação estarão sendo feitos os investimentos necessários. Recentemente recebemos a certificação ouro - no PRHF (Programa de Revitalização dos Hospitais Filantrópicos), financiado pela CPFL Energia e executado pelo Cealag (Centro de Estudos Augusto Leopoldo Ayrosa Galvão), com avaliação do CQH (Compromisso com a Qualidade Hospitalar). Isso mostra que estamos no caminho certo em busca do selo de qualidade, que será um passo ainda mais difícil. Não estamos medindo esforços para melhorar o atendimento para a população de uma maneira geral, seja ela do particular, de convênios ou do SUS (Sistema Único de Saúde), este último que, aliás, corresponde a mais de 60% do total de procedimentos realizados pela Santa Casa de Marília. Temos uma perspectiva grande de crescimento para os próximos anos".
 
Fonte: Assessoria de Imprensa - www.santacasamarilia.com.br  
imprensa@santacasamarilia.com.br