Páginas

sábado, 18 de fevereiro de 2017

A corrupção em nosso país

A corrupção em nosso país
*por Christian Moreira
 
 
Em 1940, os estúdios Disney "homenagearam" o Brasil com um personagem destinado ao público infantil, que acompanharia o Pato Donald em sua viagem para o país, criando assim o Zé Carioca. Dentre muitas características, a que mais chamava a atenção, como traço identificador da brasilidade do Zé, era a sua malandragem explicitada na forma com que escapava das situações, sempre dando um "jeitinho".
 
Assim o mundo tomou conhecimento do "jeitinho brasileiro", forma pela qual têm sido resolvidas as demandas em nossa nação há séculos. Esse jeitinho a que me refiro não consiste na capacidade inventiva de alguns em encontrar soluções inovadoras e extraordinárias, quase sempre de baixo custo, para problemas da vida concreta. Tratamos aqui das práticas furtivas à margem da legalidade, na quebra das regras, a fim de atender as demandas de outrem em virtude de algum benefício próprio. Em outras palavras, o jeitinho é uma ação corruptora e corruptível.
 
A palavra "corrupção" vem do latim  corrumpere, e significa "destruir, estragar", sendo a união de  com-, intensificativo, mais rumpere, "quebrar, partir, arrebentar". Na origem etimológica da palavra está contida a descrição dessa prática no indivíduo, em suas relações, na sociedade.
 
A corrupção destrói, estraga, quebra, arrebenta e desfigura. Nesse aspecto, não há como não associar a corrupção ao pecado. Afinal, como está escrito, "o salário do pecado é a morte". (Rom 6,23)
 
Essa reflexão é profundamente pertinente aos nossos dias. Assistimos aos noticiários diários, que, de forma sistêmica e insistente, relatam a descoberta de algum novo desvio de verba pública, esquema de propinas, atos de improbidade administrativa, independentemente da esfera, seja ela municipal, estadual ou federal.
 
Não se trata de uma geração específica de homens públicos ou de uma bandeira partidária: a corrupção no Brasil tornou-se uma endemia institucionalizada. Indignamo-nos com os malfeitos alheios, atiramos pedras principalmente nos políticos por seus atos de decência duvidosa, no entanto, não exercemos a autocrítica sobre nossas pequenas ações no dia a dia.
 
Como superar a corrupção que destrói a nossa nação? Como erradicar essa mazela que, como um câncer em metástase, se prolifera e apodrece as relações entre os indivíduos, em todas as instâncias e espaços de convivência interpessoal, inclusive nas igrejas?
 
Benjamin Disraeli certa vez escreveu: "Quando os homens são puros, as leis são desnecessárias; quando são corruptos, as leis são inúteis". Aí está o caminho da vitória: sejamos eu e você honestos. Falando assim, parece que estamos propondo o óbvio, tal como afirmar que a água é molhada ou que o sol é quente. Mas é isso mesmo! E repito: seja honesto. Não por medo da punição do crime, mas porque é o certo a ser feito. Sinta-se desafiado a deixar de ser parte do problema e tornar-se parte da solução.
 
Respeite as filas, não jogue lixo na rua, não pare seu carro nas vagas que não lhe são destinadas (idosos ou deficientes), use sempre as expressões "com licença", "por favor" e "obrigado". Pode parecer pouco, mas as grandes jornadas sempre se iniciam com pequenos passos. Você não estará sozinho. E nossa jornada irá inspirar muitos outros. Fazer o certo deixará de parecer errado em nossa nação.
"Honestidade é fazer o certo mesmo quando ninguém está olhando". Jim Stova.
 
Christian Moreira é missionário da Comunidade Canção Nova em em Fortaleza (CE). Graduado em História, Mestre em Ciências da Educação e Especialista em Ensino Superior de História e Especialista em Gestão Escolar.
 

Jales confirma presença na Copa TV Tem de Futsal 2017


A equipe de futebol de salão masculino adulto de Jales confirmou a sua participação na Copa TV Tem de Futsal 2017. Considerada uma das mais importantes competições do interior do Estado de São Paulo, o evento irá reunir os melhores times da região de São José do Rio Preto.
Além de validada a presença no campeonato que será realizado em março, o município de Jales ainda sediará alguns jogos da 14° edição da Copa.
Durante todas as partidas, o grupo jalesense receberá o apoio da Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Esportes, Cultura e Turismo, em parceria com a APAFUJ/Projeto Grife Teen, Óptica Stilo e demais colaboradores.

Secretaria Municipal de Esportes, Cultura oferece treinamentos gratuitos de handebol

Com o objetivo de disputar os Jogos Abertos da Juventude, a Copa São Paulo de Handebol, os Jogos Regionais e torneios oficiais, a Secretaria Municipal de Esportes, Cultura e Turismo está oferecendo treinamentos gratuitos para atletas a partir de 12 anos de idade, de ambos os sexos, na modalidade de handebol.
 
Sob a coordenação da Educadora Física, Maria Odete Custódio, e com a colaboração dos esportistas, Eduardo Matheus e Isabele Molina, as práticas estão sendo realizadas as terças e quintas-feiras, das 20h às 22h e aos sábados e domingos, das 14h às 16h, no Ginásio Poliesportivo Professora Vera Lúcia Maldonado Martins, localizado no Jardim Paraíso.
Para participar, os interessados devem entrar contato com o Esporte, no Teatro de Jales, das 8h às 11h e das 13h às 17h, ou no local e horário das preparações.
Segundo secretaria, também serão iniciados em breve os traimentos na categoria Voleibol.

Enfermagem sofre as consequências do subfinanciamento do SUS

 
A luta em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) é um das bandeiras do Coren-SP, em sua incansável jornada pela garantia de uma assistência segura e de qualidade à população. Nos últimos anos, a autarquia vem alertando as autoridades e a sociedade sobre a situação de subfinanciamento da saúde pública, que compromete os princípios básicos da universalidade, equidade e integralidade.
Tal situação - da falta de estrutura dos equipamentos de saúde, da escassez de medicamentos e insumos e da desvalorização dos profissionais - é notável no cotidiano dos serviços públicos, nas reportagens veiculadas pela imprensa e na vida daqueles que buscam atendimento na rede pública.
Os cidadãos são as vítimas mais evidentes nesse contexto, enfrentando longas filas, falta de leitos e de profissionais, espera por exames, entre outras dificuldades que os privam de um direito constitucional, que é o acesso à saúde. Ao mesmo tempo, profissionais da área vivenciam a mesma realidade e, muitas vezes, suas dificuldades são invisíveis aos olhos da sociedade. A enfermagem está na linha de frente da assistência em saúde, protagonizando o atendimento em seus diversos níveis, desde o acolhimento e classificação de risco até a alta complexidade.
Garantir o acesso aos serviços públicos de saúde é uma luta diária para muitos profissionais que, mesmo em situação de subdimensionamento, sobrecarga de trabalho, falta de segurança ou limpeza no local de trabalho, não medem esforços para garantir uma assistência segura e de qualidade à população. Ainda assim, são penalizados pela insatisfação dos pacientes, que descontam a sua indignação nos profissionais, devido à demora ou à falta
de condições de atendimento. Essa epidemia de violência contra a categoria foi evidenciada na pesquisa realizada pelo Coren-SP em 2015, que revelou que 77% dos profissionais de enfermagem já foram vítimas de violência no ambiente de trabalho.
Outro agravante é a crise dos municípios. Muitas prefeituras vêm atrasando os salários dos servidores e os repasses aos fornecedores, como as Organizações Sociais de Saúde (OSS), consolidando um cenário de desvalorização dos trabalhadores. A soma desses fatores está comprometendo a capacidade
de atendimento das equipes de saúde. Nos últimos dias, foi veiculada via imprensa e mídias sociais a situação de unidades de saúde públicas fechadas devido à falta de condições para atender a comunidade.
A Seção IV do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem (CEPE) prevê o direito de suspender as atividades, individual ou coletivamente, quando a instituição não oferecer condições dignas para o exercício profissional, ressalvadas situações de urgência e emergência. Abordagens equivocadas buscam responsabilizar os profissionais pela falta de atendimento, quando, na verdade, eles são vítimas de uma crise muito mais profunda e que vem se agravando nas últimas décadas, devido à ineficiência das políticas públicas e subfinanciamento do SUS.
Não podemos permitir que aqueles que se dedicam ao cuidar e à garantia da dignidade da pessoa humana sejam penalizados por uma conjuntura da qual também são vítimas. O Coren-SP seguirá com a luta em defesa do SUS, cobrando dos gestores e autoridades mais investimentos e trabalhando para que as condições adequadas de trabalho sejam asseguradas nas instituições do Estado de São Paulo. Os profissionais de enfermagem não podemser responsabilizados pelo subfinanciamento do SUS e pela ineficiência dos modelos de gestão.
Fabíola de Campos Braga Mattozinho
Presidente do Coren-SP

CAA-PR presta homenagem à OAB Paraná pelo aniversário de 85 anos

Caixa de Assistência presenteou aniversariante com escultura que representa a solidez e a harmonia de uma relação institucional que possuem há anos
 
A diretoria da Caixa de Assistência dos Advogados do Paraná (CAA-PR) prestou uma homenagem à diretoria da OAB Paraná na solenidade comemorativa aos 85 anos da Seccional paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil. Durante a cerimônia, o presidente José Augusto Araújo de Noronha, que também já presidiu a Caixa de Assistência por dois mandatos consecutivos (2010-2012 e 2013-2015), recebeu uma escultura do artista Alfi Vivern das mãos da vice-presidente da CAA-PR, Daniela Ballão Ernlund.
"A escultura escolhida, segundo o artista Alfi Vivern, representa a solidariedade. Através dela, procuramos entregar à aniversariante do dia um presente que represente de forma singela, porém significativa, a relação da CAA-PR e OAB Paraná ao longo de sua história. Somos duas entidades distintas, no entanto que caminham paralelamente, visando o mesmo objetivo: os advogados do Paraná. A escultura representa a solidez e harmonia desta relação institucional. Certamente uma bela obra aos acervos da nossa Seccional", afirmou Daniela Ballão.

Transexual pode remover barba pelo SUS, diz decisão premiada

 
Com base em pareceres médicos, um transexual garantiu, na Justiça, o direito de realizar depilação a laser de pelos da face na rede pública de saúde. A decisão, da Justiça Federal mineira, recebeu menção honrosa no I Concurso Nacional de Decisões Judiciais e Acórdãos em Direitos Humanos, promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceira com Secretaria de Direitos Humanos (SDH). 
Ao entrar com a ação, o transexual se preparava para a cirurgia de mudança de sexo. Relatórios de um psiquiatra e uma dermatologista atestaram que ele possuía condição similar ao hirsutismo, condição que causa pelos em excesso no rosto de mulheres. De baixa renda, o paciente pediu atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que oferece depilação a laser em casos do tipo.
No primeiro grau, o Juizado Especial Federal de Juiz de Fora (MG) atendeu o pleito e determinou que o tratamento fosse feito na rede pública. O governo local, contudo, recorreu. Para o município, não foi comprovado dano irreparável ou de difícil reparação. Também foi questionada a alegação de hirsutismo, doença exclusiva de mulheres, pois o autor ainda não havia mudado de sexo.
A ordem para o tratamento foi mantida pelo juiz federal Gláucio Maciel Gonçalves. Em 18 de junho de 2012, ele rejeitou a tese de que o autor não podia ser considerado uma mulher para todos os direitos. "Tal lógica soa perversa e se afasta do irreparável caráter humanista que permeou a decisão (em primeiro grau)", definiu o magistrado, ao relatar o caso no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1). No texto, o juiz assinala que a necessidade de mudança de sexo foi reconhecida pelo próprio SUS, que apoiou a cirurgia.
O tratamento foi acompanhado pela equipe multidisciplinar que atende o autor desde o início da readequação. Pesou na decisão o diagnóstico de desvio permanente de identidade sexual, com rejeição de fenótipo, previsto pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). "O autor é uma mulher no que se refere aos desejos, sentimentos, objetivos de vida, aprisionada num corpo masculino", resumiu o juiz.
Garantia de direitos humanos - A decisão recebeu menção honrosa no concurso do CNJ, na categoria Direitos da População LGBT, entregue na última terça-feira (14), na sede do conselho. “Esse indivíduo foi ao SUS e tentou obter o tratamento, que lhe foi negado, porque não era mulher. A portaria era só para elas”, detalha Gláucio Maciel (foto abaixo). “O aspecto de maior dificuldade foi saber pontuar a diferença entre um homem que pede o mesmo tratamento de uma mulher e outro em vias de fazer a cirurgia de redesignação sexual”, diz Maciel.
 
O concurso destaca o papel de juízes na defesa dos direitos humanos. A premiação avaliou decisões em 14 temas: garantia dos direitos da criança e do adolescente, da pessoa idosa e das mulheres; da população negra; dos povos e comunidades tradicionais; dos imigrantes e refugiados; da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais; da população em privação de liberdade e em situação de rua; da pessoa com deficiência e da pessoa com transtornos e altas habilidades/superdotadas; promoção e respeito à diversidade religiosa; prevenção e combate à tortura; combate e erradicação ao trabalho escravo e tráfico de pessoas.
Isaías Monteiro
Agência CNJ de Notícias

Pesquisadores da UNESP apontam a irrigação em cana como uma das ações necessárias para a elevação da produtividade


O GIFC - Grupo de Irrigação e Fertirrigação em Cana realizou no Supera Parque Tecnológico de Ribeirão Preto no dia 16 de fevereiro de 2017 o Encontro Técnico com o tema a "Agrometeorologia aplicada à cana-de-açúcar"
 
Os palestrantes discutiram a fisiologia, a agrometeorologia, o sensoriamento remoto e aplicados no planejamento da safra, à determinação de lâminas ótimas para a escolha dos sistemas de irrigação e as estimativas de evapotranspiração diária utilizada no manejo da irrigação e ainda, a agrometeorologia como ferramenta de monitoramento e prevenção.
 
O Encontro teve a participação de Professores da UNESP, como os Professores Dr. Alexandre Barcelos Dalri e Luiz Fabiano Palaretti do Campus de Jaboticabal, enquanto que o Prof. Dr. Paulo Alexandre Monteiro de Figueiredo, de Dracena fez a palestra sobre como a fisiologia da planta e como o solo são afetados pelos elementos climáticos, com explicações detalhas sobre chuva, temperatura, radiação Solar, vento, luminosidade provocando intenso debate visando desde a formação das raízes, crescimento das plantas, aspectos da bioquímica e a definição da colheita em condições de alta produtividade. Aos participantes deixou uma visão clara de que sem água no solo fica impossível se alcançar altas produtividades.
 
Guilherme Dumit mostrou exemplos práticos do uso da agrometeorologia e sensoriamento remoto como ferramenta de monitoramento e prevenção do desempenho produtivo desenvolvidos pela sua empresa, a Sigma Geotecnologias.
A análise da deficiência hídrica da cana-de- açúcar na região Centro-Sul nas últimas safras foi tema da apresentação de Bernardo Rudorff e Danilo Aguiar, Diretores da Agrosatélite Geotecnologia.

  O tema específico sobre irrigação irrigação coube ao Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez - Coordenador da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira que fez a palestra "Manejo da irrigação: solo ou atmosfera e como fazer?" que iniciou revisando a evolução da produtividade média de cana no Centro-Sul, que mostra comportamento semelhante das diferentes regiões somente quando a chuva é farta e bem distribuída, o que não tem sido frequente e assim, na maioria dos anos, regiões com predomínio de solo arenosos e de histórico déficit hídrico sofrem mais. Depois, levou aos participantes uma visão bastante prática de como usar a água de forma eficiente na agricultura, mesclando e interagindo com a platéia os conceitos com situações práticas em campo.
 

"Se aceitarmos que o setor sucro-alcooleiro não pode se manter por mais tempo com a produtividade média histórica de 81 toneladas por hectare, é imperativo que haja de fato o entendimento de que se deve investir mais em irrigação", disse o Professor Fernando Tangerino da UNESP Ilha Solteira. Em seguida, abordou cada passo do processo de manejo da irrigação, desde a busca pelos dados de entrada para a estimativa do consumo de água pelas plantas, até a escolha da lâmina a ser aplicada em função da fisiologia da cultura, cobertura do solo e armazenamento de água no solo no momento da irrigação.
Na parte final da palestra mostrou a infra estrutura de apoio ao irrigante disponibilizada no Noroeste Paulista pela UNESP e os resultados de algumas pesquisas desenvolvidas em parceria com a EMBRAPA e Universidade de Nebraska com o objetivo de disponibilizar informações e coeficientes técnicos que podem dar suporte à irrigação e ao eficiente uso da água. "Mostramos os resultados preliminares da identificação de coeficientes de cultura em função da evapotranspiração atual, que combinados com o uso da água na cultura resultam em um indicador chamado de produtividade da água, uma poderosa ferramenta de trabalho para identificar e separar problemas de ordem agronômica e os de gestão da água na produção de alimentos e que tem sido objeto de parte das nossas pesquisas no Noroeste Paulista".
O Encontro se encerrou após intensas discussões e debate Coordenado pelo Engenheiro Agrônomo Marco Antonio Vianna quando houve mais oportunidades de interação com os participantes e agregação do conhecimento compartilhado.

A participação dos Professores da UNESP em mais esta reunião do GIFC - Grupo de Irrigação e Fertirrigação em Cana foi tema da edição desta semana do Pod Irrigar - o Podcast da agricultura, quando semanalmente, Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez da dicas de agricultura irrigada e agroclimatologia.
O Pod Irrigar pode ser acessado a partir de http://podcast.unesp.br/podirrigar

Christina Soler é a nova reitora da Unijales

por Daniel Zilio


Desde o início da semana, Maria Christina Fuster Soler Bernardo,(foto) a Christina Soler é a nova reitora da Unijales.

Ela substitui o professor doutor Silvio Luiz Lofego, que passou o cargo e agora vai atuar como vice-reitor acadêmico.

Christina Soler é filha dos fundadores da Unijales, Oswaldo Soler e Ivoni Fuster Corby Soler e está na Instituição desde a sua fundação. Acompanhou todo o processo de evolução da FAFICLE, FAI Jales e posteriormente, Centro Universitário de Jales, Unijales.

A nova reitora é formada em Pedagogia, pós-graduada em Desenvolvimento Gerencial e Marketing

Ccomemoração: MEC reconhece o curso de Ciências Biológicas

Christina Soler, assume sua função, comemorando novas conquistas da Unijales.

O curso de Ciências Biológicas, coordenado pelo professor Oscar Farina Junior, foi avaliado pela Comissão do MEC (Ministério da Educação e Cultura) e teve seu Reconhecimento, com excelente conceito.

Entre os dias 1 e 4 de fevereiro, a comissão, constituída pelos professores João Antônio Zequi e Maria Cristina Mendes Costa, avaliaram as três dimensões, Organização Didático-Pedagógica, Corpo Docente/ Tutorial e Infraestrutura e concluíram que todos os requisitos colaboram para o Reconhecimento do curso de Ciências Biológicas. Também classificaram como de boa qualidade, atendendo plenamente as exigências do Ministério da Educação. A reitora parabeniza a coordenação, o corpo docente e os alunos de Ciências Biológicas.

De volta


Na segunda-feira, 13 de fevereiro, o prefeito Flá Prandi e o vice-prefeito José Devanir Rodrigues (Garça) estiveram na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), para a posse de José Roberto Pietrobom (foto) no cargo de Diretor Administrativo do CONSIRJ - Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Região de Jales.

Fatec Jales cria jogo pedagógico digital para a aprendizagem de inglês

foto - Graduandos em Sistemas para Internet Daniel André Cerverizzo, Daniela Macedo Soares e João Lucas Farias

 
A Fatec Jales "Prof. José Camargo", além de oferecer ensino superior de qualidade, mostra-se também engajada no desenvolvimento de pesquisa, em diversas áreas. Diante disso, foi desenvolvido o projeto intitulado "Jogo Pedagógico Digital para Auxílio de Aprendizagem de Língua Inglesa", direcionado à criação de um sistema de "jogo da forca", Hangman, focado no auxílio do ensino de inglês para alunos iniciantes, que visa à ampliação do vocabulário, ao writing e listening, contribuindo para a aprendizagem do idioma de maneira dinâmica. Para interagir com o sistema, o aluno pode utilizar o sensor de movimentos Kinect, que torna a interação mais dinâmica, ou simplesmente o computador. O estudo, que envolveu as áreas de Inglês e Informática, foi desenvolvido pelos professores Dra. Elen Dias e Esp. Jefferson Antonio Passerini e pelos graduandos em Sistemas para Internet Daniel André Cerverizzo, Daniela Macedo Soares e João Lucas Farias. Os testes realizados com o protótipo mostraram o impacto positivo da tecnologia no processo de ensino-aprendizagem de inglês. O estudo foi apresentado no 16º Congresso Nacional de Iniciação Científica – Conic, classificando-se entre os melhores trabalhos do evento.

Fundo Social realiza chá de boas-vindas para integrantes do curso de bordado

O Fundo Social de Solidariedade de Urânia, comandado pela primeira-dama, Andréa Rossini, em parceria com o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) promoveu nesta quarta-feira, 15 de fevereiro, um chá de boas-vindas para as integrantes do grupo da Terceira Idade, que iniciarão o curso de bordado na próxima semana, no Centro Comunitário.

Segundo a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Urânia, Andréa Rossini, as aulas acontecerão às quartas-feiras, das 13h00 às 16h00 e o curso terá duração durante todo o ano. Será destinado aos idosos, como uma atividade de entretenimento e cunho social. O dinheiro arrecadado com a venda das peças confeccionadas será revertido para o Fundo de Solidariedade.

As aulas serão ministradas pela professora Roseli Barco Farina Severino e os interessados em participar deste e de outros cursos devem procurar o Centro Comunitário, na Rua Avenida Presidente Kennedy, n. 178, Centro, ou pelo telefone 3634 1511.

Violência nas escolas: Bullying

Flávio Rodrigo Masson Carvalho Professor do UNIBAVE – Orleans - SC
equilibriumtc@hotmail.com



Começou o ano letivo na maioria das escolas do Brasil. Começa também a preocupação de muitos pais. Muitos são os pais que se preocupam com a violência que seus filhos sofrem, ou podem vir a sofrer no ambiente escolar.

Muito importante falarmos sobre o assunto, nos informarmos, para melhor orientar nossos filhos, os professores, diretores, inspetores, etc.

Infelizmente o bullying ainda é muito comum nas escolas brasileiras.

Os pais devem ficar muito atentos as mudanças de comportamento de seus filhos.

Bullying é a prática de atos violentos, intencionais e repetidos, contra uma pessoa indefesa, que podem causar danos físicos e psicológicos às vítimas. O termo surgiu a partir do inglês bully , palavra que significa tirano, brigão ou valentão, na tradução para o português.

No Brasil, o bullying é traduzido como o ato de bulir, tocar, bater, socar, zombar, tripudiar, ridicularizar, colocar apelidos humilhantes e etc. Essas são as práticas mais comuns do ato de praticar bullying. A violência é praticada por um ou mais indivíduos, com o objetivo de intimidar, humilhar ou agredir fisicamente a vítima.

O bullying geralmente é feito contra alguém que não consegue se defender ou entender os motivos que levam à tal agressão. Normalmente, a vítima teme os agressores, seja por causa da sua aparente superioridade física ou pela intimidação e influência que exercem sobre o meio social em que está inserido.

O bullying pode ser praticado em qualquer ambiente, como na rua, na escola, na igreja, em clubes, no trabalho e etc. Muitas vezes é praticado por pessoas dentro da própria casa da vítima, ou seja, pelos seus próprios familiares.

Como identificar a vítima – o papel do educador
Observar atentamente as relações interpessoais. Nos trabalhos em grupo ou jogos é o último a ser escolhido, é alvo de "zoação", caçoada, apelidos, é triste, deprimido, aflito, ansioso, irritadiço, agressivo, apresenta súbita queda no rendimento escolar, não faz perguntas, não tira dúvidas, tem desinteresse pelos estudos, falta com frequência às aulas, apresenta arranhões, ferimentos, isola-se dos demais, apresenta material escolar e roupas danificados, é intimidado, perseguido ou maltratado. Observar suas reações e expressão fisionômica quando atacado.

Como identificar o filho vítima – o papel da família
Não quer ir à escola, pede para mudar de escola, não gosta da escola, na segunda-feira está triste, chora sem razão, tira notas baixas, pede dinheiro sem necessidade, tem pesadelos, pede para ser levado à escola, perde dinheiro e pertences, apresenta roupas e livros rasgados, some objetos de sua casa, apetite obsessivo, não convida amigos para ir a sua casa, fica aliviado na sexta-feira, feriados e férias, simula dores e mal-estar, muda o trajeto, comenta que o professor é chato, não é convidado para festas ou casa de amigos, tem medo de ir e voltar sozinho, tem "ar" de assustado, tranca-se no quarto, isola-se, tem uma tristeza profunda.

Como agir se seu filho é o agressor
Mantenha a calma, não ignore a situação, não o agrida, nem o intimide, pois ele precisa de ajuda. Entre em contato com a escola; converse com professores e amigos que ajudem a identificar o problema, dar orientações e limites firmes para controlar seu comportamento, encorajar a pedir desculpas ao colega que ele agrediu, valorizar sua autoestima, criar situações em que ele se saia bem, elogie e o ame.

Para a justiça brasileira, o bullying está enquadrado em infrações previstas no Código Penal, como injúria, difamação e lesão corporal. Ainda não existe uma lei que puna os agressores com o devido merecimento.
 

Santa Casa de Jales reforça trabalho dos voluntários

Na noite de quarta-feira, 8 de fevereiro, os voluntários ativos e as novas pessoas que propuseram a fazer parte da equipe Seja Amigo da Santa Casa, participaram de uma reunião no Centro de Estudos do hospital cuja finalidade foi realizar uma nova integração para os participantes, bem como refazer os cadastros.

 

Estiveram presentes cerca de 25 pessoas (foto) dentre eles os voluntários da AVOS, igrejas e outros interessados. O provedor, Junior Ferreira, abriu a reunião enaltecendo o trabalho do voluntariado. "Ser voluntário é um ato de amor e respeito ao próximo e a Santa Casa de Jales tem a honra de contar com tantos parceiros. Parabéns a todos que doam seu tempo para um bem tão grandioso".

A enfermeira do setor Educação Permanente, Juliana Cursi (foto abaixo), orientou todos os voluntários sobre as condutas que podem ou não serem adotadas com os pacientes e também explicou os setores que recebem o trabalho voluntário que são captação de recursos (nota fiscal paulista/telemarketing), cozinha, comunicação e visita religiosa que são realizadas por grupos de igrejas.

O projeto Seja Amigo da Santa Casa é uma ação do Grupo de Trabalho de Humanização – GTH e tem como objetivo estimular a vinda de novos voluntários bem como valorizar aqueles que dedicam seu tempo para contribuir com o hospital.

Capas

Adelvair David  www.addavid.blogspot.com

Consta que o cego Bartimeu lançando de si a capa, foi ter com Jesus.

O homem deseja melhorias em todos os sentidos para a sua vida, mas pouco faz para que elas se transformem em realidade e, além da alma viciosa, fruto das experiências negativas desta ou de outras vidas é motivado pelo orgulho a permanecer na sua zona de conforto.

Esconde-se atrás da capa da superioridade ou da inferioridade e raramente se mostra tal qual é. Este desvio psicológico em muitos casos, próprio da falta de aceitação, faz da sua vida uma experiência artificial, impossibilitando a plenificação interior, a única que traz felicidade. Encharca-se de sensações sendo cruel, age sem controle no sexo, no álcool, na comida, no consumismo, na mentira e na ociosidade sem lograr êxito na paz que deseja.

Ao acreditar-se superior aos outros o homem mantem o sentimento de fortaleza até que a chegada de um problema para o qual não se encontra preparado, fato corriqueiro na vida de qualquer criatura, uma doença, um revés financeiro, um problema moral, o faça desabar e perder completamente o controle sobre a sua vida, não raro, recorre à fuga espetacular da desencarnação precoce pelas vias do suicídio. Outras vezes, desgostando de si mesmo, acreditando-se sem valor algum, coloca-se na posição de vítima diante do menor desafio, podendo transferir o controle da sua vida para que alguém assuma e faça por ele o que lhe cabe fazer, piorando o quadro íntimo de auto depreciação.

Tanto a capa da superioridade quanto a da inferioridade precisam ser lançadas fora para que se caminhe na direção da vida como se é, e não como queira aparentar ser. Ao desconhecer-se, o homem tende a querer esconder suas fraquezas até de si mesmo e, não se melhorando, surpreende-se com suas próprias reações negativas nos momentos de enfrentamento.

Importante perguntar-se periodicamente: "Sob qual capa estou me escondendo", pois, a ilusão fatalmente leva o homem para um encontro muito desconfortável, a desilusão, que fatalmente acontecerá.

Ensinam os espíritos venerandos que Deus não aceita um esboço de virtude mas sim a virtude de fato. A vida, com suas experiências, impulsiona-o a adquirir a qualidade que apenas aparenta ter.

QUEM SE PRENDE NO QUE NÃO É, AO FINAL DE ALGUM TEMPO DESCOBRE QUE AGARROU APENAS SOMBRAS.

Editais de Proclamas

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interina do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

ADONES GARCIA COSTA e LIDIANE CRISTINA PRATES. ELE, natural de Palmeira D’Oeste, deste Estado, nascido aos 09 de novembro de 1.994, pintor, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Valdir Costa e de Roseli Garcia Costa. ELA, natural de Jales, nascida aos 17 de junho de 1.994, do lar, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Antonio Alves Prates e de Maria de Fátima de Oliveira Prates.

FÁBIO BATISTELA e ANANDA REGINA OLIVEIRA. ELE, natural de Limeira, deste Estado, nascido aos 07 de abril de 1.989, empresário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de José Fábio Batistela e de Maria Angela dos Santos Batistela. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 23 de abril de 1.993, empresária, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Adauto José de Oliveira e de Sirlene Aparecida dos Santos Oliveira.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina


FOLHAGERAL

da redação
 
 
Alguém
 
vinculado à sinalização do trânsito da cidade de Jales bem que poderia explicar o porquê da placa de estacionamento proibido (acima), defronte a terrenos vazios e tomados por mato. Se um motorista estacionar seu carro ali, estará – no mínimo – desrespeitando a sinalização e dando péssimo exemplo.


Sinalizações
de trânsito e logradouros públicos devem ser motivos de cuidados constantes da parte dos responsáveis. Toda cidade deve estar sempre bem sinalizada. Assim, o trânsito de veículos e pessoas fica confiável, organizado e seguro. E a cidade se mostra mais acolhedora.

O provedor
da Santa Casa de Jales, Sebastião Júnior Ferreira, na sessão ordinária de segunda-feira (13), fez uso da Tribuna Livre da Câmara Municipal para expor a situação financeira da instituição e solicitou a composição de uma parceria com a Câmara.

Na sua fala,

na Câmara Municipal, Júnior Ferreira disse: "Em algumas localidades, as Santas Casas não existe mais; queremos tirar a nossa da enfermaria".

A prestação
de serviços na área de saúde da nossa região, felizmente, tem sido tratada com seriedade por parte das comunidades, líderes sociais e alguns parlamentares, que se prestam em colaborar. Emendas pró Jales, em sua maioria, são destinadas ao hospital. Se existem outros segmentos que ainda não apóiam a Santa Casa, precisam ser convocados.

No mês
de janeiro deste ano, o governo do Estado repassou para o município de Jales a quantia de R$ 3.435.227,13 referente ao IPVA de 2017. No ano passado, aproximadamente R$ 7 milhões foram injetados nos cofres municipais.

Enquanto
o dinheiro do IPVA – pago pelos proprietários de veículos automotores – era utilizado para quitar dívidas realizadas, a administração jalesense na gestão de Pedro Callado pediu dinheiro emprestado (pagando juros) para o recape das vias públicas onde transitam os veículos automotores. É uma incoerência que nunca deveria acontecer.

A 1ª. Câmara
do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, em sessão ordinária no último dia 07 de fevereiro, considerou irregular o Termo Aditivo celebrado em 30 de junho de 2010 entre a Prefeitura de Jales – quando o prefeito era Humberto Parini – e a empresa Ecopav, objetivando a "prestação de serviços de conservação de vias e logradouros públicos urbanos, com fornecimento de mão de obra, materiais, equipamentos, operação e manutenção do aterro sanitário".

As conversas
dos especialistas, lá no botequim da vila, giram em torno da força da política local de Jales. Nos tempos recuados, Jales era o centro das decisões regionais. Aos poucos, sua política forte veio perdendo espaço para banalidades. Hoje nem anda bem das pernas.

Falam por lá,
no botequim da vila, que três figuras conhecidas na política local (entre elas, dois ex-vereadores que não lograram êxito no último pleito eleitoral) aguardam chamada para assumirem cargos no staff do prefeito. Flá Prandi precisa de técnicos eficientes na sua administração, mas também de gente que sabe fazer boa política.

Na ordem
do dia – da 2ª. sessão ordinária do TCESP, realizada no último dia 8 de fevereiro – foi julgada a representação contra o Edital de Concorrência Pública nº. 02/2016 (processo nº. 72/2016), proposta em 19.10.2016 pela empresa Concreta Promissão Construções Ltda, objetivando a "execução de recapeamento asfáltico em C.B.U.Q. (Concreto Betuminoso Usinado a Quente) em diversas ruas do município, em regime de empreitada global, com aplicação de materiais, equipamentos e mão de obra". Resultado: arquivamento eletrônico por perda de objeto da representação em 14/02/2017.

Cada metro
quadrado de recape asfáltico custará R$ 22,59. Assim, os moradores da Rua São Paulo acreditam que, desta vez, o melhoramento chegará à frente dos seus imóveis, apesar da rua não constar da relação entregue na época da solicitação do empréstimo pelo prefeito Pedro Callado (PSDB) junto à agência Investe SP.

Os moradores
acreditam que o prefeito Flá Prandi não fará como aqueles que o antecederam na Prefeitura partir de 1996. Tiraram a rua do mapa urbano da cidade em termos de recape.

Na Avenida
Maria Jalles, entre a Rua das Palmeiras e a Rua 10, cinco são os bicos de luz apagados. Os reparos e substituições também não podem esperar na iluminação pública. A rotina tem que ser bem cumprida para não deixar as necessidades ganharem dimensão.

Épocas difíceis
não são apropriadas para ações arrojadas, para tentativas gloriosas. Mas são ótimas para reavaliações, desapegos, correções, organização e planejamento. Nessas épocas, rotinas saudáveis e pequenos êxitos podem significar muito quando os tempos bons voltarem. Isto é certo um e para todos, para o cidadão e para toda a comunidade.

Regulamenta Lei que restringe uso de som alto em carros estacionados

O governador Geraldo Alckmin regulamentou nesta quinta-feira, 16, a Lei nº 16.049/2015, que restringe ruídos causados por aparelhos de som instalados em veículos estacionados em vias públicas ou calçadas particulares. A Polícia Militar fica responsável por fiscalizar e realizar o auto de infração e a notificação de multa, além de também julgar recursos interpostos pelos infratores.

Os limites de intensidade de emissão de ruídos sonoros têm como parâmetro a Resolução do Conselho Nacional de Trânsito – Contran nº 624/2016, que não exige mais utilização de aparelhos de medição para constatação do ruído excessivo, bastando a constatação pela fiscalização da existência de som audível pelo lado externo, que perturbe o sossego público.

A apreensão provisória do veículo, na hipótese de descumprimento à ordem de redução do volume sonoro, somente será adotada quando não for possível a retirada do aparelho de som nele instalado sem provocar danos ao veículo ou ao equipamento. Será emitido o Comprovante de Recolhimento e de Remoção – CRR, disponibilizado pelo Departamento Estadual de Trânsito – Detran.SP, notificando-se, sempre que possível, o proprietário ou condutor, no ato da apreensão, ficando sob custódia do Detran.SP, que realizará a cobrança das despesas de remoção e estadia.

Quando houver possibilidade da retirada do aparelho de som, será apreendido provisoriamente pela autoridade policial e emitido o Auto de Apreensão Provisória – AAP e, da mesma forma, notificando-se, sempre que possível, o proprietário ou possuidor, no ato da apreensão. No AAP constará, além das características do aparelho de som, o endereço e o horário de atendimento da ocorrência. O proprietário será multado em R$ 1 mil. Em caso de reincidência no período de 30 dias, o montante pode ser quadruplicado.

No prazo de 30 dias, o proprietário poderá apresentar defesa do Auto de Infração para a Polícia Militar, cabendo um único recurso à instância superior, que será apreciado no prazo de até 30 dias. A íntegra da regulamentação será publicada na edição desta sexta-feira, 17, do Diário Oficial do Estado.

Nova revolução

Reginaldo Villazón

No ano passado (11 de janeiro de 2016), o alemão Klaus Schwabe (engenheiro e economista) publicou o livro "A Quarta Revolução Industrial". Ele é fundador e presidente do Fórum Econômico Mundial, entidade privada que reúne líderes políticos, empresariais, sociais e intelectuais para discutir questões que afetam o mundo. O Fórum é bem conhecido pelas reuniões anuais que realiza na pequena cidade de Davos, na Suíça. O livro vem chamando atenção crescente da comunidade mundial.

 
Um oportuno e rápido resumo. A Primeira Revolução Industrial (1760 a 1830) aconteceu a partir da Inglaterra, ocasionada pela aplicação da máquina a vapor nos processos de produção. A Segunda Revolução Industrial (1850 a 1900) se deu a partir da Europa e caracterizou-se pelo uso da energia elétrica, do petróleo e do motor a combustão. A Terceira Revolução Industrial teve início em 1950 sob a liderança dos Estados Unidos com o uso de computadores e programas de informática.

No seu livro, Klaus Schwabe anuncia que já estamos a bordo de uma nova revolução que mudará o mundo que conhecemos nas próximas décadas. A utilização de sistemas integrados de várias tecnologias (informática, internet, robótica, inteligência artificial, nanotecnologia, neurotecnologia, engenharia genética, biotecnologia, drones, impressoras 3D e outras). Esses sistemas combinarão máquinas, programas digitais e seres humanos em redes inteligentes, capazes de tomar decisões descentralizadas.

Uma tendência é levar a produção industrial à independência da presença humana. Desde 2013, a Alemanha já trabalha num projeto de alta tecnologia nesse rumo. Isto significa que muitos trabalhos humanos hoje existentes se tornarão desnecessários. E que muitos trabalhos humanos hoje inexistentes serão necessários. A revolução vai se realizar em larga escala, alterando o modo em que vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Vai trazer conseqüências políticas, econômicas, sociais e morais.

Os estudiosos avaliam que essa revolução vai fortalecer a economia mundial aos bilhões de dólares. E, por outro lado, que ela vai eliminar milhões de vagas de trabalho, com maior intensidade nos países desenvolvidos. Além disso, garantem que ela vai causar impactos nos níveis de salário e renda, consumo e distribuição da riqueza. Há motivos para otimismo e pessimismo. A revolução significa progresso, mas impõe uma realidade alterada à qual é preciso se adaptar para sobreviver.

O progresso humano ocorre por eventos naturais e acidentais, ciência e tecnologia. Não é possível impedir o progresso nem inteligente lutar contra ele. É bem possível que a falência das instituições públicas e privadas (que hoje assistimos) seja o início da renovação necessária ao enfrentamento dos desafios embutidos na revolução anunciada. É importante saber que esta revolução tem alto potencial de contribuir para a preservação do planeta e para a melhoria de vida das populações carentes de progresso.

Audiência Pública para contratação de obras de ampliação da SP-310 é realizada no DER

Foi realizada hoje na sede do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), em São Paulo, a Audiência Pública para debater e explicar processo licitatório para contratação das obras de modernização da Rodovia Feliciano Salles da Cunha (SP-310), de Mirassol até Pereira Barreto. A expectativa é que o edital de licitação seja publicado em março de 2017.
 
O investimento estimado para a execução das obras que totalizam 175,91 quilômetros de extensão é de R$ 459 milhões, a serem financiados pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Quando as obras estiverem concluídas, 230 mil habitantes da região serão beneficiados com as melhorias, que além de proporcionar mais segurança para motoristas e passageiros, também ajudarão no desenvolvimento econômico da região.


Pela longa extensão do trecho a ser recuperado, o projeto executivo foi dividido em quatro subtrechos. As obras serão contratadas em sete lotes, com prazo de execução de 18 meses cada um.

 
O projeto desenvolvido para o trecho entre os municípios de Mirassol, Neves Paulista, Monte Aprazível, Poloni, Sebastianópolis do Sul, Macaubal, Nhandeara e Floreal, do km 454,3 ao km 518,4, prevê serviços para a duplicação da pista em subtrechos, recuperação de pista simples, implantação de faixas adicionais e recuperação de acostamos, além de melhorias no sistema de drenagem e sinalização. Neste trecho, o movimento diário chega a ultrapassar os 13 mil veículos.

Para o trecho que vai de Floreal, Magda, General Salgado e Auriflama, do km 518,5 km 565,3, com VDM – Volume Diário Médio de aproximadamente 5.800 veículos, a pista será duplicada, os acostamentos alargados e a pista simples recuperada. Serão construídos três viadutos, uma rotatória e melhorias em oito dispositivos de acesso já existentes.

Serviços para recuperação da pista, implantação de terceiras faixas, dos acostamentos, melhorias no sistema de drenagem e sinalização serão realizados entre Auriflama, Guzolândia, Suzanápolis, Sud Mennucci e Pereira Barreto, do km 565,3 ao km 621,9. Duas rotatórias serão construídas, outros seis dispositivos existentes serão modernizados e a ponte sobre o canal do Rio Tietê será recuperada, beneficiando os mais de 5 mil usuários diários da rodovia.

O quarto projeto desenvolvido prevê melhorias na Rodovia Vereador Dourival da Silva Louzada (SPI-627/310). A via faz a interligação entre a SP-310 e a SP-563, do km 0 ao km 8,3 e recebe por dia cerca de 740 veículos por dia. Nesta extensão, a pista e os acostamentos serão melhorados, duas rotatórias construídas, seis dispositivos existentes adaptados e a ponte de concreto recuperada.

Palavras de Chico Xavier


Devemos combater os maus pensamentos com a mesma determinação com que combatemos uma infecção que nos agrida o organismo. Através da chamada invigilância mental, os agentes das trevas nos parasitam, estabelecendo conosco difícil processo de vampirismo.

Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da
"Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.


Disponibilização de médicos no período noturno nas ESFs

 
O vereador Vanderley Vieira dos Santos (Deley) foto, solicita do prefeito Flá Prandi a possibilidade de disponibilização nas unidades de Estratégias de Saúde da Família (ESF) de médicos ginecologistas no período noturno.

As EFS’s têm disponibilidade de consultas ginecológicas somente no período diurno, o que é um obstáculo, visto que as mulheres precisam faltar ao trabalho para a consulta médica.

Segundo Deley, realizar exames ginecológicos regularmente é uma necessidade da mulher, o que não é facilitado devido a não disponibilidade de médicos fora do período diurno.

O quarto da raiva

José Renato Nalini
secretário estadual de Educação





Sou datado. Nasci em 1945. Fruto do final da II Grande Guerra Mundial. Procuro estar antenado com tudo o que acontece. Sou adepto da imersão digital. Quero participar de tudo aquilo que a inteligência humana oferece para facilitar – ou tornar mais complexa? – a vida sobre o planeta. Mas confesso estranhar muitas coisas que acontecem hoje. Por exemplo: a experiência do "quarto da raiva" disponível em um bar paulistano. É a possibilidade de reduzir a destroços aparelhos de TV, impressoras e garrafas com golpes de marreta ou pé de cabra. A sessão dura 15 minutos. Mas em menos de dez, os frequentadores já destruíram tudo e procuram pedaços maiores para reduzi-los a pequenos fragmentos. Quem é que frequenta o "quarto da raiva"? Pessoas que precisam extravasar estresse. É claro que ainda é muito melhor quebrar algo que está ali para ser quebrado do que fazer isso em algum lugar despreparado.

A ideia nasceu de um sonho que um dos proprietários teve. Sonhou que estava destruindo um videogame. Foi procurar o significado na internet e descobriu que na Argentina já existia um lugar assim. Utilizam-se garrafas do próprio bar, os objetos são garimpados na internet, na vizinhança e nas ruas. Para a proprietária, há uma preocupação ambiental. Tudo o que é destruído é encaminhado à reciclagem.

Os frequentadores escolhem os kits a serem destruídos. Usam óculos de proteção e capacete, uma capa grossa, luvas e sapatos emborrachados. Tudo para evitar ferimentos com os cacos de vidro ou lascas afiadas de plástico.

Quem está de fora não ouve ruído, pois há isolamento acústico da sala. Aos curiosos é facultada uma janela de observação. Para o empresário que teve o sonho e a ideia, a iniciativa é útil. Frequentadores confirmam: "Geralmente a gente vive tentando consertar tudo e, aqui, é o contrário. Temos um problema a menos. Quando você começa, até fica tenso, mas muda. Se tivesse mais coisas para quebrar, eu certamente continuaria. É muito bom".

Cada qual enfrenta seu estresse de uma forma. É preferível quebrar protegido, embora pagando, do que quebrar vitrines, orelhões, escolas e outros equipamentos alheios. O exercício é considerado "diversão", na reportagem de Paula Felix para o Estadão, sob título "A ‘fúria Gourmet’ do quarto da raiva", da qual extraí estes dados.
 

Pinato e Gimenes articulam Frentes diplomáticas de amizade com a China

A convite da Embaixada da China no Brasil, os deputados da região, Fausto Pinato (PP/SP) e Gilmar Gimenes (PP/SP), ambos presidentes das Frentes Parlamentares Brasil-China na Câmara e na Assembleia, participaram de reunião nesta segunda-feira, 13 de fevereiro, para fechar um protocolo de intenções de amizade entre os dois parlamentos. Integraram também a comitiva o ministro Moreira Franco, o senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA), os deputados federais Celso Russomanno (PRB) e Darcísio Perondi (PMDB/RS) e o empresário Mário Ye Sui Yong, presidente da Associação Chinesa do Brasil.

A intenção da reunião, ocorrida durante jantar oferecido pela Embaixada, é discutir com autoridades chinesas diversos assuntos de interesse do Brasil, como investimentos, acordos de cooperação, ciência e tecnologia, educação e ampliação das exportações para o país asiático. A China é, desde 2009, o maior parceiro comercial do Brasil e uma das principais origens de investimentos diretos no País.

A comitiva assegurou o interesse chinês em estreitar as relações de cooperação com o Brasil. "Temos todo o interesse de aprender com as nossas experiências. O Brasil tem a maior área agricultável do mundo, a China a maior economia do planeta. Uma parceria nesse nível é de fortalecimento mútuo", comentou Pinato.

Pinato aproveitou a oportunidade para agradecer aos parlamentares pelo acolhimento e receptividade dos chineses e convidou as autoridades chinesas para o lançamento oficial da Frente Parlamentar Brasil-China, na Câmara dos Deputados, que ocorre no próximo dia 29 de março.

"A China é um importantíssimo parceiro, não só para São Paulo, mas para o Brasil. Há um mercado consumidor em franca expansão que precisa ser aproveitado com toda a nossa experiência", comentou Gimenes, que também pretende lançar a Frente na Alesp, nos próximos dias.

UNIJALES: superando desafios

Prof. Dr. Silvio Luiz Lofego
Vice-reitor acadêmico da UniJales



Transcorridos os dias iniciais do ano letivo de 2017, no Centro Universitário de Jales é notável o seu crescimento. Os corredores, antes um tanto apáticos e reveladores de uma crise que assolava o país, agora transborda vida. Nos intervalos desabrocham expectativas e sonhos de vida. As salas cada vez mais preenchidas por cabeças em busca de um novo tempo. Caminhar pela Unijales, hoje, nos dá a sensação que avançamos no front, que nossa luta, contra as intempéries dos anos anteriores estão pouco a pouco sendo vencidas. Claro que não se corre uma maratona com tempo de uma prova de 100 metros, mas esse notório avanço já nos deixa confiantes de uma chegada triunfante, depois da transposição de tantas barreiras.

E ao que se deve esse prenúncio de triunfo? Quem possibilitou esse raiar de um novo tempo para Unijales? A resposta não é difícil. Toda vez que os mantenedores e demais gestores colocavam na mesa as dificuldades e a necessidade de ajustes, a equipe se manteve unida e confiante. Dotados de uma rara competência, coordenadores e professores, dia após dia, alicerçaram com confiança um trabalho de excelência, estiveram sempre, tanto dentro quanto fora da sala de aula, lutando por cada aluno. Se não tínhamos capital monetário, nos sobrava capital humano. Foi, desse modo, que inovações na medida certa e trabalho compromissado produziram o elixir mais poderoso que uma escola pode produzir. Hoje, graças às novas tecnologias, além da presença física constante, nossos coordenadores acompanham, de onde estiverem, integralmente a situação de cada turma e pode instantaneamente buscar soluções para os desafios que se impõe.

Claro que os desafios foram imensos ao longo desses últimos anos e, ainda, temos muitos. Mas o importante é que, fundamentalmente, a sociedade de Jales e região está percebendo que na Unijales, a despeito de todas as dificuldades enfrentadas, tem prevalecido a vontade e a competência para proporcionar ao nosso aluno uma formação de excelência. E, evidentemente, esse caminhar tem também o mérito do nosso aluno. Durante esses anos quantas vezes não nos reunimos para refletir sobre a Unijales? Como tem sido encantador ver o brilho nos olhos de cada discente ao falar da instituição onde estuda. Foram eles que nos tempos mais difíceis nos fizeram acreditar e nos deram força para nossa luta.

Na condição de Reitor, pude ter, ao longo dos últimos anos, a oportunidade de conversar com todos os segmentos envolvidos, em especial, com os nossos estudantes e representantes de turma. Sempre atendiam ao meu chamado para reuniões que, não raras vezes, se estendiam em relatos emocionantes sobre o desejo de contribuir para melhoria da Unijales. São nossas verdadeiras joias, cujo nosso papel é apenas lapidá-las. São testemunhas do esforço de coordenadores e professores para transformar suas vidas.

A união de esforços de coordenadores e professores, que a qualquer hora estão à disposição para não deixar nosso aluno esmorecer, tornou-se a marca principal da Unijales nesses últimos tempos. E, assim, unidos vamos construindo uma Unijales cada vez mais forte. Por essa razão, meu agradecimento especial aos alunos, professores e coordenadores pelo carinho e atenção com o qual me atenderam, toda vez que os procurei. Esse compromisso com a nossa missão, tornaram minha passagem pela Reitoria extremamente gratificante. E, é com esse espírito de união e trabalho que esperamos atravessar mais ano. Muito obrigado.