Páginas

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Ciência tem papel fundamental na construção da sustentabilidade urbana

Evento na UFSCar aproxima academia das políticas públicas. Pesquisadores já podem submeter resumos


O conceito de sustentabilidade urbana defende que as cidades devam ser analisadas como um sistema integrado. O transporte, por exemplo, deve ser entendido em conjunto com as políticas de uso do solo e considerando questões ambientais. Em alguns lugares do mundo esse conceito é aplicado de forma exemplar. Não é o caso do Brasil. Em nome do progresso, muitas cidades brasileiras degradam boa parte do meio ambiente onde se localizam. Diariamente, o ar e os rios são poluídos e árvores são desmatadas ao mesmo tempo em que continua grande o déficit em infraestrutura urbana no País, seja na área de transportes, drenagem, tratamento de esgotos ou lixo. E a população mais vulnerável é a que mais sofre, já que as políticas de inclusão não têm conseguido a eficácia necessária.
 


Para o professor Alex Kenya Abiko (foto), docente em Gestão Urbana e Habitacional na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), a ciência tem um papel fundamental na conscientização das instituições políticas brasileiras em relação aos problemas enfrentados nas cidades, seja elaborando diagnósticos precisos, gerando informações e propondo políticas que sejam eficientes, inclusivas e compatíveis com os recursos financeiros, tecnológicos e naturais existentes. Porém, no Brasil, segundo o especialista, a distância entre a academia e os gestores públicos é grande, o que não contribui para a adoção de novas tecnologias urbanas eficientes e de custo adequado.
 "Infelizmente observamos no País a adoção de tecnologias urbanas que ainda não foram suficientemente testadas", lamenta o professor Abiko. Para o pesquisador, outra grande dificuldade relativa à sustentabilidade urbana é fazer a sociedade entender que esta é uma questão importante. "A academia precisa fornecer informações embasadas cientificamente que contribuam para que todos possam compreender a importância das cidades se desenvolverem de modo sustentável", defende.
 Segundo Abiko, a articulação da comunidade científica brasileira e internacional poderia contribuir mais para o desenvolvimento de novas tecnologias urbanas se a interação fosse maior. "A comunidade científica internacional é mais respeitada e ouvida pelos gestores públicos de seus países, o que faz com que as novas tecnologias urbanas e as técnicas de gestão pública estejam mais avançadas por lá. Há experiências exemplares em alguns países quanto aos sistemas de transporte, coleta e tratamento de lixo, drenagem, dentre outros", lembra o docente.
SINGEURB - Com o objetivo de incentivar a produção científica e tecnológica na área de sustentabilidade urbana e fomentar o debate, de 25 a 27 de outubro de 2017 acontece na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) o I Simpósio Nacional de Gestão e Engenharia Urbana (SINGEURB), com o tema "Cidades e Objetivos do Desenvolvimento Sustentável". Por meio das atividades que compõem a programação, que será divulgada em breve, pretende-se aproximar o meio acadêmico dos principais atores e operadores das políticas públicas, criando uma sinergia para que ambos os lados se beneficiem. O professor Alex Abiko já confirmou presença. "O SINGEURB é uma importante oportunidade de conhecer o que de mais atual está sendo produzido em engenharia urbana no País e também para os pesquisadores divulgarem seu trabalho a um conjunto importante de especialistas nesta área de atuação", afirma o docente.
 Os interessados em apresentar projetos técnicos e científicos nas áreas de Gestão e Planejamento Urbano, Transporte e Mobilidade, Saneamento e Recursos Hídricos, Geotecnia e Geoprocessamento, Urbanismo, Habitação e Tecnologias Aplicadas, podem submeter seus resumos até o dia 10 de março, por meio do site
www.singeurb2017.faiufscar.com, no qual também é possível encontrar informações sobre inscrições, o cronograma completo e dados sobre transporte, hospedagem, alimentação, lazer e turismo em São Carlos.

PF de Jales/SP prende dirigente dos “sem-terra” com arma de fogo ilegal

Policiais federais de Jales/SP, em cumprimento de mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal, prenderam na manhã desta sexta-feira, (10) em Ouroeste/SP, M.M.C., coordenadora de assentamento dos “sem-terra” da região de Jales, por posse ilegal de arma de fogo. O revólver calibre 38 apreendido estava com a numeração de registro raspada. Cinco munições não deflagradas também foram apreendidas.

 
Há algum tempo, a Polícia Federal vem recebendo informações sobre ameaças que estariam ocorrendo em acampamentos “sem-terra” na região de Jales/SP. A ação da PF de hoje marca o início de um mapeamento que está sendo realizado nos acampamentos da região, que apura, além de delitos relacionados a armas de fogo, o tráfico de drogas e extorsões que estariam sendo praticadas por alguns integrantes dos “sem-terra”.
M.M.C. foi autuada em flagrante delito por posse ilegal de arma de fogo e será apresentada à Justiça Federal de Jales/SP nesta data para audiência de custódia. Manter uma arma de fogo sem registro em casa ou transitar com a mesma é punível de acordo com a lei 10.826/2003. As penas destes crimes podem chegar a seis anos de reclusão. Qualquer cidadão pode solicitar à PF autorização para compra e registro de uma arma de fogo, desde que cumpra os requisitos definidos na lei, dentre eles: Aprovação em curso de prático de tiro, avaliação psicológica e apresentação de certidão negativa de antecedentes criminais.

FOLHAGERAL

da redação

Observe com



 
atenção as duas placas de estacionamento preferencial, acima. Você percebeu qual a diferença entre as duas? Isso mesmo. A placa da esquerda sinaliza o tempo máximo permitido para o usuário estacionar o seu veículo. A placa da direita não sinaliza o tempo máximo, permitindo que o usuário estacione seu veículo pelo tempo que quiser.


As placas
de estacionamento preferencial não pertencem à mesma cidade. Se o leitor achar que a da esquerda pertence a São José do Rio Preto e a da direita pertence a Jales, estará correto. Resta saber se em Jales houve um descuido ou se houve um propósito.

Todos nós,
cidadãos que somos, temos que aprender a cuidar bem da nossa cidade. Quando alguém aponta alguma coisa que precisa ser arrumada pela autoridade competente, está fazendo uma obrigação. Em especial, os vereadores precisam se acostumar a cobrar do Executivo as providências necessárias, como sobre as sinalizações urbanas.

A lei diz
que um tal percentual de vagas de estacionamento deve ser reservado para deficientes e idosos. Não diz que é por tempo ilimitado. Quanto ao limite de tempo, a vaga deve ser aproveitada pelo melhor número possível de usuários.

Como quase
tudo na vida, não existe uma providência única e definitiva para a organização de uma cidade. É preciso fazer experiências, acertar várias vezes e mudar sempre que for preciso. É para isso que sempre vai haver pessoas escolhidas para desempenhar estes trabalhos.

No início
desta semana, ali na Praça João Mariano de Freitas (Rua 8 e quase esquina da Rua 9), um fato foi observado pelas pessoas das lojas próximas e que circulam por ali. Um veículo marca Ford ficou estacionado na vaga para idosos, praticamente o dia todo. Sem limite de tempo e sem a fiscalização para supervisionar.

A inadimplência
dos consumidores teve alta de 3,9% em janeiro, na avaliação dessazonalizada contra dezembro, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (fevereiro de 2016 até janeiro de 2017, frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 1,9%. Já quando comparado o resultado de janeiro contra o mesmo mês de 2016, houve retração de 4,7%. Menos mal.

O contribuinte
jalesense, proprietário de imóvel urbano, que aguarda ansiosamente pelo recape de sua rua, tendo em vista os R$ 4 milhões do empréstimo feito pelo Município junto à agência Investe SP para a tal melhoria, não fique muito esperançoso.

Quando
do pedido do empréstimo, foi anexada ao mesmo quais as vias públicas a receber o recape. Algumas ruas, que agora sabemos que estão em estado calamitoso para o tráfego de pedestres e veículos, não estão na lista.

Fica assim:
quem recebeu a pavimentação asfáltica de graça, recebe o recape de graça. Quem pagou pelo benefício, mesmo décadas atrás, não vai receber o recape e ainda vai pagar o empréstimo feito pelo Município.

O presidente
Michel Temer tomou posse no dia 31 de agosto de 2016 para dirigir o Brasil (por dois anos e quatro meses) até o dia 31 de dezembro de 2018. Além de ter nas mãos um governo quebrado, ele e membros da sua equipe estão citados na Operação Lava Jato. E o tempo corre.

Há turbulências
escandalosas no Senado e na Câmara Federal, também por conta de denúncias da Operação Lava Jato. O sistema penitenciário brasileiro está um caos. O Estado do Rio de Janeiro está arruinado. Vitória, capital do Espírito Santo, vive um apocalipse.

Os administradores 

dos Estados e Municípios, que não estão conseguindo pagar suas contas, tem menos a lamentar. Eles não estão sendo engolidos por um furacão. E se tiverem juízo, não correrão o risco de ter que dividir uma cela de 15 metros quadrados com outros seis presos.

Infelizmente,
esta é a verdadeira e triste realidade do nosso Brasil. Lamentar é preciso, mas sem entregar os pontos, sem duvidar que esse tempo ruim será superado. Daqui a vinte meses, em outubro de 2018, vai ter novas eleições federais e estaduais. Um alento. Uma esperança.

O jornal
Folha da Região, de Araçatuba, divulgou que a Prefeitura pagou de uma só vez R$ 766.634,41 de rescisões aos 18 ex-secretários da gestão de Cido Sério (PT). As exonerações e pagamentos foram feitos em dezembro do ano passado, quando o petista encerrou seu governo. Os dados obtidos pela reportagem constam no Portal da Transparência do município.

Segundo
o site, o ex-titular de pasta que mais recebeu ao ser exonerado foi Éderson da Silva, que comandava o Planejamento Urbano e Habitacional. Foram R$ 100.417,33 brutos. Ele foi um dos secretários mais longevos da gestão de Cido, sendo admitido em julho de 2010, quando o petista estava no segundo ano de governo.



Urânia realizará primeiro programa de Turismo Rural

O departamento de Agronegócio e Meio Ambiente de Urânia, em parceria com o Senar/Fetaesp e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Jales, realizará o primeiro programa de Turismo Rural para produtores e trabalhadores rurais que desejam utilizar a propriedade rural como exploração de técnicas atrativas que promovam lazer e entretenimento a visitantes.

O curso é gratuito e será iniciado no dia 18 de fevereiro e encerrado no mês de dezembro. Abordará conhecimentos sobre potencialidade e oportunidade de negócios turísticos no meio rural; sustentabilidade, oportunidade e desenvolvimento de produtos e negócios turísticos; prevenção de acidentes no ambiente rural; condução de turismo; hospedagem em áreas rurais e atendimento ao cliente; meios de alimentação e comercialização de produtos e negócios turísticos no meio rural.

De acordo com o diretor do Departamento de Agronegócio e Meio Ambiente, Anderson Chapichi (foto), a característica básica da capacitação é a de agregar valor à propriedade rural e aos produtos e culturas existentes no município, aliados às habilidades e vocações do produtor rural e sua família.

"Aproveitar profissionalmente a vocação turística existente em Urânia é uma nova oportunidade de ascensão na economia local e mais uma alternativa de renda para o homem do campo", afirmou.

Em breve um novo curso será realizado, o de cultivo de orquídeas. Os interessados já podem procurar o Departamento de Agronegócio e Meio Ambiente de Urânia, localizado na margem da Rodovia Euclides da Cunha, no Parque Industrial I, para fazerem suas inscrições.

Crescimento – O Turismo Rural é uma atividade relativamente nova que vem crescendo gradativamente em todo o país. No início da década de 90, esta atividade começou a ser amplamente difundida, tendo em vista a necessidade do produtor rural em agregar valor aos seus produtos, bem como obter uma fonte de renda extra sem alterar o processo produtivo da propriedade rural.

O segmento vem crescendo rapidamente no Brasil, com características diferenciadas para cada região. Na maioria dos casos, ocorre de forma empírica, e confundido-se em múltiplas concepções, manifestações e definições, sendo denominado, também, de agroturismo, ecoturismo, turismo de interior, turismo no espaço rural, alternativo, endógeno, verde, campestre, agroecoturismo, ecoagroturismo, entre outros.

Há uma diversidade de modalidades turísticas que podem ser atendidas pelo Turismo Rural: ecoturismo, turismo de negócios e eventos, de aventura, religioso, histórico-cultural, náutico, tecnológico, de terceira idade entre outros.

O Estado de São Paulo conta com uma riquíssima gama de circuitos e roteiros à serem explorados pelo Turismo Rural. Entre eles destacam-se o Circuito das Águas, Circuito dos Bandeirantes, o Circuito das Frutas, o Circuito dos Tropeiros, o Circuito dos Sertanejos.

Unijales marca o início do ano letivo com apresentação da Orquestra Sinfônica de Jales

 
 
1 - Orquestra de Jales conta com 71 músicos, que tocaram  e encantaram em apresentação na Unijales

2 - O palestrante Marcos Silvério foi recebido pela mantenedora e pelo reitor da Unijales
3-Aproximadamente 800 alunos, veteranos e ingressantes, assistira à apresentação da Orquestra Sinfônica de Jales
4 - Marcos Silvério ministrou sobre Motivação para os professores que vão atuar na Unijales em 2017
 
5- O reitor Silvio Luiz Lofego diretora Rosangela Bigulin, maestro Edivaldo de Paula, e os mantdenedores Christina Soler e Osvaldo Soler Junior, e ao fundo membros da orquestra.fotos/danilezilio/unijales/divulgação
 
 
 
As atividades da Unijales foram iniciadas, no último dia 6 de fevereiro em grande estilo. Uma noite cultural foi apresentada aos veteranos e aos alunos ingressantes.

Para receber esses alunos, os mantenedores Maria Christina Fuster Soler Bernardo e Osvaldo Soler Junior, o reitor, Silvio Luiz Lofego e a diretora de graduação Rosangela Bordon Bigulin organizaram a apresentação da Orquestra Sinfônica de Jales, regida pelo maestro Edivaldo de Paula.

O evento teve início às 19h, no Ginário Poliesportivo da Unijales, "Cristovan Soler" e aproximadamente 800 alunos, coordenadores, professores e funcionários puderam ouvir e se emocionar com a belíssima apresentação.

O repertório preparado para o primeiro dia de aula da Unijales, segundo o maestro Edivaldo de Paula, foi diversificado e tem como propósito agradar ao público em geral. Os 71 músicos da Orquestra Sinfônica e o maestro Edivaldo apresentaram as músicas "Game of Thrones", Flashback anos 80", "Atribute to Amy Winehouse", Seleção Sertanejo entre amigos", "The Final Countdown" e "Do Leme ao Pontal".

Os professores da Unijales, que vão atuar em 2017 também tiveram um início de ano letivo especial.

A mantenedora, Maria Christina Fuster Soler Bernardo, o reitor Silvio Luiz Lofego e o corpo docente participaram, no dia 31 de janeiro, de uma Capacitação, com o palestrante Marcos Silvério, que ministrou sobre Motivação. (por Daniel Zilio)

Igreja Assembleia de Deus faz nova doação para HC

A Igreja Assembléia de Deus Ministério Belém em Jales (SP), mais uma vez contribuiu com o Hospital de Câncer de Barretos – Unidade III Jales, na aquisição de um importante equipamento.

A doação foi o pagamento de grande parte do valor de um par de perneiras cirúrgicas. O equipamento é usado para posicionar o paciente na mesa cirúrgica, de forma segura e confortável, diminuindo o risco de complicações pós-operatórias, além de permitir ao médico cirurgião um melhor acesso a região operada.

Possibilita também o reposicionamento do paciente sem a necessidade de retirar os campos cirúrgicos evitando a contaminação durante o ato cirúrgico.

A doação feita pela igreja aconteceu por meio da realização do "2º Encontro de Mulheres Escolhidas", realizado no dia 05 de novembro de 2016, no Clube do Cem em Urânia, com toda a arrecadação revertida para o hospital.

A entrega foi feita nesta quarta-feira, 8 de fevereiro. Estavam presentes, a gerente administrativa Camila Venturini, a assistente de Captação de Recursos Ariely Siqueira, o tecnólogo em saúde Juliano Midorikawa, a enfermeira responsável do Centro Cirúrgico Franciane Bio Fiód, o pastor presidente da Assembleia de Deus, Claudio de Oliveira, sua esposa Rosângela Noemi Nalini de Oliveira, as coordenadoras do projeto Keli Preto, Carla Silva, Maria Viveiros e a assessora da Deputada Marta Costa, pastora Telma Nalini e seu esposo Salatiel de Oliveira, que também colaborou muito para que a doação fosse feita.

A Gerente Administrativa do Hospital de Câncer – Unidade Jales, Camila Venturini, também reforçou a importância dessas parcerias com o Hospital "São ações como essas que nos motivam a trabalhar cada vez mais em prol dos nossos pacientes. É muito gratificante. Um ato como esse interfere diretamente no tratamento de milhares de pacientes", finalizou.

Cuidar da lesão do paciente é um dos objetivos da Comissão de Curativos da Santa Casa de Jales





fotos - Parte da equipe de comissão de curativos da Santa Casa; na foto menor Vilda de Lima Souza (esposa do Osmar), juntamente com a enfermeira e coordenadora da comissão, Jaqueline Fava, e Osmar Beltran de Souza, que recebeu o tratamento
fotos/ascomsantacasajales/divulgação







 
 
A Comissão de Curativos instalada da Santa Casa de Jales tem como finalidade cuidar da lesão do paciente com fundamentos específicos, utilizando conhecimentos científicos, novas tecnologias, além de acompanhar passo a passo da evolução, documentando e relatando os procedimentos de cada ferimento.

 
"A comissão vem para agregar a humanização na instituição, pois realizamos um tratamento diferenciado para cada tipo de lesão e com resultados cada vez mais evidentes estamos deixando o paciente ainda mais satisfeito", relatou a coordenadora da comissão e enfermeira da UTI Geral, Jaqueline Fava Santana de Carvalho.

Há cerca de seis meses um paciente que permaneceu durante 26 dias na Santa Casa relatou o cuidado que recebeu da comissão durante o tratamento e por meio de cartas agradeceu o esforço de toda equipe. "Podemos dizer que através de Deus e desta equipe fui curado de uma enfermidade que nunca havíamos ouvido falar, a bactéria síndrome de fourmier, foi quase um mês recebendo curativos no hospital e o resultado foi espetacular, a minha ferida foi curada", destacou Osmar Beltran de Souza da cidade de Santa Albertina.

A equipe é composta por aproximadamente 21 profissionais, entre eles médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, nutricionista, comissão de controle de infecção hospitalar - CCIH e auditoria.

As reuniões acontecem uma vez por mês no qual um caso é analisado e estudado entre todos, que participam dando sugestões para definir o tratamento ideal e acelerando o processo de curativo no paciente.

A Mente e a Crise

Flávio Rodrigo Masson Carvalho Professor do UNIBAVE – Orleans - SC
equilibriumtc@hotmail.com



O Poder da Mente como Sócio em seu Sucesso visa proporcionar ferramental para, não somente, enfrentar a crise financeira que nos assola, mas visa também, proporcionar meios para lidarmos com todos os tipos de crise: a financeira, a emocional, a saúde física e mental, a de idade, a familiar e a espiritual.

As crises podem suscitar em nós questionamentos profundos sobre o sentido da vida. Porém, quando as respostas e soluções já não nos satisfazem, estamos sujeitos a viver uma crise incomum, que nos conduz ao caminho da real transformação.

Uma antiga crença popular acaba de ganhar comprovação científica. Publicado recentemente na revista Science Translational Medicine, um estudo liderado pela Universidade de Oxford, da Grã-Bretanha, com a participação de outras três instituições europeias, mostrou que o pensamento negativo pode, sim, ter consequências nocivas. Pelo menos quando o assunto é saúde.

Por isso a importância de se pensar positivo, ser otimista, mesmo nessa crise sem precedentes. Usar o Poder da Mente para controlar os pensamentos, e pensar no bem, pensar positivamente, é a única maneira de evitarmos adoecer.

Um levantamento desenvolvido em 2010 pela International Stress Management Association (ISMA) revelou que, entre pessimistas inveterados, as chances de desenvolver moléstias como problemas gástricos, dores musculares, arritmia e taquicardia são maiores.

Na ciência, classificamos os pessimistas como pessoas que interpretam as dificuldades como fracassos e sempre esperam o pior. Eles sofrem muito. Acham que o mundo é injusto, são inflexíveis e obsessivos. Não raro, quanto mais pensamentos negativos nutrem, mais pessimistas ficam. Mas o que está por trás disso? O neurologista Pedro Schestatsky diz que a explicação passa por um conjunto de fatores. Em geral, sempre que uma pessoa crê que algo vai dar errado e vive uma situação de estresse, um gatilho hormonal é disparado no cérebro, e substâncias como cortisol e adrenalina são liberados. É como se o órgão percebesse que há algo ruim por vir e preparasse o corpo para a guerra — mantendo-o em estado de vigilância.

Parar de reclamar da crise e agir. Começando pelo pensamento, organizar os pensamentos, educar a mente para sempre pensar positivamente.

Estamos passando por uma grave Crise, mas já passamos por algumas crises, e vamos passar por outras no futuro.

O ser humano é que causou, e causará todas as crises. E como o ser humano não está bem, está maltratando o outro, e se maltratando demais, viveremos muitas outras crises ainda, até entendermos que estamos aqui para nos amarmos, e que somos todos iguais.

A grande crise que vivemos é interior, individual, espiritual, e a mesma só será vencida com muito amor, ou seja, quando nos amarmos.
 

Agricultura e Meio Ambiente harmonizam período de defeso

Período de defeso na Piracema é o mesmo adotado pelo estado

 
 
O Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (MAPA), por meio da Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA), decidiram conjuntamente harmonizar as legislações, com relação à pesca no estado do Mato Grosso e acatar o período de defeso da Piracema entre 1º outubro de 2016 a 31 de janeiro de 2017, o mesmo adotado naquele estado.De acordo com o diretor do Departamento de Planejamento e Ordenamento da Pesca (DPOP), Sami Pinheiro de Moura, "após a análise de estudos de pesquisadores e mais uma nota elaborada por técnicos do nosso departamento. E depois de discutirmos com técnicos do MMA, produzimos minuta de portaria, que se encontra em análise na Consultoria Jurídica e que deverá ser publicada no Diário Oficial da União, dando respaldo legal ao que foi acordado". Moura observa que o caso se aplica ao estado do Mato Grosso e lembra que o ato só terá efeito após sua publicação.

Editais de Proclamas

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interina do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

PEDRO FRANCISCO DORISSOTE e ROSA APARECIDA DOS SANTOS. ELE, natural de Palmeira D’Oeste, deste Estado, nascido aos 19 de junho de 1.968, motorista, viúvo, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Francisco Dorissote e de Luzia Delarrovere Dorissote. ELA, natural de Palmeira D’Oeste, nascida aos 12 de outubro de 1.971, funcionária pública estadual, divoRrciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de José Epifanio dos Santos e de Maria de Jesus Santos.

GUILHERME ANHÊ PEREZ CAITANO e NAYARA CICUTO FERREIRA DO CARMO. ELE, natural de Birigui, deste Estado, nascido aos 26 de dezembro de 1.984, engenheiro elétrico, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Ismael Caetano e de Cleide Anhê Perez Marques Caitano. ELA, natural de Paranapuã, nascida aos 12 de novembro de 1.987, biomédica, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de José Roberto Ferreira do Carmo e de Marineusa Aparecida Cicuto do Carmo.

LUIZ RICERDO FIGA e HELOÁ BEATRIZ FORMENTON DA SILVA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 05 de agosto de 1.986, secretário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Antonio Shineo Figa e de Terezinha José de Souza. ELA, natural de Estrela D’Oeste, nascida aos 10 de agosto de 1.993, escriturária, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Adilson Flávio da Silva e de Crisler Formenton.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA- O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina

Hidrovia Tietê-Paraná bate recorde de movimentação em 2016

A Hidrovia Tietê-Paraná, administrada no trecho paulista pelo Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo (DH), bateu o recorde de movimentação de cargas no ano de 2016. Foram transportadas 8,7 milhões de toneladas de produtos em toda a hidrovia, frente a 6,3 milhões de 2013, ano anterior à sua paralisação.

O trecho da hidrovia localizado no Estado de São Paulo recebeu 3,2 milhões de toneladas de cargas sendo as mais movimentadas: areia (1.376 milhão ton.), cana-de-açúcar (819.566 ton.), soja (599.671 ton.) e farelo de soja (287.425 ton). O volume de cargas de 2016 foi alcançado 20 meses após sua interrupção no trecho entre o km 99,5 do reservatório de Três Irmãos e a eclusa inferior de Nova Avanhandava. A suspensão foi decorrente do baixo nível dos reservatórios de Três Irmãos e Ilha Solteira e atingiu as cargas vindas de São Simão (GO) e Três Lagoas (MS), que contemplam soja, milho, celulose e madeira.

Sobre a Hidrovia Tietê-Paraná – A Hidrovia Tietê-paraná possui 2.400 km de extensão, sendo 1.600 km no Rio Paraná, administrado pela Aharana (ligado ao Ministério dos Transportes) e 800 km no Estado de São Paulo. Conecta cinco dos maiores estados produtores de grãos: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná.

A Tietê-Paraná integra um grande sistema de transporte multimodal, apresentando-se como alternativa de corredor de exportação – abrangendo os Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais, uma região de 76 milhões de hectares, onde é gerada quase a metade do produto interno brasileiro, conectando áreas de produção aos portos marítimos, e no sentido do interior, servindo os principais centros do Mercosul.

Ao longo de toda a hidrovia estão localizados 26 terminais de responsabilidade do setor privado, sendo que 13 terminais e sete estaleiros estão localizados em São Paulo. Nestes locais são processadas e armazenadas as matérias-primas até sua transferência para outro modal, que pode ser o rodoviário, dutoviário ou ferroviário.

As embarcações que navegam pela hidrovia compartilham o mesmo espaço físico das barragens das usinas hidroelétricas, construídas com o conceito de aproveitamento múltiplo das águas: abastecem o Estado de São Paulo de energia ao mesmo tempo possibilitam a navegação, a irrigação de culturas agrícolas, o turismo fluvial, os esportes náuticos e o lazer, entre outras atividades.

Alguns dos principais produtos transportados pela Tietê-Paraná são: milho, soja, óleo, madeira, carvão, cana de açúcar e adubo.

Passe espírita contra a ansiedade


Estudo desenvolvido pela Unesp comprovou eficácia

Durante dois anos (2014 e 2015) a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) desenvolveu um estudo sobre a influência da terapêutica energética do passe espírita na redução da ansiedade. A iniciativa teve o objetivo de desvendar se a técnica empregada nas casas espíritas auxilia na diminuição desse problema de saúde tão comum. Para seleção dos candidatos, houve necessidade de se utilizar uma escala que avalia se um indivíduo é ansioso. Outro critério adotado pelos pesquisadores foi escolher voluntários que não estivessem em tratamento com psiquiatra, psicólogo ou utilizando medicamentos.

 
"As pessoas incluídas no estudo foram divididas em dois braços: um deles recebia o passe, o outro recebia um placebo (imposição de mãos de uma pessoa que não tem habilidade na aplicação de passe)", explica Ricardo de S. Cavalcante, médico infectologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), presidente da Associação Médico-Espírita de Botucatu e um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo (equipe de estudos de passe espírita na foto ao lado).

Ao todo, 50 indivíduos realizaram a experiência uma vez por semana durante oito semanas; 23 voluntários receberam o passe espírita e outros 27 foram inseridos no grupo que recebeu a simples imposição das mãos. "Observamos, no final do tratamento, que os dois grupos tiveram melhora, mas ela foi mais significativa nas pessoas que receberam o passe do que nos indivíduos que foram submetidos à simples imposição das mãos", destaca Cavalcante.

De acordo com os pesquisadores, a melhoria obtida pelos dois grupos decorre de toda preparação realizada antes do passe. "Esse preparo era comum tanto para quem tomava o passe quanto para as pessoas que passavam pela imposição das mãos. Eles ficavam todos em uma mesma sala, com uma luz mais baixa, uma música ambiente para relaxar, colocávamos um áudio com mensagens de situações do dia a dia para reflexão, de maneira que isso já gerava um certo relaxamento", lembra.

Utilizando a mesma escala de pontuação que classifica o indivíduo como ansioso, os pesquisadores verificaram que, no final do tratamento, "no grupo do passe 83% dos indivíduos não tinham mais critério de ansiedade, enquanto que no grupo da simples imposição das mãos apenas 37% alcançaram níveis normais de ansiedade", finaliza o pesquisador.

Projetos futuros – Um novo estudo deve avaliar se o passe espírita possui eficácia em pessoas que têm o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), distúrbio caracterizado pela "preocupação excessiva ou expectativa apreensiva", de acordo com a quarta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-IV).

Neste novo estudo, que terá duração de dois meses, será realizada a comparação entre o passe espírita e o uso de medicamentos para controle desta enfermidade (TAG). O projeto já foi aprovado pelo Comitê de Ética da FMB e se iniciará em março de 2017.

Pessoas que tenham interesse em ser voluntárias da pesquisa devem entrar em contato com o telefone (14) 3811-6547, falar com a enfermeira Ariane ou comparecer na rua Coronel José Vitoriano Villas Boas, número 1188, na região central de Botucatu, nos dias 14 ou 21 de fevereiro, às 20 horas, onde será realizada a triagem dos indivíduos participantes da pesquisa. (fonte-Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB).

Encaminhadas duas solicitações de Paranapuã ao governo de SP

O 1º secretário da Assembleia Legislativa, deputado Enio Tatto (PT), encaminhou ao governo do Estado mais dois pedidos de recursos financeiros para o município de Paranapuã. O primeiro, o valor de R$ 100 mil, é para a aquisição de veículo para o transporte de alimentação escolar e o segundo, no valor de R$ 200 mil, é para investimento em obras de recapeamento asfáltico.

Anteriormente o deputado havia solicitado R$ 120 mil para a compra de ambulância equipada para o transporte de cadeirantes que necessitam de atendimento médico. As solicitações de recursos financeiros foram encaminhadas ao Estado, de acordo com Tatto, a pedido de autoridades locais, entidades de classe e de moradores.

Em relação ao veículo para o transporte de alimentação, ele justifica a solicitação argumentando que "a administração municipal utiliza um veículo totalmente inapropriado". Segundo ele, esse veículo "não está adaptado e não corresponde ao que seria o ideal para levar os alimentos às escolas da rede municipal".

Sobre a pavimentação asfáltica, ele destaca que "parte das vias da cidade necessita com urgência da recomposição do piso". Lembra que Paranapuã, a exemplo da maioria das cidades brasileiras, tem carência de recursos para atender todas as áreas sob sua responsabilidade, principalmente as fundamentais, como saúde e educação.

Suécia

Reginaldo Villazón
 
A grande democracia capitalista – os Estados Unidos da América – teve seus tempos de glória, tal como durante o acelerado desenvolvimento no pós-guerra (1945 a 1970). Mas as altas dos preços do petróleo disseminaram prejuízos e levaram os Estados Unidos a se envolverem em guerras caras no Oriente Médio. Depois, a crise bancária de 2008, a evolução dos déficits comerciais e o crescimento da dívida pública – em conjunto com outros eventos – tiraram o país da condição de modelo de desenvolvimento.

A recente campanha eleitoral (carregada de baixarias) e a eleição presidencial de Donald Trump (conservador, nacionalista e populista) colocaram os Estados Unidos no mesmo nível cívico de pequenas repúblicas subdesenvolvidas. Por causa dos acontecimentos indesejados, rotineiros na nação norte-americana, os olhos de muitos observadores se voltam para a Suécia, como modelo de desenvolvimento possível de ser legitimado. Mas acabam fazendo referências divergentes sobre o modelo sueco.

A modernização da Suécia teve início em 1866 com fim do Parlamento de classes (nobreza, clero, burguesia e campesinato) e início do Parlamento de representantes políticos. O crescimento industrial (ferro, aço, papel, têxteis e produtos químicos), a abertura econômica e a neutralidade nas duas grandes guerras (1914-1918 e 1939-1945) ajudaram o país a desfrutar longo período de desenvolvimento. O Partido Trabalhista Social Democrata, fundado em 1889, teve presença crescente no governo.

A política sueca superou dificuldades e conflitos sem perder a estabilidade. Os partidos políticos souberam dar valor às medidas reformistas e dar prioridade às propostas apoiadas pelas maiorias. Os resultados foram excelentes. O chamado "modelo de desenvolvimento sueco" tomou corpo entre o início da década de 1930 ao começo da década de 1970. Os políticos sociais democratas foram hábeis em atender os anseios da população por segurança e bem estar, à custa de uma carga tributária bem elevada.

Nas décadas de 1970 e 1980, o modelo de desenvolvimento sueco mostrou desgastes diante de mudanças políticas, sociais, econômicas e tecnológicas, no país e no mundo. Uma reaproximação ao capitalismo mostrou benefícios ao desenvolvimento econômico, mas as desigualdades de renda cresceram e favorecem tensões sociais. A Suécia continua sendo um país altamente desenvolvido, bem colocado em justiça social e qualidade de vida. Prossegue experimentando e calibrando suas políticas públicas.

Os pontos de vista ideológicos ignoram a educação e a cultura como forças atuantes no desenvolvimento. Educação e cultura reúnem recursos intelectuais, espirituais e emocionais; abrangem modos de vida, comportamentos, memórias, valores. Nisso os suecos oferecem bons exemplos de excelência ao mundo. Mostram que caminho é investir na educação e reforçar as características culturais que identificam e agregam o povo. Alertam que um povo não pode se deixar levar por alienações difundidas nos meios de comunicação globais.

Palavras de Chico Xavier


É claro que as nossas boas obras nos defendem, mobilizando a Lei em nosso favor, mas nem sempre os espírito que nos protegem conseguem se antecipar aos perigos que, pelo nosso livre arbítrio, nos expomos, mormente quando não possuíamos mérito para reencarnar dentro de certas circunstâncias.

Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da
"Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.


Não é simples

José Renato Nalini, Secretário estadual de Educação
Não se consegue, com respostas simples, resolver problemas complexos. E é complexa a situação da educação em todo o mundo. Por várias e discutíveis razões.

Questiona-se o ensino tradicional, paralisado no tempo e baseado na equação: o professor fala, o aluno aprende. As novas gerações nascem plugadas nas redes sociais, praticamente com "chips". Navegam pela internet e têm desenvoltura para encontrar respostas praticamente para tudo. Já se chegou a questionar a permanência da escola como local de ensino/aprendizagem. Ampliou-se o conceito de formação adequada: há uma educação formal, cujo ambiente natural é a escola e uma educação informal, presente em todos os espaços. A vida ensina a quem quer aprender. O conhecimento nunca esteve tão acessível e disponível. A curiosidade é a chave para desvendar todos os mundos: o da cultura, o da ciência, o das artes, o da história e de outros campos.


O Brasil é um caso emblemático. A educação é direito de todos, mas dever do Estado e da família, com a colaboração da sociedade. O Estado, segundo a Constituição, tem de destinar 25% do orçamento para a educação. São Paulo reserva mais. Ultrapassa 30% e chega quase a um terço do orçamento voltado à educação pública.

Não é pouco o montante de recursos. Em 2016, foram R$ 28 bilhões. Mas os resultados não correspondem à consistência do investimento. Qual o motivo? Ou melhor, quais os motivos?

Além do próprio repensar nos métodos de ensino, impõe-se observar que o declínio dos valores não prestigia o esforço, o empenho, o sacrifício e o devotamento. O famoso "currículo oculto", propiciado no lar, principalmente pelas mães, foi negligenciado. Não se insiste no respeito ao professor, na responsabilidade do aluno ante os compromissos de quem realmente quer aprender. O descrédito nos acenados benefícios de um curso bem feito, ante a ausência de perspectivas para quem se entregar com seriedade a um aprendizado consequente.

O momento é de assumir protagonismo heroico. Os mestres a assumirem o desafio de ministrar aulas interativas e a cada dia mais interessantes, os alunos a aceitarem o repto de mergulharem no estudo sério, as famílias a estimularem seus filhos na caminhada e a uma reiteração consequente daquilo que ainda continua a ser veraz: sem o conhecimento não se alcança vida digna, nem capacitação para o trabalho, menos ainda qualificação para o bom exercício da cidadania.


Câmara de Jales define membros das 5 comissões permanentes

Câmara Municipal de Jales definiu na segunda-feira (6) os membros das cinco Comissões Permanentes. A nomeação dos representantes de cada Comissão foi feita pelo presidente da Mesa Diretora por indicação dos lideres de cada bancada para o período de um ano, segundo o Regimento Interno da Câmara Municipal e aconteceu na primeira sessão ordinária de 2017. A sessão foi conduzida pelo presidente da Casa, o vereador Vagner Selis.

As comissões permanentes se manifestam emitindo opinião técnica sobre o assunto, por meio de pareceres, antes do mesmo ser levado ao plenário. Elas também fazem estudos, investigações, apresentam proposições à instituição, fazem audiências públicas e recebem petições, reclamações, representações ou queixas de qualquer pessoa contra atos ou omissões das autoridades públicas.



 
O demista Vanderley Vieira dos Santos (Deley foto ao lado) preside a principal comissão no Legislativo, a de Constituição, Justiça, Redação e Legislação Participativa que tem o papel de identificar, na fase de instrução, se o projeto de lei atende, quanto ao seu conteúdo e quanto a sua forma, os requisitos constitucionais para a sua tramitação.

Se a Comissão de Constituição, Justiça, Redação e Legislação Participativa manifestar-se favoravelmente, o projeto de lei segue a sua instrução junto às demais comissões, conforme o critério de identidade de matéria, ou seja, se ele gera despesa, é encaminhado para a comissão de orçamento; se ele trata de assunto relacionado à saúde pública, vai para a comissão de saúde e assim por diante.

Das cinco comissões permanentes, o PSD foi o partido com mais presidências, com duas. O DEM, PSB e PSDB ficaram com uma presidência cada.


O peemedebista Adalberto Francisco de Oliveira Filho (Chico Cartorário de terno na foto ao lado ) foi indicado para a presidência do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.
Membros das Comissões Permanentes

Comissão de Constituição, Justiça, Redação e Legislação Participativa
Presidente: Vanderley Vieira dos Santos (DEM)
Vice-Presidente: Luiz Henrique Viotto (PP)
Relator: Fábio Kazuto Matsumura (PSB)

Comissão de Orçamernto, Finanças e ContabilidadePresidente: Bismark Jun Iti Kuwakino (PSDB)
Vice-Presidente: Claudecir José dos Santos (DEM)
Relator: João Valeriano Zanetoni (PSB)

Comissão de Obras e Serviços Públicos, Fiscalização, Atividades Privadas e Defesa do Consumidor Presidente: Nivaldo Batista de Oliveira (PSD)
Vice-Presidente: Tiago Vandré de Souza Abra (PP)
Relator: Adalberto Francisco de Oliveira Filho (PMDB)

Comissão de Educação, Cultura, Lazer, Esporte, Turismo e Meio AmbientePresidente: Fábio Kazuto Matsumura (PSB)
Vice-Presidente: Bismark Jun Iti Kuwakino (PSDB)
Relator: Tiago Vandré de Souza Abra (PP)

Comissão de Saúde, Assistência Social e Defesa dos Direitos Humanos
Presidente: Nivaldo Batista de Oliveira (PSD)
Vice-Presidente: Claudecir José dos Santos (DEM)
Relator: João Valeriano Zanetoni (PSB)

Conselho de Ética e Decoro Parlamentar
Titulares:
Presidente: Adalberto Francisco de Oliveira Filho (PMDB)
Vice-Presidente: Fábio Kazuto Matsumura (PSB)
Relator: Luiz Henrique Viotto (PP)

Suplentes: Bismark Jun Iti Kuwakino (PSDB)
João Valeriano Zanetoni (PSB)
Vanderley Vieira dos Santos (DEM)
 

Reunião no Cade pede abertura dos frigoríficos

Após dias de luta na tentativa de reverter o fechamento da unidade do frigorífico JBS na Estância Turística de Santa Fé do Sul (SP), o prefeito Ademir Maschio juntamente com o presidente da Câmara Municipal Marcelo Favaleça, o deputado estadual Itamar Borges e o deputado federal Fausto Pinato, que estiveram em Brasília, na quarta-feira (8) em reunião com diretores do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) anunciaram a disponibilidade do órgão em atender as necessidades do JBS.

Também esteve presente na reunião (foto) o senador Wilder Morais (PP), de Goiás, acompanhado do prefeito Kelson Vilarinho (Cachoeira Alta) e do deputado federal Heuler Cruvinel (GO) para solicitar a reabertura dos dois frigoríficos nos municípios de Santa Fé do Sul (SP) e Cachoeira Alta (GO). Também acompanharam a audiência o superintendente-adjunto do Cade, Kenys Menezes e o procurador-federal Rodrigo Belon.

O fechamento deixou desempregadas cerca de mil pessoas (600 em Santa Fé do Sul, e 400 em Cachoeira Alta), em razão da decisão do Cade. Os dois estabelecimentos pertencem ao grupo JBS Brasil (Friboi).

O senador Wilder Morais discutiu a situação com o conselheiro do Cade, Gilvandro Vasconcelos, que se comprometeu em convocar um representante da presidência e o responsável pela área jurídica da JBS para buscar um acordo para a empresa cumprir os requisitos propostos pelo órgão de defesa do consumidor.

O senador Wilder Morais demonstrou, durante a reunião, que não está nem um pouco satisfeito com essa situação e quer uma solução rápida, que contemple os dois municípios e, especialmente, provoque a retomada dos empregos dos trabalhadores.

Segundo o prefeito Ademir, a reabertura da unidade só dependerá da empresa, pois o Cade já abriu as portas e disse aguardar o posicionamento oficialmente do JBS até segunda-feira. "Tivemos mais uma vitória nesta luta. Com a força política que mostramos, estamos caminhando para uma possível solução sobre o fechamento do frigorífico em Santa Fé. Agora depende deles. Estamos muito esperançosos. Agradeço o Fausto que foi determinante na articulação dessas audiências, também agradeço a câmara de vereadores e os deputados estaduais Carlão Pignatari e Itamar Borges pelo empenho na causa".

O vereador Marcelo Favaleça disse que o deputado Fausto Pinato teve um papel essencial nessa decisão, juntamente com prefeito Ademir e Câmara Municipal. "Tudo que poderia ser feito, foi feito. O Cade aceitou flexibilizar e atender os pedidos para a reabertura do frigorífico, agora só depende do JBS", concluiu.

Cade - O fechamento dos frigoríficos aconteceu por decisão do próprio Cade. "O papel do conselho é fundamental para assegurar o justo e livre mercado no País, no entanto, a decisão do órgão foi na contramão do desenvolvimento econômico, deixando centenas de trabalhadores desempregados em um momento de instabilidade generalizada", lamentou o senador Wilder.

O representante do Cade argumentou que a JBS teria descumprido acordo feito anteriormente, que seria favorável ao mercado e aos consumidores. Wilder, no entanto, argumentou durante a reunião que é preciso resolver esse problema o mais rápido possível e que seja apresentada uma solução entre a empresa e o Cade. O senador Wilder sugeriu que a reunião fosse realizada nesta quinta-feira, 9. (fontes: Diário da Manhã (Go) e ASCOM PM de Santa Fé do Sul)
Foto/dm/divulgação

 
 
 


Câmara homenageia Polícias Civil e Militar com Moção de Aplausos

Os vereadores à Câmara Municipal aprovaram por unanimidade, na primeira Sessão Ordinária do ano, a Moção de Aplausos nº 01/2017 às Polícias Civil e Militar de Jales.

A proposição foi feita devido à atuação das Polícias no combate à sequência de assaltos à mão armada que atingiu Jales, especialmente de dezembro de 2016 a janeiro de 2017. Durante o período, todos viveram momentos de tensão e, mesmo com a atuação dos agentes da segurança pública, que têm histórico de eficiência em nossa cidade, a população não está acostumada a tais ocorrências.

A atuação das Polícias foi de grande eficiência, resultou na prisão de diversos envolvidos nessa onda de assaltos e trouxe de volta a tranquilidade e segurança a toda a população.

"O Poder Legislativo de Jales rende aplausos às Polícias Civil e Militar, que por sempre prestarem um serviço eficiente na área de segurança pública à população jalesense, se fazem merecedora desse reconhecimento", diz o documento.

CCJ realiza primeira reunião do ano


A Comissão de Constituição, Justiça, Redação e Legislação Participativa (CCJ) realizou sua primeira reunião do ano, na última quinta-feira (9).

O presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal,
Vagner Selis (Pintinho) acompanhou a reunião da Comissão


 
O encontrou foi realizado na sala de reuniões "Vereador Jairo de Mattos Azevedo", da Câmara Municipal e teve a participação de todos os membros da comissão: os vereadores Vanderley Vieira dos Santos, presidente, Luiz Henrique Viotto, vice-presidente e Fábio Kazuto Matsumura, relator. O presidente da Casa, Vagner Selis, também esteve presente.

Os vereadores foram acompanhados pelo procurador jurídico do Poder Legislativo, Rodrigo Murad Vitoriano. Houve deliberação sobre 14 projetos, sendo 10 de autoria do Poder Executivo e quatro do Legislativo.

Foram emitidos pareceres favoráveis a seis projetos autorizam a abertura de Créditos Adicionais Especiais para diversos convênios do município: que dispõe sobre o reajuste dos servidores públicos municipais, Projeto de Lei que altera o Conselho Consultivo, Deliberativo e Fiscal do IMPSJ (Instituto Municipal de Previdência Social de Jales), além e outras matérias que seguem para a Ordem do Dia, para serem discutidas e votadas na Sessão Ordinária, a ser realizada na segunda-feira (13).

Referências consistentes

Dom Demétrio Valentini
Bispo Emérito da Diocese de Jales


A crise está intrigando. Por sua persistência e complexidade. Todos se dão conta que ela é mais ampla do que parecia.

Afirmava-se, de maneira equivocada, que ela se reduzia ao impasse em torno do governo federal, mais especificamente em torno da presidência da república. Se a análise era equivocada, do mesmo equívoco padeceu a solução encontrada.

Pois a crise continuou, e vai se agravando.

O que caracteriza esta crise é que ela encontrou as instituições também em crise. Estamos próximos de um colapso institucional.

Temos um governo que não inspira confiança. A Presidência da República manifesta evidente constrangimento diante da imagem que difunde e da perplexidade que revela, provocando um clima de reserva e de progressiva decepção.

As suspeitas em torno de numerosos senadores e deputados causam insegurança. Não temos nenhuma personalidade política que se imponha por sua autoridade moral ou pela firmeza de suas convicções.

Está na cara que o Congresso Nacional está contagiado de mediocridade, e carece de inspiração.

Se olhamos para o órgão maior do judiciário, a impressão é também de desconfiança e de insatisfação. O Supremo Tribunal Federal não passa a imagem de isenção e de imparcialidade. O Judiciário também está em crise.

Quando a tempestade é violenta e generalizada, mais necessário se torna identificar algumas âncoras seguras. Para enfrentar a crise, do tamanho que ela tiver, é indispensável termos referências claras e consistentes. Para perceber que nem tudo está a perigo, e que é possível administrar os desafios que a realidade apresenta.

Independente de qualquer solução que for tomada para enfrentar a crise, primeiro se faz necessário reencontrar referências orientadoras, que nos situem e nos mostrem a consistência dos caminhos a seguir.

Temos pela frente boas oportunidades para aprumar nossa postura diante de crise. Uma delas é a temática da Campanha da Fraternidade deste ano, que acena claramente para a importância da ecologia como referência sempre válida em nosso agir pessoal e coletivo. Mesmo com o tema complexo dos "biomas brasileiros", a CF nos anima a ter como critério a natureza, que carrega dentro de si mesma a sabedoria que nos ensina a encontrar os caminhos da vida.

Outra referência pode ser encontrada na proposta da quaresma, que cada ano se manifesta sempre válida. É o tempo propício para refletir sobre o sentido mais profundo de nossa vocação humana, que comporta também momentos de crise, que nos oferecem a possibilidade de ultrapassar limites que parecem insuperáveis.

Assim a crise pode ser vista, não como obstáculo, mas como oportunidade.
 

Ações contra dengue removem dez caminhões de criadouros do mosquito

Antes da visitação, a equipe foi orientada por Vanessa Tonholi, da Secretaria de Saúde



Dando continuidade aos trabalhos feitos em janeiro para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti que transmite doenças como dengue, zika e chikungunya, a Prefeitura de Jales, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realizou mais um mutirão do projeto "Todos juntos contra a dengue" no sábado, 4 de fevereiro.

Com o objetivo de eliminar possíveis criadouros, agentes comunitários de saúde, de prevenção às endemias, enfermeiros, educadores físicos e servidores da Secretaria de Obras e Serviços Públicos inspecionaram os bairros Zafani, Ipiranga, Cohab Arapuã, João Batista Colodeti, Alvorada, Jacb I e II e Residencial Nova Jales.

Segundo a profissional de informação, educação e comunicação da Saúde, Vanessa da Silva Tonholi, foram retirados em torno de 10 caminhões de materiais que podem se tornar criadouros do mosquito Aedes aegypti ou podem servir como habitat de escorpiões e demais insetos.

Mais visitas estão programadas para os dias 18 de fevereiro, 4 e 18 de março e 1 e 8 de abril, com os bairros ainda a definir.