Páginas

sábado, 17 de junho de 2017

Mobilidade urbana e segurança dos motociclistas são discutidas na Assembleia

 
A cada cem acidentes de trânsito, 85 acontecem com motociclistas recém-habilitados, o que torna a formação de condutores uma preocupação para o Estado. Os dados da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte foram apresentados nesta terça-feira (13/06) pelo secretário Irineu Grecco, na Frente Parlamentar em Defesa do Motociclista, na Assembleia Legislativa. "A secretaria trabalha para todos os segmentos, mas atualmente damos prioridade para os pedestres e os motociclistas, em razão do maior número de fatalidades. Entre pedestres e condutores foram 853 mortos em 2016", declarou Grecco.

A insegurança nas estradas paulistas e nas cabines de pedágio além da apreensão das motocicletas foram outras dificuldades apontadas pelos integrantes da Frente.

O capitão da Companhia de Polícia de Trânsito (CPTran), Paulo Oliveira, disse que apenas a falta de licenciamento e o pneu abaixo do TWI (indicador do desgaste da banda de rodagem) são justificáveis para a apreensão.

Estatísticas - Representantes de motoclubes protestaram sobre a falta de acesso às informações e estatísticas sobre os acidentes. Para Paulo Cesar Lodi, presidente da Federação dos Motoclubes, o maior desejo da categoria é deixar de ser apenas estatística para as autoridades.

O representante da Abraciclo (Associação dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), Wilson Yasuda, informou que a entidade faz parte do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa criado pelo Governo do Estado com o objetivo de reduzir as vítimas fatais nos acidentes. Por meio do site INFOSIGA SP é possível ter acesso ao banco de dados que reúne informações sobre acidentes, inclusive de motocicletas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário