Páginas

sábado, 8 de outubro de 2016

Alunos concluem cursos de qualificação profissional do FSS



 
Em cerimônia realizada na sexta-feira, 30 de setembro, o Fundo Social de Solidariedade de Jales entregou certificados aos alunos que concluíram cursos de qualificação profissional no segundo semestre de 2016.

Presentes ao evento, a presidente do Fundo Social, Lucia Helena Gomes Callado Moraes, o prefeito Pedro Manoel Callado Moraes e o Secretário de Assistência Social, Rogério Braz Avequi, fizeram a entrega dos certificados aos alunos dos cursos de assistente de cabeleireiro (Escola da Beleza), assentador de pisos e azulejos, pedreiro e encanador (Polo Regional da Escola da Construção Civil).

O objetivo dos programas é proporcionar às pessoas uma oportunidade de aprender uma profissão, oferecendo cursos gratuitos e de qualidade, ministrados em curto prazo, possibilitando a inclusão no mercado de trabalho.

"Esses cursos são elaborados com o objetivo de preparar bons profissionais. Qualificar-se é abrir novos caminhos. Parabéns a todos os que participaram dos cursos. Desejo sucesso nas profissões que escolheram", destacou Lúcia Callado.

O Fundo Social de Solidariedade abre todo ano diversas vagas em cursos de qualificação e oficinas gratuitas. As aulas são ministradas no próprio local, dando ao aluno todo suporte necessário, com estrutura adequada e excelentes professores. Quem quiser participar dos cursos oferecidos, pode deixar o nome na lista de interessados, na sede do fundo, na Rua 06, número 2338, no centro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3621.5364.

Alunos do Anglo e Cooper JalesObjetivo participam de Café Filosófico

 
 
 
 
 
(1) Alunos do Anglo Jales e Objetivo participaram do Café Filosófico (2) O psicólogo Alexander Fabiano Morishigue, a nutricionista Ellis Ângela Guedes, o hexa campeão paulista e penta campeão brasileiro de levantamento supino Herivan Ximenes, o médico cirurgião plástico Leonardo Assunção e a psicóloga Kelen Fedichina falaram sobre "Corpo: os limites entre a estética e a saúde" (3) Alunos do Anglo e integrantes do Grupo Bermuda Branca cantaram na abertura do evento (4) Willie Schio, idealizador do Café Filosófico com as coordenadoras e gestoras do Anglo de Jales e CooperJales Objetivo
 
"O que somos sem o nosso corpo? " É com essa frase que faremos uma reflexão do que foi abordado na 4.ª edição do Café Filosófico dos Colégios Anglo de Jales e Rui Barbosa CooperJales Objetivo, que abordou o tema "Corpo: os limites entre a Estética e a Saúde".
 









O debate realizado na Câmara Municipal de Jales no dia 29 de setembro contou com a presença do psicólogo e professor Alexander Fabiano Morishigue, psicólogo de orientação psicanalítica com especialidade em psicologia clínica e psicanálise, da nutricionista Ellis Ângela Guedes Moura, nutricionista da alimentação escolar do município de Jales, do professor de geografia Herivan Ximenes, hexa campeão paulista e penta campeão brasileiro de levantamento supino, tricampeão paulista e bicampeão brasileiro de levantamento terra e vice presidente da AFAF – Associação Fernandopolense de Atletas de Força, do cirurgião plástico Dr. Leonardo Assunção, cirurgião geral pelo Colégio Brasileiro e especialista em cirurgia plástica, além da professora e psicóloga Kelen Patrícia de Lima Fedichina, neuropsicóloga pela Unicamp e que atua no apoio Psicopedagógico do Colégio Anglo-Jales.

"Não é de hoje que vivenciamos em nosso dia a dia situações onde muitas pessoas estão cada vez mais insatisfeitas com sua aparência e seu corpo. Muitos preferem seguir os padrões ditados pela moda, pelos meios de comunicação de massa, ou seja, padrões impostos pela chamada "Ditadura da Beleza", disse o professor e idealizador do projeto, Willie Schio Barbosa

Visando a perfeição Estética e comprometendo a saúde, muitos fazem dietas malucas, desenvolvem distúrbios alimentares como a bulimia e a anorexia, esquecendo-se que antes da aparência vem a essência.

Na abertura do evento "Café Filosófico", os integrantes da Banda Bermuda Branca e também alunos do Colégio Anglo, Heitor Soler Santiago e Fábio Sartori tocaram e cantaram a música "Olhos Coloridos" de Sandra de Sá. Todas as apresentações e palestras foram vistas pela gestora do Anglo, Élida Maria Barison da Silva e do Objetivo, Marisa Aparecida Barison Utiyama.

Em seguida, cada palestrante realizou sua abordagem sobre o tema, onde passado a fala introdutória, os jovens estudantes formularam perguntas a respeito do tema.

Houve uma excelente interação entre eles, o que, sem dúvida, proporcionou-lhes crescimento significativo e crítico.

Os alunos Guilherme Camin, Ana Laís e Brenna Fiorilli (CooperJales Objetivo) além de Amanda Matos Ceciliano e Maria Eduarda Buscain (Colégio XV de Abril - ANGLO Jales) presentearam cada um dos debatedores.

Ao término mais uma vez os integrantes da Banda Bermuda Branca encerraram o evento tocando e cantando a música "Pra minha mina", do Grupo Bom Gosto.

Ética e Justiça

Flávio Rodrigo Masson Carvalho
Professor do UNIBAVE – Orleans - SC

 
A ética trata do comportamento do homem, da relação entre sua vontade e a obrigação de seguir uma norma, do que é o bem e de onde vem o mal, do que é certo e errado, da liberdade e da necessidade de respeitar o próximo.
Ética: Valores que definem o que: quero – posso – devo.

Porque nem tudo que eu quero eu posso, nem tudo que eu posso devo e nem tudo que eu devo eu quero!
Instrumento fundamental para a instauração de um viver em conjunto.
A ética é a base para a construção do mundo político. Condição necessária para a sobrevivência da espécie humana.
A ética é a teoria acerca do comportamento moral dos homens em sociedade, ou seja, ela trata dos fundamentos e da natureza das nossas atitudes normativas.

A ética revela que:
Nossas ações tem efeitos sobre a sociedade;
Cada homem deve ser livre e responsável por suas atitudes
A justiça é a principal das virtudes;
Nossos valores têm uma origem histórica;
Cada moral é filha do seu tempo;
Devemos adequar nossas vontades às obrigações sociais.

Questão central da ética:
Como devo agir em relação aos outros?
A justiça é a base institucional da coesão social. Condição de possibilidade à conquista da paz.
O termo justiça, de maneira simples, diz respeito à igualdade de todos os cidadãos.
É o princípio básico de um acordo que objetiva manter a ordem social através da preservação dos direitos em sua forma legal (constitucionalidade das leis) ou na sua aplicação a casos específicos (litígio).
A prática do bem e da justiça envolve: Respeito às leis e Intenção individual de cada Sujeito (autonomia).
Enfim, a Justiça é meta distante e futura advinda das lutas sociais, na interpretação alternativa que faz-se necessária, que alguns juristas chamam de uso alternativo do Direito.
Concluímos que a justiça depende da ética para se concretizar.

Sem ética não há justiça.


Santa Casa de Jales deve receber em 2017 mais de R$ 1,5 milhão em emendas

 
O Diário Oficial de São Paulo publicou no dia 13 de setembro a assinatura de R$ R$ 1.528.600,00 em emendas parlamentares para a Santa Casa de Jales, de diversos deputados, entre eles o deputado Edinho Araújo (PMDB), eleito prefeito de São José do Rio Preto e senadores. Os pedidos foram solicitados desde outubro do ano passado em Brasília, ainda na gestão do ex-provedor, José Pedro Venturini, sendo reafirmada pela gerente de Captação de Recursos, Luciana Vicente, no início deste ano.

"As assinaturas desses convênios são uma garantia para a instituição, por bem, dependemos muito do governo federal para liberar o dinheiro, esse é um passo importante para que seja liberado no próximo ano", destacou Luciana.

Esse montante será destinado à aquisição de equipamentos, materiais permanentes e produtos médicos de uso único.

Já pensando nas indicações para 2017, a gerente de Captação esteve em Brasília entre os dias 12 e 16 de setembro solicitando novas emendas aos deputados federais do estado de São Paulo, cerca de 70 parlamentares receberam em mãos ofícios do hospital.

Para complementar o percurso em Brasília, os senadores Aloysio Nunes Ferreira, José Aníbal e Marta Suplicy, também receberam documentos sobre a instituição, e ainda Luciana Vicente teve a oportunidade de participar de uma audiência com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros para tratar dos novos pedidos.

"Esse trâmite deve ocorrer com antecedência para que os deputados disponham de parte do orçamento para a Santa Casa de Jales, desse modo, o contato com os parlamentares é mantido e sempre que possível reafirmado pela gerente de captação, juntamente com a provedoria", relatou o provedor em exercício, Junior Ferreira.

Unidade III Jales do HCB abre mês com lançamento da Campanha Outubro Rosa










 O Hospital de Câncer de Barretos – Unidade III Jales realizou uma manhã especial como o lançamento da Campanha Outubro Rosa neste de outubro.

No inicio da manhã as pacientes puderam contar com um stand de maquiagem, uma parceria do Hospital com as maquiadoras Andrea Modesto e Joyce Mantelato, que voluntariamente maquiaram várias pacientes, tornando o dia delas mais alegre e mais cheio de autoestima.

"Nós temos que cuidar do corpo da paciente, o tratamento da doença em si, mas também temos que cuidar da alma, porque faz toda a diferença na hora do tratamento. Fazer com que elas se cuidem, tenham mais vontade de enfrentar a doença, e quem sabe um dia conseguir a cura e tocar a vida em frente é o maior objetivo.", disse Andrea.

A dupla, Bruno e Ed Carlos e o empresário Pacheco (Violada 5 Estrela) também fizeram questão de cantar para as pacientes, e relembraram hits antigos da música sertaneja, emocionando a todos que estavam presentes.

Alguns voluntários da AVCC estiveram participando também do lançamento da campanha, distribuindo pipoca para pacientes, acompanhantes e colaboradores.

Outubro Rosa – Lembrando que a campanha Outubro Rosa, que acontece todo ano, tem como objetivo conscientizar a prevenção do Câncer de Mama, por meio do exame de mamografia, que pode ser feito em mulheres entre 40 e 69 anos. Com uma doação no valor de R$ 20 reais, você adquire uma linda camiseta da campanha #Unidospelaprevenção, disponível na Captação de Recursos na Unidade do Hospital de Câncer em Jales.

Cursos de Educação Física e Licenciaturas da Unijales realizam Semanas Acadêmicas


 "Mexa-se" e "Meios de Comunicação e Cidadania: mídia e formação dos códigos sociais" foram temas das Semanas Acadêmicas dos cursos de Educação Física e Licenciaturas da Unijales.

Durante uma semana, a Jornada de Educação Física, organizada pela professora Viviane kawano Dias, e a Semana Acadêmica dos cursos de Artes Visuais, Ciências Biológicas, Geografia, História, Letras e Matemática movimentaram a Unijales com palestras, apresentações culturais, aulas práticas, mesa redonda, minicursos e confraternização.

Toda a programação das semanas acadêmicas foi realizada entre os dias 26 e 30 de setembro, no Ginásio Poliesportivo da Unijales e na Casa do Poeta.

Na Jornada de Educação Física, temas como "Nutrição Esportiva Funcional" e "Muda Tai: aspectos técnicos e educacionais" foram apresentados aos alunos e professores do curso. Os discentes das Licenciaturas puderam conhecer mais sobre os temas "Mídia e Cidadania", com o palestrante Luiz Carlos Barros, ex-delegado seccional de Jales e regional de Araçatuba e produtor de palestras, seminários e simpósios aos segmentos sociais da atualidade e "Imprensa escrita, redes sociais e papel na atualidade".

As semanas acadêmicas da Unijales tem como objetivo enriquecer o conhecimento dos alunos e colocar em prática todo o conteúdo que é visto em sala de aula.

Editais de Proclamas de Casamento

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interina do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

ADELINO DA SILVA BERTO e JUSLEI RIBEIRO BUSTOS. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 23 de outubro de 1.986, engenheiro civil, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Delamar Berto e de Clarinda da Silva Berto. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 17 de abril de 1.987, funcionária pública estadual, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Luiz Carlos Bustos e de Rute Placido Ribeiro Bustos.

WESLEY VILAS BÔAS NOGUEIRA e KARINA SANTOS ROSSAFA. ELE, natural de Suzano, deste Estado, nascido aos 20 de dezembro de 1.996, empresário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Vagner Alves Nogueira e de Alessandra Vilas Bôas Nogueira. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 19 de setembro de 1.995, estudante, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Angelo Rossafa Rodrigues e de Marlene Moura Santos Rossafa.

SAMUEL CRUZ DA SILVA e ANA PAULA FREITAS DE QUEIROZ. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 23 de abril de 1.992, mecânico, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Edevaldo Cruz da Silva e de Querobina Gomes da Silva. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 15 de abril de 1.995, do lar, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Devair de Queiroz e de Rosa Maria de Freitas.

HORIVAL MARQUES DE FREITAS JUNIOR e RENATA FRANÇA CEVIDANES. ELE, natural de São José do Rio Preto, deste Estado, nascido aos 16 de junho de 1.985, promotor de justiça, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Horival Marques de Freitas e de Aparecida de Fatima Gonçalves de Freitas. ELA, natural de Goiânia, Estado de Goiás, nascida aos 26 de março de 1.986, promotora de justiça, solteira, residente e domiciliada em São José do Rio Preto, deste Estado, filha de Jaider Cevidanes Júnior e de Deborah Maria de Lima França Cevidanes. Cópia para se afixada no Oficial de Registro Civil do 3º Subdistrito de São José do Rio Preto – SP, onde reside a contraente.

FÁBIO CARLOS FRIOZI e ROBERTA FONSECA JORDELINO. ELE, natural de Dirce Reis, deste Estado, nascido aos 06 de agosto de 1.983, viticultor, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Arvelino Friozi e de Lucia de Fatima Araujo Friozi. ELA, natural de São Paulo, deste Estado, nascida aos 26 de março de 1.981, auxiliar de escrita fiscal, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Wilson Espinoza Jordelino e de Cleide Elisabete da Fonseca Jordelino.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA- O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.


Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina

Pesquisa da Fatec Jales mostra o consumidor com o “pé no chão”



De acordo com a matéria publicada na edição anterior, a Fatec Jales realizou uma pesquisa sobre a economia local e coletou diversas informações relacionadas à percepção dos consumidores quanto à crise econômica e aos seus impactos nas decisões de compra.

Os entrevistados são de diversas faixas etárias, de ambos os sexos, em sua maioria casados e com filhos, com moradia própria, renda individual entre 1 e 3 salários mínimos, ocupações profissionais diversas e, do total, 10% não têm emprego fixo no momento.
Os fatos detectados que comprovam o título deste artigo são que 56% dos entrevistados fazem suas compras apenas eventualmente e têm como prioridade para a utilização do seu 13º salário o pagamento de dívidas já contraídas, ou seja, estão com o "pé no chão", tomando as ações necessárias para o controle financeiro familiar. Apesar de os consumidores deixarem claro que a crise econômica afetou as suas decisões de compra, como estamos próximos ao final de ano, a tendência é que tenhamos um aumento nas vendas. Isso mostra a importância de o empresário adotar mecanismos que realmente possam agradar aos consumidores para atrair a sua atenção.

A pesquisa abordou ainda itens considerados importantes pelos consumidores durante o processo de compra, sendo os mais valorizados a qualidade, com 33%, e o preço, também com 33% dos entrevistados. Outros aspectos tiveram participações menos relevantes, como mostra o gráfico.

Outro ponto identificado foi quanto ao valor médio gasto no comércio: 25% afirmaram que gastam entre R$ 50,00 e R$ 100,00, outros 25% entre R$ 101,00 e R$ 200,00 e 22% entre R$ 201,00 e R$ 300,00. Outros valores, menos expressivos, também são apresentados no gráfico.

Os coordenadores da pesquisa, professores Rogério Ribeiro, Marinalva Boldrin e Vitor Boldrin, bem como os alunos, membros da Fatec Júnior, informaram que a equipe da Fatec Jales realizará a pesquisa referente ao mês de outubro neste sábado, dia 08 de outubro. Aguardem, no próximo final de semana novos números serão apresentados.

Conselheiro do TCESP opina por voto desfavorável às contas do exercício de 2014 da ex-prefeita Nice

Foi publicado nesta quarta-feira, 5 de outubro, no Diário Oficial do Estado de São Paulo, o relatóro voto/parecer do conselheiro relator Edgard Camargo Rodrigues, assinado em 13 de setembro, acompanhando as manifestações do Ministério Público e da Secretaria Diretoria Geral (SDG) consoante disposição dos artigo 2°, inciso II da Lei Complementar n° 70/93 pela emissão do parecer desfavorável às contas da então prefeita Eunice Mistilides (foto)  referente ao exercício de 2014. O relátorio tem 35 páginas. Nice Mistilides exerceu o cargo de prefeita do Município de Jales de 1º de janeiro de 2013 a 17 de fevereiro de 2015.

Segundo expõe o relatório em relação ao aspecto econômico-financeiro da administração da prefeita Nice, o setor especializado da Assessoria Técnica do TCESP considerou satisfatórias as justificativas apresentadas pela defesa no tocante ao pagamento dos precatórios, na medida em que foram observada a regra estabelecida na Emenda Constitucional nº 62/09, manifestando-se pela emissão de parecer favorável. Igualmente, a Assessoria Técnica Jurídica opinou pela emissão de parecer favorável às contas da ex-prefeita, relativas ao exercício de 2014. Por outro lado, o Ministério Público assinala que o extenso e detalhado trabalho produzido pela Fiscalização do TCESP expôs "uma série de ilicitudes e de irregularidades, as quais, valoradas em seu conjunto, indicam um cenário de falência do sistema de controle interno da Prefeitura, fato que, no entender daquele Órgão, concorre para um grave e consistente risco de dano ao erário, além de revelar claro descumprimento do dever de boa gestão".

A Secretaria Diretoria Geral (SDG) do TCESP, alega que, embora boa parcela dos limitadores constitucionais e legais tenha sido atendida pela administração municipal, a exemplo das aplicações no ensino e na saúde e algumas questões mereçam advertências, manifestou-se pela emissão de parecer desfavorável ante as impropriedades tocantes aos encargos.

O relator determinou a abertura de autos apartados para análise das falhas destacadas nas depesas de viagens sob regime de adiantamento; gastos com publicidade (o TCESP aponta a falta de apresentação da documentação comprobatória (R$ 170.975,21), para o exame da execução contratual, tais como publicações em revistas, matérias jornalísticas e etc) e autos próprios para exame da Inexigibilidade de Licitação n° 01/2014 e Contrato n° 89/2914.

Pintinho ultrapassa mil votos e é 9º mais votado na história do legislativo jalesense

 
Apesar de nunca ter disputado uma eleição a nível municipal, o candidato Vagner Sellis, o popular Pintinho, do PRB, foi eleito vereador no pleito de domingo 2 de outubro, para uma cadeira à Câmara Municipal de Jales.

Pintinho foi o candidato que contou com apoio de uma legião de amigos que se empenharam voluntariamente como "cabos eleitorais" na caça ao voto em prol de seu nome.

Com 1.198 votos é mais um candidato a vereador a ultrapassar a barreira dos mil votos e a entrar nos anais do Legislativo jalesense como o nono candidato a vereador mais votado.

No quadro abaixo, os nomes dos vereadores que conquistaram nas urnas mais de mil votos. O primeiro foi o médico pediatra Antonio Figueira Filho (PMDB) quando em 1982 atingiu a marca de 1.008 votos e sucessivamente a cada eleição, um ou mais candidatos atingiam a marca do milésimo voto. Logo após conclamado o resultado das urnas pela Justiça Eleitoral, Pintinho postou na rede social um agradecimento àqueles que nele confiaram o voto e disse como pretende atuar como vereador:-

"Hoje meu sonho, virou realidade! Na minha humilde percepção, não contava com a disparada numeração de 1.198 votos. Nessas horas percebemos que basta crer para vencer. Não devo favores a ninguém, apenas gratidão aos amigos , família e população jalesense.

Estou aqui para cumprir com meu dever de vereador- representando todos meus eleitores- e de cidadão.

Admiro muito o psicanalista, educador, teólogo e escritor Rubem Alves em um de seus dizeres ele afirmava "não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses". Essa borboleta é Jales, juntos sairemos do casulo e a transformaremos.

Estou muito emocionado e me sinto ainda mais honrado em fazer parte da história da minha cidade! Só tenho a dizer um MUITO OBRIGADO a todos!"

Votação de todos os candidatos a vereadores no município de Jales













FOLHAGERAL

Em Jales,


no pleito municipal de 2012 – em que Nice foi eleita – a abstenção foi 19,59%, os votos nulos 5,27% e os votos brancos 3,47%. A soma de 9.906 eleitores (26,62% do eleitorado) não compareceu às urnas ou compareceu mas não registrou votos válidos.

Neste pleito



de 2016 em Jales, o desinteresse e a desaprovação dos eleitores foram maiores. A abstenção foi 24,15%, os votos nulos 18,92% e os votos brancos 13,59%. A soma de 18.389 eleitores (48,81% do eleitorado) se recusou a comparecer às urnas ou registrar votos válidos. De 2012 para 2016, o percentual desses eleitores pulou de 26,62% para 48,81%.

Os analistas



políticos lá do botequim da vila continuam refletindo. Dizem que, apesar dos índices altos de desinteresse e desaprovação do povo – quanto à situação política em Jales –, os eleitores que compareceram às urnas registraram, em maioria, votos válidos para prefeito e vereadores. Isso diminuiu a inquietação dos políticos locais, mas que não se enganem. O povo costuma andar sempre para frente e nunca voltar atrás. Entenderam?

Deve ser


boataria, como sempre acontece após eleições. Por aqui já se comenta, nem diplomados ainda foram os candidatos a vereador, que um dos eleitos pode ser convidado para assumir uma secretaria municipal. Se for verdade, Rivail Rodrigues Júnior (PSB), que ficou nas eleições como primeiro suplente, vai continuar no Legislativo.
Os vereadores


eleitos prometem cumprir bem os seus mandatos. Segundo um deles, com um bom trabalho político e administrativo, o Legislativo vai ter visibilidade positiva junto à população. Para ele, na atual circunstância, a Prefeitura está endividada e tem a máquina administrativa defasada. "Nada se poderá fazer sem ordem do Gabinete; é melhor ficar no Legislativo, onde se terá maior independência".
A bela votação


(de 699 votos) que garantiu a sétima colocação na disputa por uma das dez cadeiras do Poder Legislativo de Jales – ao candidato Chico Cartorário (PMDB)–, para um profícuo trabalho que se espera, aconteceu graças à dedicação de duas pessoas ilustres da cidade. Marynilda Cavenaghi e seu esposo Sérgio Nacca, ambos do PMDB, arregaçaram as mangas como cabos eleitorais do Chico Cartorário. Agora, compensam com alegria a decepção eleitoral de 2012, quando Marynilda não se elegeu com 829 votos. A participação espontânea das pessoas nesta eleição foi algo extraordinário.
Os moradores


dos imóveis da Rua São Paulo, no Bairro IV Centenário, em Jales, aguardam com grande ansiedade por 20 anos o recape daquela via. Nesse período, ela foi reparada apenas num trecho de 40 metros, que também está cheio de buracos.
Havia esperança


de que o recape da Rua São Paulo fosse executado na gestão do prefeito Pedro Callado (PSDB), que havia previsto o serviço até fins de 2015. Após o anúncio do empréstimo de R$ 4,5 milhões, os moradores dos imóveis ficaram eufóricos. Mas tudo indica que as petições deverão ser transferidas ao futuro gestor Flá Prandi (DEM).
A coligação


partidária tem causado tormento a candidatos ao Poder Legislativo. Em Urânia, no pleito de domingo (dia 2), o candidato Marcos Vituri (PDT) (foto) foi penalizado por essa malfadada invenção eleitoral. Ele obteve 456 votos nas urnas e assim foi o segundo candidato mais votado entre os 45 concorrentes. Seu partido obteve 543 votos, ficando abaixo do tal quociente eleitoral (QE) que alcançou 557 votos. Não foi eleito. Ainda bem que esta aberração eleitoral tende a acabar.
Em Urânia,


apesar das pesquisas favoráveis antes do pleito, o vereador e candidato a prefeito Odair Bezerra Dias "Fião" (PPS) – muito admirado por seus trabalhos sociais na comunidade – sucumbiu diante do concorrente Márcio Arjol Domingues (PSDB). A partir de 01 de janeiro, a expectativa fica no trabalho do novo prefeito.
Em Vitória Brasil,


correligionários da prefeita reeleita Ana Lúcia Olhier Módulo (PSDB) diziam, antes do pleito, que sua vitória seria de goleada. Diziam, no mínimo 3 x 1. Mas a disputa foi difícil e por pouco Paulinho Mioto (PTB) não levou. Uma diferença de apenas 17 votos. Para uns tantos de lá, Ana Lúcia só ganhou graças ao coligado PMDB.
Nas vinte e seis (26)


capitais brasileiras, o Primeiro Turno das Eleições 2016 a prefeitos definiu 8 candidatos mais votados (que foram eleitos no primeiro turno) e 18 candidatos mais votados (que irão disputar o segundo turno com boas chances de serem eleitos). O desempenho dos partidos (em número de candidatos mais votados) foi o seguinte: PSDB (8); PMDB (4); PDT (3); PSB (2); PSD (2); DEM (1); PC do B (1); PMN (1); PPS (1); PRB (1); PT (1); REDE (1).
Esses resultados


das capitais brasileiras – mostrando que a votação a prefeitos das 26 cidades ficou dividida entre 12 partidos – indicam que os eleitores deram mais importância aos candidatos do que aos partidos. Indicam também que os partidos PSDB e PMDB saíram mais fortalecidos. E o PT ficou entre os partidos nanicos.
Nas quinze (15)


cidades-sede das Regiões Administrativas do Estado de São Paulo (como São Paulo, Campinas, Sorocaba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e outras), o desempenho dos partidos (em número de candidatos mais votados a prefeitos) foi este: PSDB (9); PMDB (1); DEM (1); PSB (1); PSD (1); PT (1); PTB (1). Fácil ver que o PSDB ganhou de lavada.
Nas oito (8)


cidades-sede das Microrregiões pertencentes à Região de São José do Rio Preto, os resultados eleitorais do primeiro turno a prefeitos revelaram as cidades com seus partidos mais votados: Fernandópolis e Jales (DEM); Nhandeara e Votuporanga (SD = Solidariedade); Auriflama (PSDB); Catanduva (PSB); Novo Horizonte (PPS); São José do Rio Preto (PMDB). As 8 cidades se dividiram em 6 partidos. Não houve partido forte.
De acordo com


dados oficiais do TSE, o Partido dos Trabalhadores cresceu 244% na conquista de prefeituras em quatro eleições municipais seguidas: em 2000 (187 prefeituras); em 2004 (411 prefeituras); em 2008 (558 prefeituras); em 2012 (644 prefeituras). Neste ano de 2016, na melhor hipótese, vai conquistar 263 prefeituras. Uma baita queda de 59%.
Em São Paulo (SP),
capital com 12 milhões de habitantes e PIB de R$ 570 bilhões, o povo elegeu a prefeito – no primeiro turno, com 53,29% dos votos válidos – um empresário com o discurso "Não sou político, sou um gestor". Mas há números que assustam. Dos 8.886.195 eleitores aptos a votar, 1.940.454 eleitores se abstiveram de comparecer às eleições. A soma das abstenções (1.940.454) com os votos nulos (788.379) e com os votos brancos (367.471), totalizando 3.096.304 intenções de voto negadas, foi maior que os 3.085.187 votos recebidos pelo candidato vencedor do pleito em primeiro turno. Este é o Brasil em 2016.

Palavras de Chico Xavier


Façamos uma campanha contra a violência, a começar de nós mesmos. Tenhamos mais paciência dentro de casa, no trânsito, no trato com os familiares... Uma palavra pronunciada em tom um pouco mais alto desencadeia vibrações que se propagam... Conversemos sem alterar a voz. Não aposentemos o sorriso... Vivamos descontraídos, apreciando a beleza em torno de nós. Os homens se armam, porque os espíritos dos homens andam armados... Ninguém pode nos fazer uma contrariedade, que queremos partir para o revide.

Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da
"Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.


Equilíbrio

Reginaldo Villazón

Repetidamente, o público toma conhecimento de irregularidades trabalhistas praticadas por grandes empresas contra seus funcionários. Empresas bem conhecidas e avançadas – bancos, operadoras de telefonia, indústrias eletrônicas e outras – são autuadas por fiscais trabalhistas por cometerem ações nocivas à qualidade de vida, à saúde e à segurança dos seus funcionários. Tudo é justificado pela busca da produtividade e da competitividade, virtudes valorizadas pela chamada economia de mercado.

São ações institucionais sistemáticas. Manter um nível estressante de competição entre funcionários e equipes, impedir ou limitar pausas de descanso após trabalhos desgastantes, controlar o uso dos banheiros. Repreensões e punições abusivas. Indução a pedidos de demissão pelos funcionários e demissões arbitrárias. Para piorar, especialistas em carreiras profissionais alertam que os empregos tradicionais – nos quais havia comprometimento entre empresas e funcionários – não existem mais.

Aparentemente, o cenário é horrível aos trabalhadores. Eles agora precisam investir tempo e dinheiro em qualificação, ser ágeis nas tarefas e focados nos resultados. Para, enfim, ser explorados por empresas que descumprem leis e princípios éticos. Mas este contexto é passageiro, fruto de uma revolução em curso. A economia capitalista venceu a economia comunista, mas agora ela mesma (capitalista) está mal das pernas. É urgente que as empresas capitalistas assumam inovações radicais.

Todos nós sabemos. Já existem empresas que permitem horários de trabalho flexíveis. Liberam o uso de bermudas e a companhia de animal de estimação em certos dias da semana. Recomendam pausas de descanso em salas especiais confortáveis. Estimulam o uso da criatividade em favor do rendimento do trabalho. Remuneram seus funcionários de forma honesta. Sem dúvida, estas empresas não colocam o capital – de modo absoluto – no centro das decisões. Este é um fator essencial de sucesso.

Um fato interessante. Estes novos tempos têm favorecido as cooperativas, em especial pelo seu modelo de gestão democrática. No mundo, em 147 países, elas envolvem 1 bilhão de pessoas em suas atividades. No Brasil, 6.500 cooperativas envolvem 50 milhões de pessoas. Aqui, destacam-se as cooperativas agrícolas, de trabalho, de crédito, de transporte, de saúde e de educação. E não faltam novidades. Este ano, entrou em operação no país a primeira cooperativa de energia renovável.

No Estado do Pará, município de Paragominas, 23 pessoas formaram uma cooperativa e investiram R$ 600 mil na instalação de uma micro-usina de energia solar equipada com 288 placas fotovoltaicas, com capacidade de produzir 11.550 KWh por mês de energia limpa. Tudo foi realizado de acordo com as normas legais e técnicas vigentes, com margens para ampliações. Um bom exemplo de equilíbrio entre modernidade, eficiência, aplicação de capital, interesse social e responsabilidade ambiental.

Não custa nada

José Renato Nalini, Secretário estadual de Educação

O ambiente pede socorro porque a crueldade é a regra. Em grande escala e também nos mínimos gestos de quem, ao passar por uma rua, arranca um galho de árvore sem se dar conta da agressão. Ou de quem continua a caminhar com seus cachorros e transformando vias públicas em banheiro pet. Como a de quem arremessa bitucas de cigarro, papeis e tudo o que parece não mais servir, para entupir os bueiros das cidades cada vez mais sujas, pichadas e abandonadas.

Mas há coisas que podem ser feitas que poderiam mudar o panorama. Estamos iniciando a primavera. As cidades ainda têm árvores com sementes que não são recolhidas e caem ao chão, destinando-se à absorção natural, sem que se cumpra a sua vocação de germinar. Por que não estimular as pessoas à recolha dessas sementes e transformá-las em mudas para o replantio? Isso poderia ser feito pelas escolas, por orientação de um professor de biologia, que ensinaria seus alunos com evidente vinculação com a realidade, se eles fossem estimulados a colher sementes, semeá-las, ver a germinação, acompanhar o crescimento e depois destiná-las a tornar as cidades menos desumanas. Formar viveiros é alguma coisa que custa pouco. Para isso existem embalagens do leite e dos sucos, as garrafas pet e tudo aquilo que vai engrossar o enorme volume dos resíduos sólidos que a sociedade produz de forma crescente e acelerada.

Formar canteiros em escolas, formar pomares, pequenos bosques dentro da escola ou nas imediações, tudo isso tornaria o zelo em relação ao ambiente muito mais do que um comando legal, mas uma prática bem-sucedida. Com a vantagem de que jovens acostumados a respeitar o ambiente com certeza também respeitariam o próximo, os bens públicos e privados e cresceriam com outra noção do que venha a ser civilidade. Nada custa despertar a criança e o jovem para a educação ambiental, com foco na ética ecológica, postura própria a uma verdadeira civilização em pleno curso ascensional.

Direito da juventude ao trabalho e à vida digna

Dom Reginaldo Andrietta, Bispo Diocesano de Jales

 
No mundo de hoje, tudo se torna rapidamente descartável, inclusive os seres humanos. Uma grande parte da humanidade está excluída da possibilidade de viver com dignidade. É estarrecedor saber que milhões de jovens de todo o mundo amargam a experiência de se sentirem descartados. A juventude quer viver, mas encontra muitos obstáculos, entre os quais a falta de oportunidades para trabalhar ou o trabalho em condições precárias.

Muitos jovens se defendem como podem na economia informal, criando seus próprios trabalhos ou aceitando qualquer tipo de emprego, sem contrato e proteção social. Vivem na insegurança total. Não têm acesso fácil à educação técnica profissionalizante, menos ainda de nível superior. Poucos conseguem contrato de aprendizagem. Sem experiência, não são facilmente empregados.

Muitos sofrem discriminações por serem jovens, mulheres, negros e imigrantes ou por suas orientações afetivas. Trabalhadores e trabalhadoras de muitas categorias, sobretudo das que são pouco fiscalizadas por órgãos públicos e sindicatos, sofrem abusos de todo tipo. Essas condições tendem a piorar com a crescente flexibilização das leis de trabalho e as consequentes perdas de direitos adquiridos ao longo de tantos anos de luta.

Essas situações foram amplamente tratadas no Conselho Mundial da Juventude Operária Cristã Internacional (JOCI), no final de setembro deste ano, na Alemanha, por jovens trabalhadores e trabalhadoras de 20 países de todos os continentes, que compartilharam experiências de vida, analisaram a realidade da juventude trabalhadora no mundo de hoje e interpretaram suas causas, concluindo que existe uma crise sistêmica.

A crise econômica mundial chama a atenção. Constata-se, no entanto, que a crise é estrutural. O sistema capitalista que impera no mundo é intrinsecamente incoerente. Produz riqueza e pobreza. Sua lógica de concorrência econômica e concentração de capital está associada à exploração da força de trabalho e ao descarte de quem não é considerado capaz e útil. É um sistema perverso. Segundo o Papa Francisco, é um sistema "intolerável".

O Papa, em sua Encíclica Laudato Si, o caracteriza como "um sistema mundial, no qual predominam a especulação e o princípio de maximização do lucro, e uma busca de rentabilidade financeira que tende a ignorar todo o contexto e os efeitos sobre a dignidade humana e o meio ambiente. Assim, se manifesta a íntima relação entre degradação ambiental e degradação humana e ética". Em sua lógica destrutiva, tudo se reduz ao mercado e ao "cálculo financeiro de custos e benefícios".

Compreende-se, portanto, a importância dada pelo Papa ao Conselho Mundial da JOC Internacional, que analisou essa problemática e buscou soluções, dirigindo-lhe uma carta desejando "que esses dias de amizade, estudo e compromisso compartilhado, favoreçam a consciência da dignidade de cada pessoa, o valor do trabalho humano e a necessidade de respostas comuns e acertadas frente aos desafios enfrentados pelos jovens, particularmente, jovens trabalhadores".

Em Urânia, Márcio Arjol ganha do favorito Fião

 
Apesar das pesquisas divulgadas durante a campanha eleitoral apontarem um favoritismo do vereador Odair Bezerra Dias (Fião), do PPS, ao cargo de prefeito em Urânia, nas urnas quem levou a melhor foi tucano Marcio Arjol Domingues (foto) apoiado pela coligação "Renovação Já" que obteve 50.86% ou 2702 votos dos válidos. Fião teve seu nome sufragado nas urnas por 2.253 eleitores ou 42,41% dos votos válidos. 

Em Urânia compareceram às urnas 5.640 (84.56%) de um colégio de 6.646 eleitores e se abstiveram 1.006 (15.14%) e votaram branco 133 (2.23%) e nulos 194 (3.44%). O candidato Jacinto Nunes Dourado (PDT) obteve nas urnas 358 votos

Em entrevista às emissoras de rádio logo após a confirmação de sua vitória, Marcio Arjol enfatizou que fará o possível para atender os anseíos da população e que estará priorizando sempre as propostas do povo.

É vice-prefeito eleito o vereador João Jovino Batista (João Pega Lebre).