Páginas

sábado, 6 de agosto de 2016

Uma história emocionante de superação, amor e solidariedade ao ser humano

Cidinha Iglesias: "Hoje não é mais assim e é para isso que estamos lá".



A história da ex-diretora de escola e atual presidente da Associação Voluntária de Combate ao Câncer (AVCC), Maria Aparecida Iglesias de Freitas, de 60 anos, mais conhecida como Cidinha, é daquelas que inspira qualquer um a levantar a cabeça e seguir em frente quando surge um problema.

Em 1992, após fazer exames de prevenção, ela descobriu que estava com um tumor em uma das mamas. "Na época, o Hospital de Câncer de Barretos já era referência no tratamento da doença. Fiz tudo na unidade da rua 20 [onde hoje funciona o Hospital São Judas Tadeu, unidade de cuidados paliativos e atenção ao idoso], no centro da cidade", contou.

Porém, 12 anos mais tarde, Cidinha recebeu a notícia mais temida pelos pacientes: o câncer havia voltado. "Voltei para o Hospital, agora na nova unidade adulta para a quimioterapia e resolvi fazer aulas de Yoga como ajuda psicológica. Uma amiga apareceu com a ideia de organizar um grupo de apoio para as mulheres que passam pelo tratamento da doença", disse.

Em 2005, nascia a AVCC de Jales (SP), com o objetivo de tirar o foco da doença da mente dos pacientes e cuidar do próximo para que o tratamento acontecesse da melhor forma possível. Mas oito anos depois, ela teve uma nova reincidência da doença e recebeu os cuidados necessários na unidade do Hospital no município.

"A AVCC veio para acolher a todos. Temos um centro de reabilitação para tratar linfedemas e auxiliamos as pacientes com sequelas e em tratamento. Muitas hoje são voluntárias da associação. Em 92, o câncer era estigmatizado. Hoje não é mais assim e é para isso que estamos lá. Somos uma equipe preparada para ajudar e aconselhar quem precisa", afirmou a atual presidente da entidade. (por Dara Freitas)

Nilton Pavan Parabéns, 75 anos

 
O esportista jalesense atualmente com residência na Fazenda Paraíso da Serra, em Mirassol d`Oeste (MT), Nilton Mário Pavan Alves, apagará as 75 velinhas neste domingo, 7 de agosto. Pavan prestou relevantes serviços ao esporte e à cidade de Jales.
Querido como é, vai receber ao longo deste dia 7, muitas felicitações dos familiares e de muitos amigos de Jales e de Mirassol d´Oeste.
A comemoração especial dar-se-á com um churrasco preparado pelos netos Fernando, Marços e Paulo Marcondes Neto.
Parabéns ao amigo Nilton Mário Pavam Alves.


Peça “Além da vida” será encenada no Teatro Municipal de Jales

Ingresso: R$ 20 (meia) até 11/08. R$ 40 no dia do evento. Local de venda: Banca do Edu
Parte da renda será destinada à AVCC - Jales
 
 
A peça de Teatro "Além da vida", de Chico Xavier e Divaldo Pereira Franco, faz sua única apresentação em Jales na sexta-feira, 12 de agosto, às 19h30m no Teatro Municipal, localizado no Centro Cultural Dr. Edilio Ridolfo. Nela os médiuns expõem os conceitos espíritas sobre a vida após a morte do corpo físico.
A encenação é uma montagem que pretende levar o público a refletir sobre a noção de que existe algo além de tudo o que se pode alcançar com os cinco sentidos. As situações apresentadas tratam temas polêmicos como o aborto, suicídio e homossexualismo.
A apresentação na cidade tem direção de Renato Prietto. O diretor busca explicar a existência de outras dimensões e a necessidade de pensar sobre o papel do livre-arbítrio. Ficha Técnica: Direção: Renato Prietto- Iluminação: Bruno Henrique - Figurinos: Valentina Oliveira e Fotografia: Victoria Natale. Elenco: Marcelo Gomes, Carla Cocenza, Cristiane Natal e Camilo Francesco, Ellen Bueno e Chê Morais
Foto: Victória Nataly/reprodução
 

Palestra, relato de sucesso profissional de egresso e showmusical marcam início de semestre letivo da Fatec Jales


 
A Fatec Jales "Professor José Camargo" iniciou suas atividades do 2º segundo semestre de 2016 no dia 1º de agosto com uma programação especial. Os alunos ingressantes foram recebidos pela direção e coordenação, que apresentaram a instituição, seus cursos e projetos, e, também, pelos ex-alunos Anderson Aparecido de Godoy Camargo, Henrique Felipe Alves e Anderson Soares Denardi, que falaram de sua experiência e de seu sucesso profissional.
No período noturno, veteranos e calouros foram contemplados com uma brilhante palestra intitulada "Construindo o futuro e atingindo o sucesso profissional", proferida pelo professor Dr° Márcio Antonio Hirose Fedichina, que falou sobre mercado de trabalho e sobre a importância da qualificação profissional.
Após, professores, alunos e integrantes da Violada 5 Estrelas contagiaram a todos com um belo show, que envolveu a todos em um clima de muita descontração.


Pesquisa inédita faz uma radiografia sobre o câncer de pulmão e revela que o brasileiro não fala sobre a doença com seu médico

76% das pessoas nunca falaram com seu médico sobre o câncer de pulmão. Esse é um dos principais resultados da pesquisa encomendada pela biofarmacêutica Bristol-Myers Squibb com exclusividade para o instituto Datafolha com objetivo de revelar o grau de conhecimento a respeito da doença que é a principal causa de morte entre homens e a segunda entre as mulheres no país, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). *

Realizado por meio de entrevistas individuais com 2.044 pessoas, em 130 municípios do pais durante o mês de março de 2016, o levantamento buscou medir a percepção da população brasileira sobre o assunto e o resultado mostra que, embora a maioria tenha noções básicas sobre a doença, os números comprovam que há desconhecimento e falta de informação aprofundada. Assim, apesar do alto índice de respostas positivas quando questionados se sabem que a chance de sobrevivência no caso do diagnóstico da doença em estágio inicial é maior (95% de concordância), que fumantes são mais propensos a ter o câncer de pulmão (83%) e fumantes passivos (95%), ex-fumantes (88%) e não fumantes (85%) têm chance de contraí-lo, do total de entrevistados:

• – 76% nunca falaram com o médico sobre a doença e 17% não sabem o que fazer para reduzir o risco de ter câncer de pulmão.

• – Apenas 39% julgam-se bem informados sobre o câncer de pulmão. 44% da população julgam-se mais ou menos informados e 17% mal informados.

• – 39% não se preocupam com a doença, uma vez que não são fumantes.

• – 33% da população não estão tomando providências para reduzir o risco de contrair a doença.

• – 25% consideram que câncer de pulmão atinge mais mulheres do que homens e 57% que o câncer de pulmão mata mais que câncer de mama, colorretal e próstata juntos.

• – Aproximadamente três em cada dez brasileiros (27%) declaram conhecer alguém que tem ou teve câncer de pulmão e desta população 19% são representados por parentes.

A pesquisa é o primeiro levantamento do gênero no Brasil e foi dividida em quatro módulos:

• – Conhecimento sobre doenças pulmonares e respiratórias;

• – Costume de fumar (quantidade média de cigarros por dia, razões que o levariam a parar de fumar, grau de concordância com hábitos relacionados ao cigarro);

• – Conhecimento sobre câncer de pulmão (grau de informação sobre, grau de concordância com aspectos relacionados à doença, grau de concordância com aspectos relacionados ao risco de contraí-la, conhecimento sobre assuntos relacionados a este tipo de câncer);

• – Sintomas e fatores de risco do câncer de pulmão (fatores que aumentam o risco de ter a doença, fatores que reduziriam esse risco e a proximidade com portadores da enfermidade).

Outros destaques da pesquisa apontam que o conhecimento sobre doenças e riscos sobre câncer de pulmão se concentra entre o público mais escolarizado e de classes A/B, pessoas que, de modo geral, têm mais acesso a informação.

Também é verificado que, embora as pessoas estejam cientes que fumar aumenta o risco de desenvolver a doença (87%) e que não fumar reduz esse risco (85%), a percepção com relação ao fumo passivo está menos disseminada: do total de entrevistados, 49% acham que a exposição ao fumo passivo aumenta o risco e 45% concordam que diminuir a exposição ao fumo passivo reduz o risco.

Conclusões – Se, por um lado, algumas informações básicas sobre a doença parecem que estão disseminadas, por outro, os resultados também mostram que há necessidade de aprofundar o conhecimento e disponibilizar informações mais detalhadas sobre o câncer de pulmão, formas de prevenção e tratamento. Campanhas de esclarecimento e de incentivo às mudanças comportamentais poderiam provocar mudanças importantes neste cenário de relativo desconhecimento com foco na população em geral e especialmente às pessoas menos favorecidas, com menor escolaridade, pertencentes às classes C e D/E.

Metodologia – Para revelar essa radiografia da percepção do câncer de pulmão, o universo pesquisado foi a população brasileira com idade a partir de 16 anos pertencente a todas as classes econômicas. O perfil dos entrevistados revela ligeira preponderância do sexo feminino, média de idade igual a 40 anos e grau de escolaridade Fundamental e Médio.

Os dados foram coletados por meio de uma pesquisa quantitativa com entrevistas pessoais e individuais, realizadas por meio de questionário estruturado em tablet. A população foi entrevistada em pontos de fluxo populacional, segundo metodologia desenvolvida pelo Datafolha.

No total, foram realizadas 2.044 entrevistas por todo Brasil, distribuídas em 130 municípios, de forma a representar as regiões geográficas do país: Sudeste (876), Sul (304), Nordeste (545) e Norte/Centro-Oeste (319). A maior parte dos entrevistados reside na região Sudeste e em cidades localizadas no interior (59%), fora das Regiões Metropolitanas, que representaram 41%.

* Fontes: MS/SVS/DASIS/CGIAE/Sistema de Informação sobre Mortalidade - SIM

MP/Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

MS/INCA/Conprev/Divisão de Vigilância
 

Carta à população


Dani Nega e Craca Beat falam das melodias multiétnicas no Manos e Minas

Craca Beat, Roberta Estrela Dalva e MC Dani Nega (fot crédito Jair Magri)



A edição deste sábado (6/8), do Manos e Minas, programa da TV Cultura, que vai ao ar às 19 horas sob o comando de Roberta Estrela D’Alva, traz a atriz e MC Dani Nega e o músico e artista visual Craca Beat. Eles comentam sobre o disco que acabaram de lançar, Dispositivo Tralha.

Com faixas que trazem temas como feminismo, racismo e política, o produtor musical e artista visual Felipe Julián, mais conhecido como Craca, juntou-se à atriz e MC Dani Nega a fim de firmar melodias multiétnicas que convidam ritmos de origem africana, passando por beats do candomblé, cúmbia e balcan.

No programa, eles comentam como surgiu a união da dupla e a origem do nome do disco e apresentam as composições Cuidado, Não Pise na Bola, Sonhos de Criança e O Cantar.

Ainda nesta edição, são mostradas algumas reportagens sobre o Mercado Afro, localizado na avenida. Paulista (na capital), e um projeto de quatro meninas que virou uma websérie, na qual mostram como vivem as mulheres negras que sofrem com o racismo, o machismo e são marginalizadas pela sociedade.

Festa do Peão de Barretos terá primeiro festival infantojuvenil de música sertaneja, o Barretos Kids

A Festa do Peão de Barretos carrega há 61 anos a tradição da cultura sertaneja mantendo em sua programação atrações culturais como Queima do Alho, apresentações de Catira, shows de música raiz e Berrante, sem deixar de inovar a cada ano com criatividade para levar ao público atrações inéditas e que resgatam a essência cultural do evento.

Para 2016 mais uma novidade foi apresentada pela Associação Os Independentes, organizadora do maior rodeio da América Latina: o Barretos Kids, primeiro festival infantojuvenil de música sertaneja.

O concurso é destinado a duplas ou cantores solo, com idades entre 8 e 17 anos. As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de agosto pelo telefone 17 981083682 ou pelo email barretoskids@gmail.com.

O Barretos Kids será realizado no dia 27 de agosto no Rancho do Peãozinho – local que abriga atrações para crianças - a partir das 10h. Os vencedores receberão premiação em dinheiro.

O Rancho do Peãozinho – O local é um espaço de 35 mil metros quadrados situado no Parque do Peão com atrações voltadas à família unindo diversão com educação. O Rancho do Peãozinho recebe cerca de 70 mil visitantes no período da Festa que participam de atividades socioeducativas que estão entre os principais atrativos do espaço. O Peãozinho abriga ainda shows infantis, apresentações culturais, mini-fazenda, mini-zoológico, rádio do peãozinho e arena para rodeio em carneiros.

PAE de Jales pode trazer seminário para empresários desenvolvido pela ONU

A gestora Carla Carina Bussoloti do PAE na região, com André Sarambeli, da prefeitura, e os agentes do PAE de Jales Alex Lino Ferreira e Hélio José do Nascimento



O PAE - Posto de Atendimento ao Empreendedor de Jales já montou um programação de ações para o segundo semestre incluindo cursos, palestras e oficinas, voltadas para os pequenos empresários e futuros empreendedores. A programação inclui ainda a vinda de consultores para áreas específicas que estarão promovendo um dia de atendimento para melhorar a orientação aos interessados. Outros eventos que deverão acontecer em datas a serem definidas, em agosto, são dois cursos, um voltado para técnicas atuais de vendas, em parceria com o Senac e outro para exposição de produtos em lojas virtuais, com o Sebrae de Votuporanga.


O objetivo de tudo isso é fornecer mais informações para que as empresas possam se estruturar melhor para dar continuidade às suas atividades ou para que mais pessoas possam iniciar seus negócios, como explicou a gestora do PAE na região, Carla Carina Bussoloti. Ela destacou que as capacitações promovidas pelo Sebrae através do PAE são voltadas principalmente para a área de gestão, com oficinas para formação de preços, fluxo de caixa, controle de recursos e outros.

Empretec – Carla informou que um grande evento está sendo programado para os dias 3 a 8 de outubro. Trata-se do Empretec , um seminário de 60 horas, desenvolvido pela ONU para trabalhar o comportamento dos empresários. Durante uma semana o participante se dedica exclusivamente ao seminário. Antes será realizada uma palestra de sensibilização, marcada para 25 de agosto para apresentação da proposta. Na sequência o empresário preenche uma ficha cadastral com suas informações pessoais e da empresa que passa por uma tabulação para poder ser aprovada. A etapa seguinte é uma entrevista com uma psicóloga, de 12 a 22 de setembro, para uma avaliação do seu perfil para verificar se ele deve fazer o seminário. Carla explicou que o Empretec é um evento bastante esperado pelos empresários que já foi realizado em Jales há alguns anos e deverá repetir o sucesso dessa primeira edição.

Parcerias – O presidente da ACIJ, Carlos Roberto Altimari, disse que o PAE vem oferecendo informações importantes e realizando vários eventos aos empresários, desde quando voltou a funcionar em Jales. O posto está instalado na sede da ACIJ, onde dois agentes devidamente capacitados prestam orientação principalmente aos pequenos e micro empreendedores, através de uma parceria envolvendo o Sebrae, a ACIJ, a Prefeitura, o Sindicato do Comércio Varejista e o Sindicato Rural.

O PAE é importante para promover o desenvolvimento do empreendedorismo no município, principalmente na área de gestão e de viabilidade de projetos, como explicou André Sarambeli, diretor de desenvolvimento econômico da Secretaria Municipal de Planejamento, que participou de uma reunião na sede da ACIJ com Carla e com os agentes do PAE em Jales, Alex Lino Ferreira e Hélio José do Nascimento para confirmar a programação dos próximos meses.

Hélio lembrou que o atendimento vai das 8 às 17, de segunda a sexta-feira. A procura tem sido grande, principalmente para a abertura de pequenas e micro-empresas. Alex explicou que os novos empreendedores têm muitas dúvidas, principalmente os que querem abrir uma MEI - Micro Empresa Individual. Muitos acham que é só abrir e está resolvido, mas não é assim e o PAE está à disposição para informar o que é preciso ser feito para que o empreendedor não tenha aborrecimentos futuros, como afirmou.

A Psicanálise e a Saúde do Trabalhador

Flávio Rodrigo Masson Carvalho

 
O ser humano Ausente de traumas, medos e depressão será mais saudável, terá mais vontade de viver, de se relacionar e trabalhará de forma inteligente utilizando todo o seu potencial antes recalcado pelo desconhecido (inconsciente).
Com gente saudável e feliz as empresas consequentemente se transformarão em organizações saudáveis e muito mais lucrativas, e assim, exercitando também a sua Responsabilidade Social perante seu público interno.
a) – Aperfeiçoamento pessoal
b) – Solução de pendências, conflitos, obstáculos, bloqueios, medos, inibição e outros fenômenos impeditivos
c) – Desenvolvimento da mente criativa (lado direito do cérebro).
A psicanálise trabalha sobre duas possibilidades: a primeira é o tratamento especializado, retirando a pessoa daquele negativismo, daquela raiva, ódio e de todas essas emoções que impedem de avançar.
Através da escuta psicanalítica e vivências práticas, modificam-se os bloqueios, traumas e medos que impedem a livre expressão de suas potencialidades.
A pessoa pode até ter excelentes condições intelectuais, mas essa condição emocional vai interferir, impedindo que ela chegue ao nível de satisfação consigo mesma, em seu trabalho, com seus colegas e superiores. A outra possibilidade é no sentido da prevenção, através de cursos teóricos (stress, qualidade de vida, relaxamento, motivação) passando informações básicas para as pessoas no sentido de dar uma melhor qualidade de vida, aumentando a capacidade de rendimento no trabalho profissional.
Informa, orienta, tira dúvidas e sinaliza para as pessoas qual seria o melhor caminho a seguir no seu mundo emocional. A "saúde" do trabalhador está vinculada ao resultado de seu histórico de vida, de seus processos psíquicos, das vivências em família, do que ficou gravado em seu inconsciente, das relações interpessoais, do convívio em sociedade e de uma proposta de trabalho que coincida com seus sonhos, suas aspirações para construção do seu projeto de vida.
Viagem ao mundo interior: corpo, mente, emoções, estado de espírito, ação, reação, posicionamento.
Problemas, preocupações, barreiras, dificuldades, inconformismos, sinfonias inacabadas ao longo da vida e como lidar com eles.
Conhecendo melhor a si mesmo e aos outros. Porque os conflitos se estabelecem e nos fazem tanto mal e como nos libertar deles.
Harmonização interior: eliminando os bloqueios e impedimentos;
Harmonização de relacionamentos: com você mesmo, com as outras pessoas, com a família, relações afetivas e amorosas.
 

Cartórios de SP lançam sistema de buscas de nascimentos, casamentos e óbitos desde 1976 no Estado

Desde segunda-feira, 1° de agosto, qualquer cidadão, em qualquer lugar do mundo, poderá efetuar buscas de registros de nascimentos, casamentos e óbitos realizados em todos os 836 Cartórios de Registro Civil do Estado de São Paulo sem sair de sua casa ou trabalho. Através do Portal (www.registrocivil.org.br) o cidadão poderá pesquisar registros civis lavrados desde 1976 em qualquer Cartório do Estado e solicitar a 2ª via da certidão em formato físico ou eletrônico, recebendo em casa, por e-mail ou retirando no Cartório mais próximo a sua escolha.

Idealizado e desenvolvido pela Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen-SP), o Sistema de Buscas integra a Central de Informações do Registro Civil (CRC), regulamentada pelo Provimento nº 46/2016 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que prevê que os registros públicos devem implantar as ferramentas de registro eletrônico em todos os seus serviços.

Para realizar a busca de um registro, o usuário deve se cadastrar no Portal www.registrocivil.org.br para dar início ao procedimento. O valor das buscas de registros no Estado de São Paulo é tabelado – item 11 da Tabela de Custas e Emolumentos (R$ 14,30). Caso solicite a certidão do registro pesquisado, o valor já pago na busca será abatido do valor da certidão.

Embora os requisitos para integração ao sistema dispusessem sobre a obrigatoriedade de disponibilização dos registros de nascimento, casamento e óbito de 1976 em diante, muitos cartórios já disponibilizaram toda a sua base de registros no Portal, podendo o usuário realizar a pesquisa em períodos anteriores a 1976.

O objetivo é congregar em um futuro próximo as bases de dados dos Estados já integrados à Central de Informações do Registro Civil: Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, Piauí, Pernambuco, Acre e Amapá. Além do sistema de buscas, a CRC disponibiliza pedidos de certidões entre cartórios, certidões digitais, pesquisa e buscas para entes públicos e Poder Judiciário, além da fiscalização eletrônica dos cartórios.

Antes da disponibilização deste sistema, o usuário deveria possuir o maior número de informações possíveis do registro a ser localizado (nome, data do registro, local do registro, livro, folha e termo) e as buscas eram realizadas somente em cartório, mediante a presença do usuário. O novo sistema, além de tornar o serviço acessível a todo o cidadão em qualquer lugar do mundo, evita intermediação de terceiros que encareciam o serviço.

Reflexões: Autênticos

Adelvair David
 
www.addavid.blogspot.com
 
Ser o que se é, aceitar o que se possui, viver como se pode viver, fazer o que é possível, não são tarefas tão simples para o homem quando o orgulho impera.
Asseverou-nos um espírito amigo: - Cópia é cópia, por isso não copie ninguém, siga bons exemplos e esqueça a vaidade, se você não possui valores, conquiste-os, não para que você seja reconhecido pelas pessoas através deles, mas para que os teus bons valores te auxiliem a ser uma pessoa melhor, beneficiando a tua vida.
Ser autêntico é poder ser quem se é. Toda luta para melhorar é necessária, mas fazer dela um jogo de mentiras, hipocrisia e falsidade na conduta não levará ninguém a lugar nenhum, mesmo que conquistando o lugar almejado. É preciso crescer respeitando, sendo ético, não trapaceando e nem mesmo tentando diminuir ninguém, muito menos copiando os outros.
Cada homem tem um dom, uma capacidade, uma sensibilidade que lhe caracteriza, e isto é maravilhoso, pois neste mundo ninguém é igual a ninguém. Todos podem contribuir para com a própria vida e com a do semelhante. Sendo útil, solidário, amigo e agindo com benemerência, poderá compartilhar o que tiver, e o que não tem, pode adquirir com esforço, trabalho e dedicação, respeitando os próprios limites. Ninguém nasceu para fazer tudo. É preciso lembrar que no que se fizer deve-se colocar a alma, o sentimento. Quando observamos uma obra do pintor Picasso, não vemos apenas cores, mas a personalidade do autor impressa na maneira como delineou os traços e as formas, dando notícias precisas de quem o idealizou, assim, embora alguém possa copiar as características da obra jamais fará o mesmo com o autor, que está na obra.
Compreendemos que todos os problemas emocionais humanos, principalmente o sentir-se diminuído por não ser este ou aquele personagem, encontram equilíbrio na conquista dos bons sentimentos, que só poderá ser feito na prática incondicional do bem. Aos poucos, aquele que o pratica vai lixando as arestas das suas paixões negativas e dando brilho à própria vida, assim, sentindo-se bem não necessitará de mais nada para si, estando plenamente disponível para colaborar com a sua e a vida de todos.
Ensinou Jesus: "Sê tu quem ame", informando que deveremos desenvolver o nosso modo próprio de ser, nossa autenticidade amorosa diante da vida, consequentemente sendo mais felizes.
AUTÊNTICOS SIM, MAS AMOROSOS.
 

FOLHAGERAL

da redação


Um experiente
"analista" político, lá botequim da vila, remoeu com paciência os fatos recentes em Jales. Por fim, enfaticamente, levantou o copo e brindou: "Tucano, avis rara, em extinção em Jales". Pode ser exagero. Mas não é a primeira vez, em Jales, que um partido político joga fora uma ótima ocasião de crescer forte e sai de cena desacreditado.
Politicamente,
o PSDB de Jales se desmantela. O prefeito Pedro Callado não mostrou agilidade nas conversações nem força de liderança, ao permitir que a deputada Analice Fernandes anunciasse que ele não seria candidato a prefeito. Aos olhos e ouvidos de todos ficou evidente que, quem comanda as ações do partido no município, é a deputada.
A militância
tucana estava insatisfeita com a postura hesitante de Pedro Callado como pretendente à candidatura de prefeito. Havia quem pensava seriamente em não participar da campanha. Imaginem, agora, que o PSDB sequer lança candidato próprio.
O povo
acompanha os fatos com senso crítico. Sabe que prefeito Pedro Callado e o próprio PSDB se deixaram envolver por outros e não buscaram alternativas. Sabe que o PV de Bixiga anunciou uma coisa e fez outra. Sabe que o vereador Tiago Abra mudou de sigla e agora está na penumbra, dentro de uma coligação que rejeitava.
Em entrevista
a uma emissora de rádio, Osvaldo Costa Júnior, o Bixiga, mostrou sua decepção com os acontecimentos que culminaram com a retirada estratégica de Pedro Callado. E por tabela com sua saída da disputa. Se Bixiga fosse mais político, teria percebido que a candidatura de Callado estava fazendo água. O que aconteceu foi planejado sem alarde.
Gente do próprio
PSDB só ficou sabendo dos fatos no apagar das luzes e quando a deputada tucana foi ao rádio. Segundo comentam, na convenção partidária da terça-feira (02 de agosto), que selou o "funeral" do PSDB em Jales, teve até choro.
Quem
deve estar dando boas gargalhadas dessa penúria política do PSDB é a ex-prefeita Nice Mistilides. E com total razão. Quando o processo de cassação foi aberto contra ela, muitos dos seus coligados tucanos esfregaram as mãos de contentamento. Viram na queda política de Nice a oportunidade de empoleirar um tucano na cadeira do Executivo.
Visando
aliviar o desgaste tucano junto ao eleitorado – com a decisão do PSDB em abandonar a disputa eleitoral e apoiar uma candidatura única ao Executivo, a deputada Analice Fernandes tenta acelerar no TCESP o julgamento dos recursos relativos ao Edital de Licitação para recape das ruas da cidade de Jales.
Quatro recursos
estiveram na pauta de julgamentos da 2ª Câmara do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo - TCE. Eles foram julgados parcialmente procedentes. Um dos recursos é assinado pela advogada Juliana Fosaluza, integrante de Edgard Leite Advogados Associados.
Pelo menos,
a execução dos serviços de recape na cidade poderá evitar que o prefeito tucano Pedro Callado seja apontado por muitos como o pior prefeito que a cidade já teve. Afinal de contas, prefeito que deixa a cidade ficar esburacada não merece elogios.
Na eleição
de 2012, na contagem final da votação para prefeito, foram registrados 28,32% de votos brancos, nulos e abstenção. Para vereadores, os votos brancos, nulos, abstenção e votos na legenda somaram 38,48%. São percentuais altos numa eleição normal. Agora, numa possível eleição com candidatura única, esses percentuais podem atingir níveis maiores.
Foram
sufragados naquele eleição 27.311 votos em nomes dos candidatos a prefeito, e em nome dos candidatos a vereador o eleitor validou 26.812 votos. Foram apurados 37.217 votos.
Após
o registro da sua candidatura a prefeito, Flá Prandi (DEM) – ao lado de Garça (PMDB) – vai ter que suar a camisa para justificar a candidatura única decidida nos bastidores partidários. Não apresentará um plano de trabalho para confronto com outros. Precisará usar de eloquência, no horário de propaganda gratuita e nos contatos pessoais, para convencer os eleitores a comparecerem às urnas e depositarem votos válidos.
Com a
decisão eleitoral tomada pela grande maioria dos partidos políticos, a campanha eleitoral pelo poder Executivo em Jales será muito econômica, sem questionamentos, sem debates. Não haverá dedos em riste, excessos de linguagem, ofensas, melindres. Tudo vai acontecer na maior civilidade. Os eleitores nem precisam prestar atenção.
Sem oposição,
os novos eleitos, no Executivo e no Legislativo, vão ter carta branca para conduzir os negócios municipais da maneira que eles mesmos decidirem. Os partidos políticos vão aprender a conviver em pleno acordo. Todos os eleitores vão respeitar a legitimidade democrática. Os eleitores descontentes vão esperar com paciência novas eleições.
Certamente,
esta é uma solução para as crises políticas em Jales. A coesão dos partidos políticos vai sustentar a estabilidade política nos próximos quatro anos. Ninguém pode ter certeza de que isso vai trazer prosperidade ou não. Pode ser que sim (uma maravilha), pode ser que não (um desastre). Mas esta é uma outra questão, que o futuro responderá.

Editais de Proclamas

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interina do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

JOSÉ FLÔRES e ELZI BRAGA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 02 de setembro de 1.959, ajudante geral, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Rafael Flôres e de Jupina de Oliveira Flôres. ELA, natural de Santana da Ponte Pensa, deste Estado, nascida aos 20 de julho de 1.976, doméstica, divorciada, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de Anisio Braga e de Neusa Aparecida Mussato Braga.

GEORGE LEONARDO SIMEI E SILVA e CINDI FERNANDES DALA COSTA. ELE, natural de São Bernardo do Campo, deste Estado, nascido aos 03 de novembro de 1.987, empresário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Osmar Antonio da Silva e de Maria de Lourdes Simei e Silva. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 14 de março de 1.989, supervisora de vendas, solteira, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de Roberto Carlos Dala Costa e de Mirtes Teruel Fernandes Dala Costa.

EMERSON NAZARIO SATO e TALITA FERNANDA ROQUE. ELE, natural de Pereira Barreto, deste Estado, nascido aos 24 de setembro de 1.989, vigilante, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Admilson Nori Sato e de Joana Nazario. ELA, natural de São Paulo, deste Estado, nascida aos 28 de dezembro de 1.993, do lar, solteira, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de Sandra Roque.

ELOISIO CARDOSO e JÉSSICA CARINA MILAN DE LIMA. ELE, natural de Palmeira D’Oeste, deste Estado, nascido aos 12 de dezembro de 1.989, pizzaiolo, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Lazaro Aparecido Cardoso e de Neide Soares Maria Cardoso. ELA, natural de Paranapuã, deste Estado, nascida aos 08 de agosto de 1.995, estudante, solteira, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de Ordalei Batista de Lima e de Claudenice Donizeti Milan Batista de Lima.VALCIR DE JESUS GREJANIN e ISABEL FLÁVIO DA SILVA. ELE, natural de Votuporanga, deste Estado, nascido aos 31 de agosto de 1.952, caminhoneiro, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Mario Grejanin e de Baziliza Rodero Grejanin. ELA, natural de Paranapuã, deste Estado, nascida aos 25 de dezembro de 1.947, enfermeira aposentada, solteira, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de Abelardo Flávio da Silva e de Maria Lídia de Jesus.

VALDECIR GAMBERO e IOLITA GONÇALVES DA SILVA. ELE, natural de Palmeira D’Oeste, deste Estado, nascido aos 12 de julho de 1.963, motorista, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Augusto Gambero e de Alice Lopes Gambero. ELA, natural de Cassilândia, Estado de Mato Grosso do Sul, nascida aos 16 de janeiro de 1.971, do lar, solteira, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de Manoel Gonçalves da Silva e de Iolita Martins da Silva.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA- O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina


Ameaças

Reginaldo Villazón

Os Jogos Olímpicos 2016 chegam ao Brasil para encantar o mundo com espetáculos refinados de competição esportiva. As cerimônias de abertura (05 de agosto) e encerramento (21 de agosto) asseveram o caráter dos Jogos Olímpicos: a união dos povos em torno de práticas desportivas, em clima de paz e amizade. Na prática, é isto mesmo que acontece. As delegações dos países aproveitam a ocasião para confraternização, entre elas mesmas e com o público. Os competidores dão o melhor de si e não se hostilizam.

Com os Jogos Olímpicos vem a preocupação com possíveis atos terroristas. O Brasil não está envolvido em guerras e mantém – dentro e fora do seu território – relacionamentos amistosos com todos os povos. Mas os atos terroristas – algumas vezes – não se identificam com o país agredido nem com as pessoas atingidas. Nestes casos, a oportunidade de grande exposição do mal feito – e assim ampliar o terror – fala mais alto. A estratégia do terrorismo é exatamente esta: causar o máximo de terror nas pessoas.

É importante entendermos o terrorismo para evitarmos erros de julgamento. O terrorismo, em diversas situações e formas, existe desde a história antiga. A tradição designa de "terrorismo" as ações violentas praticadas por grupos de indivíduos, motivados por ideologias, religiões, etnias. As ações violentas praticada pelos governos são justificadas, por exemplo, em nome da segurança nacional. Mas elas existem, arbitrárias. Por isto, hoje os críticos utilizam a expressão "terrorismo de estado".

A tentativa de desacreditar os grupos terroristas, supondo que eles são formados por psicopatas, não deu resultado. A análise das idéias e atitudes dos governantes, encarregados de combater o terrorismo, mostrou que eles não são mais saudáveis que os terroristas. Tal constatação ajudou a entender que os terroristas têm motivos reais para afrontar governos e povos através das práticas violentas. Os estudiosos do assunto acabaram por reconhecer que o terrorismo é um fato social, autêntico como outros.

Dois fatores contemporâneos são apontados no fomento do terrorismo. Primeiro, o capitalismo neoliberal que norteia as políticas interna e externa dos governos. Ele concentra a renda nas mãos de uma minoria e deteriora a vida da maioria mundo afora. Segundo, a transformação das sociedades nacionais homogêneas (étnica e culturalmente) em sociedades nacionais diversificadas pela entrada de imigrantes. Esta nova conjuntura provoca a existência de cidadãos desiguais e conflitos entre eles.

É praticamente impossível acabar com o terrorismo que acontece no mundo. Pelo menos, dentro de poucos anos. Não há dúvida que terrorismo tem suas causas. Terrorismo não significa, simplesmente, luta pelo poder. Enquanto as diferenças sociais, políticas e econômicas não forem tratadas com responsabilidade, o terrorismo estará presente. Mas quando os governantes fizerem discursos contra o terrorismo e, ao mesmo tempo, suspenderem a venda de armas aos terroristas, o horror começará a definhar.

TJSP promove “Gestão Participativa” na 2ª RAJ

 
O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, reuniu-se na sexta-feira, 29 de jilho, com magistrados e servidores de toda a 2ª Região Administrativa Judiciária (2ª RAJ) – Araçatuba, em continuidade ao projeto "Gestão Participativa". O objetivo do presidente é debater ideias, ouvir sugestões e demandas, prestar contas e conhecer de perto o Judiciário da região. A iniciativa, uma das marcas da atual gestão, tem sido realizada em todo o Estado. .

A 2ª RAJ é formada pelas comarcas de Andradina, Araçatuba, Auriflama, Bilac, Birigui, Buritama, Cafelândia, Getulina, Guararapes, Ilha Solteira, Jales, Lins, Mirandópolis, Palmeira D’Oeste, Penápolis, Pereira Barreto, Promissão, Santa Fé do Sul, Urânia e Valparaíso, comarcas que têm 497.264 processos em andamento.

No encontro com os juízes Paulo Dimas conversou com 25 magistrados das comarcas da 2ª RAJ. No período da tarde, reuniu-se com 117 servidores. Nas duas ocasiões relatou o trabalho realizado nos primeiros meses de sua gestão, falou sobre as dificuldades orçamentárias enfrentadas pela Corte, a interlocução do TJSP com os demais poderes e instituições públicas, entre elas o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e destacou alguns projetos em andamento. Nos dois momentos, Paulo Dimas cumprimentou juízes e servidores pela alta na produtividade, com a obtenção de recorde no mês de junho.

Entre os projetos em andamento está o "Justiça Bandeirante", que capacita os funcionários para uso integral das funcionalidades do SAJ, sistema responsável pela informatização, gestão de informações do Judiciário e automação de rotinas cartorárias. O objetivo é fornecer ferramentas aos servidores que aperfeiçoem e facilitem suas atividades. "Em todas as RAJs foram realizados workshops com essa finalidade."

O presidente também falou sobre a peça orçamentária de 2017, o assíduo atendimento aos juízes e servidores, a recorrente prestação de contas que tem feito via e-mail e sobre outras questões como o "TJ Sustentável", que busca estimular o consumo consciente de recursos naturais e bens públicos nos públicos interno e externo. Também falou sobre os "Comunicadores nas RAJs", para aprimorar a comunicação social nas comarcas do interior e litoral, e sobre os investimentos na segurança dos fóruns.

Com intensa participação tanto de magistrados como de servidores, Paulo Dimas retornou do encontro de trabalho na 2ª RAJ muito bem impressionado com o desempenho e a dedicação de todos. A reunião dos servidores foi acompanhada integralmente pela imprensa que pode verificar as dificuldades enfrentadas no Judiciário local e na região, além de constatar o entusiasmo dos que ali se manifestaram.

Palavras de Chico Xavier


No meu ponto de vista, a virtude mais difícil de ser posta em prática é a do perdão; perdoar exige um esforço de auto-superação muito grande... Emmanuel me diz que quem aprende a perdoar tem caminho livre pela frente. Creio que, por este motivo, a derradeira lição de Jesus para a Humanidade foi a do perdão... Ele a deixou por último, esperando o momento em que ele pudesse exemplificá-la... É claro que Ele se referira ao perdão em diversas oportunidades, mas, na hora da cruz, padecendo toda espécie de humilhação, o ensino do perdão foi gravado a fogo na consciência da Humanidade... Ninguém sofreu e perdoou como Ele... O espírito que adquirir a virtude do perdão não achará dificuldade em mais nada; haja o que houver, aconteça o que acontecer, ele saberá administrar a sua vida...

Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da
"Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.


Cerca de 3 mil mulheres vítimas de violência recebem acolhimento social todos os meses em SP

Levantamento de 2015 do sistema de Registro Mensal de Atendimento (RMA) verificou que em média 3 mil mulheres vítimas de violência receberam atendimento social nos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (CREAS) no Estado de São Paulo.

Na somatória do ano, foram 36.925 mulheres vítimas de diferentes formas de violência (física, psicológica ou sexual) e faixas etárias. Neste domingo (07/08), a Lei Maria da Penha (nº 11.340) completa dez anos.

Do total de mulheres atendidas, cerca de 7.400 estão na faixa etária entre 0 a 17 anos; 2.300 são idosas – acima de 60 anos; 4.350 têm entre 18 e 59 anos; e 744 estão no grupo de pessoas com deficiência. São vítimas de violência intrafamiliar (física, psicológica ou sexual).

A assistência Social do Estado de São Paulo conta com 41 abrigos institucionais de mulheres. Os serviços recebem R$ 1,8 milhão em cofinanciamento estadual anualmente.

Além de realizar o atendimento social, os CREAS atuam em uma estreita articulação com o Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, Conselhos Tutelares e outras Organizações de Defesa de Direitos, com os demais serviços socioassistenciais e de outras políticas públicas, no intuito de estruturar uma rede efetiva de proteção social.

Os endereços completos estão disponíveis no site http://www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br.

Aumento de denúncias – O disque denúncia nacional 180 da Secretaria de Políticas para as Mulheres apontou um crescimento de 44,7% no número total de registros relacionados à violência contra a mulher. Foram 76.651 ligações em 2015 e 42.388 em 2014. Em 72% dos casos as violências foram cometidas por homens com quem as vítimas têm ou tiveram algum vínculo afetivo e em 74% dos casos a violência ocorre com uma frequência muito alta (diária ou semanalmente).

A maioria (70,9%) possui um ou dois filhos/as: em 57,8% dos casos eles presenciaram e em 22,76% também sofreram violência. Outro dado que chama a atenção é em relação à dependência financeira: somente 34,67% das mulheres em situação de violência dependem financeiramente Como denunciar?

As denúncias sobre casos de violência contra a mulher podem ser feitas pelos telefones 181 (disque denúncia do Estado de São Paulo), 100 (disque denúncia nacional) ou 180 (Central de Atendimento à Mulher). Todos esses canais de atendimento funcionam 24 horas e garantem sigilo e anonimato. Além das Delegacias de Defesa da Mulher (DDMs). Endereços disponíveis no site da Secretaria da Segurança Pública http://www.ssp.sp.gov.br/

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, a questão da violência contra a mulher é um fenômeno complexo que atinge mulheres de diferentes idades e classes sociais e precisa ser enfrentado levando em conta todas essas peculiaridades. "São diversos fatores envolvidos como medo, dependência, vergonha. Um grande avanço que a lei trouxe é o entendimento de que é possível romper com o ciclo de violência e qualquer pessoa pode fazer a denúncia", diz.

O governo é nosso

José Renato Nalini, Secretário estadual de Educação

A explicação teórica para a existência do Estado é bem conhecida. Os homens se agregam naturalmente ou isso é uma imposição do poder? Haveria condições de uma sociedade subsistir sem autoridade, poder, ordem e disciplina? A teoria aristotélica é a de que é natural à espécie humana se juntar em grupos. Vocação gregária, a do ser humano. Ninguém consegue viver sozinho. Tomás de Aquino continuou a mostrar essa tendência, lembrando que só há três hipóteses de vida isolada: a "excellentia naturae", dos seres tão bem providos de qualidades que prescindem de convivência, a "corruptio naturae", daqueles que, portadores de patologia, não conseguem conviver e o "mala fortuna", hipóteses dos que por acaso ou desdita acabem na solidão. Exemplo literário de Robinson Crusoe.

Já a concepção contratualista é outra. Os homens firmam contrato ao nascer e com isso surge a sociedade humana, fruto de um acordo de vontades. O mais célebre é Jean-Jacques Rousseau, que escreveu exatamente "O Contrato Social", em 1762. Todos os homens nascem livres e iguais.

Quem os oprime é a sociedade. Por isso a alternativa: firmar uma avença, evidentemente simbólica, para que tentem viver tão livres como antes do surgimento da sociedade. Outros contratualistas são John Locke e Thomas Hobbes, o autor do "Leviatã". Para Hobbes, ao contrário de Rousseau, para quem o ser humano é o bom selvagem, o homem é o lobo do homem. A humanidade é má por natureza.

Seja como for, o Estado, como instrumento de coordenação das atividades dos humanos, é um estágio transitório. Foi concebido para perdurar enquanto a humanidade não atinge o grau ótimo de excelência que a prescindiria e ser conduzida por autoridade. Parece distante o dia em que todos respeitarão a todos, desnecessária a lei, a prisão, a multa, o uso da força e o monopólio da violência de parte de um governo. Mesmo antes desse patamar ideal, que muitos consideram utópico, é preciso ter presente que o governo está a nosso serviço e sua missão é atender às expectativas da cidadania. Isto é válido para todos os dias, mas principalmente para as épocas eleitorais.

Muncípio de Urânia recebe premiação do Programa Sim e Sisnac do Estado de SP

"Qualidade na Informação. Qualidade na Saúde"




 
O município de Urânia participou no dia 28 de julho, da Cerimônia de Premiação Estadual SIM e SISNAC, promovida pela Secretaria de Estado da Saúde juntamente com a Coordenadora de Controle de Doenças do Estado de São Paulo - SES/CCD/SP, conforme publicação da Portaria CCD n° 25 de 22 de junho de 2016, no Diário Oficial do Estado, que estabelece a relação dos municípios contemplados por apresentarem os bancos de dados do sistema de informação sobre mortalidade e sistema de informação sobre nascidos vivos, com padrão de qualidade definidos e categorizados de acordo com os critérios estabelecidos na Portaria CCD/SES-SP n° 18/2016.

Participaram da premiação o Coordenador de Saúde José Rubens Gitti, as enfermeiras da Vigilância Epidemiológica Municipal, Natália Jordão Oliani e Ludmila Gitti Santos e a Oficial Administrativa Marina Celestino Fernandes, onde receberam o Certificado de Qualidade em que o município de Urânia foi premiado dentre os 13 municípios contemplados do Estado de São Paulo pelo comprometimento e empenho com qualidade do Banco de Dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade – SIM, atingindo os melhores indicadores em todos os critérios avaliados.

"Essa premiação é graças à administração municipal que tem dado total apoio à Saúde do município, e ao empenho e comprometimento das equipes de Saúde das Unidades Básicas de Saúde - ESF I, ESF II, ESF III, Centro de Saúde e da Santa Casa de Misericórdia de Urânia", enfatizou José Rubens Gitti, Coordenador Municipal de Saúde.

CitrusBR prevê estoques mais baixos da história

A Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR) informa que os estoques físicos de suco de laranja disponíveis em 30 de junho de 2016 (passagem da safra 2015/16 para 2016/17) somaram 351.567 toneladas, ante 510.393 no período do ano passado. O número confirma a tendência de redução anteriormente anunciada e agora aponta para a menor oferta de suco já registrada pelo setor.

Com uma safra de 245.740.000 caixas de 40.8 quilos estimada pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), cerca de 39.000.000 de caixas de 40,8 quilos devem ser destinadas ao mercado interno de fruta fresca. Sobrarão, portanto, 206.740.000 de caixas de 40,8 quilos para serem processadas por empresas associadas e não associadas à CitrusBR na corrente safra. Devido a condições climáticas adversas, a CitrusBR estima um rendimento industrial médio de 291,8 caixas necessárias para a fabricação de uma tonelada de FCOJ equivalente o que, se confirmado, será o segundo pior da história. Dessa forma, a produção total de suco deve alcançar apenas 708.499 toneladas no período, 18,1% menos que na safra anterior.

Somadas às 351.567 toneladas em estoque, mais aproximadamente 17.000 toneladas produzidas nos Estados do Paraná e Rio Grande do Sul que se incorporam aos estoques paulistas, a disponibilidade total de suco é estimada em 1.077.066 toneladas, ante uma demanda total estimada em 1.075.000 toneladas (1.040.000 em exportações e 35.000 para o mercado interno). Dessa forma, no caso de a demanda se manter estável, os estoques previstos para 30 de junho de 2017 devem somar 2.066 toneladas, o mais baixo nível da história. "Esse será, sem sombra de dúvidas um período desafiador para que nossas empresas mantenham seu ritmo de exportação ao longo de toda a safra", explica o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto.

Indígenas e missão humanitária

Dom Reginaldo Andrietta, Bispo Diocesano de Jales

A Igreja no Brasil está fazendo jus à sua identidade missionária, enfatizada nas suas atuais Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora, ao implementar projetos missionários frente a graves desafios, entre os quais a dramática situação dos indígenas, em particular no Estado de Mato Grosso do Sul.

A população indígena desse Estado é a segunda maior do país, sendo atualmente mais de 70 mil pessoas. A taxa de assassinatos de indígenas chega a cem por cem mil habitantes, quatro vezes maior que a média nacional. O número de suicídios tornou-se altíssimo. A taxa de mortalidade infantil no Brasil, em média 25 por mil, na etnia Guarani-Kaiowá, do sul do Estado é de 38 por mil.

Muitas Dioceses do Brasil estão engajadas em projetos missionários humanitários com indígenas, entre as quais a de Jales. Um seminarista desta Diocese, o jovem médico, Washington Henrique, descreve sua recente experiência em um desses projetos, realizado conjuntamente pela Pastoral Universitária da Diocese e a Organização Não Governamental Univida, de Santa Fé do Sul-SP.

"Durante seis dias, aproximadamente 220 voluntários, universitários e profissionais, das mais diversas áreas estiveram na Reserva Indígena de Dourados-MS realizando um trabalho filantrópico. A defesa da vida através do cuidado com a saúde foi feita através de ações de promoção, prevenção, tratamento e reabilitação, contando com a participação de estudantes de medicina, odontologia, fonoaudiologia, psicologia e fisioterapia, com seus respectivos profissionais responsáveis.

A atenção à saúde indígena é regulamentada pela Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas que integra a Política Nacional de Saúde, harmonizando as determinações das Leis Orgânicas com as da Constituição Federal, que asseguram aos povos indígenas suas especificidades e seus direitos.

A convivência com a população indígena durante esses dias, pode certificar os dados encontrados na literatura, que apesar de precários, indicam taxa de morbidade e mortalidade superior à encontrada na população brasileira em geral. Quanto à morbidade pode-se observar alta incidência de infecções respiratórias e gastrointestinais agudas, tuberculose, parasitoses intestinais, desnutrição e doenças preveníveis por vacina. Agravos esses que encontram na deficiência ou até mesmo na ausência de saneamento básico (água sem tratamento ideal, falta de tratamento de esgoto e resíduos sólidos), nas moradias de lona e bambu e na falta de acessibilidade aos centros de saúde, condições ideais para a sua propagação e disseminação.

Outro dado observado é a alta incidência de mães adolescentes sendo que em sua maioria aos 14 anos já são casadas e aos 15 são mães. Como a taxa de mortalidade é elevada, existem poucos idosos, favorecendo a perda das tradições.

Esta realidade precária urge por ações sistemáticas e continuadas, entre elas na área de atenção básica à saúde, sendo essencial a aplicação dos princípios e diretrizes propostos desde a origem do Sistema Único de Saúde: universalidade, descentralização, equidade, participação popular e controle social; devendo ser implantados respeitando as considerações específicas culturais, epidemiológicas e operacionais desses povos que apesar de tantas adversidades e dificuldades em terem acesso aquilo que é direito deles, não perdem a alegria de viver."

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Comércio: braço forte de Votuporanga

No dia 8 de agosto de 1937 foi fundado o município de Votuporanga. Nove anos depois, surgia a Associação Comercial de Votuporanga, que no dia 18 de outubro, completa 70 anos. Ao longo de quase oito décadas, Votuporanga cresceu a cada dia por meio da força que vem do comércio. Forte e atuante, o setor é responsável por movimentar a economia do município, gerando cerca de 30 mil empregos diretos e indiretos nos 4 mil estabelecimentos.
 
Segundo informações do presidente da ACV, Celso Penha Vasconcelos, os impostos gerados pelo setor voltam em benefícios para a população, como na saúde, educação, cultura, lazer e esporte. "Somente em 2015 foram cerca de 31 milhões de reais em impostos", explica.
 
Ele reforça que "o município nasceu por meio da força de pioneiros que instalaram seus comércios na área central, gerando emprego e atraindo cada vez mais pessoas". Ao longo desse período passaram pela presidência da associação homens que se dedicaram ao progresso da cidade e ao crescimento das atividades comerciais. Um desses comerciantes pioneiros é Manoel Anzai, que presidiu a ACV na gestão de 1979/1980. "A participação individual ou em grupo com o objetivo de proporcionar o bem, com vontade e honestidade, voltadas para o futuro, só traz reconhecimento e evoca saudade. Tenho a convicção de que agi assim, que cumpri minha parte como diretor e presidente da Associação Comercial. Parabéns a todos que fazem da nossa cidade um lugar cada vez melhor".
 
Atualmente, a ACV conta com empresários associados, que desenvolvem o trabalho no setor do comércio, em prestação de serviços, entre outros.
 
 

Ciência no combate à fome

Junji Abe
 
Muita gente que assistiu ao reality show culinário MasterChef Brasil ficou surpresa com o desafio de preparar pratos usando plantas que vê como mato. Taioba, serralha, ora-pro-nóbis, araruta, vinagreira, mangarito, jacatupé, peixinho, azedinha, lírio do brejo, hibisco e tiririca entre outras, são alimentos nutritivos e até medicinais. Em 2050, o mundo terá 9,5 bilhões de moradores, o que demanda aumento de 60% na produção de alimentos. Ciência e vontade política, livres de preconceitos, precisam caminhar juntas para evitar que a humanidade sucumba por falta de comida.
O atendimento à demanda depende de elevar a produção, sem ferir a sustentabilidade do planeta. No caso do trigo, o Brasil alcança, no máximo, metade da produtividade por hectare obtida nos EUA. As hortaliças e frutas, imprescindíveis na dieta saudável, merecem atenção. Daí a importância de cinturões verdes como o de Mogi das Cruzes.
Otimizar a produção de alimentos requer esforço interdisciplinar e multidisciplinar, envolvendo, entre tantas iniciativas, fortes investimentos em pesquisas e uso de altíssima tecnologia também para recuperar áreas degradadas. Ocorre que as maiores instituições brasileiras de pesquisa agonizam por descaso dos governantes que só investem em iniciativas com retorno visível durante seus mandatos.      
Também é preciso reduzir as perdas no trajeto entre o produtor e o consumidor, que alcançam 30%, no caso de hortifrútis. Outro gargalo imenso reside na comercialização, ainda ancorada num retrocesso imperdoável. As Ceasas viraram quase proibitivas para quem cultiva itens perecíveis, por causa das proibições de tráfego de caminhões.
O Brasil também carece de sintonia entre pesquisa, assistência técnica e extensão rural.  Mas, não é só. É preciso privilegiar ferrovias em vez de rodovias, boas estradas rurais, financiamentos acessíveis, seguro rural bom para o produtor (não para bancos), eletrificação, telefonia e acesso à internet, além de reduzir a tributação sobre propriedade, insumos e produção. São medidas fundamentais para aumentar a produtividade, baixar preços, elevar a qualidade e a oferta de alimentos.
Tenho orgulho de ser produtor e líder rural. Luto junto aos políticos desinformados para que enxerguem o campo, além dos votos das cidades. Se a atividade produtora de alimentos, principalmente os hortifrutigranjeiros – onde se concentram os pequenos produtores –, não receber a merecida atenção, a população será sacrificada. Sem querer ser o mensageiro do apocalipse, digo que haverá conflitos muito mais agudos do que os do Oriente Médio. Aparentemente, pela guerra. Porém, numa reflexão mais profunda, por fome.
Junji Abe é líder rural, foi deputado federal pelo PSD-SP (fev/2011-jan/2015) e prefeito de Mogi das Cruzes (2001-2008)