Páginas

sábado, 9 de abril de 2016

Alckmin libera mais R$ 900 mil em convênios para quatro municípios da região de Jales





O governador Geraldo Alckmin liberou nesta terça-feira, 5 de abril, no Palácio dos Bandeirantes, R$ 920.975,45 para três municípios da região de Jales por meio de convênios com a secretaria Agricultura e Abastecimento. "Assinamos convênios para repasses de recursos aos municípios do Estado. São recursos para que as prefeituras possam realizar obras e investimentos para melhorar a vida das pessoas nos seus municípios", destacou o governador Alckmin.
Foram assinados convênios com os municípios de Pontalinda no valor de R$ 325.507,40; Populina no valor de R$ 300.508,74 e Santa Salete na ordem de R$ 214.959,31 totalizando R$ 840.975,45 para recuperar 42,26 quilômetros de estradas rurais por meio do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II – Acesso ao Mercado

O prefeito Elvis Carlos de Sousa,, de Pontalinda disse que "o Programa Microbacias II vai amenizar os problemas de logística de produção de nossa cidade, que foram agravados com as chuvas dos últimos meses, uma vez que os agricultores têm dificuldades em transportar suas produções. Esse convênio vai facilitar o transporte da laranja da região".
Para Sérgio Martins Carrasco, prefeito de Populina, na foto com o secretário Arnaldo Jardim,  "as chuvas no interior foram muito intensas, chegando ao ponto de danificar nossas estradas. Esse recurso, oriundo do Programa Microbacias II, chegou em um momento muito importante, pois precisamos fazer a manutenção desses trechos para que os produtores possam escoar sua produção".
Segundo Deri Molina, prefeito de Santa Salete "a recuperação das estradas pelo Microbacias II trará benefícios aos produtores de citros e de leite e facilitará a vida dos moradores do bairro Poção, o mais populoso do município, situado na zona rural".

As intervenções consistem, principalmente, na reabilitação de trechos críticos nas vias e na manutenção das estradas para agilizar o escoamento da produção e facilitar o deslocamento dos agricultores.

Por meio do Fundo Estadual de Controle da Poluição Ambiental - FECO, gerenciado pela Secretaria do Meio Ambiente, foi assinado convênio com o município de Palmeira d`Oeste no valor de R$ 80 mil para aquisição de um triturador de galhos

Diocese quer assumir Casa de Apoio ao Migrante

Na manhã de quinta-feira, 31 de março, representantes da Diocese e do Município de Jales estiveram sentados à mesa para discutirem a viabilidade de uma parceria objetivando que a administração da Casa de Apoio ao Migrante fique com a responsabilidade de uma entidade Pastoral com a apoio da Prefeitura.

De um lado na mesa, bispo diocesano Dom José Reginaldo Andrietta que esteve acompanhado dos padres Antonio de Jesus Sardinha da Paróquia São Benedito de Urânia e Deoclides Messias Lolis da Paróquia Santo Antonio de Jales, e do outro lado o prefeito Pedro Callado e os secretários José Magalhães Rocha (Planejamento) e Carlos Roberto Cardozo da Silva (Promoção Social)

Segundo a assessoria do prefeito Callado, outros detalhes sobre o assunto serão tratados em reuniões posteriores.

Presentes ao encontro a coordenadora da Casa de Apoio ao Migrante, Sirlei Barrientos Marcelin, a representante do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), Meire Kelly de Souza do Santos, o representante do CREAS, Igor San, o procurador jurídico João Luiz Socorro Lima e o secretário municipal de Administração Francisco Melfi.

Assembleia de Deus Ministério Belém compra aparelhos e doa para o HC Unidade III de Jales


A Assembleia de Deus Ministério Belém, deram uma importante contribuição para o Hospital de Câncer de Barretos – Unidade III de Jales, quando entregou a doação de dois aparelhos que vão auxiliar no tratamento oncológico.

Os aparelhos comprados foram um Aspirador Cirúrgico e um Simulador de ECG. O Aspirador serve para usar no tratamento dos pacientes que estão passando pelo tratamento de Câncer de mama, na parte estética do procedimento, e o Simulador faz a simulação do paciente e com essa análise pode-se verificar se os monitores estão funcionando de forma correta, garantindo assim a segurança do paciente.

A doação feita pela igreja foi possível através de um "Encontro de Mulheres", realizado no dia 17 de outubro de 2015, e teve toda a arrecadação revertida para a compra desses equipamentos.

O evento foi realizado no Clube do Cem em Urânia e contou com a ajuda de todos os membros da igreja de Urânia e as unidades da igreja em Jales.

A Gerente da Captação de Recurso Adriana Mariano e a Assistente de Captação Camila Garcia também prestigiaram o evento e reforçaram a importância de contribuir com esta causa "O Hospital de Câncer Barretos - Unidade III de Jales que realiza 1000 atendimentos/dia, tem todo atendimento SUS, ou seja, sem cobrar nada do paciente. Atendimento de qualidade, e referência no tratamento de Câncer.".

A entrega foi feita na ultima quinta-feira, dia 30, ao Gerente Administrativo Roger Dib, pelo Pastor Presidente da Assembleia de Deus, Claudio Embelino de Oliveira, sua esposa a Pastora Rosângela Noemi Nalini de Oliveira, e as coordenadoras do projeto Keli Preto, Carla Silva, Maria Aparecida da Silva Viveiros.

Keli ressaltou que a ideia principal, era ajudar o Hospital de acordo com a necessidade do momento. "Estamos muitos felizes e satisfeitos pela entrega dos equipamentos. Serão muitas pessoas que terão a oportunidade de reconstruir suas vidas pelo uso desses aparelhos. Quero parabenizar ao Hospital de Câncer de Barretos pelo trabalho que realiza.", finalizou Keli.

Festa do Arroz começa no dia 13 de abril


 
Na semana de atividades em comemoração ao aniversário de fundação da cidade, a Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Meio Ambiente irá realizar no Recinto de Exposição Juvenal Geraldelli (Facip), a Festa do Arroz. O tradicional evento está programado para os dias 13 a 17 de abril. No dia 13, a Festa do Arroz estará aberta ao público no recinto da Facip, das 20h às 24h. Nos demais dias, das 16h às 24h

Este ano, a festa vai contar um pouco da sua história, por meio de um mural com fotos, desde suas primeiras edições até a última, que aconteceu o ano passado. As imagens serão cedidas pela Associação Esportiva Cultural Nipo Jalesense. Além disso, a mostra dos produtos será feira em prateleiras, da mesma forma como foi no começo.

Na feira, o público vai encontrar produtos da região: suco de uva, vinho, mel, algodão, café e milho, que poderão ser comprados na hora. Outra novidade será a apresentação e comercialização de produtos que não são comuns na nossa região, como a pitaya (fruta típica do Nordeste) e a laranja vermelha.

Para trazer essas novidades, os organizadores contam com o apoio do Sindicato Rural de Jales, principal patrocinador este ano, da Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho, Fatec, Instituto Bio Sistêmico (IBS), Coordenadoria de Assistência Técnica Integrada/CATI e da agroindústria do município. A Secretaria de Saúde também vai participar com um stand, com orientação sobre o combate ao Aedes Aegypti e prevenção de Hepatites B e C.

"Nesta edição, queremos resgatar um pouco da história dessa festa tão importante para o setor agropecuário da nossa região. Mostrar como mudou a cultura de plantio em nossa região. Vamos resgatar e recontar a história dos nossos avós e bisavós", ressaltou a agrônoma da Secretaria de Agricultura, Silvia Andreu Avelhaneda Pigari.

Circuito Cultural Paulista apresenta espetáculo gratuito este mês em Jales

O Circuito Cultural Paulista dá continuidade a Temporada 2016 e anuncia as atrações para o mês de abril. O programa, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado, levará mais de 20 espetáculos musicais, de dança, teatro, circo, entre outros, para 110 cidades do interior e litoral paulista.

No sábado, 23 de abril, André Whoong (foto) se apresenta em Jales. Atuando desde 2010 como compositor, produtor e arranjador, lançou no final de 2015 seu primeiro disco, intitulado 1985, que lhe proporcionou a oportunidade de excursionar o Brasil inteiro. O show começa às 22h, na praça Dr. Euplhy Jalles

Este ano, o Circuito Cultural Paulista, executado pela Secretaria da Cultura em parceria com a Organização Social APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte - e com prefeituras municipais, completa 10 anos. Ao longo desse tempo, foram realizadas 5.500 apresentações, prestigiadas por 1,5 milhão de pessoas. Já passaram pela programação nomes como Malvino Salvador, Denise Fraga, Fernanda Montenegro, Barbara Paz, Zélia Ducan, Luiza Possi, Arnaldo Antunes, Guilherme Arantes, Margareth Menezes, João Bosco e muitos outros.

Alunos do Anglo participam de criação de jardinagem pelo programa O Líder em Mim



Na manhã desta quinta-feira, 7 de abril, os alunos do 7º ano do ensino fundamental do Anglo de Jales, realizaram um projeto de Jardinagem no prédio do colégio.

A atividade faz parte do programa "O Líder em Mim" e foi desenvolvido pelo professor de Ciências, Isac Gimenez e da coordenadora pedagógica, Ana Silvia Cavenagui Doho.

O Objetivo do trabalho é fazer com que os alunos tenham mais contato com a natureza, conheçam as espécies vegetais e interajam com outros alunos e funcionários.

Antes da atividade, eles tiveram uma orientação muito didática sobre a importância da arborização para a qualidade do ar e do controle da umidade e da temperatura para a sobrevivência de várias espécies.

Todo o trabalho foi acompanhado pelos profissionais da Ouro Verde Paisagismo, Davisclei e Vitor Hugo, que orientaram o plantio das mudas.

O resultado do trabalho de todos, foi aprendizado, cooperação e um lindo jardim para ser apreciado por todos que passarem pela escola, Anglo Jales.

O homem humanista

*Flávio Carvalho

No artigo de João Martins da Silva sobre a visão de Erich Fromm sobre o homem, nos traz interessantes apontamentos sobre o ser humano. Ele demonstra a sua admiração, não somente pela visão que Fromm tem sobre o ser humano, mas ele demonstra também a sua admiração por este ser humano especial que foi Erich Fromm.

Erich Fromm, um cientista social e psicanalista humanista perspicaz que procurou encontrar o denominador comum entre algumas abordagens influentes, apesar de contraditórias.

Segundo Fromm: "A saúde mental se caracteriza pela capacidade de amar e criar, pela libertação dos vínculos incestuosos com o clã e o solo, por uma sensação de identidade baseada no sentimento de si mesmo como o sujeito e o agente das capacidades próprias, pela captação da realidade interior e exterior, isto é, pelo desenvolvimento da objetividade e da razão."

Fromm ressaltou o amor, o trabalho, a cooperação, a arte e a alegria de viver como pilares fundamentais da natureza humana sadia. Para Fromm, a saúde mental dependeria da satisfação das necessidades impostas pelas condições de existência, e o conceito seria o mesmo para os homens de todas as épocas:

E Fromm afirmou, com base em ampla experiência clínica e estudos, que o ser humano se defronta com algumas opções, de cujo equilíbrio depende a sua saúde mental: a) relacionar-se com o outro ou cultivar o narcisismo; b) evoluir pela liberação de suas tendências criadoras ou involuir pela vazão de suas tendências destrutivas; c) assumir a fraternidade ou praticar o incesto; d) optar pela individualidade ou pela conformidade gregária; e) submeter-se à razão ou agir de forma irracional.

Fromm destacou que o homem tem necessidades existenciais, além de ser portador de paixões que se vinculam ao seu caráter por meio de condições neurofisiológicas e sociais. A não satisfação dessas necessidades afetaria a saúde mental e colocaria em risco a paz social, pois, poderia desenvolver desde o homem apático e incapaz de produzir até o homem obstinado pela ideia de produção e poder a qualquer custo, ainda que isso significasse a destruição da vida.

Considero as obras de Erich Fromm como uma das fontes mais sensatas para se refletir sobre a natureza humana universal, bem como sobre as particularidades que moldam o seu caráter. Sua síntese sobre o assunto pode ser encontrada no livro Análise do Homem. Outras obras interessantes, na minha opinião, são: A Arte de Amar e Psicanálise da Sociedade Contemporânea.

De uma maneira geral, toda tentativa de afetar o comportamento humano explora suas necessidades, desejos e emoções de amor e de medo. O detentor do conhecimento sobre a natureza humana pode tornar-se um hábil manipulador, razão pela qual Erich Fromm desconfiava do interesse das empresas por pesquisas comportamentais. Entretanto, a única arma efetiva contra a manipulação é o conhecimento da própria natureza visando ao autocontrole, caso não se queira ser controlado de fora.

A visão de Fromm sobre o ser humano, seus apontamentos e ideias sobre este, se faz viva, através de suas obras e técnicas psicanalíticas contidas naPsicanálise Humanista.

Com tanta violência, corrupção, ódio, constatamos que os pensamentos de Fromm estão mais atuais que nunca, o que falta hoje para a humanidade é AMOR.


*Flávio Rodrigo Masson Carvalho

equilibriumtc@hotmail.com


Câncer: a difícil tarefa de contabilizar as perdas e a sabedoria de reconhecer os ganhos

 


*Por Letícia Sauthier (foto)
 
 
"O câncer me tirou tudo!" Não raras vezes escutamos frases assim de pacientes e familiares cuja vida foi atingida por essa cruel enfermidade. De fato, enfrentar o câncer, assim como outras doenças graves, é uma árdua batalha.

Mais do que expressar um pensamento, trago neste texto um breve relato do que minha família viveu no ano passado, quando nos deparamos com o diagnóstico dado ao meu pai: câncer no esôfago.
Realmente as "perdas" já começam com a chegada da notícia. Perda de rumo, de certezas e convicções. Surgem os medos e inseguranças, conflitos e questionamentos. A vida passa depressa na cabeça, como um filme. Começa então uma rotina de exames, de idas e vindas a médicos, laboratórios, clínicas e hospitais. Muitas vezes adentra-se, pela primeira vez, neste universo obscuro e distante do cotidiano. Começa uma de corrida contra o tempo.

A vida toma outra direção e passa a ser habitada por pessoas e locais diferentes. Surge um novo vocabulário, complexo e desconhecido, de nomes grandes e esquisitos, laudos, biópsias e resultados. Os dias acontecem dentro de um hospital, numa fila de espera, nas idas e vindas das autorizações, dos agendamentos e cancelamentos.

Sim, perde-se a autonomia de "ir e vir" livremente. Perde-se dias de trabalho, a capacidade de trabalhar e até mesmo o emprego. Perde-se o controle da vida, o controle do corpo. Perdem-se a noção do tempo e a certeza de quanto tempo ainda lhe resta. Vão-se embora os conhecidos e faz doer a perda dos que eram "amigos".

As roupas já não cabem, perde-se o apetite, o cabelo, a pele corada e a aparência saudável. Perde-se a mama, ou o esôfago, ou o útero, perde-se a voz....

E afinal, realmente perde-se tudo? Não! Não e não!

Sabedoria é conseguir reconhecer os ganhos em meio ao caos gerado pelo excesso de perdas. É enxergar essas perdas como podas que, bem aproveitadas, fazem surgir um broto novo.

O câncer pode trazer o ganho da família que se une, que deixa pra lá picuinhas e desavenças com aquilo que já não tem tanto valor assim, que divide o fardo e se ajuda mutuamente para que todos consigam seguir em frente.

Ganha-se com lágrimas que não são choradas sozinhas, mas divididas com aqueles que mais amamos. Ganha-se fé, porque nos descobrimos pequenos e frágeis e totalmente dependentes de Deus. Ganha-se com essa presença de Quem nunca nos abandona.

Ganham-se novos amigos e uma nova família: a filha do senhor do leito ao lado, as enfermeiras que se revezam dia e noite nos cuidados, o rapaz que senta ao lado na sala da quimioterapia ou aquela menina que caminha pelo corredor tendo num dos braços a boneca e no outro o equipo.

Ganha-se com as histórias de vida narradas nos corredores do hospital, expressas na prece de quem está ajoelhado na capela ou por quem anda inquietamente na sala de espera do bloco cirúrgico. Ganha-se quando os médicos trazem notícias de melhora e até mesmo da lenta recuperação.

Ganha-se quando se entende que o tempo não é em vão e que cada minuto vale ouro e deve ser aproveitado e vivido como dom precioso. Ganha-se com gestos de generosidade de pessoas desconhecidas, daqueles de quem menos se espera, mas, especialmente, daqueles íntimos que se unem a nós. Ganha-se naquela comida preparada com amor, seguindo a orientação médica para que seja bem aceita pelo organismo. Ganha-se com aquela sobremesa predileta que viajou algumas horas e foi mandada por alguém que faz uma visita. Ganha-se com o desenho de uma criança da família, que na sua simplicidade diz que ama e tudo vai ficar bem, mesmo sem compreender o que se passa.

Ganha-se têmpera e resiliência! Amor e capacidade de amar mais. Ganha-se quando quem está do lado faz de tudo para aliviar um pouco o sofrimento. Ganha-se com uma mensagem de carinho e apoio que chega no celular ou por uma voz embargada no telefone. Ganha-se quando as pessoas se unem numa corrente de oração e fé capaz de devolver o brilho nos olhos. Ganha-se nas gentilezas das pequenas e grandes atitudes.

Enfim, realmente são muitas as perdas e elas são comuns a todos os impactados e atingidos pelo câncer. Já os ganhos não, eles são como pedra preciosa vasculhada e encontrada no garimpo, reservada àqueles que conseguem ir no profundo e ver além.

O câncer já não é mais uma sentença de morte e é possível ficar curado. Mas a luta é ainda muito exigente e o tratamento desgastante. Não é possível vencer sem apoio, sem suporte, sem fé.

E assim, quando e se a pior de todas as perdas chegar, a morte, também neste momento será preciso conservar no coração a certeza do maior de todos os ganhos: a vida eterna. No céu está o nosso tesouro!

*Leticia Sauthier Medeiros é missionaria da Comunidade Canção Nova

Jales tem 39 casos de H1N1 notificados

Profissionais de saúde da região receberem capacitação sobre H1N1

Médicos e enfermeiros pertencentes à GVE XXX–Grupos Regionais de Vigilância Epidemiológica que abrangem os municípios das regiões de Jales, Santa Fé do Sul e Fernandópolis, participaram, na quinta-feira, 31 de março, de um encontro de capacitação sobre Influenza A (H1N1). O encontro foi uma iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde e do GVE, com apoio do SAE/CTA-Serviço de Atendimento Especializado e Centro de Testagem e Aconselhamento.
A capacitação foi ministrada pelo médico infectologista Maurício Favaleça e pela enfermeira Sandra Voltan, representantes da GVE XXX e do SAE/CTA. O objetivo foi reciclar os profissionais sobre o assunto, revisando a conduta e relembrando normas, para que sigam à risca o protocolo de atendimento, os procedimentos e cuidados com os sintomas da gripe.
Os principais temas abordados foram os dados epidemiológicos da doença, medidas de prevenção e controle, protocolo de atendimento e encaminhamento e recomendações gerais.

Os principais sintomas da gripe A (H1N1) são infecção aguda das vias aéreas e febre, em geral mais acentuada em crianças do que em adultos. Também podem surgir calafrios, mal-estar, dor de cabeça e de garganta, moleza e tosse seca, além de diarréia, vômito, fadiga e rouquidão.

A prevenção da doença é feita com regras básicas de higiene, como cobrir a boca ao tossir ou espirrar e lavar as mãos com frequência. Também se deve evitar permanecer por muito tempo em ambientes fechados, sem ventilação e com aglomeração de pessoas.

Casos – Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, até este dia 5 de abril, o município de Jales teve 39 casos notificados da doença; destes 15 foram confirmados positivos para influenza A (H1N1), 3 positivos para influenza B e 21 negativos.

Vacinação – A campanha nacional de vacinação contra influenza começa no dia 30 de abril. A vacina gripe é atualizada todos os anos para adequá-la aos vírus circulantes naquela estação e protegem contra 3 subtipos do vírus da gripe, incluindo a influenza A (H1N1), e são voltadas a grupos alvos prioritários como idosos acima de 60 anos, gestantes, crianças de 6 meses a 5 anos, portadores de doença crônica, trabalhadores de saúde e indígenas.

A vacinação será realizada nas UBS: ESF Francisco Xavier Rego, ESF Shiguero Kitayama, ESF Getúlio de Carvalho, ESF Ozil Joaquim Resende, ESF Zilda Arns, ESF Luis Ernesto Sandi Mori e no Núcleo Central de Saúde.

Famílias carentes devem se cadastrar no Fundo Social para receberem doações da Campanha do Agasalho

 
Enquanto implementa a etapa inicial da Campanha do Agasalho 2016, o Fundo Social de Solidariedade está orientando as famílias carentes de Jales que pretendam receber as doações deste ano, para que compareçam até o dia 29 de abril, em sua sede, na Rua 6, nº 2338, no centro, para o necessário cadastramento.

Um representante da família pode fazer o cadastro levando comprovante de residência e documento de identidade. Será preciso informar o número de membros da família e suas respectivas idades, para a destinação dos agasalhos. Quem já fez a inscrição nos anos anteriores também precisa procurar a coordenação para recadastramento.

As peças serão destinadas a famílias em situação de vulnerabilidade social do município. No ano passado, cerca de quinhentas famílias se beneficiaram com agasalhos, calçados, cobertores e enxovais, num total de mais de 10 mil peças.

De acordo com a presidente do Fundo Social, Lucia Callado (foto), a data do Arrastão da Solidariedade ainda será divulgada. Os interessados em antecipar suas doações, podem levá-las ao Fundo Social. "A campanha tem curta duração, mas o fundo social recebe doações durante todo ano e repassa aos mais necessitados", informou Lúcia.

Santa Casa de Jales enfatiza trabalho de humanização

 
Na manhã de terça-feira, 29 de março, no Centro de Estudos da Santa Casa, estiveram presentes as articuladoras da humanização da DRS XV de São José do Rio Preto e da atenção básica do município de Jales. O propósito da reunião foi reestabelecer a humanização e enfatizar alguns princípios para a excelência na aplicação de planos de trabalho.

Desde o início de 2016 a instituição vem reformulando e dando continuidade ao Grupo de Trabalho de Humanização, GTH, o qual consiste em abranger gestores e a própria administração hospitalar com o objetivo de elaborar, discutir e implantar ações que visam a melhoria da qualidade e prestação dos serviços aos usuários, bem como, aos colaboradores no próprio ambiente de trabalho.

A reunião teve a presença de todos os membros do GTH, sendo eles dos setores, Educação Continuada, Recursos Humanos, Ouvidoria, Serviço Social, Responsável Técnica da Enfermagem, Administração, Recepção e Hotelaria, tal como do provedor, José Devanir Rodrigues, o Garça, que acompanhou as explicações e sugestões.

"A humanização preza em proporcionar aos pacientes e acompanhantes uma atenção acolhedora, humana e resolutiva. Para isso, está sendo pleiteado a gestação de alto risco e a instalação de novos leitos de UTI Neonatal, que são fatores importantíssimos para qualificar ainda mais a nossa instituição e melhorar o aspecto humanizado".
O administrador Valdenis Márcio Neves, acompanhou as articuladoras em uma visita aos setores materno-infantil do hospital. Na ocasião, as visitantes expuseram várias propostas dentre elas a importância da retomada do GTH, da participação da Ouvidoria como elo de ligação entre pacientes e gestão, a relevância da alta responsável e qualificada ao idoso, gestante e criança.

Para o supervisor administrativo interno/Hotelaria e presidente do GTH, Eider M. Nestor, as articuladoras forneceram ideias inovadoras capazes de mudar a estrutura para lidar com o pós alta e sugestões que auxiliaram o sistema de humanização dos usuários internos e externos da Santa Casa. "Foi uma conversa muito rica, da qual tiramos o maior proveito possível para pensar no melhor para os usuários".

As reuniões serão quinzenais e a equipe do GTH continuará dando continuidade às atividades, realizando as adequações de humanização no âmbito hospitalar, tratamento ao espaço físico, profissional e relações interpessoais.

Famílias brasileiras pagaram mais de R$ 320 bilhões em juros em 2015, aponta FecomercioSP

Em 2015, os consumidores brasileiros pagaram mais de R$ 320 bilhões (ou mais de 5% do PIB) em juros, de acordo com estudo realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), com base nos dados do Banco Central e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estratégica (IBGE). Ao todo, as famílias dispensaram o equivalente a 5,2% do PIB nacional para um saldo de dívida de R$ 803 bilhões.

De acordo com a assessoria econômica da Federação, mesmo com a redução do tamanho da dívida das famílias (de -7,3% na comparação com 2014), o desembolso para pagar juros, que havia se reduzido em 2014 (-1,8%), voltou a subir (4,7%). Isso porque a taxa média de juros, que também havia caído em 2014, subiu e superou os 46% ao ano.

Segundo a FecomercioSP, a crise e a elevação da taxa Selic ao longo de 2015 levaram as famílias brasileiras a pagar mais juros e consumir menos, pois, além se ter sofrido com a alta dos preços e o aumento do desemprego, boa parte da sua renda ficou comprometida com o pagamento dos encargos. A piora do perfil da dívida, mais concentrada em linhas emergenciais, com juros mais altos, também contribuiu para esse resultado. Para 2016, a expectativa é que o setor financeiro deva cortar ainda mais as linhas de crédito e as famílias tenham menos condições de pagar, em razão do desemprego e dos juros maiores. Dessa forma, a tendência é de aumentos do número de contas em atraso e do valor total desse atraso. Só em 2015, as famílias deixaram de pagar mais de R$ 92 bilhões entre juros e dívidas.

Mesmo com o saldo real de empréstimos diminuindo desde 2013, o valor pago de juros pelas famílias aumentou no ano passado. Para a Entidade, a retração das dívidas é reflexo da reação dos consumidores e do sistema financeiro frente à crise econômica. Os bancos não querem emprestar tanto quanto antes, temendo o aumento da inadimplência, enquanto as famílias evitam se endividar mais. Isso permitiu uma diminuição do risco de uma explosão de inadimplência. Por outro lado, inviabilizou grande parte do consumo, com consequente redução das vendas no varejo - resultado agravado pelo aumento dos juros

Segundo a FecomercioSP, as perdas do comércio varejista foram de quase 10% no seu faturamento em 2015. Os economistas da Entidade estimaram que uma queda das taxas de juros ao consumidor para patamares ao redor de 20% a 25% ao ano poderia levar o faturamento do comércio para o R$ 1,75 trilhão atingido em 2014. Ou seja, só o excedente pago de juros teria sido suficiente para o varejo melhorar em 10% suas vendas.

A Entidade reforça que as altas taxas de juros são resultado de desequilíbrios macroeconômicos que acabam impondo transferências de centenas de bilhões do governo e dos consumidores para o sistema financeiro. Em relação a um ambiente econômico normal, os gastos adicionais (excedentes) com juros, nas perspectivas da Federação, são atualmente de mais de R$ 250 bilhões (ao menos R$ 100 bilhões do governo e R$ 150 bilhões das famílias) ao ano, o que equivale a oito vezes a arrecadação de uma eventual CPMF, dez vezes os gastos do programa Bolsa Família (ou 5% do PIB) e mais de 15% de todo o faturamento do varejo.

Contas do governo – Outro agravante das altas taxas de juros é o déficit nas contas do governo, que, em 2015, arrecadou R$ 1,3 trilhão e gastou R$ 1,4 trilhão - déficit de R$100 bilhões; só de juros, porém, o governo pagou R$ 210 bilhões. Para a Federação, se houvesse controle fiscal, o governo precisaria de muito menos recursos, pagaria menos juros e teria menor dificuldade de rolar suas dívidas. O ganho de confiança seria enorme e a trajetória da relação entre dívida e PIB seria decrescente.

Segundo a Entidade, qualquer melhoria no cenário, portanto, passa necessariamente por um forte ajuste fiscal, já que o atual desequilíbrio é causa (e não consequência) da crise.

Reflexões: Autoamor

Adelvair David
 
 
 
As sombras que se fazem aparecer no comportamento humano são decorrentes da falta do autoamor.
Sem o amor a si mesmo, segue comumente o homem transitando pelas estradas dos enganos culpando a tudo e a todos pelos seus insucessos, pelas suas quedas e pelos seus fracassos.
A falta ao autoamor tira a clareza de como se deve enxergar a vida. A pessoa não percebe o óbvio, faz negócios estranhos e cede ao que não devia e se comporta indevidamente diante da sua e da vida dos outros.
Não é difícil entender-se o que seja o autoamor, porém, complexo é colocar-se em prática. O exercício de qualquer das paixões inferiores denuncia a sua falta. Hipnotizado pela conveniência da sua vontade fraca, cede sempre ao que não deve e quando descoberto não consegue a princípio entender a indignação das pessoas, por estar atordoado pelo choque da realidade. Mesmo que não possua qualquer sentimento de religiosidade há de se convir que seja necessário que a sociedade tenha um rumo ético, disciplinado com regras que precisam ser respeitadas para que seja possível que todos vivenciem os mesmos direitos e deveres, sem privilégios ou concessões indevidas. Muitos dos males que a humanidade tem de suportar socialmente tem raízes no desrespeito às instituições, pelo egoísmo que impera anestesiando a dignidade das criaturas que as representam.
Observa-se que o detido olhar para se fazer o que se deve e não o que se quer, faz com que o homem, sob qualquer ideologia positiva, consiga viver amorosamente com o seu semelhante e possa contribuir para o bem de todos e de tudo, inclusive do sucesso da sua própria vida. O desejo de ver os outros felizes, o trabalho incessante para combater os maus pendores, faz com que os olhos se iluminem e permitam uma visão mais otimista e justa mesmo diante de contrariedades. Quem assim procede, desfruta mais dos bons momentos da vida e do próprio êxito, não reclama e tem o coração em paz, pois sabe que está fazendo tudo o que lhe compete diante dos seus deveres para com a vida.
Nem sempre quem alcança a glória humana é feliz e não raras vezes deseja fugir da vida, aniquilando a existência desastradamente pelas vias do suicídio, anunciando que nada do que vem de fora é garantia de paz e completude íntima. Somente o autoamor pode dar à pessoa o que lhe garantirá uma vida exitosa. Por teimar nos comportamentos indevidos é que muitos aguardam na fieira das reencarnações que se sucedem dolorosas, o momento de ser feliz. Sem castigo, mas responsável pelo que faz, segue o homem retardando o entendimento de que, somente ele, é o responsável pela vida que tem e que terá.
Afirmou o bom Senhor: "a cada um segundo as suas obras".
AMAR-SE É QUERER SEMPRE O BEM.
 

Editais de Proclamas

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interina do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

RUY CEZAR SEMENZIN e RAFAELA SOARES VALERIO. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 23 de fevereiro de 1.988, auxiliar financeiro, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade de Jales, filho de CARLOS CEZAR SEMENZIN, falecido e de CÉLIZ REGINA SALVADOR SEMENZIN. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 09 de agosto de 1.988, técnica de segurança do trabalho, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de NIVALDO APARECIDO VALERIO e de LUDNEI LOPES SOARES VALERIO.

ISRAEL MARTINS RIBEIRO e MARIA VONETE DA SILVA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 17 de abril de 1.967, motorista, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de DEOLINDO MARTINS RIBEIRO e de RAQUEL IZABEL DE AGUIAR RIBEIRO. ELA, natural de Cruzeiro do Oeste, Estado do Paraná, nascido aos 25 de setembro de 1.969, costureira, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de JOSÉ FRANISCO DA SILVA, falecido e de MARIA ARLINDA DA SILVA.

ALESSANDRO AUGUSTO CAVALCANTI VESCHI e LILIAN CARLA BUENO DE MAGALHAIS. ELE, natural de São José do Rio Preto, deste Estado, nascido aos 27 de maio de 1.985, médico, solteiro, residente e domiciliado em Magda, deste Estado, filho de CLAUDEMIR AFONSO VESCHI e de EDINAY MARIA CAVALCANTI VESCHI. ELA, natural de Santana da Ponte Pensa, deste Estado, nascida aos 21 de outubro de 1.983, enfermeira, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de ANTONIO CARLOS BUENO DE MAGALHAIS e de BATISTINA GARCIA DE MAGALHAIS. Cópia para ser afixada no Registro Civil de Magda, deste Estado, residência do contraente.

FABIANO RODRIGO DA SILVA e LUANA DA CUNHA ROCHA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 09 de fevereiro de 1.980, solteiro, contador, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de CARIVALDO GONZADA DA SILVA e de SANDRA REGINA ZARGOLIN DA SILVA. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 23 de maio de 1.985, assistente social, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de LUIZ DE LIMA ROCHA e de LEILI APARECIDA DA SILVA CUNHA ROCHA.

ANTONIO ROBERTO ARCHILLIA FLORES e LAURA MARIA DA SILVA LIMA. ELE, natural de Tanabi, deste Estado, nascido aos 27 de janeiro de 1.964, empresário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de DIOGO ARCHILLIA FLORES e de APARECIDA LEHN ARCHILLIA, falecidos. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 20 de outubro de 1.968, fotografa, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de JOSÉ ALVES DA SILVA e de THEREZINHA APARECIDA DA SILVA.

JULIO WAKAYAMA e LÍDIA TOKIE HIGA. ELE, natural de Orindiuva, deste Estado, nascido aos 05 de maio de 1.967, agricultor, solteiro, residente e domiciliado neste Distrito, filho de JOSÉ WAKAYAMA e de YOCHIE WATANABE WAKAYAMA. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 20 de dezembro de 1.974, viticultora, solteira, residente e domiciliada neste Distrito, filha de SHINKITI HIGA e de FUMIE UEHARA HIGA.

RAFAEL LIMA ROCHA e JHIENIFFER LAIS LOPES. ELE, natural de Urânia, deste Estado, nascido aos 10 de novembro de 1.995, autônomo, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de JOÃO BATISTA LIMA ROCHA e de NEUSA APARECIDA DA ROCHA LIMA. ELA, natural de Jales, deste Estado, aos 11 de julho de 1.997, estudante, solteira, residente e domiciliada em Paranapuã, deste Estado, filha de JAIRO LOPES e de SELMA LILIANE CAVALLARI LOPES. Cópia para ser afixada no Registro Civil de Paranapuã, SP., residência da contraente.

ÁRLON JONES FAZAN e THAYNARA OLIVEIRA COLAVITE. ELE, natural de Catanduva, deste Estado, nascido aos 22 de julho de 1.996, autônomo, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de SINVAL APARECIDO FAZAN e de SILVANA BORGES FAZAN. ELA, natural de Estrela D’Oeste, deste Estado, nascido aos 02 de agosto de 1.996, estudante, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de MARCELO COLAVITE e de SHEILA PATRICIA DE OLIVEIRA COLAVITE.

ROGER LOURENÇO DE PAULA PIMENTEL e MAGALI PRADA. ELE, natural de São Paulo, deste Estado, nascido aos 26 de novembro de 1.978, trabalhador rural, solteiro, residente e domiciliado neste Distrito, filho de CARLOS PIMENTEL e de IRACI LOURENÇA DE PAULA. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 26 de outubro de 1.966, trabalhadora rural, divorciada, residente e domiciliada neste Distrito, filha de BENEDITO PRADA e de FLORIZA DE CAMPOS PRADA, falecida.

JOSÉ ODÍLIO ROCHA e EDNIR MARASCA. ELE, natural de São José do Rio Preto, deste Estado, nascido aos 04 de junho de l.962, magarefe, solteiro, residente e domiciliado em Estrela D’Oeste, deste Estado, filho de MARIA DA SILVA ROCHA. ELA, natural de Urânia, deste Estado, nascida aos 25 de julho de 1.965, auxiliar de limpeza, divorciada, filha de DAVID MARASCA e de MARIA PAULINA MARETI MARASCA. Cópia recebida do Oficial de Registro civil de Estrela D’Oeste – SP, onde se processa a habilitação.

LUSIVALDO JUNIOR BATISTA DE LIMA e MARIA LUCIA DIAS DE LIMA. ELE, natural de Pontalinda, deste Estado, nascido aos 06 de novembro de 1.971, ajudante de caminhoneiro, solteiro, residente e domiciliado neste Distrito, filho de EDUARDO BATISTA DE LIMA e de ADELINA MARIA FERREIRA LIMA. ELA, natural de Dirce Reis, deste Estado, nascida aos 08 de fevereiro de 1.971, doméstica, solteira, residente e domiciliada neste Distrito, filha de MAXIMIANO DIAS DE LIMA e de BELARMINA MARIA DA SILVA.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina

Tiquinho assume o PSD, e se coloca como pré-candidato a prefeito

 
O vereador Nivaldo Batista de Oliveira (Tiquinho), presidente da Câmara Municipal de Jales, anunciou, nesta quarta-feira, 6 de abril, que é o novo presidente do Partido Social Democrático - PSD de Jales.
Tiquinho disputou sua primeira eleição em 2012 pelo Partido Democrático (DEM) e obteve 1.448 votos. Ele ingressou no PSD a convite do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, seu fundador e atual presidente nacional. Ele foi eleito em 2014 para presidir a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Jales no ano seguinte e reconduzido cargo em eleição no mês de dezembro de 2015.

Tiquinho terá como vice-presidente no Diretório Municipal, Edmilson Lázaro. Ao assumir a presidência do partido, Tiquinho afirmou que o PSD tem a pretensão de lançar um candidato a prefeito às próximas eleições municipais, "e eu coloco meu nome à disposição do PSD".

Dentre diversas diretrizes, o PSD defende o Direito de propriedade, o voto distrital, o assistencialismo, a liberdade de imprensa, a promoção da igualdade, a Reforma Trabalhista, a responsabilidade fiscal e a democracia partidária, com prévias para escolha de seus líderes.

FOLHAGERAL

Com
a aproximação das eleições municipais, prováveis candidatos são citados pelos eleitores. Em Urânia, por exemplo, as conversas nas rodinhas dão conta que dois funcionários públicos – um municipal e outro federal – podem se enfrentar nas urnas. Por enquanto, são apenas conversas. Mas, atenção. Idéias podem amadurecer e virar realidade.
Os vereadores
Gilberto Alexandre de Moraes, Jesus Martins Batista, Luís Fernando Rosalino, Pérola Maria Fonseca Cardoso e Rivail Rodrigues Júnior querem informações do prefeito Pedro Callado sobre a execução do projeto de revitalização e urbanização do Bosque Municipal "Aristóphano Brasileiro de Souza".
De acordo
com os edis, o bosque municipal foi revitalizado e urbanizado com investimentos de consideráveis recursos públicos mas, apesar disso, está hoje em situação de abandono. De fato, o local não tem condições de ser frequentado pela população local. Menos ainda de ser atrativo a visitantes na cidade, como seria de esperar de um Bosque Municipal.
O presidente
da Câmara Municipal de Jales, Nivaldo Batista de Oliveira (Tiquinho), colocou seu nome como pré-candidato a prefeito pelo PSD. Não se deve esquecer: Tiquinho é um empresário vencedor. Tem condições de aglutinar forças para vencer desafios da eleição e da gestão municipal. Mas agora não é possível saber qual seja o seu real projeto político.
Os tucanos
Jorge Pegolo e Carlos Roberto Cardozo da Silva se exoneraram dos cargos de secretários municipais para concorrerem a vagas na Câmara Municipal. Na história política recente, o PSDB em Jales foi apoio e se tornou figura principal. Mas não acendeu o entusiasmo da população. Este é o primeiro problema dos seus candidatos.
O PPS
de Juliano de Matos recebeu os reforços – para o pleito deste ano – de Irineu de Carvalho, Ricardo Junqueira e Vanderley dos Santos (Delei). Este último deixa o DEM. O presidente do PPS, Juliano de Matos, disse que o seu partido está com uma lista de nomes excelentes para compor sua chapa. Ótimo. Vamos aguardar o plano de governo.
Na sessão
ordinária de segunda-feira (11), os vereadores vão apreciar (em primeira e única discussão) e votar o projeto de lei do Executivo, concedendo R$ 15.495,48 de subsídio mensal à concessionária dos serviços públicos de Transporte Coletivos no Município. O valor é uma espécie de ajuda de custa pelo transportes de idosos, deficiente, estudantes e outros.
O transporte
coletivo costuma ser visto como um problema que afeta a vida e a economia das pessoas nas grandes cidades. Não é bem assim. Em qualquer cidade, onde ele existe, o transporte coletivo de boa qualidade é bastante utilizado e respeitado pela população.
Circularam

boatos de que o pré-candidato Flá Prandi não disputaria o pleito municipal este ano em virtude de, no tempo hábil, não se desincompatibilizar do seu cargo de diretor regional do CDHU. Segundo fontes, sua desincompatibilização tem o prazo de quatro meses antes das eleições. Essas conversas fazem aumentar no meio político as dúvidas sobre a participação do DEM nas eleições com chapa própria.
O deputado
estadual Carlão Pignatari, o prefeito Junior Marão e o vereador Meidão Kanso – todos de Votuporanga – reiteraram ao Estado o pedido de instalação de um restaurante Bom Prato em sua cidade. Eles estiveram em audiência, nesta quarta-feira (06 abril), com o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro. A reivindicação é de autoria dos vereadores Meidão Kanso e Silvão Carvalho de Souza.
O Bom Prato
é um programa do governo estadual paulista com a finalidade de oferecer refeições de ótima qualidade e preços reduzidos à população. Criado em 2000 e hoje com 50 unidades, os restaurantes Bom Prato são um sucesso. O custo de cada refeição é de R$ 3,20. O governo paulista custeia R$ 2,20 e o consumidor paga R$ 1,00. No café da manhã, o preço é R$ 0,50. Alimentação saudável, nutritiva, balanceada e limpa.
Corre
à boca pequena, no mundo político, que a ex-prefeita Nice Mistilides pensa em colocar seu nome à disposição para eventual candidatura. Os analistas políticos, lá do botequim da vila, se mostraram dúbios se ela se enquadra ou não na Lei da Ficha Limpa. Candidatos com sentença judicial transitada em julgado ou com parecer desfavorável do Tribunal de Contas do Estado às suas contas e aprovado pela Câmara Municipal não podem disputar o pleito.
Cassada
em fevereiro de 2015 por supostas irregularidades em sua administração, Nice recorre junto aos tribunais em tentativas de reverter a situação. Não conseguiu ainda nenhuma decisão favorável, inclusive no TJSP mas pode se defender nos tribunais superiores. Tudo indica que ela chora pelo leite derramado. Na visão dos eleitores, ela não admite que agiu diferente das promessas feitas e não assume novas atitudes políticas perante a comunidade.
A indiferença
dos políticos às vozes da população é um erro que se repete com graves conseqüências. As pessoas se afundam em problemas não resolvidos pelos políticos. Desemprego, greves, inflação, violência e outros males estão por toda parte para comprovar. Da sua parte, os políticos se afundam em mares de incompetência. Em Brasília, os próprios políticos estão preocupados sem saber como e quando vão voltar a governar o país.

Sociedade orfã

*José Renato Nalini

Uma das explicações para a situação de anomia que a sociedade humana enfrenta em nossos dias é o de que ela se tornou órfã. Com efeito. A fragmentação da família, a perda de importância da figura paterna – e também a materna – a irrelevância da Igreja e da Escola em múltiplos ambientes, gera um convívio amorfo. Predomina o egoísmo, o consumismo, o êxtase momentâneo por sensações baratas, a ilusão do sexo, a volúpia da velocidade, o desencanto e o niilismo.

Uma sociedade órfã vai se socorrer de instâncias que substituam a tíbia parentalidade. O Estado assume esse papel de provedor e se assenhoreia de incumbências que não seriam dele. Afinal, Estado é instrumento de coordenação do convívio, assegurador das condições essenciais a que indivíduos e grupos intermediários possam atender à sua vocação. Muito ajuda o Estado que não atrapalha. Que permite o desenvolvimento pleno da iniciativa privada. Apenas controlando excessos, garantindo igualdade de oportunidades e só respondendo por missões elementares e básicas. Segurança e Justiça, como emblemáticas. Tudo o mais, deveria ser providenciado pelos particulares.

Lamentavelmente, não é isso o que ocorre. Da feição "gendarme", na concepção do "laissez faire, laissez passer", de mero observador, o Estado moderno assumiu a fisionomia do "welfare state". Ou seja: considerou-se responsável por inúmeras outras tarefas, formatando exteriorizações múltiplas para vencê-las, auto-atribuindo-se de tamanhos encargos, que deles não deu mais conta.

A população se acostumou a reivindicar. Tudo aquilo que antigamente era fruto do trabalho, do esforço, do sacrifício e do empenho, passou à categoria de "direito". E de "direito fundamental", ou seja, aquele que não pode ser negado e que deve ser usufruído por todas as pessoas.

A proliferação de direitos fundamentais causou a trivialização do conceito de direito e, com esse nome, começaram a ser exigíveis desejos, aspirações, anseios, vontades mimadas e até utopias. Tudo a ser propiciado por um Estado que se tornou onipotente, onisciente, onipresente e perdeu a característica de instrumento, para se converter em finalidade.

Todas as reivindicações encontram eco no Estado-babá, cuja outra face é o Estado-polvo, tentacular, interventor e intervencionista. Para seu sustento, agrava a arrecadação, penaliza o contribuinte, inventa tributos e é inflexível ao cobrá-los.

Vive-se a paranoia de um Estado a cada dia maior. Inflado, inchado, inflamado e ineficiente. Sob suas formas tradicionais – Executivo, Legislativo e Judiciário. Todas elas alvo fácil das exigências, cabidas e descabidas, de uma legião ávida por assistência integral. Desde o pré-natal à sepultura, tudo tem de ser oferecido pelo Estado. E assim se acumulam demandas junto ao Governo, junto ao Parlamento, junto ao sistema Justiça.

O Brasil é um caso emblemático. Passa ao restante do globo a sensação de que todos litigam contra todos. São mais de 106 milhões de processos em curso. Mais da metade deles não precisaria estar na Justiça. Mas é preciso atender também ao mercado jurídico, ainda promissor e ainda aliciante de milhões de jovens que se iludem, mas que poderão enfrentar dificuldades irremovíveis num futuro próximo.

No dia em que a população perceber que ela não precisa ser órfã e que a receita para um Brasil melhor está no resgate dos valores esgarçados: no reforço da família, da escola, da Igreja e do convívio fraterno. Não no viés facilitado de acreditar que a orfandade será corrigida por um Estado que está capenga e perplexo, pois já não sabe como honrar suas ambiciosas promessas de tornar todos ricos e felizes.


*José Renato Nalini é Secretário de Estado da Educação de São Paulo

Câmara de Jales outorga Medalha XV de Abril e Título de “Cidadão Jalesense” na terça-feira, 12 de abril

Acontece as 20 horas de terça-feira, 12 de abril, no "Plenário Tancredo Neves" da Câmara Municipal de Jales, a sessão solene para entrega de Títulos de "Cidadão Jalesense" e Medalhas XV de Abril.

Serão homenageados com a Medalha XV de Abril: Marino Manella, em reconhecimento às notáveis contribuições para o desenvolvimento do basquete na cidade de Jales, a ponto de torná-lo uma referência nacional nas últimas décadas do século XX , e o Juiz de Direito da Vara do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Jales, Fernando Antônio de Lima, em reconhecimento aos seus notáveis serviços prestados como magistrado em Jales.







 A Medalha XV de Abril foi instituída pela Resolução nº 03/95, de 25 de abril de 1995, originada de um Projeto de Resolução de autoria do vereador Ari Dalton Martins Moreira e é uma honraria destinada a quem se distingue por atos de coragem, altruísmo, notável sucesso profissional ou relevantes serviços prestados ao município.



 
Na sessão solene recebe o título de "Cidadã Jalesense" Eunice Carvalho Diniz pelo seu apoio à construção de uma ala do Hospital de Câncer de Barretos – Unidade III Jales, e o titulo de "Cidadão Jalesense" o delegado de polícia Sebastião Biazi, pela prestação de serviços, notadamente na preservação da ordem, da paz e da segurança da cidade, e o professor de educação física José Antônio de Carvalho que durante a sua trajetória como árbitro internacional de voleibol levou e enalteceu o nome de Jales para o mundo.

O título de "Cidadão Jalesense" é outorgado pelo Poder Legislativo à pessoas que, reconhecidamente, tenham prestado relevantes serviços ao Município. A concessão desta honraria está prevista no Artigo 19, XIV, da Lei Orgânica do Município de Jales.

Chico Xavier - PROFILAXIA

por André Luiz

Se a maledicência visita o seu caminho, use o silêncio antes que a lama revolvida se transforme em tóxicos letais.

Se a cólera explode ao seu lado, use a prece, a fim de que o incêndio não se comunique às regiões menos abrigadas de sua alma.

Se a incompreensão lhe atira pedradas, use o silêncio, em seu próprio favor, imobilizando os monstros mentais que a crueldade desencadeia nas almas frágeis e enfermiças.

Se a antipatia gratuita surpreende as suas manifestações de amor, use a prece, facilitando a obra da fraternidade, que o Mestre nos legou.

O silêncio e a prece são os antídotos do mal, amparando o Reino do Senhor, ainda nascente no mundo.

Se você pretende a paz no setor de trabalho que Jesus lhe confiou, não se esqueça dessa profilaxia da alma, imprescindível à vitória sobre a treva e sobre nós mesmos.

Psicografado por Chico Xavier


 
 
Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da
                    "Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.
 
 

Urgência e equilibrio

Dom Demétrio Valentini Bispo Emérito de Jales


O Brasil está precisando sair, urgentemente, da crise em que se encontra. Ela atingiu um nível perigoso, que pede equilíbrio e responsabilidade de todos, para que se evite, em absoluto, o risco de uma convulsão social, que pode degenerar para a desordem e para a violência, com graves consequências para toda a nação.

A hora é de grandeza de ânimo e de disposição para o diálogo, e não para retaliações e represálias mesquinhas e irresponsáveis.

A gravidade da crise pede um novo patamar de entendimento político, que garanta a possibilidade de um consenso maior, que resulte num projeto de enfrentamento global dos problemas gerados pela crise generalizada em que o país se vê envolvido.

Para chegarmos rapidamente a este novo consenso, se requer, indiscutivelmente, o respeito à ordem constitucional, que se torna tanto mais necessária quanto mais grave for a situação.

As normas constitucionais são referência indispensável, para se ter um ponto de partida firme e seguro para todos.

O respeito absoluto à constituição leva ao fulcro da crise política em que o país foi mergulhado.

É evidente e inequívoco que a crise política foi agudizada pela instauração do processo de impeachment, ora em tramitação no Congresso Nacional.

Com clareza e lealdade, é preciso constatar que este processo tem um equívoco de origem, que o torna espúrio e perverso. Pois ele foi introduzido como instrumento de represália contra o Executivo por parte do Presidente da Câmara Federal, que usou do seu cargo para proteger interesses pessoais.

Além desta origem espúria, que por só já seria suficiente para sua rejeição, o processo de impeachment não tem consistência objetiva. Pois não existe o que a Constituição pede para estes casos, isto é, que tenha havido delitos graves e claros por parte do governante. As acusações são inconsistentes.

Agora, criado o impasse, cabe ao Congresso Nacional encaminhar a sua solução. Para que se saia rapidamente deste atoleiro político em que a nação foi lançada de maneira irresponsável, o Congresso tem os instrumentos em suas mãos.

A solução mais rápida, e recomendável, é que a própria Comissão criada para analisar o pedido de impeachment o rejeite, e o elimine de vez, para deixar o campo livre para os urgentes entendimentos para a definição de um amplo e generoso conjunto de medidas para o adequado enfrentamento desta crise, que ameaça o futuro do país.

O caminho constitucional está traçado. Cabe a cada um de nós, mas sobretudo aos detentores dos Poderes Públicos, agir com lealdade e nobreza de ânimo, para o bem do povo brasileiro.

A crise traz os graves riscos que a acompanham. Mas oferece a oportunidade de deixar para a história o testemunho patriótico de nossa geração.

A hora é agora. O Brasil precisa de nossa participação lúcida e responsável.



Prefeitura de Urânia executa mais uma etapa de recape asfáltico

A administração municipal de Urânia, através do prefeito Airton Saracuza, está executando mais uma etapa de recape asfáltico nas vias publicas da cidade. Foram beneficiadas com o melhoramento, as ruas localizadas no bairro Nossa Senhora de Fátima.

O benefício aos moradores do bairro e à toda a população, evidentemente, só está sendo possível graças a uma emenda parlamentar apresentada pelo deputado federal Paulo Maluf (PP) ao orçamento da União, e os recursos liberados.
Segundo o prefeito Saracuza, existe ainda para este ano, a previsão de mais uma etapa de recape asfáltico a ser executado na cidade . "Quero deixar a cidade inteira recapeada com um bom pavimento asfáltico", afirmou Saracuza.

Leis

por Reginaldo Villazón

 
Estamos num tempo de grandes alterações no país e no mundo. Por vezes, ficamos animados com tantas possibilidades novas de progresso. Outras vezes, ficamos apreensivos em face de notícias dramáticas que nos colocam dentro de um barco sem destino em águas revoltas. Brasileiros que somos, continuamos a achar que temos sorte de viver num país pacífico. Mas a crise política, econômica e social que enfrentamos parece que vai se arrastar por longo tempo, produzindo consequências dolorosas antes da melhora geral.

Assistimos nos noticiários o desfile de homens vestidos de ternos impecáveis, donos de gestos estudados e palavras escolhidas, explicando com convicção as causas da crise e as soluções. Mas eles falam coisas diferentes e divergem suas opiniões. O fato de existir juristas de qualidade excelente no país não impede que eles confundam o povo. Nós temos uma boa percepção dos acontecimentos que abalam o país, mas já não temos firmeza sobre o que é certo ou errado do ponto de vista institucional.

Em recente programa Roda Viva (04.04.2016) na TV Cultura, o jornalista José Nêumanne Pinto afirmou direto ao entrevistado, ministro do STF Marco Aurélio Mello, que o Supremo Tribunal Federal é tolerante nos seus julgamentos, contribuindo para a impunidade. O ministro entrevistado desconversou, disse que tem opinião diferente, mas não deu resposta. De fato, basta assistir na TV as sessões do plenário do STF para ver que os seus ministros valorizam as doutrinas do Direito sem focar o objetivo principal de promover a justiça.

A baixa eficiência do judiciário é um fato comprovado no mundo. Em primeiro lugar está a baixa eficiência econômica. Nosso exemplo. O STF tem mais de mil funcionários e custa R$ 1,7 milhão por dia. Um disparate. Em relação à produtividade, em todo o país há acúmulo de processos que tramitam devagar por vários anos. A qualidade discutível de muitos julgamentos é outra medida de baixa eficiência do nosso judiciário.

Os juízes gostam de dizer que não se deixam influenciar pelo clamor das ruas. Que respeitam o direito de todas as pessoas em verbalizar suas opiniões sobre os casos. Mas que levam em conta nas suas decisões apenas o conteúdo dos processos. Estas posturas se revelam insensatas, quando se avalia o quanto elas contribuem para injustiças. Justiça cega não é justiça. A aplicação cega das leis tem colocado inocentes nos presídios e garantido liberdade a culpados cheios de dinheiro.

As leis permitem que sejam aplicadas com foco na justiça. E a corrupção só poderá ser será controlada com a melhoria da eficiência jurídica. Uma reação tem movido profissionais do judiciário contra o fraco desempenho das suas instituições. O bom exemplo brasileiro é a operação Lava Jato: em dois anos condenou mais de 90 pessoas a penas que somam mais de 900 anos. Muitos políticos corruptos ainda não se deram conta disso. Pois as coisas mudam, na maior parte das vezes devagar. Mas elas mudam.