Páginas

sábado, 30 de janeiro de 2016

O livro

Reginaldo Villazón

As estatísticas são necessárias para a avaliação de acontecimentos e indispensáveis para a elaboração de planejamentos. Todos os dias, tomamos conhecimento de dados estatísticos levantados por estudiosos em todas as áreas. À medida que o país se desenvolve, as estatísticas vão se tornando uma rotina. Se chegam à condição de mania, podem mais atrapalhar do que ajudar. Nós nos vemos incluídos nas estatísticas de pessoas que vão sofrer diabetes, hepatite, infarto. E de pessoas que vão morrer num navio, num trem, num elevador.

Na prática, nós podemos estar bem situados numa empreitada de apenas 10% de probabilidade de sucesso. E pior em outra de mais de 90% de probabilidade de êxito. Depende de aprofundar o assunto para usar as estatísticas com bom proveito. É válido que tomemos providências para nos manter afastados das estatísticas ruins e nos manter próximos das boas. Agir com responsabilidade, contornar riscos e cuidar da saúde pode privilegiar quem assim decide fazer. Isto é saber usar as estatísticas com sabedoria.

Em 2014, uma estatística publicada sobre os povos que mais se dedicam à leitura (avaliados em horas de leitura por pessoa) revelou dados surpreendentes. A lista foi encabeçada por países asiáticos: (1) Índia, (2) Tailândia, (3) China e (4) Filipinas. Depois, vieram: (5) Egito, (6) República Checa e (7) Rússia. Povos ilustres ocuparam posições sem destaque: (9) França, (21) Canadá, (22) Alemanha, (23) Estados Unidos, (24) Itália, (26) Reino Unido. Nosso país ficou na cauda da lista de trinta povos: (27) Brasil.

Em 2015, uma estatística publicada sobre os povos mais ricos (avaliados em renda por pessoa) também causou surpresas. Os primeiros: (1) Qatar, (2) Luxemburgo, (3) Cingapura, (4) Noruega, (5) Brunei, (6) Hong Kong, (7) Estados Unidos, (8) Emirados Árabes, (9) Suíça e (10) Austrália. Outros povos: (77) Brasil, (90) China, (130) Índia. Vemos que esta lista não guarda relação com a anterior. Ou seja, os povos que mais lêem não são os mais ricos. Basta vermos a Índia e a China nas duas listas. O Brasil, fraco também nesta lista de 184 povos.

Em 2015, também foi divulgada uma estatística sobre povos de melhor desempenho em educação (avaliados em provas de ciências e matemática a estudantes). As cinco primeiras posições ficaram com países asiáticos: (1) Cingapura, (2) Hong Kong, (3) Coréia do Sul, (4) Japão e (5) Taiwan. Outros países: (10) Canadá, (13) Alemanha, (20) Reino Unido, (21) República Checa, (23) França, (26) Luxemburgo, (28) Itália, (29) Estados Unidos, (34) Rússia. Houve coerências com a primeira estatística. De novo, fraco entre 76 povos: (60) Brasil.

Reunindo estatísticas, podemos ver conexões por trás das incoerências. Seria infame negar que o hábito da leitura (como do estudo) desenvolve os processos mentais, melhora as decisões, promove a cidadania. Os povos asiáticos devem ser olhados de forma positiva. Se os indianos e chineses lêem muito, mas não estão ricos, é uma questão de tempo. Eles estão se desenvolvendo e superando a miséria. Ler mais não garante riqueza e felicidade, mas qualifica os candidatos a realizar estas justas aspirações.

Feliz aniversário

 
A Diocese de Jales festeja duplamente neste domingo, 31 de janeiro de 2016, dois importantes eventos.

O primeiro, deve se iniciar logo ao amanhecer quando os diocesanos vão cumprimentar o ilustre aniversariante, o bispo D. Demétrio Valentini (foto) que estará completando seu septuagésimo sexto ano de vida.

E o segundo, acontece às 10 horas, na Catedral Nossa Senhora da Assunção, com a posse de D. José Reginaldo Andrietta como bispo diocesano de Jales.


Detran.SP ianugura seção de trânsito em Santa Salete

A diretora-vice-presidente do Detran.SP, Neiva Aparecida Doretto, inaugurou nesta sexta-feira, 29 de janeiro, a seção de trânsito de Santa Salete.
O novo espaço dispõe de infraestrutura moderna, inclusive com condições de acessibilidade, e oferece os serviços relativos a veículos, como licenciamento, transferência de propriedade e lacração.
Para serviços relacionados à Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o cidadão deve procurar a unidade de atendimento de Urânia, à qual a seção de trânsito de Cosmorama é vinculada.
"O novo padrão de atendimento do Detran.SP prima pela excelência e agilidade nos serviços de trânsito e é com muito orgulho que trazemos esse modelo aos moradores de Santa Salete", destacou Neiva.
Localizada na rua Vitório Stachissini, 1.170, Centro, a seção funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h30 e das 14h às 17 horas.

Dois aninhos


Neste sábado, 30 de janeiro, festejando seus dois aninhos Carlos Otávio Barateli Silva, filho de Lilian Belletti Baratteli e Carlos Roberto Barateli. Felizes pelo neto estão os avós Carlos Roberto Barateli e Maria Sirlei Bolonhesi

CIPA da Santa Casa realiza novo projeto em prol ao meio ambiente

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes da Santa Casa de Jales (CIPA) criou um novo projeto chamado "Saúde e Natureza", que visa cuidar do canteiro central localizado em frente ao hospital, mantendo o lugar limpo e conservado. 

Na quinta-feira, 21 de janeiro, começaram os trabalhos de limpeza, os cipeiros e alguns funcionários colocaram a mão na massa e realizaram o plantio de 100 mudas, entre plantas ornamentais e árvores.
O provedor, José Devanir Rodrigues, Garça, esteve presente e acompanhou todo o trabalho realizado. "É gratificante ver a iniciativa dos nossos colaboradores, em especial dos membros da CIPA da Santa Casa. Parabenizo a todos pela brilhante ideia e desenvoltura na execução do projeto, demonstrando sensibilidade no convívio entre o ser humano e a natureza. Que isso sirva de exemplo para outras pessoas, pois se nos unirmos e fortalecermos essa harmonia, com certeza teremos um mundo bem melhor".

De acordo com o presidente da CIPA, Paulo Lima, a proposta do projeto é conceder uma atenção especial ao meio ambiente. "Cuidar da natureza é responsabilidade de todos nós, por isso, tomamos a atitude de preservar o espaço verde que temos em frente ao nosso hospital. Além de ficar mais bonito, será um benefício ao meio ambiente".

O projeto conta com a colaboração da Serralheria Harfer que irá doar as placas de metal que serão instaladas no canteiro, identificando que o local está sendo cuidado pela Santa Casa, e a empresa MR2 Soluções Visuais, que concederá gratuitamente os adesivos.

Dignidade Humana

*Flávio Carvalho

Ter DIGNIDADE ou SER DIGNO, expressa uma qualidade da pessoa humana que supõe merecimento de algo considerado valioso.

A dignidade é essencialmente um atributo da pessoa humana: pelo simples fato de "ser" humana, a pessoa merece todo o respeito, independentemente de sua origem, raça, sexo, idade, estado civil ou condição social e econômica.

Todos os homens são essencialmente iguais, perante Deus e perante os outros homens. O homem vale mais pelo que é do que pelo que tem.

Nesta sociedade, Eu não sou melhor que ninguém, mas também não existe ninguém melhor do que Eu!

Os Sistemas Sociais são conjunto de ideias, normas, regras que dizem respeito a sociedade; é a vida do homem organizada em comunidades em país ou nação; são também entendidas aqui as regras políticas, as posições ideológicas, a ciência dos fenômenos referentes ao estado. É o conjunto dos objetivos que formam determinado programa de ação governamental.

O mundo moderno está praticamente dividido entre 4 sistemas, formando dois grandes blocos: o LIBERALISMO/CAPITALISMO e o SOCIALISMO/COMUNISMO.

Os sistemas sociais, quaisquer que eles sejam são impotentes para sozinhos, implantar no mundo a justiça social. Nenhum deles apresenta propostas eficazes, porque nenhum deles é centrado no respeito à dignidade da pessoa humana.

O homem só se realiza plenamente e vive num ambiente de paz, justiça e amor, respeitando uns aos outros e praticando o Bem.

Falar da dignidade da pessoa humana é falar de um valor singular, inalienável que cada pessoa tem e que deve ser respeitado sempre.

Este valor singular, que é a dignidade da pessoa humana, nos é apresentado como uma chamada ao respeito incondicionado e absoluto. Um respeito que deve ser estendido a todos os que o possui: a todos os seres humanos.

Ainda que toda a sociedade, unanimemente, resolvesse deixar de respeitar a dignidade humana, esta continuaria sendo uma realidade presente em cada cidadão.

Mesmo quando alguns são relegados a um tratamento indigno, perseguidos, presos ou eliminados este desprezo não muda em nada seu valor incomensurável, haja vista que por sua mesma natureza, pela mesma força de pertencer à espécie humana, todo ser humano é em si mesmo digno e merecedor de respeito.

A defesa da dignidade das pessoas não compete, exclusivamente, aos indivíduos. O Estado, em particular, tem o DEVER de proteger os direitos de cada uma delas, POIS, a Constituição Federal, em seu artigo 1º, aponta A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA como um dos cinco fundamentos da organização do Estado brasileiro.

De acordo com a Carta Magna, a dignidade da pessoa humana é um valor supremo que atrai o conteúdo de todos os direitos fundamentais do homem, desde o direito à vida.

A Dignidade da Pessoa Humana deve ser entendida como o absoluto respeito aos direitos fundamentais, assegurando-se condições dignas de existência para todos e o efetivo exercício dos diversos direitos previstos legalmente...

É, efetivamente, poder exercer a CIDADANIA!!!


*Flávio Rodrigo Masson Carvalho

equilibriumyc@hotmail.com


Bruno, da dupla Bruno & Marrone, se apresentará em projeto solo no Carnaval


O cantor Bruno, da dupla sertaneja Bruno & Marrone, se apresentará em projeto solo no dia 06 de fevereiro na primeira edição do Carnapeão, evento que acontece em Santa Fé do Sul. Essa será a primeira vez que o artista cumpre agenda no carnaval, desde que iniciou sua carreira há 30 anos.
O evento, que será realizado entre os dias 5 e 9 de fevereiro, será o maior do país com cunho sertanejo durante o Carnaval. Para isso a organização não poupou esforços e montou uma grade de atrações que reúne o supra-sumo da vertente, são elas: Gusttavo Lima, Bruno (Bruno & Marrone), Israel Novaes, Pedro Paulo& Alex e George Henrique & Rodrigo. É claro que não poderia faltar um pouco de música eletrônica para mesclar e completar a festa, o line up também conta com nomes de peso do cenário nacional: Alok (DJ número 1 do Brasil), Ely Yabu (DJ residente P12 – Jurerê Internacional), Les Femmes, Saxen, BPM e Strings.
"Estávamos atrás de um nome de peso do sertanejo para o sábado e fizemos a proposta para o Bruno, que topou a idéia com entusiasmo. O dia é um dos mais vendidos na opção de ‘Convites Diários’, sucesso absoluto." Comenta o organizador Erlei Melo.
Carnapeão – A Estrutura do Carnapeão 2016 será em formato arena e dividida em três espaços: Pista (open bar: cerveja refrigerante e água), Camarote Prime (open bar: cerveja, refrigerante, água e coquetéis) e Camarote Gold (open bar: cerveja, refrigerante, água, coquetéis, uísque 12 anos, vodca importada, água de coco e open food). Evento 100% abadá.
O palco contará com dimensões impressionantes: 60m de largura, 12m de altura e 12m de profundidade. Dois telões de alta definição e som e iluminação de última geração. A produção executiva do evento leva a chancela da Sonatta Produções e Eventos e produção artística da Kalli Produções Artísticas.
Brasil Sertanejo – O Brasil é o país da música sertaneja e os dados mostram isso. Segundo a Crowley Broadcast Analysis Brasil, das 100 musicas mais tocadas nas rádios do país em 2015, 74 são sertanejas e 26 estão divididas em outros seguimentos musicais. "O brasileiro é apaixonado pela música sertaneja, contra números não há argumentos. É por isso que resolvemos apostar no Carnapeão, um evento totalmente voltado para esse público." Comenta Erlei Melo, proprietário da Sonatta Produções e Eventos.
Santa Fé do Sul – Santa Fé do Sul- SP é uma das 30 estâncias turísticas do Estado de São Paulo, status concedido por sua geografia privilegiada: banhada pelos rios Paraná e São José dos Dourados, além de forte preservação ambiental. Conta com grande infra-estrutura e diversas opções de hospedagem: hotéis, pousadas, ranchos de aluguel, além do Parque Ecoturístico das Águas Claras (camping gratuito mantido pela administração municipal), totalizando cerca de 30 mil vagas disponíveis.

Secretaria Municipal de Saúde organiza mutirão voluntário de combate à dengue

Está em andamento a preparação de um mutirão voluntário de orientação e combate contra o mosquito transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya.

O mutirão acontecerá aos sábados e domingos. Funcionários da Secretaria Municipal de Saúde, voluntários e clubes de serviços vão percorrer ruas e avenidas de cada setor da cidade, conversando com os moradores e prestando informações sobre como eliminar, dentro de casas e quintais, os "criadouros" das larvas do mosquito Aedes aegypti.

De acordo com o cronograma da Secretaria de Saúde, o primeiro mutirão acontece neste final de semana, nos dias 30 e 31 de janeiro, e irá percorrer as ruas do Jardim Oiti, das 07h às 13 horas. As próximas datas da campanha já estão definidas para os dias 20, 21, 27 e 28 de fevereiro; 19, 20, 26 e 27 de março. Os bairros serão divulgados oportunamente.

Qualquer pessoa pode participar do mutirão como voluntário. Todos serão treinados pela equipe responsável pelo trabalho antidengue na cidade, formada por servidores da Secretaria Municipal de Saúde.

Os voluntários serão divididos em duplas e irão percorrer as quadras dos bairros junto com as demais equipes de combate. Cada um receberá material informativo e crachá de identificação.

Para se candidatar basta se inscrever no site www.jales.sp.gov.br ou através do telefone 0800 772 00 63.

Câncer de intestino é o segundo tipo mais comum em mulheres e o terceiro em homens

Embora o câncer de intestino seja um dos tipos mais comuns no Brasil, ainda pouco se fala sobre a doença. Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), a estimativa é que, em 2016, 17.620 mulheres e 16.660 homens sejam diagnosticados com o problema. A incidência só é menor que mama, nas mulheres, e pele e próstata, nos homens. Por ser uma enfermidade que não apresenta sintomas em estágio inicial, é preciso ficar atento: o risco de desenvolver a doença aumenta depois dos 40 anos. Pessoas com mais de 50 anos chegam a representar 90% dos casos de câncer de intestino.

"Com o desenvolvimento do tumor, alguns sintomas podem se manifestar, como mudanças no hábito intestinal (constipação ou diarreia), anemia, fraqueza, cólica abdominal, sensação de evacuação incompleta, sangramento pelo reto e emagrecimento repentino. Ao perceber essas alterações, é importante procurar um médico. Apenas um especialista poderá analisar os sinais e dar o diagnóstico correto", orienta o oncologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Augusto Pereira.

Exames de colonoscopia e retossigmoidoscopia podem ser indicados para localizar o tumor no intestino e remover os pólipos (lesões que se assemelham a verrugas). O material retirado é enviado para biópsia, que vai analisar o tipo do tumor e o estágio da doença. "O estágio pode ser inicial (I ou II), com tumor restrito ao intestino; avançado (III), com acometimento dos linfonodos; ou metastático (IV), com lesões em outros órgãos", explica.

O tratamento varia de acordo com o estágio da doença. "A cirurgia para retirada do tumor é a modalidade inicial de tratamento, nos estágios de I a III. Por meio de uma análise, é possível prever o risco da doença voltar e a necessidade de quimioterapia. Em paciente com metástases em outros órgãos, a quimioterapia é o tratamento de escolha. Se diagnosticado precocemente, o câncer de intestino apresenta uma chance de cura acima de 90%", revela o especialista.

Após o tratamento, é preciso realizar acompanhamento médico a cada três ou seis meses, por até cinco anos. "Pacientes com histórico de câncer de intestino têm maior risco de desenvolver um segundo tumor. Por isso, devem realizar os exames de rastreamento conforme orientação médica e evitar fatores que possam aumentar o risco de câncer, como tabagismo, obesidade, sedentarismo, ingestão carnes vermelhas, alimentos processados e álcool", alerta.

"Apesar de frequente, o número de casos de câncer de intestino vem diminuindo. Estatísticas mundiais mostraram a queda de 4% ao ano na incidência da doença de 2008 a 2011 e a diminuição de 35% na mortalidade de 1990 a 2007. As reduções da incidência e mortalidade foram possíveis devido ao rastreamento de pacientes sadios, detecção precoce da doença e inovações nas modalidades de tratamento. Porém, hábitos que contribuem com a boa saúde do intestino continuam a ser a melhor forma de prevenir o problema", finaliza Pereira.

Jales acolhe seu quarto bispo diocesano

D. Demétrio Valentini

Neste domingo dia 31 de janeiro de 2016, a Diocese de Jales acolhe seu quarto Bispo Diocesano, na pessoa de Dom José Reginaldo Andrietta. O momento é propício para um olhar retrospectivo sobre a história da Diocese, desde o seu primeiro Bispo, Dom Arthur Horsthuis, vindo em seguida Dom Luiz Eugênio Perez, e passando pelo longo período de Dom Luiz Demétrio Valentini, até a posse do quarto Bispo Dom José Reginaldo Andrietta.

Sabemos que as narrativas históricas dependem bastante da referência que se toma para relatar os fatos. Em se tratando da história de uma Diocese, também haveria constatações importantes a fazer, a partir de diversos personagens ou acontecimentos significativos que tiveram influências na história da Diocese. Mas não restam dúvidas de que, tomando os bispos como referência, temos um quadro histórico bem definido e preciso. Por conseguinte, a posse de um novo bispo nos proporciona uma boa oportunidade para fazer uma leitura adequada e pertinente dos fatos mais significativos que conformam a trajetória histórica da Diocese.

O primeiro bispo, Dom Arthur, era um padre holandês, da congregação dos Assuncionistas. Sua escolha significou o reconhecimento do trabalho pastoral realizado por esta Congregação no território que iria constituir a nova Diocese de Jales. Foi a Congregação dos Assuncionistas que avalizou a criação da Diocese. Tanto que era intenção da Nunciatura que a Diocese ficaria aos seus cuidados, "pelo menos por 50 anos", como afirmou o Núncio Dom Armando Lombardi, na audiência concedida a Dom Arthur.

Coube a Dom Arthur comprovar que a aposta no futuro, como tinha sido a criação de uma diocese sem a mínima estrutura organizativa, tinha sido válida, e era possível levá-la em frente, contando com a pronta adesão das comunidades, que iam surgindo com a chegada das levas de migrantes que procediam de diversas partes do país em busca das terras férteis e baratas da região. E contando também com a permanência da Congregação dos Assuncionistas, que se supunha estável e garantida.

Mas já nos primeiros anos do seu ministério episcopal, Dom Arthur experimentou as dificuldades provenientes da crescente escassez do clero assuncionista, e o início do forte êxodo rural rumo aos grandes centros urbanos do Estado, que estancou o crescimento populacional das comunidades rurais, que eram características nesta região.

Este contexto problemático se acentuou com a doença de Dom Arthur, que o levou a renunciar em 1968, quando em seguida a Diocese foi administrada por um ano e meio pelo Bispo Auxiliar de Ribeirão Preto, Dom Miele.

A nomeação do segundo Bispo, Dom Luiz Eugênio Perez, brasileiro, proveniente do clero diocesano de Ribeirão Preto, significou a consciência de que era necessário dar à Diocese uma feição mais identificada com a realidade brasileira, e mais assumida pelos próprios leigos, com a animação de um clero diocesano.

Esta opção, válida e certeira, precisou enfrentar a carência de padres diocesanos, e vivenciar as tensões provenientes da incipiente implantação da renovação eclesial, proposta com generosidade pelo Concílio, mas que ainda não dispunha de condições favoráveis para ser efetivada. A valorização dos movimentos leigos foi a estratégia adotada para suprir a evidente e escassez de clero.

Dom Perez ficou dez anos à frente da Diocese, quando foi transferido para a diocese de Jaboticabal. A diocese então ficou vacante, por um ano inteiro, fato que traduzia a dificuldade de levar em frente a Diocese, nas condições em que se encontrava.

Foi então que aconteceu a inesperada nomeação de um padre diocesano, jovem, proveniente do Rio Grande do Sul, para ser o Bispo de Jales. Sua inarredável opção de priorizar a consolidação da estrutura administrativa e pastoral da Diocese, implicou na sua permanência de mais de trinta anos, garantindo a implementação progressiva dum projeto consistente de diocese que pudesse contar com a solidez das comunidades, e com a atuação de um clero diocesano em número satisfatório.

No início do quarto mandato episcopal, a Diocese de Jales pode contar com a consolidação de uma caminhada eclesial, que viabilize, tranquilamente, sua continuidade.

É a herança que Dom Reginaldo recebe, com a incumbência de levá-la em frente.



Editais de Proclamas

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interina do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

DANILO DIAS ROSSI e MIRELA CARLA MATHEUS AGOSTINI. ELE, natural de Araçatuba, deste Estado, nascido aos 08 de fevereiro de 1.979, piloto comercial avião, solteiro, residente e domiciliado em Jales, deste Estado, filho de José Rossi e de Maria Carmem Dias Rossi. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 17 de junho de 1.988, fisioterapeuta, solteira, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de José Edenás Agostini e de Sueli Aparecida Matheus.

BRUNO HENRIQUE DA SILVA MARQUES e DANIELA DA SILVA BERNARDES. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 21 de maio de 1.990, pintor, solteiro, residente e domiciliado em Jales, deste Estado, filho de Antonio Sanches Marques e de Aparecida Augusta da Silva. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 17 de junho de 1.993, promotora de vendas, solteira, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de Valdeir Bernardes e de Roselena Marconato da Silva.

RONALDO ALVES DOS SANTOS e NAYARA BATISTA DA SILVA ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 16 de janeiro de 1.996, técnico em enfermagem, solteiro, residente e domiciliado em Jales, deste Estado, filho de Reginaldo dos Santos e de Zélia Alves dos Santos. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 27 de novembro de 1.995, estudante, solteira, residente e domiciliada em Jales, deste Estado, filha de Edson Batista da Silva Junior de Clair Batista da Silva.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina


MPF em Jales: balanço da atuação em 2015 inclui 73 denúncias criminais e bloqueio de mais de R$ 21,5 milhões

O Ministério Público Federal em Jales (SP) apresentou 73 denúncias criminais à Justiça Federal em 2015. A atuação da unidade no combate ao crime contou também com a instauração de 10 investigações e 25 requisições de inquéritos à Polícia Federal. Entre os delitos cuja investigação cabe ao MPF estão desvio de recursos da União, tráfico internacional de drogas, contrabando, sonegação de tributos federais, moeda falsa, pedofilia na internet e crimes ambientais.

Na área cível, os procuradores da República Carlos Alberto dos Rios Junior e José Rubens Plates, que atuam em Jales, instauraram 48 inquéritos e ajuizaram cinco ações civis públicas relacionadas, entre outras áreas, à defesa do meio ambiente, à proteção do consumidor e à melhoria dos serviços públicos. Também foram expedidas 66 recomendações, instrumento utilizado pelo MPF para exigir de agentes públicos o cumprimento de suas obrigações, sem a necessidade de acionar a Justiça. Os procuradores participaram ainda de 73 audiências judiciais e realizaram duas audiências públicas.

Corrupção - Houve também atuação no combate à corrupção, com o ajuizamento de cinco ações de improbidade administrativa e a coleta de quase 5 mil assinaturas de apoio à campanha "10 medidas contra a corrupção", que busca tornar mais eficaz a punição de agentes corruptos por meio de mudanças na legislação. Além disso, foram bloqueados judicialmente cerca de R$ 21,5 milhões.

A atuação do órgão no combate a esses ilícitos contou ainda com a adesão ao projeto do Ranking Nacional dos Portais da Transparência, com o objetivo de garantir que todas as cidades da região disponibilizem suas informações financeiras na internet. Os 40 municípios da Subseção Judiciária de Jales receberam recomendações para sanar as irregularidades apontadas. A unidade também se engajou no projeto "Ministério Público pela Educação" (Mpeduc), com o intuito de acompanhar a execução das políticas públicas em educação e a adequada destinação dos recursos públicos.

Fazem parte da Subseção Judiciária de Jales os municípios de Aparecida D Oeste, Aspásia, Auriflama, Dirce Reis, Dolcinópolis, Estrela D’Oeste, Fernandópolis, General Salgado, Guarani D’Oeste, Guzolândia, Indiaporã, Jales, Macedônia, Marinópolis, Meridiano, Mesópolis, Mira Estrela, Nova Canaã Paulista, Nova Castilho, Ouroeste, Palmeira D’Oeste, Paranapuã, Pedranópolis, Pontalinda, Populina, Rubinéia, Santa Albertina, Santa Clara D’Oeste, Santa Fé do Sul, Santa Rita D’Oeste, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, São Francisco, São João das Duas Pontes, São João de Iracema, Suzanápolis, Três Fronteiras, Turmalina, Urânia e Vitória Brasil.

Quem deve educar

José Renato Nalini


Educação é um projeto complexo que significa explorar as potencialidades do ser educando até atingir a plenitude possível, no pressuposto de que a criatura é um ser com vocação de perfectibilidade.

A quem compete educar? No Estado de direito de índole democrática, assim como o nosso, a educação é um "direito de todos". Mas é um dever compartilhado entre o Estado e a família e "será promovida com a colaboração da sociedade" (artigo 205 da CF). Seus objetivos: o "pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho".

Numa sociedade estável e de predominância rural, o berço foi a melhor escola. Padrões familiares alicerçados em valores como ombridade, probidade, respeito ao próximo, principalmente aos mais velhos, polidez, delicadeza, eram transmitidos em casa. À autoridade materna para o relacionamento com os outros, adicionava-se a experiência paterna para insculpir conceitos como a dignidade do trabalho, a conquista da ascensão profissional mediante o percurso dos degraus do trabalho, do esforço, do empenho e do protagonismo.

O veloz esvaziamento dos campos, a conurbação acelerada e a profunda mutação da sociedade de informação trouxeram legiões para uma periferia que não é apenas metafórica. A revolução feminina priorizou para a mulher a conquista de outros espaços de reconhecimento, em detrimento da missão educadora.

Uma equivocada visão do que deva ser o governo, idealizado como instrumento favorecedor da iniciativa individual e grupal, enfatizou as dificuldades na implementação de um processo educativo consensual.

Anote-se que a sociedade contemporânea se caracteriza por uma única espécie de consenso: a absoluta falta de consenso a respeito de todo e qualquer assunto.

Mas a Constituição é clara e explícita: a educação é dever da família, não apenas do Estado. Até porque, não se confundem educação e ensino. Se a educação é "direito de todos", não há termo final para fazê-la cessar. É um aprendizado vitalício. Aprende-se até o último dia de permanência no planeta. Aprende-se até com a morte, inevitável encontro que está marcado, queiramos ou não.

Ao Estado competiria propiciar ensino público gratuito em estabelecimentos oficiais, garantir a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber e assegurar o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, na coexistência pacífica entre instituições públicas e privadas de ensino.

O pressuposto para o ensino público é que a criança chegue à escola provida de sólida educação de berço. O testemunho de muitos professores não avalia essa tese. Grande número dos heroicos mestres que tentam ensinar filhos alheios enquanto os seus, muita vez, também são privados da constante atenção materno/paterna, ao enfrentarem intolerável falta de respeito e sofrerem agressões verbais e mesmo físicas, são acometidos de inúmeras síndromes. É preocupante a dimensão de professores afastados por motivo de ausência de higidez física ou mental para o manejo das classes.

O clamor por qualidade na educação é legítimo, porém precisa ser dosado com a responsabilidade pessoal de cada mãe, pai ou quem esteja no lugar deles, nessa fragmentada e mutante instituição chamada família.

Nada substitui a autoridade e a coerência dos pais na formação do caráter. E construí-lo adequadamente não é função precípua da escola.

O ensino tem de ser propiciado de maneira a seduzir o educando, fazendo com que a frequência e a assiduidade à escola seja motivo de prazer e de alegria. A ciência produziu milhares de propostas pedagógicas e elas devem conviver no pluralismo determinado pelo constituinte. As iniciativas experimentais necessitam de estímulo, notadamente se elas têm o condão de atrair a juventude e torná-la mais interessada do que as aulas expositivas, que já surtiram seus efeitos e hoje não conseguem seduzir a mocidade digital.

As escolas devem ser centros de convergência de todos os interesses da comunidade em que estão situadas. Acolher eventos, sediar festivais, festas, exposições, teatro, cinema, campeonatos de toda espécie. Ponto de encontro que faça parte da vida e da História do bairro e que por seus moradores seja preservada, mantida e defendida.

A vinculação entre o egresso e a escola é fundamental. Assim como o cultivo da história do estabelecimento. O culto ao seu patrono, aos mestres que por ali passaram. A coleta do testemunho de ex-alunos que têm saudades do tempo feliz de permanência e que, vencedores em sua atividade de subsistência, possam mostrar às atuais gerações que o mérito ainda funciona.

Garanto que no grande universo do ensino público no maior Estado da Federação haja escolas-modelo, com diretores paradigmáticos, professores dedicados, associações de pais e mestres atuantes, conselhos eficientes e um satisfatório convívio com a comunidade. Essas boas práticas precisam ser evidenciadas, a fim de que se recupere o orgulho que a escola oficial sempre outorgou aos seus alunos.

Civilizações mais consolidadas também tentam recuperar o interesse da sociedade por suas escolas e por seus alunos, como fez estes dias a Ministra Najat Vallaud-Belkacem, que convocou cinco mil cidadãos voluntários, de todas as idades e das mais variadas profissões, com o objetivo de dar aulas em escolas públicas sobre cidadania e secularismo do Estado.

Tenho a certeza de que, convocados, muitos profissionais bem sucedidos atenderiam a um apelo destes, que não está fora de cogitação. O importante é saber que o Estado é apenas um e não o principal artífice da verdadeira educação, dever que compartilha com a família e que precisa ser exercido com a colaboração da sociedade.

Vereadores se reúnem nesta 2ª em sessão ordinária

Após o recesso parlamentar, a Câmara Municipal de Jales realizar sua primeira sessão ordinária de 2016 na segunda-feira, 1º de fevereiro, às 20 horas.
A sessão ordinária será presidida pelo vice-presidente Tiago Vandré de Souza Abra, em virtude do presidente da Mesa Diretora Nivaldo Batista de Oliveira (Tiquinho), assumir o Executivo de 1º a 5 de fevereiro devido ao afastamento temporário do prefeito Pedro Callado.
Na pauta de assuntos a serem discutidos constam vários requerimentos solicitando informações ao Poder Executivo, além de indicações solicitando melhorias à infraestrutura do município. Na Ordem do Dia constam a formação das Comissões Permanentes para o exercício de 2016 e o Projeto de Lei Complementar nº10/2015, que altera a Lei Complementar 41, que dispôs sobre o Plano Diretor do Município de Jales.

FOLHAGERAL

Como


estamos em ano eleitoral, o povo está mais atento às ações dos políticos e à prestação dos serviços públicos. Quem anda a pé ou de carro, pela cidade, não se conforma com as péssimas condições do asfaltamento. O prefeito Pedro Callado esteve em São Paulo, esta semana, na tentativa de levantar recursos para pavimentação e recape asfáltico. Há vias na cidade em que a pavimentação terá que ser refeita, em vez de recape.

É certo


afirmar que os políticos e administradores públicos precisam se melhorar para dar conta dos desafios. Os problemas se repetem, só que maiores. Sabemos que o asfalto brasileiro não resiste ao trânsito de grande frota de veículos e à força das águas das chuvas. Neste verão, o asfalto derreteu nas ruas e estradas do país. Os reparos vão custar bilhões. Nem precisa adivinhar: vai se repetir.

A Prefeitura


de Jales, através da Divisão Municipal de Trânsito de Jales, implantou novas áreas de estacionamento de vaga rápida com o intuito de aumentar a rotatividade de veículos. Eis, outro problema urbano que só aumenta: falta de vagas de estacionamento de veículos.

Esta foi


a solução encontrada pela Prefeitura de Jales depois que o prefeito Pedro Callado recebeu, no ano passado, proprietários de estabelecimentos comerciais que se sentiram prejudicados com o fim da sinalização exclusiva defronte suas empresas, inclusive alguns com sinalização permitida apenas para defronte Pronto-Socorro, Hospitais e Clínicas de Emergências.

Os motoristas


respeitarão a regulamentação, estacionando por 15 minutos com o pisca alerta ligado, conforme prevê a Resolução 302, de 18 de dezembro de 2008, do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), em seu artigo 2º, parágrafo VII. Ao descumprir o estabelecido, o motorista poderá ser multado, conforme o que está previsto no Artigo 181, parágrafo XVII, do CTB. Haverá rígida fiscalização?

As faixas


destas vagas de estacionamento rápido podem ser pintadas em outra cor, fora a branca, para dar melhor visualização. Desta forma, os motoristas ficam bem avisados da curta duração e o sistema atende ao número de veículos previstos por dia.

A rua


São Pedro, na Vila São José, em todo o seu trecho, também recebeu sinalização de estacionamento em dias alternados. Mas, se a autoridade competente não exercer uma fiscalização rigorosa, as placas ali postas serão apenas decorativas.

Multado,


o motorista respeita a regra. Não multado, ele sorri com desdém. Como acontece na rua vizinha.

A cada


julgamento no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, fica mais difícil a pretensão da ex-prefeita Nice Mistilides – cassada pela Câmara Municipal de Jales, em fevereiro do ano passado – voltar ao cargo. Nesta terça-feira, 26 de janeiro, foi publicada no site do TJSP a decisão da 3ª Câmara de Direito Público que, em votação unânime dos três juízes, negou provimento ao recurso impetrado pelos advogados de Nice contra o então Presidente da Comissão Processante da Câmara Municipal de Jales. O acórdão foi publicado nesta quinta-feira, 28 de janeiro.

Falando


em tribunal, nesta quarta-feira, 27 de janeiro, foi publicado despacho do auditor Antonio Carlos dos Santos, do TCESP, informando que foi apartado nos autos (TC-000344/989/16) da prestação de contas do exercício de 2013 para tratar de supostas irregularidades em despesas com pagamento de aluguéis a pessoas carentes, apontando um conjunto de desacertos nas despesas examinadas realizadas pela então prefeita Nice Mistilides.

O TCESP,


Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, determinou o prazo de 30 dias para que a municipalidade e os responsáveis apresentem suas razões e justificativas.

O vereador


Nivaldo Batista de Oliveira (DEM), o Tiquinho, assumirá a Prefeitura de Jales no dia 1º de fevereiro, ficando no cargo até o dia 5, devido ao afastamento temporário do prefeito Pedro Callado. Cinco dias é muito pouco, mas pode dar vontade de ficar efetivo.

Na votação


do requerimento de pedido de afastamento do prefeito Callado, o vereador Gilberto Alexandre de Moraes (DEM), votou contra. Pelo jeito, o vereador Gilbertão em 2016 vai ficar atirando para todos os lados, já que não é candidato à reeleição.

Tem gente


prevendo que este ano os partidos políticos vão ter que rebolar para formar boas chapas de vereadores. Não é pela falta de bons nomes, mas sim, porque nesta crise vai faltar quem resolva meter a mão no bolso e gastar seu rico dinheirinho na política. Em 2012, foram 120 candidatos na disputa das 10 vagas do legislativo.

A redução


do horário de descanso dos trabalhadores será analisada na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal. Atualmente, o intervalo para quem trabalha oito horas deve ser de, pelo menos, sessenta minutos. O objetivo do projeto (PLS 08/2014) é permitir que os funcionários das empresas possam sair mais cedo do trabalho. Segundo autor do projeto, senador Blairo Maggi (PR-MT), além de atender uma antiga demanda dos trabalhadores, o projeto vai reduzir os custos de manutenção das empresas.

Comissão impede multa para motorista que esquecer carteira de habilitação

A Comissão de Viação e Transportes aprovou o Projeto de Lei 8022/14, que impede a aplicação de multa e a retenção do veículo se o motorista não estiver com a carteira de habitação e o licenciamento anual, caso o agente de trânsito possa obter as informações contidas nos documentos por meio de consulta a banco de dados oficial.
De autoria da ex-deputada Sandra Rosado e da deputada Keiko Ota (PSB-SP), o projeto altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97).
Pela regra atual, quem dirigir sem portar o licenciamento e a carteira de motorista poderá ser multado e ter seu veículo retido até a apresentação dos documentos. A infração é considerada leve.
Segundo a proposta, quando não for possível realizar a consulta online das informações do veículo ou do condutor, o auto de infração será cancelado caso o condutor apresente, em até 30 dias, o documento ao órgão de trânsito responsável pela autuação. Assim, o motorista não terá pontos computados em sua carteira, referentes à infração.
As autoras do projeto argumentam que não faz sentido punir o condutor de veículo pelo simples fato de esquecer o documento de habilitação ou licenciamento anual, quando essas informações estiverem disponíveis em banco de dados informatizado.

O parecer do relator, deputado Diego Andrade (PSD-MG) foto,  foi pela aprovação da matéria, com emenda exigindo a apresentação, pelo condutor, de algum documento de identificação oficial, para ser beneficiado pela medida.
"É necessário que o condutor apresente carteira de identidade, documento funcional, ou outro documento legalmente reconhecido para ser beneficiado com a flexibilidade desse projeto", disse. "Assim, a proposta não será um estímulo para não se portar documento de habilitação e certificado de licenciamento anual, mas sim um projeto que busca respeitar o cidadão de boa-fé", completou.
Tramitação - O texto será analisado em caráter conclusivo pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

“A serviço do bem comum”


 
 Este é o lema episcopal escolhido pelo bispo diocesano de Jales, D. José Reginaldo Andrietta

No dia 21 de outubro de 2015 ele foi nomeado bispo de Jales, pelo Papa Francisco. Ordenado bispo no domingo, 27 de dezembro, na Basílica de Santo de Pádua, em Americana (SP), Dom Reginaldo chegou à Jales na terça-feira (26), quando deu inicio à preparação para a sua posse neste domingo, 31 de janeiro.

A cerimônia de ordenação de D. Reginaldo mobilizou mais de 150 padres, seminaristas e religiosos, 11 bispos e cerca de 300 colaboradores, com a presença de mais de 1500 pessoas. A Celebração Eucarística foi presidida pelo bispo emérito de Jales, Dom Luiz Demétrio Valentini.

Desde 2009, exercia função de pároco da paróquia São Judas Tadeu de Americana. É também diretor eclesiástico da diaconia São Judas Tadeu e professor de Teologia Pastoral do Centro Diocesano de Formação Teológica da Diocese de Limeira. Participa como membro do Conselho de Presbíteros desde 2014. Padre José é autor do livro "Os Jovens Trabalhadores Conquistando Trabalho e Justiça".
Falando a Marco Antonio Marques, da Folha Noroeste, D. Reginaldo disse sentir-se agraciado com a escolha de seu nome, configurado com a figura de Cristo que escolheu os seus apóstolos, pois ele agora também faz parte da associação dos apóstolos, assumindo uma diocese tão belamente administrada por D. Demétrio e afirmou "ser uma alegria muito grande poder dar continuidade ao trabalho maravilhoso de meu antecessor".

D. Reginaldo assume a Diocese de Jales neste domingo, 31 de janeiro, com a Celebração Eucarística de Posse, às 10 horas, na Catedral Nossa Senhora da Assunção.
Neste domingo a Diocese recebe seu quarto bispo diocesano D. José Reginaldo Andrietta, que ao falar sobre sua linha de trabalho e suas perspectivas, disse que "num primeiro momento, quero conhecer a realidade do povo, suas situações de vida familiar, de estudo, trabalho e suas aflições, demonstrar a caridade do Cristo, estando a serviço desse povo, seguindo o lema que escolheu para o seu episcopado".

D. Reginaldo disse que é missão de todo cristão melhorar as condições de vida e que todos devem ter fé e confiança em Cristo sempre "pois é Ele quem envia em missão para viver o amor e a comunhão no ambiente do lar e em todos os lugares, praticando e ensinando a fraternidade e a solidariedade, sobretudo com os mais necessitados e o engajamento e a participação das entidades sociais e comunitárias, para estar sempre a serviço do bem".
A Diocese de Jales foi criada pelo Papa João XXIII no dia 12 de dezembro de 1959 por meio da bula Ecclesia Sancta, sendo instalada a 15 de agosto de 1960. Foi desmembrada da diocese de Rio Preto e pertence à Província Eclesiástica de Ribeirão Preto, e conta com 53 paróquias, entre elas, a Paróquia Santa Rita, de Fernandópolis. O primeiro bispo diocesano de Jales foi Dom Arturo Gerrit João Hermanus Maria Horsthuis no período de 1960-1968 que por motivo de doença foi substituído por D. Luiz Eugênio Perez, nomeado bispo de Jales em 16 de março de 1970, em cujo mandato de 1970-1981 foi construída a Catedral. Transferido para a Diocese de Jaboticabal onde foi bispo de 1981 a 2003 quando faleceu. A Diocese de Jales recebeu como seu novo bispo Dom Luis Demétrio Valentini empossado em 15 de agosto de 1.982 cujo mandato foi de 1982-2015, renunciando por idade.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Tiquinho toma posse no cargo de prefeito

Em ato realizado na tarde desta sexta-feira, 29 de janeiro, no gabinete do Poder Executivo, o prefeito Pedro Callado transmitiu o cargo ao presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal, Nivaldo Batista de Oliveira, o Tiquinho. O afastamento do alcaide aprovado pelos vereadores é de cinco dias, a partir de segunda-feira, dia primeiro. Se assinou o livro de posse Tiquinho já é o prefeito.
Na oportunidade, Pedro Callado destacou a s...ua confiança no prefeito empossado enaltecendo a sua capacidade e a sua intenção de bem administrar o município.
Falando a seguir, Tiquinho reiterou o que disse na outra vez em que ocupou a chefia do poder executivo afirmando que vai dar continuidade ao trabalho do prefeito Pedro Callado mantendo os mesmos rumos e objetivos.
Tiquinho assina o livro de posse.

Uma pessoa morre e outras quatro ficam feridas após caminhonete capotar

A vítima fatal foi identificada como Ademilson Barbosa Lopes de 47 anos

O capotamento de uma caminhonete S-10, na cor branca, de propriedade da empresa que prestas serviços à Usina de Apiacás deixou um morto e quatro feridos na manhã desta terça-feira (26) na rodovia estadual MT-320, próximo ao município de Nova Canaã do Norte.

As informações dão conta de que o condutor da caminhonete seguia pela rodovia, quando por algum motivo perdeu o controle da direção e, saiu da pista, vindo a capotar, várias vezes, logo em seguida. A vítima fatal foi identificada como Ademilson Barbosa Lopes de 47 anos.

Outro trabalhador ficou preso às ferragens e precisou do auxílio de socorristas. Em seguida foi levado, juntamente com os outros três feridos ao Hospital Regional de Colíder para receber os devidos cuidados médicos. O motorista teve apenas ferimentos leves.

O caso será investigado pelas autoridades competentes. Fonte: Gazeta MT/24 Horas News

Mapa começa mutirão contra a dengue

 
 
Primeira ação para combater o Aedes aegypti, que também causa zika e chikungunya, ocorreu hoje no edifício-sede e no anexo do ministério  
 
 
Brasília (29/01/2016) - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) começou nesta sexta-feira (29) um mutirão de vistorias nas instalações do edifício-sede e do prédio anexo para combater focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, que também provoca chikungunya e zika (esta pode causar microcefalia em bebês). A campanha se estenderá até o dia 4 de fevereiro (quinta-feira). A iniciativa faz parte de uma ação que integra todo o governo federal.
O brigadista do Mapa Luiz Américo coordenou a visita com servidores do Departamento de Gestão Interna (DGI) e mostrou onde seriam os possíveis focos do mosquito, a fim de que fossem tomadas providências, como a limpeza desses locais. Foram vistoriadas calhas d’água, bueiros, refletores, obras em construção entre o edifício-sede e o anexo, poço do elevador e a cobertura.
“Identificamos água parada nas calhas em frente ao Mapa, em bueiros na garagem e na cobertura. É preciso fazer uma limpeza quinzenal desses locais para que o mosquito não tenha chance de nascer”, disse Luiz Américo. O brigadista também alerta para vasos com plantas nas salas de trabalho e nos banheiros, porque também são locais de fácil desenvolvimento do mosquito.
A partir da próxima semana, a campanha vai sensibilizar os servidores e funcionários terceirizados para que comecem a se comprometer com o “dia da faxina” no local de trabalho.
Campanha nacional 
O país vive um momento delicado no enfrentamento das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti e o mutirão nos prédios públicos federais é uma resposta engajada e comprometida com a saúde de todos os brasileiros. O mutirão é uma iniciativa inicial de um trabalho que será feito de forma contínua pela administração pública federal no combate ao mosquito.
A iniciativa foi desenvolvida pela Presidência da República em parceria com os ministérios do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) e da Saúde (MS).

CDHU entrega mais 103 moradias em Três Fronteiras

Conjunto Habitacional Thomaz Rodrigues Alckmin teve investimento de R$ 11 milhões
O secretário de Estado da Habitação, Rodrigo Garcia, entrega nesta sexta-feira, 29 de janeiro, mais 103 casas construídas pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) no município de Três Fronteiras, Região de São José do Rio Preto. O evento acontece às 11h30, no próprio Conjunto Habitacional Thomaz Rodrigues Alckmin, no prolongamento da Rua Amador Bueno.
São imóveis com dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área construída de 56,67m². Três unidades receberam itens de acessibilidade e adaptações para pessoas com deficiência. Todas as residências têm piso cerâmico e laje em todos os cômodos, azulejos na cozinha e parcial no banheiro, caixilhos de alumínio, cobertura em estrutura metálica, muretas de divisa, calçada de acesso e rede hidráulica preparada para posterior instalação do sistema de aquecimento solar. A infraestrutura conta com redes de água, esgoto e elétrica, pavimentação, calçadas, passeio público, iluminação pública, paisagismo e sistema de drenagem.
A CDHU investiu R$ 11 milhões no Conjunto Habitacional Thomaz Rodrigues Alckmin, construído em parceria com a prefeitura, que doou o terreno e administrou a obra. As famílias beneficiadas foram selecionadas por meio de sorteio público. Com a entrega deste conjunto habitacional, chega a 458 o número de moradias construídas pela CDHU em Três Fronteiras. O nome do residencial é uma homenagem ao filho do Governador Geraldo Alckmin, falecido em 2015.
As famílias beneficiadas terão prazo de até 25 anos para quitar o financiamento. As prestações serão subsidiadas pelo Governo do Estado e calculadas de acordo com a renda familiar. Quem ganha até três salários mínimos desembolsará 15% dos rendimentos. Em Três Fronteiras, todas as famílias que receberão as chaves dos imóveis estão nessa faixa. O valor da menor prestação é de R$ 132,00.
A CDHU atende famílias com renda entre um e dez salários mínimos, priorizando as que recebem até três. Outros requisitos para participar do programa são: morar ou trabalhar no município há pelo menos três anos, não ser proprietário de imóvel e não ter financiamento habitacional.
 

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A glória da burrice

 
José Pio Martins*
Inconformado com a estupidez do governo e dos políticos dos anos 50 e 60, que batiam no peito e gritavam que nunca iriam autorizar empresas multinacionais a produzirem petróleo no Brasil, Roberto Campos desabafou dizendo que “a burrice no Brasil tem um passado glorioso e um futuro promissor”. A angústia do grande economista era que, enquanto rejeitava capitais de risco dispostos a investir na produção de petróleo aqui, o governo sofria em busca de empréstimos (a juros altos) para fazer importações do produto.
Roberto Campos não entendia que lógica o governo e os políticos viam na ideia de que mendigar empréstimos internacionais e ficar na dependência de suprimento externo era melhor que atrair empresas estrangeiras para a produção em território nacional. Quando veio a crise do petróleo, em 1973, e o preço do barril pulou de US$ 3,20 para US$ 14, o Brasil importava 75% do consumo, a dívida externa explodiu e o país quebrou. A frase de Roberto Campos foi profética. A burrice provou sua glória passada como, após a morte do autor, em 9 de outubro de 2001, continuou firme rumo ao futuro promissor.
Exemplo soberbo da burrice nacional são os entraves à participação na globalização. Levantamento da Câmara de Comércio Mundial informa que o Brasil continua sendo o país mais fechado para o comércio exterior entre todas as nações do G20, ficando com nota 2,3 em 2015 (a escala vai de 1 a 6), atrás de Argentina e Índia. Para piorar, o país caiu da 57.ª para a 75.ª posição, entre 140 países, no ranking da competitividade global publicado pelo Fórum Econômico Global – perdendo, assim, 18 posições.
Mas o que é essa tal globalização? Para começar, é uma necessidade, em face da superpopulação. O planeta atingiu 1 bilhão de habitantes somente em 1830. Em apenas 100 anos, a população dobrou. Hoje, já somos 7,3 bilhões. A globalização é a possibilidade de um habitante de Berlim comer um mamão produzido em Manaus, um morador de Maringá poder comer trigo produzido na França ou uma maçã da Argentina, um doente na China poder curar-se com um medicamento feito na Bélgica, ou um esquerdista francês poder escrever contra a globalização em seu notebook coreano.
As necessidades humanas estão onde as pessoas estão; as condições adequadas à produção, não. O Brasil tem terra fértil e clima favorável à soja, mas não tem para o trigo. Certos países têm petróleo, mas não têm comida. Quanto mais os países se especializarem naquilo em que são mais produtivos e eficientes, melhores serão as chances de elevação do bem-estar via comércio exterior. Ademais, ao comércio seguem-se os investimentos e, a estes, segue-se a transferência de tecnologia. O nacionalismo protecionista condena o país ao isolamento e ao atraso. Nenhum país do mundo – nem mesmo os Estados Unidos – consegue gerar toda a tecnologia requerida para seu crescimento.
Quando proibiu a importação de computadores, componentes eletrônicos e tecnologia, e também proibiu empresários estrangeiros de investirem em empresas de informática em nosso território, a lei de reserva de mercado de informática (que durou até 1991) cometeu grave crime econômico contra o povo brasileiro. Mas os nacionalistas – de direita (inclusive alguns militares) e de esquerda – reivindicavam medalhas de defensores da pátria. Lamentável!
Apesar da repetição do fracasso desse tipo de nacionalismo, continuamos insistindo na mesma rota. Definitivamente, a burrice no Brasil tem garantido um futuro promissor.
José Pio Martins, economista, é reitor da Universidade Positivo.
Fotos
1 ) Nalini foi até o ano passado presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo
2 ) Maior rede de ensino do Brasil e da América Latina conta com 3,8 milhões de alunos
3) Cerimônia de posse foi realizada no Palácio dos Bandeirantes
crédito/fotos/Ciete Silvério
 
 
 
 


 
O governador Geraldo Alckmin oficializou nesta quinta-feira, 28, o novo secretário de Estado da Educação de São Paulo, José Renato Nalini. Desembargador e professor universitário, ele ocupa a vaga deixada por Herman Voorwald, em dezembro. A cerimônia foi realizada no Palácio dos Bandeirantes e contou com a presença de secretários estaduais e municipais, educadores paulistas, parlamentares e autoridades do Judiciário.
O novo secretário assume o cargo com a missão de comandar a maior rede de ensino do Brasil e da América Latina, com mais de cinco mil escolas, aproximadamente 300 mil funcionários, entre professores e servidores, e 3,8 milhões de alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos.
"O Dr. José Roberto Nalini é professor há mais de 40 anos, começando lá na sua cidade, Jundiaí. É professor, doutor, homem da cultura, foi presidente da Academia Paulista de Educação e tem espírito público, que é essencial para servir a sociedade", ressaltou Alckmin, que ainda destacou a capacidade do novo secretário para dialogar com todos os protagonistas da rede estadual, alunos, pais, professores e a sociedade. "Nós estamos muito confiantes e com todo o apoio para que ele faça um ótimo trabalho na Secretaria, em benefício da educação pública de São Paulo", disse Alckmin.
Nascido em Jundiaí, Nalini é formado em Ciências Jurídicas e Sociais na Faculdade de Direito da PUC-Campinas, mestre e doutor em Direito Constitucional pela Faculdade de Direito da USP. À frente do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo até 2015, foi responsável pela modernização do Judiciário, por meio da informatização de procedimentos. Também estabeleceu uma série de parcerias com o Governo do Estado, entre elas as audiências de custódia que dinamizam a apresentação de presos em casos de flagrantes.
"Eu tenho plena autonomia para começar a dialogar e ouvir todos os interessados, em verificar aquilo que cada comunidade quer. O que é bom, em termos de educação, de acordo com a Constituição, é que ela abre um leque de possibilidades e nós não precisamos de camisa de força. Basta verificar a explicitude do artigo 205 da Constituição, que responsabiliza a família, o estado e sociedade pela educação", disse Nalini. "Logo a seguir, a Constituição destaca alguns princípios, dentre eles, a liberdade de ensino, a autonomia pedagógica e nós não temos que seguir uma só linha", explicou o secretário da Educação.
Ainda sobre manter diálogo com a comunidade escolar, Nalini acrescentou que vai "chamar todos aqueles que puderem colaborar para que nós possamos fazer com que a escola de São Paulo seja um lugar sedutor. A escola tem que ser um centro de convergências de interesse comunitário."
Na área da educação, atua desde 1969 como professor universitário, com passagens pela Faculdade de Engenharia de Barretos, Faculdades de Direito da PUC-Campinas, USP, Padre Anchieta, FAAP e Uninove. É ainda especialista em formação, preparo, educação e seleção de juízes, tendo colaborado com a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados.
Esta também não é a primeira vez que José Renato Nalini comanda uma pasta executiva de educação. Foi secretário interino em Jundiaí, substituindo a professora Claudia Maria de Lucca, no governo de Walmor Barbosa Martins, no final da década de 1960