Páginas

sábado, 8 de agosto de 2015

Parabéns Pavan


Nesta sexta-feira, 7 de agosto, o esportista Nilton Mario Pavan Alves, que elevou o nome de Jales nacional e internacionalmente através do futsal, radicado em Mirassol d`Oeste (MT), cercado pela família e amigos, festejou seus bem vividos 74 anos. Parabéns. 

Setor Manutenção recebe prêmio do Funcionário do Mês


"O mês da surpresa" está foi à frase proferida pelo colaborador destaque de julho, José Sétimo Miorin, do setor de Manutenção da Santa Casa. Ele referiu-se ao aniversário no qual foi surpreendido pela família e também no hospital, e agora o prêmio do Funcionário do Mês, que o deixou expressivamente emocionado.
Há sete anos no hospital, José é pintor e aprendeu a profissão no primeiro emprego na cidade de Jundiaí. Na Santa Casa, ele tem como função deixar o ambiente visualmente mais agradável, é dedicado, cumpre com excelência as atividades propostas, além de ser muito querido por todos. Segundo o gestor de manutenção, Benevaldo Jesus Rosa Ortega, José foi digno do reconhecimento. "A escolha foi justa ele é um funcionário esforçado e mereceu ter sido contemplado. Acho o projeto ótimo e democrático, além de incentivar o funcionário a se dedicar ainda mais no ambiente de trabalho", relatou.
Para o funcionário do mês, José Sétimo Miorin, esta é a primeira vez que é reconhecido em 44 anos de serviço. "Foi uma grande surpresa, não esperava, sempre digo que tudo o que vamos fazer devemos colocar algo a mais, isso faz a diferença, sempre trabalhei desta forma. Posso dizer que a Santa Casa é uma das melhores empresas que já passei".
Os setores avaliados em julho juntamente com a Manutenção foram Lavanderia e Higiene/Limpeza.

Alunos do Senac Votuporanga realizam visita ao Hospital de Câncer de Jales

Os alunos do curso Técnico em Enfermagem do Senac Votuporanga realizaram na semana passada uma visita técnica ao Hospital Psiquiátrico Doutor Adolfo Bezerra de Menezes, entidade filantrópica situada em Paranaíba, Mato Grosso do Sul.
O hospital é considerado um dos dez melhores do País se tratando de instituição psiquiátrica, tudo isso graças ao ótimo resultado obtido em uma avaliação feita bienalmente pelo Ministério da Saúde, que tem como objetivo classificar os hospitais psiquiátricos de acordo com o seu padrão de atendimento.
A realização da visita técnica ao hospital é de total importância para os alunos, um diferencial frente ao processo de aprendizado. Aproximar a teoria com a prática é algo crucial. Durante a ação, a equipe multidisciplinar realizou a explanação do trabalho de todos os integrantes, normas e rotinas.
Ao final da visita foi sanada todas as dúvidas dos alunos. No mesmo dia os alunos estiveram no Hospital do Câncer - Unidade III de Jales – Fundação Pio XII, para adquirir novos conhecimentos e ter contato com situações reais de trabalho, assim como reconhecer os campos de atuação profissional do Técnico em Enfermagem. Além da visita, os alunos doaram 179 litros de leite longa vida, sendo esse destinado ao consumo diário dos pacientes que frequentam essa unidade.

As aulas na Fatec Jales tiveram início na 2ª feira



Os alunos ingressantes, juntamente com os do segundo e terceiro semestres dos cursos de Agronegócio e Sistemas para Internet, do período da manhã, assistiram a uma palestra motivacional e de empregabilidade com a psicóloga Cláudia Manfrin. No período noturno, os ingressantes dos cursos de Agronegócio, Sistemas para Internet e Gestão Empresarial também prestigiaram a mesma palestra, além de outra, com toda a comunidade acadêmica, com o empresário e atual Secretário de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Trânsito do Município de Jales, José Magalhães Rocha, que discorreu sobre a sua vida profissional, relatando a vasta experiência como alto executivo de empresas multinacionais.

Festejou aniversário


Cristina David, professora do Colégio XV de Abril-Anglo Jales.recebeu as felicitações dos filhos Daniel, Eber e Tiago na quinta-feira, 6 de agosto, pelo aniversário.

Prefeito Polarini, de Mesópolis, apoia promoção


A assessora de comunicação da Santa Casa de Jales, Caroline Guzzo e José Luiz Socorro, diretor do hospital, ladeando o prefeito municipal Leandro Polarini, quando da visita à Prefeitura Municipal de Mesópolis dos colaboradores do hospital jalesense para divulgação da campanha que irá sortear um carro.

Festa da linguiça

O Rotary Club de Jales "Grandes Lagos" e a Casa da Amizade "Grandes Lagos" promovem a tradicional Festa da Linguiça, que será realizada no dia 16 de agosto, às 12 horas, no Salão de Festas da Igreja Santo Antonio, por apenas R$ 20,00 por pessoa. Bebidas não inclusas no valor do convite. Serão fornecidas marmitas. Crianças até 10 anos não pagam  Cardápio: arroz, feijão gordo, farofa, creme de milho, salada e variados tipos de linguiça. Os convites poderão ser adquiridos com os rotarianos do Rotary Club de Jales "Grandes Lagos".


Viagem Literária: escritores Aragão e Ferréz vão estar em Três Fronteiras e Rubineia

O Viagem Literária 2015, programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, divulga a programação completa das 160 atividades, que trazem bate-papos e palestras com escritores renomados para as bibliotecas públicas em 80 cidades do interior e litoral de São Paulo em setembro. Lançado em 2008, o Viagem Literária visa o incentivo à leitura e encontra ampla receptividade entre o público, autores e dirigentes da área cultural. Em 2015, 80 cidades vão participar do programa, que é gerido pela SP Leituras e integra o conjunto de ações do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB).

Entre os autores selecionados estão: Alonso Alvarez, Bruna Beber, Cadão Volpato, Caio Riter, Carla Caruso, Cristovão Tezza, Daniela Arbex, Edson Gabriel Garcia, Ferréz, Flávia Muniz, Ignácio de Loyola Brandão, Ilan Brenman, Índigo, Joca Reiners Terron, Lucia Hiratsuka, Luiz Ruffato, Luize Valente, Marcelino Freire, Marcia Tiburi, Marcio Vassalo, Menalton Braff, Ricardo Lísias, Roseana Murray, Rubens Figueiredo e Sérgio Rodrigues.

 

Os escritores José Carlos Aragão (foto a esquerda), jornalista, cartunista, poeta, dramaturgo, ilustrador e escritor,
 
e Reginaldo Ferreira da Silva (Ferréz), (foto a direita)  é um romancista, contista e poeta. É ligado à corrente considerada literatura marginal por ser desenvolvida na periferia das grandes cidades e tratar de temas relacionados a este universo, vão estar em Três Fronteiras no dia 16 de setembro, às 10 horas convesam com os leitores infanto-juvenil e as 14 horas com adultos na Biblioteca Pública Municipal prof° José Márcio Siqueira, localizada na praça das Bandeiras, s/nº - Centro Em Rubineia também no dia 16 de setembro, às 14 horas conversam com os leitores infanto-juvenil e as 19h30m, o papo será com adultos, na Biblioteca Pública Municipal Cecília Meireles, localizada na avenida Presidente Castelo Branco, 820 – Centro

Dirigidos a leitores infantojuvenis e adultos, os encontros deste ano acontecerão em dois horários no mesmo dia, sempre nas bibliotecas públicas. Em bate-papos descontraídos que duram cerca de 1h30, os escritores falam sobre suas obras, métodos de trabalho, seus autores preferidos, suas influências literárias, seus interesses e muitos outros assuntos do universo literário.

A 31ª. Romaria Diocesana

e
Está tudo bem encaminhado para a Romaria deste ano de 2015, a 31ª de sua história.
Com seu lema evocando a presença de Maria – "Com Maria revivemos nossa história" – desta vez a Romaria centra suas atenções em sua própria história, recordando as trinta já realizadas, e sinalizando que esta iniciativa providencial irá continuar.
As romarias sempre tiveram como objetivo recordar a história da Diocese, para deste modo fortalecer a consciência de sua identidade eclesial e expressar sua comunhão com as grandes intenções que cada ano a Igreja nos apresenta.
Pelo seu início em 1985, ano do jubileu de prata da Diocese, as romarias se tornaram um bom instrumento pastoral, de celebração dos momentos especiais que a Igreja em nosso tempo viveu com intensidade.
Somos uma geração que passou de um milênio para outro. Ainda recordamos o clima de intensa expectativa que havia, diante da perspectiva da chegada do ano dois mil.
2) As romarias são um bom instrumento para celebrar nossa história
Um dos bons serviços prestados pelas romarias, foi, sem dúvida a celebração do grande Jubileu da passagem do milênio.
Sob a grande animação do então Papa João Paulo Segundo, a Igreja organizou um tríduo de anos, de 1997 a 1999, preparando o grande Ano Jubilar, em 2000.
É interessante recordar os temas das romarias daqueles anos. Em 1997: Com Maria na Estrada de Jesus; em 1998: Com Maria Guiados pelo Espírito Santo. E em 1999: Com Maria Caminhamos para o Pai.
E no ano do grande Jubileu: Com Maria Glorificamos a Trindade.
Assim, pudemos celebrar com intensidade este momento especial vivido pela Igreja, numa época de intensos apelos à renovação que o Concílio providencialmente ia nos propondo.
Dá para dizer que teria valido a pena instituir as romarias, só para celebrar o grande Jubileu que nossa geração teve a graça de viver.

3) As romarias cultivam nossa memória histórica
A primeira romaria, em 1985, foi para comemorar o Jubileu de prata da Diocese, que foi implantada em 15 de agosto de 1960.
Quando a Diocese chegou aos 50 anos de sua existência, em 2010, realizou sua 26ª. Romaria. O lema assumido tinha tudo a ver com o Jubileu de ouro da Diocese: Com Maria celebramos nossa história.
Por sua tradição, as romarias facilitam integrar os fatos históricos com nossas celebrações. Neste ano, por exemplo, Dom Demétrio celebra uma convergência de datas que se tornam muito significativas, tanto para ele como para a Diocese. Ele chega aos 75 anos de vida, completa 50 anos de ordenação sacerdotal, e conclui 33 anos de Bispo Diocesano de Jales, celebrando a 31ª. Romaria Diocesana. Ela vai abrir espaço, para todos participarem da celebração destas datas, enquanto aguardamos a nomeação do novo Bispo que será designado para levar em frente a caminhada da Diocese de Jales.

Quem gostaria de viver para sempre?, por Flávio Carvalho

 
Ouvindo a linda música de Fred Mercury: Who wants to live forever? Que ele fez para o filme Highlander, me fez refletir e escrever este.
Quem gostaria de viver para sempre? Se na vida temos muito mais momentos difíceis do que agradáveis, ou seja, sofremos mais do que temos prazer. Estamos lidando sempre com crises, depressão, mortes, acidentes, desamores, etc, etc… Quem gostaria de viver para sempre? Se depois dos 50 anos começam os problemas com a saúde, começamos a sentir na carne a força do envelhecimento. Depois dos 50 anos começamos a acreditar que estamos mesmo morrendo. É muito raro se ter uma velhice com saúde, principalmente no Brasil, onde o idoso sofre as dores do corpo e, também a dor do descaso, do preconceito, e esta dói mais que qualquer outra dor.
Quem gostaria de viver para sempre? Neste mundo caótico, violento, onde irmão mata irmão por um pedaço de pão. Onde ainda existe guerras religiosas, irmãos se matando em nome de Deus, Jeová, de Alá…
Quem gostaria de viver para sempre? Num mundo onde quem ama a maioria das vezes não é amado, ou muitas vezes amamos a pessoa errada, que somente nos faz sofrer. Pois quando o amor pega dois, somente um coração chora e, o outro muitas vezes sorri de tal sofrimento.
Quem gostaria de viver para sempre? Os que defendem a vida ser uma só, estão certos, a vida realmente é uma só, mas ela é eterna, vivemos para sempre, o que queremos é sermos eternos em apenas uma vivência, com o mesmo corpo.
Quem gostaria de viver para sempre? Viver para ver aqueles que amamos serem enterrados. Viver para sempre para ver nossos amores envelhecerem e perderem toda a beleza diante de nossos olhos.
Quem gostaria de viver para sempre? Para continuar ouvindo crianças chorarem de fome, a serem abusadas por adultos, que não são seres humanos, e sim monstros, ter que conviver para sempre com estes monstros, os quais o mundo está cheio.
Quem gostaria de viver para sempre? Num mundo onde as religiões defendem um Deus único, mas defendem que o Deus de sua religião é melhor do que o Deus da outra. Que Deus é este? Qual a melhor religião? Qual é a religião de Deus? Religião só complica as coisas.

Quem gostaria de viver para sempre? Num mundo onde o melhor e mais amoroso dos seres humanos, com todos os seus ensinamentos, máximas morais, não foi compreendido e, foi por nós crucificado. Depois de quase dois mil anos não conseguimos ainda entender seus ensinamentos e exemplo de vida deixado.
Quem gostaria de viver para sempre? Quem gostaria de viver para sempre?
Eu gostaria!

Flávio Rodrigo Masson Carvalho
equilibriumtc@hotmail.com

Conexão Saúde realiza mais um encontro



 
A quinta reunião do Conexão Saúde aconteceu na manhã do dia 30 de julho, no Centro de Estudos da Santa Casa, e teve como finalidade iniciar a discussão sobre as cirurgias eletivas de baixa e média complexidade nos 16 municípios referenciados ao hospital.

Nesta etapa o administrador hospitalar, Valdenis Neves, apresentou um projeto propondo um melhor fluxo de encaminhamento e resolubilidade para diminuir as filas de espera relacionados às cirurgias, propondo estratégicas junto ao DRS XV e o Colegiado. Porém, este assunto requer mais encontros e debates, afim de, detalhar os procedimentos que podem melhorar o condicionamento e a procura por este tipo processo.

A Santa Casa realiza algumas especialidades de cirurgias eletivas de baixa e média complexidade, sendo, Vascular, Ortopedia, Cirurgia Geral, Ginecologia, Otorrino e Urologia. Diante disto, a falta de recursos provenientes do Sistema Único de Saúde acaba aumentando as filas de espera. Como o assunto é delicado e precisa de uma atenção minuciosa, ficou definido que o próximo encontro dará continuidade a este projeto.

O Conexão Saúde é formado por diretores e gestores da Santa Casa de Jales, Ame, Hospital de Câncer, Samu, UPA, Secretária Municipal da Saúde, e agora compõem a equipe o pefeito Pedro Callado

O objetivo dos encontros é discutir pontos relacionados à melhoria, fortalecimento, parceria, implantação de projetos, problemas e soluções na área da saúde local e regional.

As reuniões acontecem mensalmente na última quinta-feira de cada mês, com pautas previamente elaboradas e de interesse comum a toda Rede de Assistência a Saúde.

“Cuidando de quem cuida”: NASF-2 de Urânia promove capacitação aos funcionários da Saúde



Nos dias 27 e 30 de julho de 2015, a equipe do Núcleo de Apoio a Saúde da Família - NASF-2 de Urânia realizou a capacitação "Cuidando de quem cuida" em comemoração ao dia 27 de julho – Dia Nacional de Prevenção aos Acidentes de Trabalho. Foram realizadas duas palestras com os funcionários das três unidades de saúde (ESF I, II e III) e Santa Casa de Urânia. A primeira com a equipe de limpeza, ministrada pela Equipe do NASF e a segunda com Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos de Enfermagem, Dentistas e auxiliares de Dentistas e SAMU ministrada pela Enfermeira Gisele Lauer Murta Gobi, responsável pela ESF I. O objetivo desta capacitação foi de orientar os funcionários quanto aos cuidados a serem tomados durante o desempenho das funções, para que não haja acidentes que comprometam sua saúde biopsicossocial e de toda a população. Fotos ao lado.

No desenvolvimento das palestras foram discutidos assuntos tais como: histórico sobre a data; os riscos inerentes a área; os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e coletivo (EPC); Norma Regulamentadora NR 32, que regulamenta as  medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral; os cuidados a serem tomados no cotidiano e os procedimentos a serem realizados numa possível contaminação; técnicas ergonômicas e organizacional.

Foram utilizados como metodologia, apresentação de slides, vídeos, dinâmicas de grupo, alongamentos e ao final, momento de reflexão e discussão sobre os temas levantados. Finalizando para confraternizar o momento, foi servido coffee break aos participantes. A equipe do NASF agradece a Administração Municipal através da Secretaria Municipal de Saúde de Urânia, pelo interesse dos funcionários em participar deste momento, sendo de grande valia para o bom desempenho nos serviços de saúde do município, além de criar hábitos de prevenção de riscos com sua saúde. (texto Nasf-Urânia)

Cras de Urânia realiza palestra aos beneficiários dos programas sociais, sobre tráfico de órgãos.


O Centro de Referência da Assistência Social - Cras de Urânia, com o apoio da Prefeitura Municipal, realizou nesta terça - feira 4 de agosto, uma palestra sobre Tráfico de Órgãos, ministrada por Crislaine Calanca que aconteceu ás 19h30m no prédio sede do Cras, que contou com a presença da coordenadora Caroline Custódio Andrade.

O Tráfico de Órgãos é o terceiro mercado ilegal de crimes que movimenta bilhões de Reais no Mundo, este tipo de ação do Século XXI, atinge praticamente todos os Países, mas em função de facilidades políticas e de baixa investigação torna-se mais visíveis e com mais frequência em alguns com mais viabilidade.

No Brasil essa prática, digo esse crime ficou conhecido pelo caso Paulo Verosi Pavesi, vulgo (Paulinho), uma criança que brincava no seu condomínio no Estado de Minas Gerais e teve uma queda brusca e gerou - se um traumatismo craniano, onde a equipe médica fez a prática de retirada de órgãos ainda com vida, este episódio aconteceu a 15 anos atrás e tornou - se internacionalmente conhecido.

Existe uma tabela de preço para cada órgão composto no ser humano, para a retirada ilegal neste tipo de comércio.

A questão de valores monetários nesta vasta corrupção, tornou - se um ato de crueldade a vida do ser humano.

Apresentamos com ênfase que a família deve ter atenção redobrada com seus filhos, sobrinhos, netos ou mesmo na vida adulta.

O criminosos que usa dessa má fé não escolhe sexo, cor, raça, ele muitas vezes usa um atrativo as crianças que possam induzi-lás a estar juntamente com o criminoso, quero dizer estar acompanhando a algum lugar para finalizar o plano, seja sequestro, prostituição, venda ou mesmo o tráfico de órgãos.

Nós como profissionais educativos, devemos alertar a cada instante nossos grupos de convívio que o perigo mora sempre muito próximo de cada um.

Não devemos olhar simplesmente na janela do vizinho, mas sim colocarmos a nossa janela com um diferencial na essência de humanismo ao próximo

Colabore para aqueles que cooperem para o bem, porque semeando a grandeza do Amor, colheremos frutos saudáveis que tornaram - se doces e fundamentais para nossa sequência de valores sobre benfeitorias. (Texto CRAS de Urânia)

Turismo: a riqueza do Brasil, por Lucas Francisco dos Reis e Sergio Luiz do Amaral Moretti

O turismo adquiriu bastante espaço no mercado ao longo dos anos. As pessoas cada vez mais desejam conhecer novos lugares em busca de novidades, benefícios e entretenimentos que não encontram em seu cotidiano. Quais serão, no entanto, os benefícios para esses destinos turísticos?

Poucos dão valor ao fato de que o turismo traz receita a esses locais, por meio da valorização de ambientes naturais e da conservação de sítios e patrimônios históricos, que necessitam de poucos investimentos para serem aproveitados pela sociedade. Os moradores desses destinos turísticos, por seu turno, aprendem a prática da hospitalidade ao receber, com serviços de qualidade, o público visitante. Para isso, é preciso que a administração pública contribua, juntamente com a comunidade, com maior investimento e capacitação dos habitantes.

A hospitalidade do destino turístico não pode prescindir da oferta gastronômica, especialmente se houver uma culinária regional a ser oferecida. Assim, restaurantes de qualidade devem estar preparados para oferecer comidas típicas locais. Outra questão importante é o ato de abrigar os turistas, de modo que os hotéis e pousadas ou afins devem estar prontos para receber a demanda.

O Brasil é abundante em belezas naturais que, se bem aproveitadas, podem servir como grande fonte de renda, pois criam oportunidades de empregos e a chance de se abrir um negócio próprio para atender aos turistas, oferecendo oportunidades para os empreendedores.

Mesmo com tantas dificuldades, nossa população é otimista, receptiva e acolhedora, pontos fortes da hospitalidade, que pode proporcionar a integração de/entre famílias, que não só conhecerão lugares e culturas diferentes, mas também novas pessoas, podendo até estabelecer laços de amizade.

Vários turistas estrangeiros apaixonam-se pelo Brasil quando vêm conhecê-lo – e a grande maioria pretende voltar um dia. Fomos o primeiro país visitado pelo Papa Francisco após sua posse e, antes de ir embora, o Pontífice expressou sua opinião sobre o país: "Dentro de alguns instantes, deixarei sua Pátria para regressar a Roma. Parto com a alma cheia de recordações felizes. Essas, estou certo, se tornarão oração. Neste momento, já começo a sentir saudades. Saudades do Brasil, este povo tão grande e de grande coração, este povo tão amoroso".

Diante disso, fica claro que temos muito a oferecer e a ganhar com o turismo, compartilhando conhecimento, dividindo emoções e na maioria das vezes conseguindo causar uma boa impressão.

Lucas Francisco dos Reis: Acadêmico do curso de Administração da UFMS – Campus de Três Lagoas/MS. email- mailto:lucao.100@hotmail.com lucao.100@hotmail.com Sergio Luiz do Amaral Moretti: Professor Doutor do Mestrado em Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo/SP. mailto:luiz.amaral@anhembimorumbi.edu.br> luiz.amaral@anhembimorumbi.edu.br

Diocese em Romaria, por D. Demétrio Valentini


 
Já se tornou tradição a romaria que a Diocese de Jales promove no mês de agosto, no domingo mais próximo ao dia 15, festa oficial da Assunção de Maria, aniversário da Diocese de Jales. A motivação mais consistente para realizar a caminhada de três quilômetros e a celebração na Praça da Catedral, está vinculada à história, e tem por objetivo cultivar a memória do surgimento das comunidades, neste extremo noroeste do Estado de São Paulo.

É uma região de colonização relativamente recente. Os 46 municípios que compõem o território da Diocese tiveram seu início, em sua maioria, na década de 40, com suas emancipações oficiais na década de 50.
As comunidades situadas no atual Estado de Mato Grosso do Sul, são bem mais antigas do que as comunidades situadas no Estado de São Paulo. Como referência elucidativa desta constatação pode se tomar a cidade de Paranaíba, no Mato Grosso do Sul. Ela foi erigida em paróquia aproximadamente duzentos anos atrás. Enquanto as cidades paulistas situadas nas proximidades da margem esquerda do Rio Paraná, em sua maioria foram erigidas em paróquias somente a partir do ano de 1958, já em vista da criação da nova Diocese de Jales, fruto de uma intuição do Bispo de Rio Preto, Dom Lafaiete Libânio, que se deu conta da rapidez como a região ia tomando nova configuração com a fundação de numerosas comunidades que iriam resultar em novos municípios, consolidando assim a fisionomia histórica que hoje caracteriza esta região do Estado de São Paulo.
Pois bem, esta é uma região de pouca história, dada sua recente implantação. Tanto mais se torna importante cultivar esta história, para que as datas conservem a recordação dos seus inícios e iluminem suas tradições.

A preservação da memória histórica é sempre um dos motivos das romarias diocesanas, que passaram a se realizar anualmente a partir do ano de 1985, quando a Diocese completava 25 anos de sua fundação.
Mas as romarias têm outros objetivos. Elas conseguem integrar expressões tradicionais de fé cristã, com o apoio a causas importantes que a Igreja vai propondo. Para comprovar esta dimensão das romarias basta conferir quantas intenções já estão sendo assumidas na preparação da romaria. É o Ano da Paz, promovido pela CNBB, alertando para o aumento da violência, cujas causas precisam ser melhor elucidadas. É o ano da Assembleia diocesana, momento oportuno para acolher as diretrizes pastorais da Igreja no Brasil. É o Ano da Vida Consagrada, proposto pelo Papa Francisco. É o ano do Sínodo sobre a Família, tema que exige com urgência uma convocação geral de toda a sociedade em favor desta instituição fundamental para o convívio social. É também o momento da Igreja abraçar com mais empenho a causa da ecologia, como fez o Papa Francisco com sua recente encíclica Laudato Sí.
Pois bem, as romarias oferecem um espaço privilegiado para assumir estas causas, refletir sobre elas e arejar nossas motivações, para que não se fechem em pequenos interesses que só fomentam confrontos inúteis e objetivos conflitantes, como estamos vendo na situação política que o país está vivendo agora, e que tende a se agravar perigosamente.

Num contexto como este, nada melhor do que promover encontros iluminados pela fé, para alargar os horizontes, e para reconduzir os espíritos a causas mais salutares e motivadoras da convivência pacífica e fraterna em nossas comunidades.

Em meio à crise que vai contagiando todos os setores da sociedade, bem vinda a trigésima primeira Romaria Diocesana de Jales!

Secretaria de Desenvolvimento Social libera recursos para projetos sociais em Votuporanga

O secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, estará hoje, 8 de agosto, em Votuporanga, para participar de evento em comemoração ao 78º aniversário da cidade.
Durante a visita, o secretário assinará convênio com três entidades do município: Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) R$ 75 mil; Lar Beneficente Celina R$ 75 mil e Associação Beneficente Irmão Mariano Dias R$ 40 mil, num investimento total de R$ 190 mil para aquisição de equipamentos.
Para o secretário Floriano Pesaro, o recurso vai atender a população votuporanguense em suas prioridades básicas, seguindo as diretrizes do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin: construir um Estado cada vez mais promissor e igual para todos. "Atuamos em parcerias com as entidades sociais e os diversos órgãos em seus distintos programas", lembrou o secretário.

Editais de Proclamas

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interina do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.
RICARDO HENTZ RAMOS e NAYARA MANCINI SONSIN. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 26 de agosto de 1.980, advogado, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de João José Ramos e de Maria José Hentz Ramos. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 21 de junho de 1.988, psicóloga, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Dorival Salvador Sonsin e de Cleunice Mancini Sonsin.
SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.
Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina


Desenvolvimento Regional será tema do I Fórum Universitário da Unijales, por Daniel Zillio

 
No dia 11 de agosto, a Unijales receberá cinco convidados renomados para compor o ciclo de palestras e debates do I Fórum Universitário de Desenvolvimento Regional- Unijales/comunidade.

O objetivo do Fórum é proporcionar um debate que esclareça o papel da Unijales junto à comunidade local e regional, uma vez que o ensino superior passou por grandes transformações no Brasil nos últimos tempos, tendo como exemplo a criação dos Centros Universitários, que permitem às Instituições que ainda não alcançaram a condição de Universidade, gozar de alguma autonomia, como a de criação de novos cursos.

Neste sentido, o Centro Universitário se constitui numa Instituição com grande potencial de crescimento. Entretanto, é preciso estreitar as relações entre a Instituição e a comunidade, a qual ela serve, revelando serviços pouco conhecidos, bem como articulando para entender novas demandas sociais.

Também é preciso inserir o Centro Universitário de Jales como irradiador de conhecimento, posicionando-se enquanto vanguarda do desenvolvimento local e regional.

Dessa forma, o Fórum pretende estreitar relações entre a Unijales e a Comunidade, vislumbrando a possibilidade de fomentar avanços, tanto nos serviços já prestados como permitir uma avaliação adequada para implementação de novos.

Os três temas que serão discutidos no I Fórum Universitário de Desenvolvimento Regional são: "A Unijales e o ensino superior no Brasil- uma trajetória de 45 anos", "O papel do Centro Universitário para o desenvolvimento micro e macroeconômico" e "Os desafios para o futuro: como a integração Unijales/comunidade pode melhorar as atividades de diversos setores da sociedade local".

Para abordar cada um desses assuntos, o reitor da Unijales, Silvio Luiz Lofego (foto), convidou Deonel Rosa Junior, diretor proprietário do Jornal de Jales, Élida Maria Barison da Silva, gestora do Anglo de Jales, Alexandre Rensi, empresário e vice-presidente da Associação Comercial de Jales, Fabiano Nagamatsu, consultor do SEBRAE de São Paulo e Lis Kellen, analista de RH do Hospital de Câncer de Jales.

O I Fórum Universitário será realizado no Ginásio de Esportes da Unijales, no dia 11 de agosto, das 19h30 às 22h30. Os interessados em participar podem doar 1kg de alimento não perecível como forma de inscrição.

Efeitos perversos, por José Renato Nalini

 
Os antigos diziam: "trabalho de criança é pouco; quem despreza é louco". Isso porque a iniciação ao trabalho era considerada etapa natural do processo de treino social. Quantos pais não levavam seus filhos para a atividade exercida e isso fazia com que novas vocações surgissem. O aprendizado era feito com carinho. Os pais se orgulhavam de seu ofício e queriam preparar a prole para sucedê-los.

Aí vem a proteção da criança. Trabalho infantil é crime. Deve ser coibido. E elimina-se a possibilidade de fazer a criança crescer, conhecendo as lidas, aprendendo aos poucos uma atividade que poderá garantir o seu sustento futuro.

Há inúmeros exemplos de sucesso abortado por uma nobre inspiração. Tenho a experiência pessoal de constatar o êxito do instituto do "menor colaborador" no âmbito do Tribunal de Justiça de São Paulo. As crianças permaneciam ao lado de um juiz e atendiam ao telefone, aprendiam a tratar com urbanidade os mais velhos, faziam pequenas tarefas diversas. Com o tempo, acostumavam-se com os ritos do Judiciário e despertavam para as vocações. Conheço pelo menos dois desembargadores que foram "menores colaboradores".

Era a salvação dos pais funcionários mais humildes, pois sabiam que seus filhos não estariam na rua, em más companhias, mas ao lado de magistrados. Com o intuito de "salvar" a criança, a instituição foi eliminada. Os meninos foram para as vias públicas, para a droga, para as péssimas companhias. Quem lucrou com essa "proteção"? Apenas a bandidagem.

dêntica a situação das "guardinhas mirins". Eram crianças que se orgulhavam de usar farda, que aprendiam hierarquia, disciplina e exercitavam uma educação moral e cívica sem a necessidade de transmissão de informações mediante aulas prelecionais pouco atrativas. Qual o fim delas?

Agora também se considera "trabalho" a aparição de crianças em programas de TV, em espetáculos teatrais, em qualquer manifestação artística. Shirley Temple não poderia ter se tornado ídolo, tivesse nascido no Brasil há alguns anos. Seria proibida de atuar.

Todo exagero é pernicioso. Às vezes, com o intuito de preservar, entrega-se o bem precioso à manha e malícia da ilicitude. Se há alguma coisa organizada no Brasil é a criminalidade. Esta não perde tempo em recrutar crianças e jovens e coloca-los a seu serviço. Enquanto isso, a sociedade lícita, a confraria do bem, os guardadores da moral pública, deixam esse patrimônio disponível, para ser manipulado por aqueles que não sabem o que é licitude, nem moral pública, muito menos perseguem o bem. Paradoxos de uma sociedade que normatiza tudo, cuida de minúcias e deixa escapar o essencial. Já estamos pagando o preço dessa miopia, com tendência a se tornar absoluta cegueira.

*José Renato Nalini é presidente do Tribunal de Justiça.

Estudantes são homenageados com Moções de Aplausos

O vereador Sérgio Yoshimi Nishimoto apresentou na sessão ordinária de segunda-feira, 3 de agosto, Moções de Aplausos destinadas a alunos da E. E. "D. Arthur Horsthuis".
Uma Moção de Aplausos parabeniza os alunos Bruno Eidi Nishimoto, Antenor Henrique Voltolini Pelich, William Zaniboni Silva, Carlos Eduardo Passarin Segatin, Beatriz Furlan Neves, Cristiane Tiyemi Momoi, Geovana Cunha Caetano, Henrique Takeo Sakashita e Leonardo Zaniboni Silva pela conquista de medalhas na 10ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas – OBMEP – 2014.
Também foram parabenizados Willian Zaniboni Silva, Bruno Eidi Nishimoto, Gustavo Henrique Zanetoni, Gabriel Villar Peres Tondato, Henrique Takeo Sakashita e Paola Rodrigues pela conquista de medalhas na Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas - OBFEP – 2014, em uma outra Moção de Aplausos..
Através das Moções, que foram subscritas pelos demais vereadores, a Câmara Municipal manifestou os mais calorosos aplausos aos valorosos alunos, aos professores e diretores da E. E. "D. Arthur Horsthuis", bem como a toda sua equipe de funcionários.

Palavras de Chico Xavier

 
Pergunta - O passe mediúnico só é possível através da incorporação ou é viável sob influenciação do Guia?
Chico Xavier - O passe mediúnico é transfusão de forças magnéticas de variado teor e pode ser administrado sob a influência dos desencarnados, que se devotam à caridade, sem necessidade absoluta da incorporação total na instrumentação mediúnica.
Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da "Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.
 
 

Câmara de Jales sediou Ciclo de Debates do TCESP


A Câmara Municipal de Jales sediou nesta quinta-feira, 6 de agosto, o 11º Encontro do Ciclo de Debates com Agentes Políticos e Dirigentes Municipais promovido pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo – Unidade Regional de Fernandópolis.

O Ciclo teve por objetivo prestar esclarecimentos e orientação sobre as práticas da boa administração e a correta prestação de contas. Foram discutidos os temas: Controles Internos, Previdência, Iluminação Pública, Ensino com ênfase no FUNDEB e o Consultor de Políticas Públicas do SEBRAE, Roberto Serafim de Souza, finalizou o Ciclo de Debates com a palestra "Legislação e Licitação envolvendo as micro e pequenas empresas".

O evento contou com a presença da conselheira presidenta do Tribunal de Contas, Cristiana de Castro Moraes, do prefeito Pedro Callado , do presidente da Câmara Municipal Nivaldo Batista de Oliveira ( Tiquinho), do diretor técnico DSF-II, Alexandre Teixeira Carsola e o procurador geral do Ministério Público de Contas, Rafael Neubern Demarchi Costa.

Também estiveram presentes gestores e servidores públicos de 43 municípios jurisdicionados do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) da região de Fernandópolis, o qual foi oportunizado esclarecer dúvidas com os técnicos do TCE, bem como trocar experiências com os agentes políticos, gestores e servidores.

Riscos, por Reginaldo Villazón

Os bancos já foram considerados improdutivos, no pensamento econômico clássico, porque eles nada produzem que sirva de utilidade direta às pessoas. Em especial, eles trabalham com dinheiro, cuja serventia essencial é permitir a compra e venda de bens e serviços. Os bancos surgiram com o comércio e se fortaleceram com o capitalismo. Diversificaram e refinaram suas operações até formar o influente sistema financeiro. Por sua importância, é certo que o sistema financeiro vai estar presente na economia pós-capitalista.

Hoje, muitas vozes anunciam mudanças dramáticas no mundo. Profetas, cientistas e ativistas aguardam profundas alterações planetárias, mas com a esperança de alcançar um mundo melhor depois das tormentas. Parece que eles têm razão, inclusive quanto à época: a partir deste século XXI. A população mundial é grande – 7,2 bilhões de pessoas – e não tem senso para cuidar do planeta e sobreviver até o fim do século (85 anos). Analistas financeiros engrossam o coro de vozes: pode haver graves crises financeiras.

Há poucos anos, vimos como uma crise financeira pode evoluir. Bancos dos Estados Unidos emprestaram dinheiro a clientes que não tinham boa capacidade de pagamento, mas colocaram suas casas como garantia dos empréstimos. Porém, o mercado imobiliário entrou em recessão, o valor dos imóveis caiu e assim a garantia dos empréstimos ficou insuficiente. Prejudicados, os bancos cessaram os financiamentos. Os compradores de imóveis sumiram. A crise (imobiliária e bancária) afetou o emprego, a renda e o consumo no país.

Esta recessão econômica, eclodida em 2008 nos Estados Unidos, afetou o mundo. Grandes bancos anunciaram prejuízos bilionários. Empréstimos hipotecários, comprados na forma de títulos de crédito por outros bancos, também deram prejuízos. Os negócios e o comércio sentiram os efeitos. Bancos, corporações e bolsas de valores do mundo sofreram perdas. Foi possível ver que hoje o sistema financeiro e a economia estão interligados em nível mundial. Tal como grandes ondas, a recessão atingiu a economia global.

Agora, os analistas financeiros se inquietam com os "derivativos de crédito" em poder dos bancos – os contratos efetuados com base em variações de juros, câmbio, preços de ações e outros –, no valor de 1,50 quatrilhões de dólares (20 vezes a economia mundial). Ao lado disso, há muitos países endividados – como Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, China, Japão, Itália, Holanda, Espanha – e isto pode trazer dificuldades sérias, como a necessidade de aumento de impostos, corte de benefícios sociais e paralisação de investimentos.

Caso esta bomba-relógio econômica detone – dizem os analistas –, o tamanho da crise vai fazer a recessão de 2008 parecer um piquenique. Portanto, não faltam motivos para temores e esperanças neste século, ainda que uma terceira guerra (nuclear) passe longe. Os governantes e os povos continuam tendo boas oportunidades de treinar a solidariedade e o respeito, promover os oprimidos, acolher os refugiados, integrar os diferentes, zelar dos animais, preservar a natureza. Pois esta é a tarefa que de fato importa ao ser humano: a sua civilização.

FOLHAGERAL, da redação

Tomara
que a visita que o Reitor da UFSCar – Targino de Araújo Filho – fará a Jales (população estimada em 2014 de 48.825 habitantes) para conhecer as dependências do Jales Clube deixe a boa impressão de que o local é ideal para a implantação de uma Extensão daquela Universidade.
A UFSCAR
possui três Campi. O principal fica em São Carlos (população estimada em 2014 de 238.958 habitantes), município localizado a 235 Km da capital do Estado. Este Campus tem 640 hectares de extensão e 150.000 metros quadrados de áreas construídas.
Distante
170 quilômetros da capital, está o Campus de Araras (população estimada em 2014 de 127.661 habitantes), onde são oferecidos os cursos de graduação em Engenharia Agronômica e de Biotecnologia, com importantes pesquisas nestas áreas. O Campus possui 230 hectares de extensão e 25.500 metros quadrados de áreas construídas.
Já o
novo Campus de Sorocaba (população estimada em 2014 de 637.187 habitantes) tem 70 hectares de extensão e 11.889 metros quadrados de áreas construídas. Nos próximos anos, a UFSCar terá quatorze opções de cursos na cidade de Sorocaba, com 1.740 vagas nos cursos de graduação e mais 48 vagas em dois cursos de pós-graduação.
Diga-se
que as entrevistas concedidas durante a semana – pelo prefeito Pedro Callado e outras personalidades envolvidas nesta possível conquista de Extensão da UFSCAR para Jales – foram cheias de entusiasmo. Que bons frutos sejam colhidos na visita do Reitor. Sabemos que para obter o status de Universidade há um longo e difícil caminho a percorrer.

No período
de 01/01/1996 a 26/07/2015 (235 meses), o município de Jales recebeu a importância de R$ 33.099.522,27 como repasse de convênios com o Governo Federal para aplicação em todos os setores. No mesmo período, Fernandópolis recebeu R$ 32.390.522,27 e Votuporanga recebeu recursos da ordem de R$ 67.327.836,82. Já o município de Santa Fé do Sul teve um total conveniado de R$ 18.132.465,70.
O bloco
moderado da base de apoio do prefeito Pedro Callado – formado pelos vereadores Gilberto Alexandre de Moraes, Jesus Martins Batista, Luís Fernando Rosalino, Pérola Maria Fonseca Cardoso e Rivail Rodrigues Júnior – está requerendo informações do Poder Executivo sobre os índices de reajuste aplicados ao IPTU.
O reajuste
aplicado – que os vereadores querem saber – não é para 2016, mas a evolução dos valores pagos pelos contribuintes no período entre os anos de 2001 e 2015, além de informações detalhadas ano a ano. E, por fim, querem saber se o reajuste do IPTU naquele período utilizou outro critério que não fosse o da inflação. Esta polêmica poderá ser uma faca de dois gumes aos contribuintes. Terem o valor do IPTU no futuro, para baixo ou para cima.
Os deputados
que tiveram boa votação em Jales estão desaparecidos. Também pudera, com a crise que assola o país e sem recursos para entregar nas mãos do prefeito, visando fazer uma boa média, só mesmo ficando bem longe do contato dos eleitores.
Em
Santa Fé do Sul, no dia 14 de agosto (sexta-feira), será destaque o show da Zélia Duncan, com hits como "Catedral", "Alma" e "Enquanto Durmo", pelo Circuito Cultural Paulista. Zélia mostra sua trajetória de sucesso, entre outras agradáveis surpresas.
Na praça
EuphlyJalles, às 20 horas do dia 28 de agosto (sexta-feira), será apresentada a peça teatral "Urubu Come Carniça e Voa" pelo Grupo Clariô de Teatro. A peça esteve entre as 10 melhores em 2011 na capital.

Além

de prejudicarem a própria saúde e atrapalharem os demais motoristas e pedestres, os adeptos do som alto no carro (de propaganda volante, inclusive) também podem ser multados. Segundo o artigo 228 do Código de Trânsito Brasileiro, os motoristas que aumentarem o volume dos equipamentos de som de seus respectivos veículos, acima do que está regulamentado pelo Contran, cometem infração grave e estão sujeitos a levarem multa de R$ 191,50. Além disso, eles também podem ter os seus carros apreendidos.
Por isso,
é recomendável que o volume do som dos automóveis seja utilizado com moderação. Dessa forma, a saúde e o bolso dos motoristas serão preservados, bem como a boa convivência com os demais cidadãos nas ruas da cidade. Em Jales, pode-se tudo. Não há fiscalização rigorosa a respeito pelas autoridades de trânsito, tampouco pelo município.

Uma Lei,

aprovada pela Câmara Municipal, proíbe a colocação de panfletos em parabrisa de veículos e em motos. Infelizmente, a fiscalização que não existe e os vereadores que não cobram a efetivação, deixam as empresas e os panfleteiros desafiando a administração municipal, que não age. Ah! O dono do veículo ou da moto amassa o panfleto colocado em seu veículo e atira no chão, sujando a cidade.
Dilma
recebeu a notícia de que a aprovação do seu governo desabou. Está pior do que a de Collor antes do impeachment. Zé Dirceu foi detido. Senadores e deputados estão ariscos. Dia 16 (domingo) vai ter passeata. A chapa está ficando quente.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Navegação na hidrovia Tietê-Paraná deve ser retomada até fevereiro de 2016

O Departamento Hidroviário do Estado recebeu informações do Operador Nacional do Sistema (ONS) de que o órgão iniciará as operações para transferência de água dos reservatórios localizados à montante de Três Irmãos e Ilha Solteira. Esta ação permitirá o restabelecimento do nível necessário para retomada da navegação na hidrovia Tietê-Paraná até fevereiro de 2016.

A navegação na Tietê-Paraná foi paralisada pela Marinha, em maio de 2014, em função do baixo calado da hidrovia. A interrupção atingiu o trecho entre o km 99,5 do reservatório de Três Irmãos e a eclusa de Nova Avanhandava. Foram prejudicadas especialmente as cargas de longo percurso (soja e milho) que vêm que São Simão (GO) e de Três Lagoas (MS), com celulose e madeira. A Tietê-Paraná conecta cinco dos maiores estados produtores de grãos, (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná).

Sósia de Aryane Steinkopf fotografa para o Bella da Semana







Ela é conhecida como a sósia da ex-Panicat Aryane Steinkopf e tem mais de 20 mil seguidores do Instagram.   Mas nada disso faz com que Liziane Soares fique com a cabeça nas nuvens.  A modelo, que já teve fotos publicadas no Bella da Semana (www.belladasemana.com.br) em maio deste ano, agora retorna ao site com a segunda parte do ensaio.  As fotografias inéditas serão publicadas na próxima segunda-feira, 10 de agosto.
Janaína Comunicação e Tradução

Som muito alto no carro implica em perda auditiva e até surdez

Seja nos engarrafamentos, cada vez mais visíveis nas grandes metrópoles, ou como forma de entretenimento a caminho de um compromisso, o ato de ouvir música no carro já se incorporou na rotina da maioria das pessoas. Porém, o que deveria ser uma fuga do estresse cotidiano também pode acarretar danos à saúde e ao tráfego. Isso porque o som alto, principalmente quando tocado em ambientes fechados como os carros, pode causar danos irreversíveis à audição, já que as células e os nervos da orelha interna são destruídos por exposição contínua a barulho.

"Zumbidos, sensação de ouvido tampado e dificuldade para escutar e entender o que as pessoas falam são alguns dos sinais que indicam que os problemas auditivos atingiram aqueles que ouvem música muito alta no carro", afirma Ana Paula Lopes, fonoaudióloga da Direito de Ouvir Amplifon Brasil – empresa que pertence à italiana Amplifon, líder mundial em varejo de aparelhos auditivos. "Nesses casos, procure um especialista. É essencial que as pessoas fiquem atentas aos sinais e consultem o otorrinolaringologista ao menos uma vez por ano", aconselha.

Todo cuidado é pouco, já que, infelizmente, os problemas auditivos causados pela exposição excessiva ao som alto são irreversíveis. Apenas o uso de aparelhos auditivos pode auxiliar na audição e estimulação sonora, explica a profissional.

Música aos seus ouvidos... no volume adequado! - Entretanto, a boa notícia aos amantes da música é que ela pode e deve continuar a ser ouvida com frequência no carro, desde que o volume escolhido respeite o nível aconselhado por profissionais. Além disso, tenha cuidado com as crianças – os riscos são os mesmos, tanto para adultos, quanto para os pequenos – já que o som alto também pode causar perda auditiva na garotada.

"Quanto mais alto o volume do som, maior é a pressão sonora, que pode ser aumentada em ambientes fechados como os carros. O som do carro não deve ultrapassar 85 decibéis, pois a exposição por um longo período de tempo pode causar lesões irreversíveis aos ouvidos. Devem ser incluídos, nesta soma, os sons provenientes do trânsito e da rua, o volume do rádio e as conversas dentro do carro. Tudo isso, quando somado, ultrapassa facilmente os 100 decibéis, o que é muito prejudicial à saúde auditiva e, ainda, causa estresse. Por isso, baixe o volume do rádio quando estiver conversando ou em áreas de tráfego muito intenso", detalha a fonoaudióloga.

Evite multas e apreensão do seu veículo: som muito alto no carro é infração grave, segundo o Contran - Além de prejudicarem a própria saúde e atrapalharem os demais motoristas e pedestres, os adeptos do som alto no carro também podem ser multados. Segundo o artigo 228 do Código de Trânsito Brasileiro, os motoristas que aumentarem os volumes dos equipamentos de sons de seus respectivos veículos acima do que está regulamentado pelo Contran cometem infração grave e estão sujeitos a levarem multas de R$ 191,50 – além disso, eles também podem ter os seus carros apreendidos.

Por isso, é recomendável que o volume auditivo dos automóveis seja utilizado com moderação – dessa forma, a saúde e o bolso dos motoristas serão preservados, bem como a boa convivência com os demais cidadãos pelas ruas da cidade.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Presidente Nalini, doTJSP, instala varas em Ilha Solteira e Jales, inaugura prédio e realiza encontro de trabalho

 
O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador José Renato Nalini (foto), visita a 2ª Região Administrativa Judiciária – Araçatuba (2ª RAJ), nesta sexta-feira, 7 de agosto, para ampliar a prestação jurisdicional.
Às 11 horas, a comarca de Ilha Solteira recebe sua 2ª vara, sob a responsabilidade da juíza Heloisa Assunção Pereira. O município possui 25.064 habitantes (IBGE) e o Judiciário contabiliza 13.367 processos em andamento (junho/15), com média de 424 novas ações/mês. Pelo fórum passam, em torno de 150 pessoas/dia, e nele trabalham 39 funcionários.
Para o diretor da Comarca de Ilha Solteira, juiz Eduardo Garcia Albuquerque, "a vinda de uma nova juíza contribuirá para a qualidade das decisões e aprimoramento da prestação jurisdicional". O magistrado afirma também que a população será beneficiada: "a expectativa é de que o acervo de processos e o tempo entre a propositura da demanda e a sentença diminuam".
No mesmo dia, o presidente instala a 5ª vara da Comarca de Jales e inaugura o prédio do Juizado Especial Cível e Criminal. Para o titular da 5ª vara, juiz Adilson Vagner Ballotti, "com a instalação, a população da Comarca de Jales terá à disposição mais um juiz e cartório respectivo, propiciando mais acessibilidade à Justiça e presteza na resolução dos processos".
O edifício do Juizado Especial Cível e Criminal, que fica na rua Quinze, 2210, centro, abriga também o Colégio Recursal. A população de Jales é de 47.012 habitantes, com 21.624 processos em andamento e média de 924 entradas/mês.
Depois da solenidade, o presidente Nalini se reúne com magistrados e servidores para levar informações relevantes sobre a administração do Judiciário e tomar conhecimento de questões problemáticas e/ou bons projetos desenvolvidos nas comarcas que integram a 2ª RAJ, sob a responsabilidade do juiz Nilton Santos Oliveira. Em Jales, o juiz diretor do fórum é Marcos Takaoka.
2ª RAJ – Com sede em Araçatuba é composta por Andradina, Araçatuba, Auriflama, Bilac, Birigui, Buritama, Cafelândia, Getulina, Guararapes, Ilha Solteira, Jales, Lins, Mirandópolis, Palmeira D’Oeste, Penápolis, Pereira Barreto, Promissão, Santa Fé do Sul, Urânia e Valparaíso.
Projeto CultivAR – Para contribuir com a qualidade de vida nas áreas urbanas e estimular o reflorestamento, o TJSP lançou o projeto CultivAR. Em solenidades do Judiciário, o presidente da instituição planta uma árvore nativa no fórum local.



SIM, NÓS TAMBÉM PODEMOS!


Por Bruna Daiane de Oliveira da Silva e Aldo Aranha de Castro

 

A desigualdade social é um dos maiores problemas de nosso país atualmente, que talvez não tenha sido resolvido ainda porque o poder público não consegue visualizar-lhe a raiz. A educação, sem dúvida, é o que pode transformar essa situação.

O poder público pede contenção de gastos, enquanto a educação clama por atenção. Talvez o sistema educacional brasileiro esteja atendendo à “proposta” de Derek Bok, ex-reitor da Universidade Harvard, dos Estados Unidos: “Se você acha que a educação é cara, experimente a ignorância.” Isso se torna claro porque é bem mais fácil dominar a classe com maior déficit de conhecimento e baixa escolaridade.

O art. 3º da Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, defende, no seu inciso III: “a erradicação da pobreza e da marginalização, e redução das desigualdades sociais e regionais”, o que muitas vezes não é realizado. Acredita-se que, se o poder público investisse massivamente na educação nos anos iniciais da formação do cidadão, não seria necessário, futuramente, o investimento excessivo e assíduo em segurança, unidades prisionais, bolsas-auxílio, combate às drogas e à marginalização. Seriam formados cidadãos com consciência do papel, importância e poder que têm na sociedade. É admirável que tentem tirar a população da pobreza por meio de auxílios em dinheiro, alimento e outros bens. Isso a ajuda momentaneamente, porém só a educação transforma e liberta.
Como afirmou Mario Sergio Cortella, filósofo, escritor, educador, palestrante e professor universitário brasileiro: “O adolescente infrator será sempre resultado de uma sociedade que descuida das suas crianças e jovens. É preciso terminar esse ciclo de vitimação: a sociedade abandona, cria uma vítima, que é a criança, e essa mesma criança cria outras vítimas quando começa a furtar, roubar, violentar, assassinar.”
Seria um ato de hombridade do poder público resgatar a dignidade humana de pessoas de vários lugares do país e ajustar a desigualdade social por meio da educação, valorização das escolas públicas e, além disso, de seus profissionais. Podemos afirmar que a educação está em crise, e precisamos de uma revolução nos processos de aprendizagem.
Segundo Augusto Cury: “O futuro da humanidade depende da educação. Os jovens de hoje serão os políticos, os empresários e os profissionais de amanhã. A educação não precisa de consertos, precisa passar por uma revolução. [...] O caos da humanidade é reflexo do desprezo que as sociedades modernas têm pela educação. Nos discursos políticos a educação está em primeiro lugar, na ação concreta está em último.”

Levantamento realizado pelo jornal Folha de São Paulo, apresentado em 21 de novembro de 2012, no Editorial, sob o título “O preço da ignorância”, mostrava, com base em 962 escolas da capital, “que, de 2001 a 2012, as matrículas na rede pública caíram 14%; no mesmo período, aumentou em 147% a quantidade de crianças em instituições com mensalidades de até R$ 500 (nas mais caras, 15%).”.
É importante lembrar que a escolarização é uma parte da educação. A família tem papel fundamental e imprescindível na formação de um indivíduo de boa índole. Mas, neste momento, faz-se necessária a seguinte pergunta: “Como a família fornecerá a base para um indivíduo de boa índole se não recebeu a devida educação?” Podemos afirmar, então, que a falta de educação realmente é a raiz da maioria dos males.
No editorial mencionado, afirmava-se ainda: “A educação exerce também um efeito em cascata. O nível de escolaridade dos pais pesa muito no desempenho escolar dos filhos. As gerações futuras tendem a se beneficiar do esforço da presente.”
Se algumas pessoas acham absurda a comparação e a busca de um sistema de qualidade semelhante à de países desenvolvidos, como a dos Estados Unidos, por que não citar a jovem empreendedora brasileira de sucesso, Bel Pesce, que, aos 27 anos, evidenciando a importância da dedicação e educação em sua vida, garante: “[...] Isso é bem interessante, eu mesma tenho uma história no Brasil que as pessoas acham que foi sucesso da noite para o dia. 
Eu venho de uma família humilde, e dois dias antes do prazo para se candidatar ao MIT, comecei minha inscrição. E pronto! Eu fui aceita. As pessoas podem achar que foi da noite para o dia, mas só deu certo porque, nos 17 anos anteriores, eu levei a sério minha vida e educação. Sua história de sucesso da noite para o dia sempre é resultado de tudo o que você fez em sua vida até aquele momento.”. Bel venceu! Qual “destino” teria se tivesse se descuidado da educação? Não se trata apenas do sucesso. A história de Bel serve para mostrar que a educação pode sim transformar vidas. A educação transforma, liberta,  produz cidadania, pode melhorar uma pessoa, pode mudar o mundo! Pode resolver a desigualdade social.
Eduardo Campos, economista e político brasileiro,  candidato à Presidência da República em 2014, falecido em acidente aéreo durante a campanha, disse: “Educação é a chave para libertar pessoas, famílias e comunidades da pobreza de uma vez por todas.”
Por enquanto, o que resta é seguirmos lutando, aguardando respostas quanto aos problemas sociais, por meio de uma revolução na educação brasileira. Em consequência de nossas próprias escolhas políticas, ao optarmos por determinados candidatos, continuamos a caminhar por entre o caos brasileiro, resultado de uma gestão mal planejada e que não trata a educação com a devida atenção. Esperamos, todavia, parafraseando Barack Obama, um dia poder dizer, com orgulho de sermos brasileiros: “Sim, nós também podemos!”.
Bruna Daiane de Oliveira da Silva: Acadêmica do curso de Administração da UFMS – Campus de Três Lagoas/MS. E-mail: bxoliveira.s@gmail.com
Aldo Aranha de Castro: Professor do curso de Direito da UFMS – Campus de Três Lagoas/MS. E-mail: aldo.castro@ufms.br