Páginas

sábado, 25 de abril de 2015

FOLHAGERAL, da redação


Alguns vereadores, que não conheciam o parecer do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, estavam apreensivos antes da apreciação e votação na Sessão Extraordinária de quarta-feira (22). Temiam que a não cassação do vereador André Ricardo Viotto, o popular Macetão, pudesse abrir brechas para um "retorno" da ex-prefeita Nice ao cargo. Mas um uuuufa de alívio deve ter descarregado o semblante deles. Um dos vereadores chegou comentar a respeito com este colunista antes da sessão se realizar.

A apreensão era devida ao simples fato de que, no dia 16 de abril, o desembargador Eduardo Gouvêa, do TJ-SP, relator de um Agravo de Instrumento interposto por Nice Mistilides – onde está anexada a transcrição de toda a conversa entre Macetão e Aldo Nunes –, indefiriu, por ora, a concessão de efeito suspensivo ativo, mas despachou o seguinte:

"No que se refere à existência de fraude por parte dos vereadores para gerar o processo de cassação da agravante, entendo que se trata de matéria de mérito, devendo-se instalar o contraditório para melhor apreciar a questão. Requisitem-se informações. Int. São Paulo, 16 de abril de 2015. EDUARDO GOUVÊA, Relator."

O despacho foi publicado exatamente na quarta-feira, 22 de abril, no Diário Eletrônico de n° 1869. Ficou claro que o desembargador vai esperar as informações do Juiz da 2ª Vara de Jales no prazo de 10 dias, para decidir a respeito. Se contar em dias corridos, a informação  já deve estar com o desembargador e a decisão pode ter saido nesta sexta-feira. Por isto, parecia que uma nuvenzinha cinzenta espreitava no horizonte.

Na verdade Macetão morreu politicamente pela boca. Integrante do time dos "fala muito", muitas vezes não tomava o cuidado de refletir antes de falar. Esta foi sua perdição. Tristeza de um, alegria de outro. Sai Macetão, entra Nenê do Petshop, que graças aos seus 678 votos deu a cadeira a Macetão por pouco mais de 2 anos. Até parece que Deus fez Justiça, fazendo cada um cumprir meio mandato.

O cidadão André Ricardo Viotto não tem o que lamentar moralmente. Apesar de ter perdido o cargo no parlamento municipal de maneira inglória, os nove vereadores que julgaram o parecer do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar lhe passaram o atestado de político honesto, ao considerar que ele não levou vantagem pecuniária no episódio relatado.

Quando instalado vereador, Fagner Amado Pelarini (PRB) vai ter sobre si os olhos e ouvidos de todos, atentos para conhecer qual posição assumirá o Nenê durante o seu mandato. Será a favor, do contra ou de cima do muro? Ele já foi chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente. Lembrando: no próximo ano haverá eleição.

A posse do vereador suplente poderá acontecer na Sessão Ordinária da Câmara Municipal, na segunda-feira, 27 de abril, com início às 20 horas. Tomara que o novo vereador cumpra bem o seu papel no seu curto mandato. E tome cuidado para não se iludir com a carreira de político profissional.

Os partidos políticos PTB e DEM caminham para ultimar a formalização de unificação, segundo informações da mídia. O nome final será do partido que tiver mais filiações. Muito político, principalmente quem está de olho comprido nas cadeiras do Executivo em 2016, vai ficar de saia justa. Terá que pedir apoio destes ou daqueles para ver seu nome como cabeça de chapa. Haverá debandada.

Na décima primeira infração, apontada pela relatora Pérola Cardoso – "Praticar ofensas físicas ou morais no âmbito da Câmara Municipal ou desacatar outro parlamentar" –, o petebista Sérgio Nishimoto usou o bom-senso ao votar em favor do vereador Macetão.

Se defendendo na tribuna, o vereador Macetão fez questão de enfatizar que sua cassação estaria abrindo uma porta para o retorno de Nice ao cargo de prefeita. Muita gente sentiu um frio na barriga. Tanto foi que, no dia seguinte, houve muita indagação se isto seria possível. Verdade ou não, certo foi que o vereador cassado deixou muita gente assustada. Era o que ele queria.

O prefeito Callado não está jogando recursos públicos pela janela, segundo ele mesmo disse. Ele pretende recapear alguns milhares de metros quadrados de vias públicas com dinheiro da Prefeitura. Callado vai ter que se debruçar sobre a planilha de custos da Prefeitura e dar uma tesourada nos desperdícios para sobrar dinheiro e deixar as ruas da cidade no capricho para motorista não pôr defeito.

Disse o prefeito que os R$ 140 mil de contrapartida para os Jogos Regionais foi o primeiro passo. Seja assim, uma boa conversa com populares poderá ajudar muito. Política existe com boa articulação. É por isto que a política pode tornar possível muita dificuldade impossível.

Para os gestores públicos e privados, pode parecer que não seja salutar resolver os problemas que a mídia aponta. Isto porque – quem sabe? – pode haver quem interprete que eles não têm iniciativa própria para resolver os problemas pertinentes aos seus setores. A edição passada desta Folha, atendendo pedido de taxistas profissionais, divulgou a foto de uma placa de sinalização de trânsito de "carga e descarga", colocada num poste bem em frente ao Ponto de Táxi. Faz uma semana. Os representantes do povo – digam-se, o prefeito e os vereadores – não tomaram providência. Infelizmente. Se houvesse reclamação de um cidadão com influência e poder, a placa já não estaria mais lá ou teriam apagado ou encoberto as palavras "carga e descarga", com agradecimento dos gestores pela informação.

Augusto dos Anjos, por Reginaldo Villazon

O ano de 2014 marcou duas datas importantes na cultura brasileira, ambas relacionadas à mesma pessoa. O dia 20 de abril celebrou 130 anos de nascimento do poeta paraibano Augusto dos Anjos. O dia 12 de novembro assinalou 100 anos do seu falecimento. Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos (foto)

 viveu até os 30 anos e publicou um só livro. Mas sua obra lhe garante uma posição especial de destaque, respeito e admiração, confessada com emoção por todos os brasileiros que experimentaram sua genialidade.

"A mão que afaga é a mesma que apedreja." Quem nunca ouviu esta frase? Pois esta frase, muito conhecida, é um verso de Augusto dos Anjos. A presença dos seus versos – nas solenidades de 2014 – fez com que as homenagens se renovassem com força este ano. Neste mês de abril de 2015, no Estado da Paraíba, seu aniversário de 131 anos foi festejado com uma semana de eventos culturais. Isto é positivo porque promove assuntos atraentes que contribuem para o desenvolvimento das pessoas.

Augusto dos Anjos nasceu no Engenho Pau d‘Arco, no atual município de Sapé (PB), a 50 Km da capital do estado. Hoje, no lugar, há ruínas do Engenho Pau d‘Arco e da Usina Santa Helena (que sucedeu ao engenho). Há o Memorial Augusto dos Anjos (inaugurado em 2006 na casa restaurada da ama de leite do poeta) e a árvore (pé de tamarindo) cantada em versos.

Augusto dos Anjos iniciou sua educação com o pai, dono do engenho e formado em direito. Aos 16 anos, ingressou no Liceu Paraibano em João Pessoa (PB). Foi quando começou a escrever e publicar poemas em jornais. Formou-se em direito no Recife (PE) e voltou para João Pessoa (PB) como professor. Casou-se e mudou-se para o Rio de Janeiro, onde continuou a lecionar e escrever poemas. Em 1914, foi nomeado e assumiu o cargo de diretor de escola em Leopoldina (MG), mas pereceu de pneumonia.

O livro "EU", publicado em 1912 no Rio de Janeiro, causou espanto e críticas. O autor se ressentia dos sofrimentos próprios do seu tempo, tinha a mente agitada, lia muito. Por isto, seus poemas continham expressões técnicas mórbidas obsessivas. Mas, com o tempo, sua qualidade criativa foi reconhecida. Sem dúvida, cada pessoa tem seu jeito de expressar suas angústias, frustrações e tristezas. Enfim, suas crises existenciais. Augusto dos Anjos via o ser humano impotente, mergulhado em impurezas.


De fato, o ser humano existe na mistura de luz e sombra, verdade e mentira, virtude e defeito, higiene e sujeira, bondade e crueldade. Não há alguém totalmente puro ou impuro. Na vivência material e social, neste mundo, não há como excluir o bem ou o mal. Cada pessoa deve aprender a expressar seus lamentos e buscar decididamente seus ideais superiores. Muitas vezes, a melhor medida é manter o equilíbrio das forças opostas, de forma a não permitir a vitória das impurezas. A vida é um difícil caminho de aprendizagem.



Versos Íntimos

Vês! Ninguém assistiu ao formidável

Enterro de tua última quimera.

Somente a Ingratidão – esta pantera –

Foi tua companheira inseparável!

*

Acostuma-te à lama que te espera!

O Homem que, nesta terra miserável,

Mora entre feras, sente inevitável

Necessidade de também ser fera.

*
Toma um fósforo. Acende teu cigarro!

O beijo, amigo, é a véspera do escarro,

A mão que afaga é a mesma que apedreja.

*
Se a alguém causa inda pena a tua chaga,

Apedreja essa mão vil que te afaga,

Escarra nessa boca que te beija!
 
 
 
 


sexta-feira, 24 de abril de 2015

Metrópolis recebe a Banda do Mar com Mallu Magalhães e Marcelo Camelo

Neste domingo, 26 de abril, no Metrópolis, os apresentadores Marina Person e Cunha Júnior recebem a Banda do Mar, formada pelo casal Mallu Magalhães e Marcelo Camelo, além do músico português Fred Ferreira. Inédito, o programa vai ao ar às 20h15, na TV Cultura.

Durante a entrevista, o trio fala sobre seu único álbum, que traz na capa a ilustração de uma árvore, feita pela própria Mallu. A cantora diz que a árvore tem seu tronco, sua raiz, mas ainda assim permite que cada galho cresça individualmente. "E é assim com a banda, temos um ao outro, mas também temos espaço pra tocar nossa carreira solo".


Na conversa, a carreira individual dos músicos também entra em pauta. Os integrantes comentam ainda sobre as turnês e contam como é viver em trânsito entre o Brasil e Portugal.

O grupo, que mescla MPB, indie e pop, interpreta Pode ser e Dia Clarear, além de Janta, canção que marca o início do relacionamento entre Mallu e Marcelo, e que inspirou a formação da banda.

A decoração das praças e ruas centrais para o Natal contará com o apoio da Câmara Municipal

Em reunião realizada no dia 8 de abril os vereadores concordaram em liberar R$ 110 mil, solicitados para o projeto, do saldo de recursos repassados anualmente pela Prefeitura para o Legislativo que normalmente é devolvido ao Executivo no final de cada ano. A ACIJ solicitou que os recursos comecem a ser liberados gradualmente para que os trabalhos possam ser logo iniciados.

A reunião foi solicitada pelo secretário municipal de Planejamento e Trânsito, José Magalhães Rocha e contou com a presença do presidente da ACIJ, Carlos Roberto Altimari e do secretário de Esportes, Cultura e Turismo, Ademir Molina. Em reunião anterior, com o prefeito Pedro Callado e Magalhães, a ACIJ, através de ofício, pediu a decoração de Natal e sugeriu a participação da Câmara, da SABESP e demais entidades e clubes de serviços.

Magalhães acatou a sugestão e marcou a reunião, quando a ACIJ, em nome de todos, pediu a colaboração dos vereadores e de imediato foi atendida. O presidente da Câmara, Nivaldo Batista Oliveira, Tiquinho, não estava presente, também concordou.

O projeto da decoração que deverá ser executado pela Prefeitura, junto com a ACIJ e os demais apoiadores, foi elaborado pela presidente da Associação dos Artesãos de Jales, Lucilene Fiochi. O material deverá ser adquirido com os recursos da Câmara, mas ainda serão necessários mais valores, para a montagem do palco, som e outros detalhes. Também será utilizada parte do material empregado nos anos anteriores.

O presidente da ACIJ, Carlinhos Altimari também pediu aos vereadores que façam parte do grupo de pessoas que vão cuidar do andamento dos serviços e da sua fiscalização, pois a opinião deles e não apenas os recursos financeiros, também é muito importante.

Carlinhos disse que é gratificante ver os poderes públicos trabalhando juntos, fazendo renascer a esperança de que teremos uma decoração natalina digna da nossa cidade.

Jantar Beneficente na Casa de Mado

Neste sábado, dia 25 de abril jantar beneficente na Casa de Mado.

O Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores – Casa de Mado – das 20h as 22h:30 neste sábado, 25 de abril, jantar beneficente tendo no cardápio: Lombo de Porco, Arroz branco, Creme de Milho, Farofa de Bacon com banana, Salada de abobrinha, Mousseline de batata doce com mandioca e Salada Refrescante...
Aproveite, tem muita coisa gostosa.
A Casa de Mado fica na rua 19, nº 768, bairro SâoJudas Tadeu - Jales,SP

Os ingressos estão a venda com os trabalhadores ou você pode reservar pelo e-mail: addavid1@gmail.com ou ainda pelo fone: 17-3632.5095 (D. Lourdes, a mãe do David)
Os recursos são revertidos em prol da manutenção da casa e das atividades com as famílias carentes assistidas pela casa.
Seja bem-vindo ao nosso coração

Na Câmara Municipal

Na segunda-feira, 27 de abril, as 10 horas da manhã, o presidente da Câmara Municipal de Jales, vereador Nivaldo Batista de Oliveira, o Tiquinho, recepciona para uma visita à Casa, o deputado federal Sinval Malheiros (PV). Várias autoridades e lideranças comunitárias do município vão estar presentes a este encontro com o deputado, que na certa, irá ouvir muita reivindicação para a cidade.

Gerente do Sebrae-SP de Votuporanga visita associações e prefeituras

Em parceria com as associações e prefeituras, Escritório Regional desenvolve diversos programas e atividades que incentivam o empreendedorismo; palestras e encontros gratuitos são promovidos durante todo o ano
O novo gerente do Escritório Regional do Sebrae-SP em Votuporanga, Rafael Matos do Carmo, tem percorrido associações comerciais, prefeituras da região e diversas outras instituições parceiras para se apresentar aos líderes locais e reforçar a parceria do Sebrae-SP no incentivo ao empreendedorismo. Entre as cidades já visitadas, estão Votuporanga, Jales e Nhandeara.
"Queremos reforçar a nossa parceria com os municípios atendidos pelo Escritório Regional, pois teremos uma agenda de trabalho muito intensa nos próximos meses. Estou à disposição para colaborar com a economia local e regional, como nossa equipe tem feito há mais de vinte anos", comenta Rafael Matos do Carmo, gerente do Sebrae-SP em Votuporanga desde o dia 1º de abril.

Falta de atendimento odontológico em ESF é tema no Legislativo

 
Os vereadores Gilberto Alexandre de Moraes, (foto) Jesus Martins Batista, Luís Fernando Rosalino, Pérola Maria Fonseca Cardoso e Rivail Rodrigues Júnior apresentaram na sessão ordinária, requerimento ao prefeito Pedro Callado, solicitando informações sobre a falta de atendimento odontológico na ESF Dr. Francisco Xavier Rego", no jardim Paraíso.

O documento considera que aquele ESF, encontra-se sem odontologista para o atendimento dos pacientes e que os mesmos continuam necessitando e procurando regularmente o atendimento odontológico nesta unidade de saúde sem, contudo, encontrar o atendimento necessário.

O prefeito Callado terá que responder por quais razões a "Estratégia de Saúde da Família - ESF Dr. Francisco Xavier Rego", no jardim Paraíso, encontra-se sem odontologista para o atendimento; se no caso de um profissional que se exonera do cargo ou é demitido, há demora em substitui-lo e até quando será regularizado o atendimento odontológico nesta E.S.F.

Humanização realiza projeto “Ligando corações”

O Centro Integrado de Humanização tem como propósito criar ações estratégicas para melhorar o atendimento SUS dentro do hospital, além de realizar atividades em prol da qualidade do trabalho dos colaboradores. E o projeto Ligação Corações, faz parte de mais esta ação, cujo objetivo é instigar a mudança de cultura, aperfeiçoar um novo padrão de comunicação, participação e integração de todos os envolvidos da Santa Casa.

Normalmente, após a alta hospitalar, o paciente não se reconhece como parte do hospital, situação contrária à instituição, que com um contato telefônico almeja estabelecer a continuidade da relação, cuidado e consideração com os que passaram pela Santa Casa.

Em exercício desde dezembro do ano passado, o Ligando Corações, já comunicou-se com diversos pacientes, a ideia é ligar para os que estiveram internados no hospital durante cinco dias ou mais, para saber como está o atual estado de saúde.
As ligações estão sendo realizadas pela coordenadora dos voluntários da AVOSC, Aparecida da Cruz Garcia (foto), que em quatro meses já percebeu a importância deste contato. "Quando eu ligo para os pacientes vejo o quanto eles se sentem valorizados, eles percebem o quanto a entidade está preocupada com o bem estar deles. Esta ação de humanização é essencial para aproximação dos pacientes que ficaram internados durante um período longo", destacou a coordenadora.

Por meio do telefonema são feitas orientações de acordo com o estado de saúde de cada pessoa, sempre perguntando se está melhor e caso não estiver às pessoas são orientadas a procurarem o posto de saúde ou o hospital novamente. "Todas as pessoas que liguei gostaram e acharam bacana este projeto, alguns dão sugestões e ideias de melhorias. Quando ligo para as puérperas, sempre dou algum tipo de orientação de amamentação, falo do nosso Banco de Leite, e percebo o interesse das mães em querer ajudar", finalizou Aparecida.

Henrique Prata confirma presença no show de Fábio Jr

No sentido horário: André Silveira (Diretor Clínico), Adriana Mariano (Gerente de Captação de Recursos),Henrique Prata (Diretor Geral), Gustavo Ruzzo (engenheiro), Roger Dib (Gerente Administrativo) e Arielly Siqueira (Assistente Administrativo)



O Diretor Geral do Hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata esteve na Unidade de Jales nesta quinta-feira, 23 de abril e confirmou presença no Jantar Show com o cantor Fábio Jr. na quinta-feira, 7 de maio no Villa Rocca com inicio previsto às 22h30m

O evento que visa exclusivamente arrecadar recursos para manutenção de custeio do hospital, tem todas as mesas esgotadas, motivo que deixou Henrique muito feliz com o comprometimento da população de Jales com o hospital, que é referência nacional no tratamento de câncer atendendo os 27 estados do país.

A data foi escolhida pelo hospital para celebrar o Dia das Mães, já que acontece numa quinta-feira que antecede o dia em homenagem às mães. Além do show com Fábio Jr. quem comprou a mesa na Captação de Recursos do hospital, concorrerá a uma viagem para Natal, Portugal e uma moto 0km, além de oferecer bebidas inclusas (água, refrigerante, cerveja, uísque com energético) e um delicioso jantar servido pelo Buffet Marcos Silva.

Algumas surpresas estão sendo guardadas pela Gerente de Captação de Recursos da Unidade de Jales, Adriana Mariano e pelo Gerente Administrativo, Roger Dib. Eles garantem que tudo foi pensado com muto carinho para agradecer as 1.000 pessoas que contribuíram com o hospital comprando seus ingressos. É obrigatório a apresentação do ingresso e da pulseira para entrada.

Santa Casa realiza exames de tomografia computadorizada

O Tomógrafo Toshiba Multislice 16 canais, adquirido por meio de financiamento com recursos do BNDS junto com o Banco do Brasil começou a ser utilizada no inicio deste ano. Foram investidos cerca de R$ 1 milhão de reais para aquisição do aparelho e reforma da sala, sendo R$ 250 mil de emenda do deputado Carlão Pignatari ao orçamento do Estado.



O equipamento adquirido é um dos mais avançados do mercado e diferencia por ter um método de diagnóstico por imagem avançada e de alta qualidade, produzindo resolução próxima da realidade com reconstruções tridimensionais e estudos vasculares, possibilitando uma avaliação mais segura e rápida, capaz de gerar em 10 minutos várias imagens.
O exame é solicitado quando há necessidade de obter informações anatômicas detalhadas do corpo humano. O método é indicado para todas as regiões do corpo humano e também pode ser realizado para diagnosticar todas as etapas do tratamento de tumores cancerígenos.

Os convênios liberados na Santa Casa para a utilização da tomografia são: Amil, Apas, Assefaz, Austa Clínica, Bem Saúde, Bradesco Saúde, Cabesp, Cassi, Economus, Essencial Vida, Fundação Cesp, Geap, H.B Saúde, Iamspe, Pams, Sabesprev, São Francisco, Unimed Correio, Unimed Jales e Unimed Rio Preto.

A gestora de convênio da Santa Casa, Masako Uemura Garcia, explica quais os procedimentos dos conveniados para a realização de exames. "Para alguns convênios é necessário vir até o hospital e trazer a guia no setor e nós fazemos a solicitação para autorização. Alguns podem ser solicitados pelo próprio médico por meio do site do convênio, é variável e depende de cada plano de saúde. Os pacientes que tiverem dúvidas podem procurar o setor de Convênios do hospital onde serão devidamente orientados".

O Centro de Tomografia Computadorizada encontra-se dentro do hospital, proporcionando mais facilidade e comodidade à população, que não precisam se deslocar para a realização de exames.

O local está sendo gerenciado pela empresa CDI, sob responsabilidade das biomédicas Camila de Oliveira Nishiyama e Daine Cristina Alves Coelho (foto).

Pesquisa Datafolha aponta que 7 a cada 10 pediatras sofrem agressão física no exercício da profissão

A Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) encomendou, junto ao Instituto Datafolha, pesquisa sobre o perfil e atuação do médico pediatra no Estado. Entre os resultados, um dado alarmante: a violência que cerceia a rotina destes profissionais.

Sete em cada dez pediatras passaram por algum tipo de ato violento durante o exercício profissional. Destes, 63% relatam agressão psicológica, 10% física e 4% vivenciaram algum tipo de cyberbullyng. Nota-se, ainda, que quanto mais jovem, maior o registro de ataques: 74% dos que confirmaram algum episódio de agressão têm entre 27 e 34 anos, contra 43% para aqueles com 60 anos ou mais.

"Nós temos uma falha no sistema de saúde que reflete diretamente na qualidade do atendimento: o pronto socorro substituindo as consultas rotineiras. Pela dificuldade de agendar consulta, as mães recorrem ao PS, com a ideia de que terá resolutividade, com o diagnóstico e tratamento imediatos. Somente no consultório do pediatra que a assistência promovera a saúde, a prevenção de doenças e orientações sobre os cuidados mais importantes", frisa dr. Mário Roberto Hirschheimer, presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP)

Dr. Mário atribui esse fator como um dos preponderantes causadores da frustração e revolta dos pais, com a consequência de atos violentos contra os médicos. Estas agressões refletem, também, a deficiência da saúde.

"Faço questão de ressaltar que, no momento, pelo aumento da demanda nos prontos socorros, os casos de agressão aos profissionais que lá trabalham sobrecarregados têm aumentado, lamentavelmente, pois somos tão vítimas do mau funcionamento do sistema quanto os cidadãos. Fica um apelo: só procurem os prontos socorros em casos de urgência ou emergência, já que também há o risco de contágio nas salas de espera lotadas. Outro lembrete da maior importância: agredir os profissionais que lá estão trabalhando só piora a situação, não só por atrasar mais ainda o atendimento, como provocando pedidos de demissão".

Atualmente, São Paulo conta com um pediatra para cada 1390 crianças. "Isso no Estado que tem 28,8% dos pediatras do país.", conta Hirschheimer. Eles dedicam apenas um terço do tempo para atender convênios. Em média, este especialista tem 2,5 trabalhos em lugares diferentes, atuando cerca de 50 horas semanais - 20% dos entrevistados trabalham mais do que 60 horas semanais enquanto 51% trabalham à noite e 61% aos fins de semana.

"Para agravar mais a situação, a rede pública remunera mal o médico, sobretudo quando comparada aos plantões na rede privada. Assim, os hospitais particulares estão absorvendo praticamente a totalidade dos bons pediatras que são formados hoje em dia. Com a escassez de especialistas, estamos sujeitos a esse tipo de assédio, que sofremos constantemente", destaca Hirschheimer.

O presidente da SPSP explica que o tripé - falta de pediatras e de interesse dos novos médicos em seguir a atividade, a remuneração baixa nos sistemas público e suplementar e as condições de trabalhos disponíveis a estes profissionais – prejudica a qualidade do atendimento, afetando a relação dos cuidadores com os médicos, tornando-se motivos para que os pediatras sintam-se ameaçados, desrespeitados e inseguros em seu local de atuação.

Aprenda a identificar os sinais de infecção urinária na infância

Infecção do trato urinário é a mais frequente das doenças renais na infância.

Além dos problemas respiratórios, trata-se da patologia mais comum nesta faixa etária, muitas vezes relacionada a doenças urológicas. Em recém-nascidos e lactentes jovens atinge mais os meninos. Na fase pré-escolar, dos 4 aos 7 anos, é mais comum em meninas (8% contra 2% no sexo masculino).

A fonte da infecção, geralmente, é de bactérias presentes no trato gastrointestinal que, em indivíduos com maior propensão, pode atingir as vias urinárias. De fácil tratamento, somente apresenta complicação se diagnosticada tardiamente.

Segundo a presidente do Departamento de Nefrologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo, dra. Maria Helena Vaisbich, um dos principais fatores relacionados à doença em pré-escolares é o distúrbio de micção, muitas vezes causado por um desfralde precoce e/ou treinamento esfincteriano inadequado. Nos garotos, uma fimose muito pronunciada pode dificultar a eliminação e acarretar o problema. Apesar disso, estas causas isoladamente não determinam sua instalação por se tratar de uma predisposição individual.

O aumento da ingestão de líquido, que mantém o trato urinário em atividade constante, uma dieta rica em fibras, o incentivo à urina de 3 em 3 horas, e a higienização correta nas meninas – limpar a área de frente para trás, são atitudes que podem ajudar a evitar o problema. Lembrando que a higienização inadequada em meninas pode resultar em diagnóstico equivocado de infecção urinária: na verdade, ocorre vulvovaginite e, com a coleta de urina sem assepsia apropriada, pode erroneamente diagnosticar infecção urinária.

"Uma das grandes dificuldades é identificar os sinais no RN, que não reclama e não sabe expressar o que sente. Entretanto, icterícia prolongada, queda do estado geral, vômito, desidratação, mudanças na cor, odor e volume do xixi são aspectos que merecem atenção e avaliação médica imediata", alerta a nefrologista.

Sintomas como febre, dor/dificuldade para urinar e incontinência urinária – especialmente à noite por crianças que já possuem controle da esfíncter (músculos da bexiga e da uretra que, em relaxamento, liberam a passagem da urina), requerem acompanhamento médico. Vale ressaltar, entretanto, que existem casos assintomáticos, o que dificulta um diagnóstico precoce.

Vale ressaltar, entretanto, que existem casos assintomáticos, o que dificulta um diagnóstico precoce e se encaixam, por exemplo, em febre de origem indeterminada. Desta forma, a coleta adequada para o exame de urina simples e para cultura da urina é determinante para a confirmação da doença.

"Com a demora na investigação, a infecção pode cair na circulação sanguínea, especialmente na população mais jovem, e se manifestar sistemicamente, resultando em infecção generalizada ou sepse. Em caso de infecção renal, pode ocorrer uma seqüela no rim em forma de cicatriz devido ao processo inflamatório. Essa é a causa mais comum de insuficiência renal crônica na infância", explica.

Exames clínicos, anamnese e testes simples como urina I e urocultura com antibiograma, que confirma o tipo de bactéria e a eficácia dos diferentes antibióticos em seu combate, podem detectar a doença. Avaliação posterior com exames de imagem pode esclarecer se há uma uropatia ou distúrbio funcional do trato urinário.

Peão de Jales sagrou-se campeão do rodeio em cavalo


Após quatro dias de disputas acirradas e muita adrenalina na arena do recinto de exposições Vereador Juvenal Giraldelli, o peão jalesense, Rafael Gobato (foto) sagrou-se o grande campeão do rodeio em cavalo Cutiano na 45ª Facip – Feira Agrícola, Comercial, Industrial e Pecuária de Jales, que aconteceu entre os dias 14 e 20 de abril.
Com arquibancadas, mesas e camarotes completamente lotados, Rafael deu um show ao montar o cavalo Ajax, conquistar 259.75 pontos e a preferência dos juízes, faturar o primeiro lugar e, consequentemente, um carro zero quilômetro. Em segundo lugar ficou José Mariano da Silva (259 pontos), seguido por Luiz Antônio Nascimento (258.75), Antônio Custódio (257.75) e Sidnei Pereira Brito (257.75).
O segundo colocado recebeu R$ 8 mil. Motos 0 KM foram entregues ao terceiro e quarto colocados. A premiação do 5º lugar foi de R$ 3 mil. Do sexto ao décimo lugar cada peão recebeu como prêmio R$ 500,00.
A final do rodeio na modalidade touros, após alguns contratempos e acidentes que chegaram a levar peões para a Santa Casa de Jales, Márcio da Costa Araújo, foi o grande campeão. Ele levou para casa um carro. O segundo lugar ficou para Marcio Aparecido de Lima Souza que faturou R$ 8 mil, com Glauco Bezerra Carvalho em terceiro lugar e Guilherme Pinheiro em quarto, cada um ganhou uma moto e Guilherme Dias Prado em quinto lugar teve como prêmio R$ 3 mil. Do sexto ao décimo lugar, cada peão recebeu R$ 500, 00 cada.
"Foi uma grande festa que, com toda certeza ficou para a história das maiores e melhores Facips já realizadas em Jales. No palco tivemos grandes nomes da música que contagiaram o público, como Henrique & Juliano, Gustavo Mioto, Jads e Jadson, Munhoz e Mariano e a Ivete Sangalo que, pela primeira vez se apresentou em Jales. O rodeio apresentou os melhores profissionais e arrancou aplausos do público, além das excelentes exposições, os bons negócios feitos dentro da Facip, brinquedos do Vitinho Park, as baladas da Absolut Itinerante e infinitas atrações que atraíram milhares de pessoas para o recinto. Agradeço muito a Deus por ter feito do evento um sucesso", disse Osvaldo Costa Junior, o Bixiga, da BX Eventos, empresa responsável pela realização da Facip.

Deputado Carlão Pignatari solicita recursos para reforma de CCIs de Santa Fé do Sul

 
O deputado estadual Carlão Pignatari, líder da Bancada do PSDB na Assembleia Legislativa, acompanhou o prefeito da Estância Turística de Santa Fé do Sul, Armando Rossafa, em audiência com o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, nesta quarta-feira, 22 de abril.

Carlão e Rossafa reivindicaram R$ 250 mil, cujos recursos serão destinados para a reforma e ampliação de dois Centros de Convivência do Idoso (CCIs) da cidade.

De acordo com o prefeito Armando, estão necessitando de reparos urgentes o Centro de Convivência do Idoso "Orestes Borges", cujo pedido foi feito pelo vereador Alcir Zaina, e o Centro de Convivência do Idoso São Francisco.

"São espaços especiais destinados a pessoas da terceira idade, onde eles se encontram para interagir e desenvolver diversas atividades que os mantêm ocupados e interligados com a comunidade, por isso devemos mantê-los sempre em boas condições. Os idosos merecem todo nosso respeito", destacou o deputado Carlão Pignatari.

Prazo para regularização do título segue até 4 de maio

Dos quase 500 mil eleitores paulistas que correm o risco de ter o título cancelado, apenas 8.652 compareceram aos respectivos cartórios eleitorais para regularizar a situação.

O período para regularização dos eleitores que não votaram e não justificaram sua ausência nas três últimas eleições vai até 4 de maio de 2015.

Para cada turno em que tiver deixado de votar ou justificar a sua ausência às urnas, o eleitor terá que pagar multa ou solicitar sua dispensa, caso não tenha condição financeira de efetuar o seu pagamento. Aquele que estiver nessa situação deverá comparecer ao cartório munido de documento oficial com foto, título eleitoral e comprovantes de votação ou justificativa que possuir.

Quem se mantiver irregular com a Justiça Eleitoral terá o seu título cancelado automaticamente após o prazo mencionado e ficará impedido de se candidatar a concurso público, tirar passaporte, entre outras sanções.

O eleitor pode verificar a situação de seu título na Central de Atendimento ao Eleitor no telefone (11) 3130-2100 ou 148 (ligação local em todo o Estado) ou pelo site.

Caso o eleitor já esteja com o título cancelado ou não tenha feito a revisão biométrica (nos municípios onde houve a biometria), deverá fazer o agendamento e levar, ainda, comprovante de residência atualizado. Se for requerer o primeiro título eleitoral, além desses documentos, deverá apresentar certificado militar, em caso dos eleitores do sexo masculino.

Editais de Proclamas

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interiana do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

EDUARDO HENRIQUE MEZANINI e JULIANA BOER. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 15 de dezembro de 1.982, administrador de empresas, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Dovilio Mezanini e de Maria Odete Pelisson Mezanini. ELA, natural de Campinas, deste Estado, nascida aos 26 de janeiro de 1.985, administradora de empresas, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Osvaldir Boer e de Luzia Aparecida Anselmi Boer. (republicação)

DOUGLAS NAZARE FLÁVIO DE LIMA NOUJAIN e ADRIANA CRISTINA TEIXEIRA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 17 de julho de 1.978, empresário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Nelson Nazare de Lima e de Elizabeth Noujain Ramos de Lima. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 12 de julho de 1.983, psicóloga, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Dalberto Teixeira e de Elisabete Cristina da Silva Teixeira.

HELDER COELHO SILVA e ADRIANE CRISTINA TEIXEIRA. ELE, natural de Campo Grande, Estado de Mato Grosso do Sul, nascido aos 21 de dezembro de 1.978, empresário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Nelson Nazare de Lima e de Elizabeth Noujain Ramos de Lima. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 12 de julho de 1.983, psicóloga, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Dalberto Teixeira e de Elisabete Cristina da Silva Teixeira.

FABIANO JOSÉ FERREIRA e JOYCE CAMARGO FUKUSHIMA. ELE, natural de Assis, deste Estado, nascido ao 1º de junho de 1.983, advogado, solteiro, residente e domiciliado em São Paulo, filho de Nelson Ferreira da Silva e de Joana dos Santos Rosa Ferreira. ELA, natural de Palmeira D’Oeste, deste Estado, nascida aos 31 de janeiro de 1.988, advogada, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Brasiliano Yoshio Fukushima e de Sonia Barbosa Camargo Fukushima. Cópia para ser afixada no Oficial de Registro Civil de São Paulo – SP, onde reside o contraente.

LUIZ CARLOS CARDOSO e REGINA MARTA PIVOTO. ELE, natural de Macaubal, deste Estado, nascido aos 18 de janeiro de 1.960, aposentado, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de José Cardoso e de Lourdes Alves Cardoso. ELA, natural de Catanduva, deste Estado, nascida ao 1º de fevereiro de 1.957, do lar, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de João Pivoto e de Maria Vetari Pivoto.

ELIAS ROSSI JÚNIOR e ALINE SILVA NOSSA. ELE, natural de Estrela D’Oeste, deste Estado nascido aos 10 de outubro de 1.994, mecânico, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Elias Rossi e de Maria de Fátima Sanches Fontinele Rossi. ELA, natural de Santa Bárbara, deste Estado, nascida aos 13 de junho de 1.995, autônoma, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Adilson Nossa e de Maria de Fátima Silva Nossa.

AURÉLIO LUÍS BUZO e JÉSSICA ASSIS DE OLIVEIRA. ELE, natural de Jales, deste Estado nascido aos 17 de setembro de 1.985, autônomo, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Geraldino Buzo e de Joana Maria Soares Buzo. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 09 de maio de 1.989, autônoma, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de João Carlos de Oliveira e de Ilda Maria de Assis de Oliveira.

CLAUDEMIR ALVES BONFIM e ELIANE REGINA BARBOSA. ELE, natural de Arabá, deste Estado nascido aos 29 de dezembro de 1.969, marceneiro, viúvo, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de José Alves Bonfim Filho e de Joana de Souza Alves. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 20 de dezembro de 1.976, do lar, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de José Rodrigues Barbosa e de Maria Aparecida de Medeiros Barbosa

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina


Deputado Pinato visita a Facip e fala sobre as reivindicações para Jales





Deputado Pinato é entrevistado pelo repórter Toni Ramos, da Assunção AM.
 
 
 
O deputado federal Fausto Pinato (PRB-SP), esteve presente na 45ª Facip – Feira Agrícola, Comercial, Industrial e Pecuária de Jales, que aconteceu entre os dias 14 e 20 de abril.


O deputado fez uma breve prestação de contas e falou com a imprensa de Jales sobre o trabalho desenvolvido nestes primeiros meses de mandato. Relembrou casos polêmicos que estão em trâmite nas comissões da Câmara Federal, como é o caso da redução da Maioridade Penal.

Para ele, é um projeto que avançou depois de ficar engavetado por 22 anos, e somente agora vai ao plenário para ser votado. "Sou favorável a redução da Maioridade Penal de 18 para 16 anos, mas o Estado e a Federação também terão que criar mecanismo de socialização para estes menores que não podem ficar em cadeias ou presídios comuns".

"Já encaminhei diversos pedidos do prefeito Pedro Callado, principalmente na área de infraestrutura e estamos aguardando a liberação destas emendas para resolver problemas enfrentados pela população. A pedido do prefeito Callado, consegui colocar uma emenda de R$ 1 milhão para a Santa Casa de Jales e aguardo ansioso pela chegada deste dinheiro à entidade", disse o deputado.

O deputado defende a criação de uma organização entre os principais municípios do noroeste paulista para definir a vocação de cada cidade, mantendo uma identidade social, econômica e política para desenvolvimento de projetos a curto e longo prazo.

CNBB, Igreja e Sociedade, por D. Demétrio Valentini

 
A 53ª. Assembleia da CNBB tinha tudo para ser tranquila, e voltar-se com exclusividade para seus problemas internos, deixando de lado as preocupações com a sociedade. Parecia mesmo que as duas incumbências centrais, a aprovação das diretrizes pastorais e as eleições para os diversos cargos, iriam ocupar as atenções a ponto de deixar de lado outros assuntos.

Mas, na medida em que a assembleia avançava, dando conta das duas incumbências centrais, foram emergindo diversas outras questões, que acabaram ocupando as atenções dos bispos.

A presença do Dr. Ricupero, convidado para coordenar a análise de conjuntura social, acendeu o interesse da assembleia, pela constatação de como é importante uma visão histórica, para compreender mais em profundidade a realidade brasileira. Ela é profundamente marcada pela desigualdade, que ainda condiciona todo o processo cultural, econômico e social do Brasil. À luz desta constatação podemos compreender melhor as tentativas feitas ultimamente, com a nítida intenção de ao menos diminuir a desigualdade que marca o Brasil.

Disto surgiu a proposta de apresentarmos, por escrito, num texto consistente, uma análise do Brasil visto sob a perspectiva da desigualdade. E ficou martelando nossa consciência a categórica afirmação do Dr. Ricupero, de que uma sociedade será julgada pela maneira como ela tratar os mais vulneráveis.

Outro assunto que acabou também merecendo um texto orientador, foi a reforma política. No começo da assembleia, alguns bispos, preocupados inclusive com a imagem da CNBB, alertaram que seria bom que a CNBB se voltasse mais para seus assuntos internos. E até citaram a reforma política, advertindo que este não seria um assunto de sua alçada.

Pois bem, na reta final da assembleia se achou conveniente, em vez de calar-nos sobre o tema, ao contrário, devíamos oferecer reflexões consistentes, em grande parte assimiladas ao longo do intenso trabalho realizado pela CNBB, e que resultou na proposta de uma "iniciativa popular de lei", cuja coleta de assinaturas está em andamento, e se espera chegar a um milhão e meio, que seriam entregues ao Congresso Nacional no final do mês de maio.

Junto a isto, emergiu com clareza um critério importante para discernir quando, e como, a Igreja pode colaborar na solução dos problemas da sociedade. Ainda mais quando o assunto é complexo, e apresenta aspectos de difícil convergência. Em certas circunstâncias, como desta vez, só mesmo a presença da CNBB, com sua credibilidade, tornou possível o consenso mínimo em torno de alguns pontos chaves da pretendida reforma política.

De novo se comprova, o que neste ano a Campanha da Fraternidade apontou com insistência: a presença da Igreja na Sociedade se justifica pela atitude de serviço que ela é chamada a ter, seguindo de resto o exemplo do próprio Cristo.

E foram surgindo outros assuntos. Julgou-se de nosso dever expressar nossa solidariedade aos cristãos que estão sendo perseguidos por causa da sua fé. Diante da inércia do mundo face a esta preocupante situação, se concluiu que ao menos devíamos expressar nossa solidariedade, manifestando a esperança de que esta triste realidade possa ser detida, e se crie um clima de diálogo para a superação destas violências.

Outro assunto que também acabou merecendo nossa atenção, foi o Ano da Paz, proposto pela CNBB.

Em síntese, a Igreja nunca pode se fechar em torno de si mesma.

Vereador Tiquinho sugere instalação de parque infantil na rotatória da avenida Paulo Marcondes

 
O vereador e presidente da Câmara Municipal, Nivaldo Batista de Oliveira, o Tiquinho, apresentou na Sessão Ordinária, realizada na segunda-feira, 13 de abril, requerimento ao prefeito Pedro Callado informações sobre a possibilidade de instalação de um parque infantil na rotatória da avenida Paulo Marcondes, próximo onde já está instalada uma Academia ao Ar Livre que atrai grande movimento de populares, dentre eles famílias e crianças.
Segundo Tiquinho, na rotatória ainda há espaço para a instalação de um parque infantil para a recreação das crianças. Durante a discussão do Requerimento, os vereadores questionaram a instalação no local sugerido, apontando uma área próxima e mais apropriada para instalação do parque infantil.

Chico Xavier

 
Pergunta - Que é que pode ser mais prejudicial a um médium?
Chico Xavier - O egoísmo que se fantasia de vaidade e orgulho, quando o medianeiro procura irrefletidamente antepor-se aos Mentores Espirituais que se valem dele. Ou o mesmo egoísmo, quando se veste de ociosidade ou de escrúpulo negativo, para fugir à prestação de serviço ao próximo.
 
Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da
"Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.

O chamado é para todos, por José Renato Nalini

 
Embora o Brasil seja a Nação que mais possui Faculdades de Direito em todo o mundo, o universo "Justiça" nem sempre está nas cogitações do comum dos homens. Verdade que houve tempo – e não faz muito – em que litigar era exceção. Hoje, demandar em juízo virou regra. Há pouco, empresários chineses em visita ao Brasil comentavam, de forma jocosa: "Pensei que o esporte brasileiro fosse o futebol! Depois de permanecer no Brasil algum tempo, verifiquei que o esporte aqui é litigar!".

Mais de 100 milhões de processos atravancam todos os Tribunais do País e afligem os quase 16.500 juízes responsáveis por decidi-los. Existe remédio para enfrentar mais essa crise? Pois se o Brasil está mergulhado em inúmeras crises, não se pode ignorar que também existe uma crise do sistema Justiça.

É nas crises que surgem as ideias para o seu enfrentamento racional. Por isso verifica-se uma saudável reação em vários setores do Judiciário, com oferta de propostas de administração eficiente desse fenômeno patológico: o excesso de processos judiciais.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) fornece uma orientação que já está sendo seguida pela Justiça de São Paulo. Deriva da segunda diretriz de gestão do Ministro Enrique Ricardo Lewandowski, atual Presidente do Supremo Tribunal Federal e do CNJ. Sua recomendação é "intensificar as relações institucionais do CNJ com os demais Poderes e com outras instituições essenciais à administração da Justiça, com vistas à busca de convergências de esforços".

Aquilo que serve para o CNJ serve também para cada um dos quase 100 tribunais brasileiros. O momento é de somar esforços, de intensificar parcerias, de buscar a convergência dos propósitos, sempre no intuito de fazer com que a Justiça assuma a sua missão de pacificadora da sociedade, de edificadora da harmonia no convívio, de solucionadora de problemas. A visão de exacerbado formalismo, de rígida observância da letra da lei, afastando-se de seu espírito, muita vez contribui para que o Judiciário, em lugar de resolver questões que afligem os homens, seja ele mesmo um fator de aflição ainda mais intensa. Isso se dá quando, ao invés de decidir, o sistema procrastina, persiste no tecnicismo, oferece respostas processuais ou procedimentais e deixa o cerne da questão se tornar mais agudo, mais grave e, consequentemente, mais dolorido.

Não há um usuário do sistema Justiça que esteja plenamente satisfeito com o seu funcionamento. Mas quem sustenta a Justiça é o cidadão. O contribuinte brasileiro, responsável por carrear ao Erário uma carga tributária que é das maiores de todo o Planeta, enquanto recebe uma contraprestação que não é das melhores.

O momento por que passa a Nação deve estimular toda a cidadania lúcida e consciente, para que participe das discussões a respeito do repensar da Justiça, que ainda não foi submetida à profunda reforma estrutural tão urgente para torná-la efetivamente eficiente.

Já está superada a concepção de que Justiça é assunto para juízes, promotores, advogados ou qualquer outro integrante do elevado rol de carreiras jurídicas que a Nação produziu. Justiça interessa a todos. Mais dia, menos dia, cada indivíduo sente a força de uma decisão judicial. Mesmo quando a questão é singela e poderia ser resolvida de outra forma, assim como fazem os países ricos.

Interessar-se pelo Judiciário, discutir as fórmulas de torná-lo melhor, auxiliar com propostas e críticas construtivas, é dever cidadão e atende ao expresso convite do CNJ, insuspeito órgão do Poder Judiciário criado no âmbito da tão esperada Reforma da Justiça brasileira.

*José Renato Nalini é presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo

REFORMA E AMPLIAÇÃO DA DELEGACIA DE POLICIA EM FASE FINAL


O deputado Itamar Borges (PMDB) visitou nesta sexta-feira, 24 de abril, a reforma do prédio da Delegacia de Polícia de Santa Fé do Sul, que está com as obras em estágio avançado, com previsão de entrega para o final de junho ou inicio de julho.

Itamar estava acompanhado pelo ex-delegado seccional, Dr. Ademir Gasques Sanches e foi recepcionado pelo delegado seccional Dr. Charles Wiston de Oliveira, além dos delegados Dr. Hélio Molina Jorge, Marcelo Sales França e José Eduardo Martins, investigadores e agentes de polícia.

Com a entrega da obra de reforma e ampliação, que teve investimento de R$ 1.6 milhão, tanto a delegacia de polícia quanto o primeiro distrito passarão a atender no mesmo prédio, unificando a Polícia Civil de Santa Fé do Sul.

Itamar trata a segurança pública como prioridade e trabalhou muito pela realização da obra. Fez gestões junto ao Governo do Estado, a Secretaria de Segurança Pública e ao Delegado Geral da Polícia Civil.

Segundo Dr. Chales e os demais Delegados, com a ampliação do prédio o 1º Distrito funcionará integrado com a delegacia de policia, e com isso terá uma estrutura maior para melhor atender.

"A nova delegacia é uma grande conquista para Santa Fé do Sul. Com a reforma o prédio ficou praticamente três vezes maior, centralizará todas as atividades da Polícia Civil em Santa Fé do Sul, reconhecendo a importância da policia civil em especial do Dr. Charles e policiais de toda a região", finalizou o deputado Itamar Borges.

Marco legal da Bidiversidade é aprovado com a participação de emendas de Paulo Rocha

A proposta de Marco Legal da Biodiversidade que trata das regras para acesso ao patrimônio genético brasileiro e aos conhecimentos tradicionais associados, é aprovada no plenário do senado com a participação e empenho do Senador Paulo Rocha (PT-PA). As mudanças trazidas no PLC 02/2015, agora voltam à Câmara dos Deputados para análise.

O projeto beneficiará as comunidades tradicionais, povos indígenas, quilombolas e agricultores familiares - quanto à indústria e os institutos de pesquisa consideraram que o novo marco traz avanços em relação à legislação em vigor, a Medida Provisória 2.186 de 2001, considerada rígida por diversos setores.

O projeto também simplifica as regras para pesquisa de plantas e animais nativos e acaba com a exigência de uma autorização prévia para pesquisas. Agora, o cadastro será feito de forma eletrônica. O objetivo é incentivar a produção de novos fármacos, cosméticos e insumos agrícolas.

O texto trata ainda das condições para acordos de repartição de benefícios. Fica estabelecido o pagamento de 1% da receita líquida anual obtida com a venda do produto acabado aos detentores do conhecimento tradicional associado. O texto também prevê a compensação não monetária, na forma de transferência de tecnologia, quebra de patentes ou distribuição de produtos.

Para conservação do patrimônio genético, serão criados o Fundo Nacional para Repartição de Benefícios e Programa Nacional de Repartição de Benefícios. Quem descumprir o novo Marco Legal da Biodiversidade pagará multas entre R$1 mil e R$ 100 mil para pessoa física e entre R$ 10 mil e R$ 10 milhões para pessoa jurídica.

População pode eleger o melhor selo de 2014

Já está disponível, no site dos Correios, a votação para escolha do melhor selo de 2014. Até o dia 30 de junho, o público pode ajudar a eleger qual das 28 emissões lançadas durante o ano passado deve ser a vencedora.
Entre os selos lançados em 2014, estão os que divulgam a nova marca dos Correios, a Copa do Mundo no Brasil e os times de futebol, as emissões natalinas e também os que homenageiam personalidades, como o selo do centenário de nascimento de Dorival Caymmi.
A escolha do melhor selo é realizada pelos Correios há mais de 30 anos e, desde 2003, pode ser feita também pela internet. O formulário para conferir as imagens dos selos concorrentes e participar da votação está disponível no site dos Correios: http://www2.correios.com.br/selos/selos_postais/melhor_selo_ano/vota_selo.cfm?consulta=Yes
O resultado será divulgado na primeira semana de julho.

Alesp aprova PL que restringe venda de aparelho que desbloqueia IMEI

O Projeto de Lei que restringe a venda de aparelhos que alteram ou desbloqueiam o IMEI (o número de identificação dos celulares) foi aprovado na Assembleia Legislativa de São Paulo na votação desta quinta-feira (23/4). A medida, de autoria do Governo do Estado, deverá colaborar para reduzir os roubos e furtos de celulares.

O PL 46/2015 - formulado pelo governador Geraldo Alckmin e pelo secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes - determina que os estabelecimentos que quiserem comercializar o aparelho desbloqueador deverão ter autorização prévia do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade) da Polícia Civil.

A norma prevê ainda o cancelamento da inscrição estadual dos estabelecimentos que descumprirem a determinação. Para virar lei, o projeto precisa ser sancionado pelo governador.

O IMEI (International Mobile Equipment Identity) é um número único de identificação de aparelhos, independente de operadoras ou país de utilização. Após reunião com as principais operadoras de telefonia, em fevereiro deste ano, o secretário Alexandre de Moraes criou uma resolução (SSP 3/2015) determinando que o Departamento de Inteligência (DIPOL) requisite o bloqueio dos celulares no prazo máximo de até 12 horas.

Com o número de IMEI bloqueado, o celular deixa de funcionar - o que torna o roubo e furto menos interessantes.

SÍSIFO CHEGARÁ AO TOPO DA MONTANHA? por GAUDÊNCIO TORQUATO

 
O Brasil vive a maior crise de sua contemporaneidade. Não se trata apenas de uma soma de crises que se imbricam nas teias da economia, da política, da água e da energia, entre outras. Trata-se, sobretudo, de uma crise moral que solapa as bases da credibilidade nas instituições e em seus atores. Daí a dúvida: quando abriremos o ciclo de moralização da vida política no país? Há um fio de esperança? A resposta é sim.

Vejamos as hipóteses. Três vertentes se apresentam como as mais prováveis na esfera das ocorrências futuras: a primeira é de que a atual crise será ultrapassada pela próxima; a segunda, ancorada na banalização, mostra o brasileiro cada vez mais descrente da política; e a terceira, regada a esperança, é capaz de acreditar ser possível uma flor nascer no pântano. As duas primeiras vertentes são maléficas para o caráter nacional. Comparam-se à maldição de Sísifo. Expliquemos. Condenado a carregar uma pedra sobre os ombros e depositá-la no cume da monta­nha, o matreiro rei de Corinto nunca irá a conseguir o feito. O castigo que os deuses lhe deram no Hades, o mundo dos mortos, era definiti­vo: recomeçar a tarefa todos os dias por toda a eternidade. Ora, o brasileiro sente que Sísifo está à nossa espreita. Há menos de um ano, as pessoas achavam que a situação começava a melhorar. A pedra poderia chegar ao topo da montanha; hoje, sentem que a coisa está prestes a degringolar. Sísifo, mais uma vez, fracassa. Pois esse é o Brasil do eterno retorno, a repetir o maçante exercício de ver frustradas suas expectativas.

O desalento se instala, sob a banalização de escândalos que abala a confiança social. Daí a indignação, a revolta, a mobilização das ruas, na esteira de uma reação aos desmandos e ilícitos. Críticas ácidas jorram de esquadrões da classe média, cuja repulsa aos eventos da Operação Lava Jato emerge de forma contundente na mídia. O fio de luz no fim do túnel é a racionalidade fincando suas raízes. Expande-se a locução social com a tuba de resso­nância midiática fazendo eco. As camadas – com acesso à TV e ao rádio – vêem a lama escorrer da arquitetura política e aplaudem as prisões de figuras de alto calibre.

A flor nascerá no lamaçal. A crise que assola o Parlamento deixa os atores atordoados. A mobilização das ruas propaga um sentimento pátrio e uma reação em cadeia. Cristaliza-se a convicção de que a corrupção e a infração a valores morais hão de ser contidos pelas barreiras que a sociedade começa a construir.

Do sentimento de que está sempre vendo as mesmas coisas, o brasileiro extrai a argamassa para construir o edifício do amanhã. Nessa construção, serão plantadas as sementes de reformas fundamentais, a partir da reforma política e de um novo pacto federativo. Já não dá mais para conviver com um modelo político incompatível com uma estrutura racional de Estado e uma gestão moderna de democracia. A continuar a velha modelagem, cairemos fatalmente na ingovernabilidade, com o agravamento das tensões entre insti­tuições e insegurança social. É possível, até, que não façamos, de imediato, uma reforma política completa. O importante, nesse momento, é tentar reformar o sistema político-eleitoral; modernizar a es­trutura do Estado, a partir de limites sobre competências entre Po­deres (pacto federativo) com redefinição de atribuições entre entes; completar a legislação infraconstitucional, que mantém buracos desde 1988; melhorar a qualidade dos serviços públicos; e estancar a escalada tributária. Acabamos de atualizar os eixos das relações do trabalho com a aprovação na Camara do PL 4330 sobre Terceirização. O Senado não pode e não deve deter esse projeto, sob pena de ser contrário à modernização do país. Precisamos seguir adiante.

Não dá mais para esticar o cordão das crises. O xeque-mate no jogo é a moldura da economia. Diques pontuais para atenuar a onda da recessão, que já dá sinais de vida, só serão eficazes se acompanhados de ajustes em outras frentes. Nunca esteve tão próxima a possibilidade de colhermos uma flor do pântano. A partir das sementes que os centros sociais espalham pelo seu terreno e que deverão chegar até os habitantes da base da pirâmide.

Há um preceito da ciência política pelo qual as grandes mudanças da História são produzidas quando os favorecidos e apa­niguados do poder não têm a capacidade para transformá-lo em for­ça, enquanto os que dispõem de pequeno poderio aproveitam essa capacidade ao máximo para convertê-la em força crescente. Esse é um fenômeno que se instala entre nós. É o que estamos presenciando. Se faltar vontade no andar de cima, sobrará revolta no andar debaixo. No jogo de xadrez, existe a possibilidade de o peão adquirir tanta força quanto o bispo.

Notas
O ESTILO CUNHA
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, exerce suas funções com autoridade e conhecimento do regimento. Tem sido chamado de autoritário. Há alas insatisfeitas com seu estilo. Urge reconhecer: a Câmara está andando.

O ESTILO CALHEIROS
Renan Calheiros carrega um estilo menos duro. Trata-se de um perfil voltado para a conciliação. Mas sua declaração de que poderá trancar o PL 4330, sobre Terceirização, colhe muita negatividade junto aos setores produtivos.

O ESTILO PT/CUT
O PT quer resgatar a antiga imagem. Junta-se à CUT na estratégia de disseminar a cor vermelha pelas ruas do país. Mas a cor vermelha está embotada. Será tarefa complexa substituir a semântica pela estética.

O ESTILO DILMA
Mais aberta aos diálogos, mais sensível aos apelos dos atores políticos, a presidente Dilma faz esforço para burilar imagem. Vai conseguir melhorar um pouco quando a locomotiva do país – a economia – puxar os carros da inflação e do emprego.

O ESTILO CIDADÃO
A cidadania ganha fôlego com a expansão das mobilizações. Que continuarão. Mais pontuais e localizadas. A conscientização sai dos centros sociais para as margens, na esteira dos círculos concêntricos.

Gaudêncio Torquato, jornalista, professor titular da USP é consultor político e de comunicação. Twitter: @gaudtorquato