Páginas

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Permanentes da FACIP podem ser parcelados em até 10 vezes, por Daniel Zílio

 
A BX Eventos, empresa que promove a 45ª FACIP em Jales entre os dias 14 e 20 de abril, com os shows de Henrique & Juliano, Gustavo Mioto, Jads e Jadson, Munhoz e Mariano e Ivete Sangalo, oferece vantagens e benefícios na venda de permanentes.
A novidade dessa edição é que os interessados em adquirir permanentes que dão direto a entrar todos os dias no evento e assistir a grandes shows, rodeio, com as melhores tropas, boiadas e demais atrações, poderão parcelar a compra no cartão de crédito em até 10 vezes. O valor do 1º lote custa apenas R$ 80,00.
Os permanentes estão à venda na Banca do Edu, Banca do Luiz, Proença Supermercados e Vira Festas. "O público de Jales e região merece uma festa grandiosa como a FACIP de 2015 e esse benefício de poder parcelar o valor da permanente proporciona um evento acessível a todos", disse o proprietário da BX, Osvaldo Costa Júnior, o "Bixiga".
Quem optar pelo conforto e uma visão privilegiada pode comparecer no escritório da BX, localizado na Rua 13, número 2258 e realizar a compra de mesas ou camarotes. Informações podem ser obtidas pelos telefones (17) 3632-3333 ou (17) 99704-8656 Santana ou (17) 99636-9635, Helen.

O Quinze, por Reginaldo Villazón


Rachel de Queiroz (1910 – 2003) foi uma estrela de primeira grandeza no céu da cultura brasileira. Foi escritora, dramaturga, tradutora, cronista e jornalista. Produziu extensa obra e recebeu muitos prêmios. Foi a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras. Foi ela quem escreveu os diálogos do filme "O Cangaceiro" (1953), premiado no Festival de Cannes (França) e aclamado em mais de 80 países. Seu romance "Memorial de Maria Moura" (1992) virou minissérie na TV Globo, fez sucesso aqui e no exterior.
Em 1910, Rachel de Queiroz nasceu em Fortaleza, capital do Ceará. Em 1917, por causa dos efeitos da seca de 1915, mudou-se com a família para o Rio de Janeiro e depois Belém do Pará, mas retornou dois anos depois. Formou-se professora aos 15 anos de idade. Passou a publicar crônicas e poemas no jornal O Ceará. Seu primeiro romance – "A história de um nome" –, foi impresso modestamente na forma de folhetim. Em 1930, aos vinte anos, ganhou destaque nacional ao publicar seu primeiro romance na forma de livro: "O Quinze".
"O Quinze" tem como cenário a trágica seca de 1915. Naquele ano, em vez de chover em torno de 800 mm (litros por metro quadrado) no Estado do Ceará, suficientes para assegurar um ano normal de chuvas, choveu apenas 200 mm, como acontece nos desertos. Um ano de seca bastou para o Estado entrar em colapso, pois só dispunha de um grande reservatório de água, o Açude do Cedro, no Município de Quixadá. A situação só começou a se normalizar em dezembro, quando as chuvas voltaram a cair.
No romance, Rachel de Queiroz conta duas histórias paralelas. O amor indeciso de um jovem casal e a fuga da seca de uma família. Ela descreve as agruras impostas pela seca. Porém, os relatos verídicos dessa seca são muito piores. A vegetação rasteira desaparece, os animais morrem, as pessoas definham. Para proteger a capital de invasores famintos, o governo criou na proximidade um campo de concentração – um quadrado cercado de 500 por 500 metros –, que chegou a conter 8.000 pessoas em condições de vida pavorosas.
Faz cem anos que isto aconteceu. Hoje, as chuvas perdem a regularidade no país. Na região sudeste (mais rica e populosa do país), onde está o Estado de São Paulo, a estiagem é preocupante. A escassez de chuvas não se iguala à dos desertos. Mas, entra-se em 2015 com os níveis dos reservatórios baixos, podendo haver racionamento de água tratada e energia elétrica. Além dos transtornos à população, a produção industrial poderá diminuir e encarecer. É mês de fevereiro e tem-se quase o ano inteiro pela frente.
Os conhecimentos sobre o clima, as tecnologias de produção de água potável e os recursos financeiros são muito maiores hoje do que há cem anos. Mas o descaso dos políticos com povo e a negligência do povo com o meio ambiente continuam inconcebíveis. Aos poucos, as pessoas começam a acreditar que precisam adotar novos comportamentos. Começam a ver que novas atitudes podem render bons resultados. Talvez esta seja a única maneira de se preparar para evitar as tragédias anunciadas em larga escala.

Julgar é ato solitário, por José Renato Nalini

 
Uma das mais solitárias dentre as atuações humanas é o ato de julgar. O juiz é um ser só. Sozinho. Com sua consciência e seus dramas. Com a árdua missão de proferir um julgamento e de assumir suas consequências. Pois o "julgar" como avaliação, como exercício espontâneo de simpatia ou de ojeriza, é um procedimento comum. Todos estão continuamente a aferir qualidades ou defeitos alheios. Mas só o juiz tem de assinar, fundamentar, assumir o risco de se equivocar. Pois é humano, falível, feito da mesma matéria-prima de todos os demais.

Por esse motivo é que o juiz sensível se angustia. Sofre a cada julgamento. Quer acertar, não suportaria praticar uma injustiça. Mas é comum sentir-se em desconforto. O processo judicial nem sempre - ou quase nunca - é o cenário de cooperação em que todas as partes se propõem a contribuir para a busca e consecução da verdade. No mais das vezes, principalmente quando o foco é financeiro, converte-se em arena de astúcias, onde o mais esperto consegue semear armadilhas que farão o adverso se perder.

Depressão, estresse e outras síndromes são comuns no universo do Judiciário. O perigo é a automatização, a robotização, a perda de sensibilidade e o julgamento superficial. Se para o juiz os casos se repetem e podem ser aparentemente idênticos, para a parte aquele é o processo de sua vida.

Tais reflexões mostram-se atualíssimas quando o juiz é pressionado a produzir decisões "por atacado", quando foi formado para decidir "no varejo". Mas o momento é dramático. 100 milhões de processos representam uma enfermidade da Nação Brasileira. Não é normal que 202 milhões de pessoas levem aos Tribunais processos que envolveriam todas elas. Pois cada processo tem duas partes e, excluídas as crianças - que em regra não litigam - aparentemente todo o Brasil estaria em litígio.

Daí o apelo que a Nação faz a toda a sociedade, no sentido de repensar o modelo de Justiça. Serão necessárias as quatro instâncias do Judiciário? São mesmo essenciais as dezenas de recurso para que seja reapreciado o mesmo tema inúmeras vezes? Será normal que todas as questões, mesmo as menores, precisem de um juiz para resolvê-las?

O momento é de muito juízo. Ainda não se fez a profunda reforma estrutural do sistema Justiça. Mas ela continua a ser urgente. Vamos trabalhar todos juntos à procura de uma solução?

*José Renato Nalini é presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo

Uma era em crise... uma cidade feliz, por Flávio Carvalho

 
Com o advento da Segunda Grande Guerra, o mundo conheceu o Nazismo e a monstruosa figura de Adolf Hitler. A bomba atômica e o extermínio de milhões de judeus.
Depois tivemos a guerra do Vietnã, o Aparthaid na África, a guerra do Golfo, Sadam Hussein e Bin Laden, e o fatídico 11 de setembro, o caos nos Estados Unidos.
A natureza mostrou sua força com o Tsunami na Ásia, e agora o furacão Katrina, que devastou o sul dos Estados Unidos. A camada de Ozônio, o superaquecimento do planeta, o derretimento das geleiras, o fenômeno El Nino. Não nos esqueçamos da AIDS, do eterno conflito entre Israel e
Palestina, Árabes e Judeus, católicos contra protestantes na Irlanda. O constante aumento de impostos, a corrupção que não se acaba, as antigas feridas que ainda magoam portugueses e espanhóis, forte rivalidade entre brasileiros e argentinos. Os constantes ataques terroristas, que dizimam milhares de vidas, etc, etc...
Poderíamos ficar aqui horas somente narrando as "desgraças" da Era moderna, são tantas que já estamos nos acostumando, estamos perdendo o nojo, o asco que tínhamos pela violência, pela injustiça e pelo pecado.
Me assusta crer que no futuro a violência será nossa companheira inseparável, já não nos
assustando, isto é realmente assustador. Estamos mesmo vivendo uma Era em crise, jamais houve tanta desigualdade, violência e desapego a bondade e a caridade. Estamos cada vez nos afastando de nossos irmãos, estamos cada vez mais longe de uma religiosidade saudável. O mundo está em crise.
Mas todos os dias em nossas cidades do interior de São Paulo nascem várias crianças, ainda se pode ouvir o cantar de um rouxinol. Hollywood continua a produzir filmes fantásticos, que podemos conferir em nossos cinemas, ou através de dvds, ainda podemos tomar sorvete numa noite quente de verão.
As crianças podem ir aos clube sozinhas, jogar futebol. Podemos pescar em nossos rios nos finais de semana. Podemos comer um lanche no carrinho da esquina no final da noite. Podemos ir nas nossas festas e exposições, podemos brincar o carnaval nas ruas. Podemos comer um pastel ou pamonha nas feiras dos bairros.
Podemos fazer uma visita aos asilos, ajudar as APAES, ir na igreja aos domingos, tomar um passe no Centro Espírita, ou ouvir os ensinamentos de um "Preto Velho" no terreiro. Podemos ir as festas juninas.Podemos ir na praça central, reclamar dos políticos e da inflação, falar mal da vida alheia, pois conhecemos a todos em nossas pequenas cidades. Podemos brigar com os parentes, para depois fazer as pazes nas festas de final de ano. Podemos ler os jornais no final de semana. O mundo está em crise, temos certeza disto, mas só agora estou tendo a certeza de que nossas cidades do interior são lugares onde podemos ainda sermos felizes, a pesar da felicidade estar em cada um de nós, independendo do lugar. Mas com certeza se pode ser feliz em nossas cidades.
Se você não é, algo está errado com você. O seu descontentamento não tem nada a ver com o local. O problema está no seu coração, na sua mente. E como disse "outro": "trate de beijar mais na boca e ser feliz".
Ajude a fazer de nossas cidades um lugar cada vez mais feliz, para tal basta que você seja
mais feliz.
FELICIDADE JÁ!

Flávio Rodrigo Masson Carvalho
equilibriumtc@hotmail.com

Chico Xavier

 
Pergunta – A mudança de sexo e profissão acarreta ao espírito dificuldades ao seu processo de aperfeiçoamento em reencarnação futura?
Chico Xavier – Essa modificação, quando súbita, segundo ensinamentos que temos recebido dos Amigos Espirituais, imprime certas dificuldades ao espírito, no seu relacionamento com os outros e na adaptação aos processos de vivência no campo físico, mas não no seu próprio aperfeiçoamento, porque essa mesma alteração e mudança são motivadas para que o espírito, entrando no campo da autocrítica, encontre em si estímulos e razões para se elevar, aperfeiçoar, buscando sublimar as suas próprias qualidades, sentimentos e pensamentos.
 
Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da
"Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.
 
 

PEC permite candidatura avulsa a cargos eletivos

Proposta de emenda à Constituição de autoria do senador Reguffe (PDT-DF) (foto) permite que candidatos sem filiação partidária concorram às eleições. De acordo com a PEC 6/2015, para ser registrada pela Justiça Eleitoral, a candidatura avulsa deverá contar com o apoio e assinatura de pelo menos 1% dos eleitores aptos a votar na região (município, estado ou país, conforme o caso) em que o concorrente disputará o pleito.
Na opinião do senador, a filiação partidária não pode ser impedimento ao cidadão que deseja se lançar candidato a cargos nos Poderes Executivo e Legislativo. Para Reguffe, a proposta possibilita uma reforma política "pela valorização do eleitor e pelo não fortalecimento das máquinas partidárias, que em muitos casos operam em defesa de interesses privados".
Ao justificar a proposta, o parlamentar lembra que a candidatura avulsa foi defendida publicamente pelo ministro e então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, como forma de aperfeiçoamento da democracia.
"Uma consequência imediata seria a redução da importância e da influência dos partidos políticos no mandato parlamentar. Da forma como é hoje, a política causa repulsa, afasta o cidadão de bem", afirma Reguffe.
A matéria tramita na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde aguarda designação de relator. (Agência Senado).

Tiquinho se reúne com deputado Silval e solicita recursos para Jales

O vereador e presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal, Nivaldo Batista de Oliveira, o Tiquinho, se reuniu nesta terça-feira, 10 de fevereiro, com o deputado federal Silval Malheiros (PV), ocasião em que foi solicitado o repasse de recursos financeiros no valor de R$ 200 mil para a iluminação do campo de futebol Devanir Alves de Lima, também conhecido por campo da Fepasa.
Segundo Tiquinho, "este campo de futebol, localizado na área central de Jales, é muito utilizado pelo futebol amador da cidade e região. É também um espaço privilegiado para o funcionamento das escolas de futebol da Secretaria Municipal de Esportes, Cultura e Turismo. Este campo de futebol com sua localização privilegiada, facilita o acesso de todos e quando receber a iluminação noturna terá seu uso multiplicado beneficiando centenas de atletas amadores que carecem de espaços para a prática esportiva, contribuindo especialmente para oferecer alternativas de lazer e ocupação para nossos adolescentes e jovens".
 
 

Agradecimento, por D. Demétrio Valentini

 
Acabo de celebrar meus 75 anos de vida, e meus 50 anos de ordenação sacerdotal. Sem dúvida, uma bela coincidência de datas, com uma carga referencial muito densa.
Para um bispo chegar aos setenta e cinco anos é como ultrapassar a faixa de chegada de longa corrida, com percurso predeterminado. E celebrar 50 anos de padre é constatar que chego ileso, apesar dos obstáculos encontrados pelo caminho.
Ambas as datas mereceriam alguns dias de descanso, para sentar ao menos um pouco no sofá da tranquilidade. Mas nestes anos todos me acostumei ao batente, e tão rápido não vou mudar o ritmo.
Por enquanto, o duplo aniversário está me proporcionando um acréscimo de compromissos. Mas com uma diferença. Desta vez os compromissos, ao invés de cansarem, me enchem de novo ânimo, de alegria, e de gratidão.
Foi de fato muito comovente participar das quatro celebrações realizadas em diferentes comunidades da Diocese de Erexim, e da grande celebração em Jales, no dia 06 de fevereiro de 2015. 
Agradeço a todos os que puderam estar presentes, e aos muitos que me enviaram suas felicitações. Especialmente aos meus colegas no episcopado, tão numerosos e tão generosos nas belas mensagens que me enviaram.
Percorrendo rapidamente a sequência destes dias, me aflora espontâneo o sentimento da gratidão, e a disposição de ânimo de seguir em frente!
Em primeiro lugar quero enfatizar meu agradecimento. Dirijo-o a tantas pessoas, de perto e de longe, que partilharam comigo estes momentos de intensa recordação dos anos de minha vida e de minha missão.
A todos e a cada um, gostaria de envolver agora com meu abraço, e demonstrar o apreço que tenho pelos gestos de carinho, que guardarei para sempre em meu coração.
A todos, muito obrigado!
O sentimento de gratidão suscita outro: o desejo de corresponder à confiança em mim depositada, com a pronta disposição de me empenhar, generosamente, em levar em frente minha missão, na medida das possibilidades.
Estes sentimentos encontram sua dimensão verdadeira no contexto da fé.
A passagem dos anos desperta a consciência de quanto somos devedores da bondade e da providência de Deus. Isto suscita a disposição de continuar colocando a vida ao seu serviço, como me acostumei a fazer ao longo deste tempo.
Com uma diferença: agora não tenho mais o incômodo compromisso de chegar a uma determinada idade. Não tenho mais data marcada. Assim recupero a plena liberdade interior, de viver o presente com alegria, e de colocar o futuro nas mãos de Deus, sem cálculos, nem pretensões!

Editais de Proclamas

Rosimeire Ensides Tomazeli, Oficial Interina do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.

WELLINGTON CARLOS CASTILHOS NERY e RAFAELA DA CRUZ MEIRA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 11 de novembro de 1987, ajudante de mecânico, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de José dos Santos Nery e de Idalina de Castilhos Nery. ELA, natural de São Paulo, deste Estado, nascida aos 22 de julho de 1990, auxiliar de cozinha, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Noel Francisco Meira Junior e de Cilmara Roque da Cruz Meira.

PAULO CÉSAR CARPI e MARCIANA FERNANDA CARUSO. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 10 de março de 1976, operador de empilhadeira, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Neide Carpi. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 22 de janeiro de 1978, comerciante, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Adão Geraldo Caruso e de Maria Aparecida Ramos Caruso.

SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.

Rosimeire Ensides Tomazeli – Oficial Interina


ZPE de Fernandópolis é a primeira a ser licitada

Com a aproximação do prazo final, em 26 de fevereiro, para a retirada do edital da ZPE Paulista de Fernandópolis, através do endereço eletrônico (http://www.fernandopolis.sp.gov.br) ou junto à Prefeitura na rua Bahia, 1264, a procura pelo documento não para de crescer. Entre as 22 Zonas de Processamento de Exportação criadas no Brasil, a ZPE de Fernandópolis será a primeira a ser licitada. Trata-se de uma parceria entre o poder público e a iniciativa privada, com regras que garantem a transparência e, consequentemente, a credibilidade.
Regidas por uma legislação específica, as ZPEs são distritos alfandegados destinados à instalação de indústrias focadas no mercado externo. Estudos econômicos apuraram que o sistema de isenções e outras vantagens do regulamento das Zonas de Processamento de Exportação podem reduzir gastos em até 60%.
Os mais de 1200 downloads registrados até a semana anterior demonstram o interesse que a ZPE vem despertando. Para o presidente da ZPE Paulista, José Carlos Zambon, "nossa mensagem foi assimilada pelo empresariado, que está enxergando as vantagens e a viabilidade do projeto".
Outro fator que favorece o sucesso da ZPE Paulista é o fato de Fernandópolis se situar em posição estratégica no noroeste paulista, perto do Triângulo Mineiro, do leste de Mato Grosso do Sul e nas regiões sul de Goiás e Mato Grosso. Além disso, a multimodalidade de transportes oferecida - rodoviária, ferroviária, hidroviária e aérea - deve pesar na avaliação do empresariado.
Mais informações, inclusive pelo telefone (17) 3465-0150, podem ser obtidas junto à Prefeitura de Fernandópolis. (Fonte: ZPE Paulista – Fernandópolis).

Cartão de débito é a forma de pagamento preferida da classe C

A maioria dos consumidores da classe C utiliza o cartão de débito como principal meio de pagamento das contas do dia a dia, usa o cartão de crédito como ferramenta para planejar pagamentos e paga financiamento da compra de carro. Essas revelações são de pesquisa nacional realizada pela Boa Vista SCPC em parceria com o programa Finanças Práticas, da Visa do Brasil. O levantamento foi realizado com mil consumidores da classe C em todo o Brasil para mapear os hábitos de consumo e o controle das finanças dessa faixa de consumidores.
Segundo a pesquisa, o cartão de débito é o meio de pagamento preferido para pagamento das contas para 42% dos entrevistados, seguido pelo dinheiro (29%), cartão de crédito (28%) e cheque (1%). A preferência pelo cartão de débito é maior nas regiões Sudeste, com fatia de 46% e Centro-Oeste, com 45%. No Norte, 51% da classe C utilizam mais o dinheiro para pagar as contas e no Nordeste prevalece o cartão de crédito, com 39%. No Sul, a preferência por meios de pagamento estão dividida: 34% usam dinheiro, 33% cartão de débito e 31% cartão de crédito.
A maior utilização dos cartões reflete o nível de bancarização da classe C. De acordo com o levantamento, 96% dos entrevistados são bancarizados.
Em relação às modalidades de financiamento, 33% declararam que pagam parcelas pela aquisição de autos, 30% por empréstimo pessoal, 27% por empréstimo consignado com desconto em folha, 15% por empréstimo para compra de imóvel e 12% por outros tipos. O comprometimento maior com pagamento de financiamento de carro é nas regiões Norte e Centro-Oeste, ambas com 38%, e no Sudeste (33%).
Cartões – Outra constatação da pesquisa foi que o cartão de crédito tem sido utilizado para o planejamento financeiro dessas famílias. O levantamento mostrou que 59% dos entrevistados dessa classe de renda usam o cartão de crédito para centralizar as despesas pessoais e que 83% têm o hábito de conferir a fatura antes de fazer o pagamento. Além disso, 32% têm apenas um cartão, mas 25% possuem dois, 10% têm três e 9% possuem quatro ou mais.
De acordo com o levantamento, 32% dos consumidores usam o cartão como ferramenta de controle de gastos e 21% usam o "plástico" apenas em situações de emergência. O consumidor da classe C prefere utilizar seu próprio cartão: 77% dos consumidores evitam pagar o valor mínimo do cartão de crédito e 76% não utilizam cartões de amigos ou parentes.
Nota metodológica – Os dados da pesquisa "Hábitos do Consumidor da Classe C" foram obtidos por meio de um levantamento eletrônico realizado pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), em parceria com o programa Finanças Práticas, de 1º a 27 de outubro de 2014, com 1.000 consumidores da classe C, usuários do site Consumidor Positivo www.consumidorpositivo.com.br.
Para leitura geral dos resultados, deve-se considerar 95% de grau de confiança e margem de erro de 3%, para mais ou para menos.
Para determinação da classe social, foi utilizado o Critério FGV 2012, que considera consumidores com rendimento familiar mensal entre R$ 2.030,00 a R$ 8.700,00 como pertencentes à Classe Média ou Classe C.

A ilusão e o exercício da maldade, por Adelvair David

 
Entre os enganos humanos podemos destacar a ilusão como sendo um verdadeiro torpor dos sentimentos. É um estado de ebriedade da alma, verdadeiro vício que torna a criatura dependente e insana na maioria das vezes.
O poder, por exemplo, é um tipo de ilusão que pode acometer geralmente os ambiciosos, que o querem apenas pelo prazer de desfrutá-lo, sem qualquer compromisso com a seriedade, com a verdade ou com a dignidade, exigências muito próprias para quem tem mesmo vocação para servir.
Ostentar a posição que ocupa é o desejo deste tipo de ilusão. O culto a si mesmo torna a pessoa sem qualquer respeito pelo dinheiro, pela vida ou pela situação do seu semelhante e, se preciso for, não tarda em prejudicar aqueles que não participa das suas prevenções, e elege como seus inimigos os mais dignos, os que desejam cumprir os preceitos da ética e da moral.
Amealha tiranos para sua simpatia e os coloca para deslocar, ferir ou magoar a todos. Não se preocupa com o móvel que o levou à posição que ocupa e passa a não ser tão honesto quanto se dizia ser e a cometer os mesmos delitos antes denunciados pelo seu palavrório, agora sem qualquer significação.
Façam o que fizerem, dia virá em que os iludidos desta espécie serão reconduzidos aos seus verdadeiros lugares, o de aprendizes da vida, de onde deverão observar os males que praticaram assumindo moralmente, emocionalmente e fisicamente as consequências que chegam de toda parte, exigindo agora a devolução e reparação necessária.
Sempre teremos o iludido por ignorância, que faz o que faz por puro desconhecimento da verdade, mas, a este, não se pode imputar males maiores, bastam os primeiros arranhões e logo percebe o equívoco do caminho errôneo retificando a estrada. O problema mesmo são os iludidos pelo exercício da maldade, da loucura moral, estes sim, não terão como desculpa a argumentação de que não sabiam. Muitos ditadores, controladores sociais inescrupulosos ou almas indignas, voltam à Terra em situação de resgate complicado e doloroso.
Disse o meigo Senhor: "a cada um segundo as suas obras", e ainda: "quem ferir pela espada por ela será ferido". Asseveram os espíritos venerandos que, "a lei divina seja misericordiosa, mas não é cega".

Viver verdadeiramente e amorosamente a vida é uma forma de desiludir-se, apagando a ambição para que o idealismo superior surja como uma alavanca de luz a impulsionar o "ser" para seu destino feliz, que é o de aprender a amar como "Ele" nos amou, sem prejudicar a ninguém.
www.addavid.blogspot.com

Hipertensão: como tratá-la sem remédios? Por Bruna Mello

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é uma doença multifatorial, que pode levar a complicações, como acidente vascular cerebral (AVC), doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, insuficiência renal crônica, doença vascular de extremidades.
Entretanto, todos os riscos trazidos por essa doença podem ser amenizados pelo tratamento não medicamentoso, permitindo aos portadores da hipertensão levar uma vida normal. Para isso, são necessários alguns cuidados, como os listados abaixo:
Controle o peso: mantenha o peso corporal na faixa normal (índice de massa corporal entre 18,5 e 24,9 Kg/m2) e a medida da circunferência da cintura inferior a 102 cm para homens e 88 cm para mulheres.
Consuma alimentos benéficos: alguns alimentos são essenciais na luta contra a hipertensão.
Veja:
Alho: tem o poder de aumentar a elasticidade dos vasos. Ideal consumi-lo cru, para ter essa propriedade. Estudos comprovam que um dente de alho por dia é suficiente.
Canela: ajuda a reduzir o colesterol, e por sua vez, ajuda a baixar a pressão arterial. Uma porção de 2g/dia é o suficiente.
Linhaça: reduz a pressão arterial. Ideal consumir de uma a duas colheres de sopa/dia e triturar a semente de linhaça no momento do consumo, ou armazenar em pote escuro na geladeira por três ou quatro dias, para não oxidar.
Cacau: é fonte de flavonóides, que entre as suas funções promove relaxamento dos vãos sanguíneos e, consequentemente, diminui a pressão arterial. Ideal consumir chocolate a partir de 70% de cacau para ter os benefícios, e não consumir mais do que de 20g/dia.
Azeite de oliva: estimula a produção de óxido nítrico (substância vasodilatadora), que é um importante agente regulador da pressão arterial. Uma colher de sopa por dia é suficiente para estimular a produção de óxido nítrico. Ideal escolher sempre o azeite extra virgem, com acidez menor e com potes escuros. Armazenar longe da luz e do oxigênio.
Castanha-do-Brasil: ótima fonte de magnésio, um excelente ativador de óxido nítrico, que tem efeito direto na diminuição da pressão arterial. Ideal consumir duas unidades/dia no lanche, junto com uma fruta.
Chá de hibisco: flavonóides presentes no chá proporcionam benefícios para diminuição da pressão arterial. A melhor forma de prepará-lo é em infusão das folhas. Ideal consumir de uma a duas xícaras ao dia.
Semente de girassol: ótima fonte de potássio, que exercer efeito positivo no tônus vascular pela redução da pressão arterial. Ideal consumir torrada e sem sal.
Suco de uva integral: fontes de resveratrol e antocianinas, poderosos antioxidantes, que neutralizam os radicais livres e relaxam os vasos, auxiliando no controle da pressão arterial e prevenindo doenças cardiovasculares. Ideal consumir um cálice pequeno por dia.
Semente de chia: fonte de ômega 3, um vasodilatador suave, que auxilia no controle da agregação de plaquetas. Atua na prevenção e controle de doenças cardiovasculares, aterosclerose e hipertensão arterial. Ideal consumir uma a duas colheres de sopa/dia.
Reduza o consumo de sal: É comprovado que a restrição de sódio está associada à redução dos níveis pressóricos, sendo que os efeitos são mais evidentes entre indivíduos hipertensos, quando comparados com indivíduos normotensos. O sal de cozinha (NaCl) é a principal fonte deste mineral. Reduza o sal adicionado aos alimentos e evite o saleiro à mesa. Substitua o sal comum por salgante (livre de sódio, controla a pressão arterial, diminui a retenção de líquidos e é à base de cloreto de potássio) ou por temperos naturais e reduza os alimentos industrializados, como conservas, embutidos, toucinho defumado, queijos salgados, margarinas e manteigas com sal, bolachas, pães com coberturas salgadas, sopa e temperos prontos. Ideal consumir no máximo 5g/dia de sal.
Pratique exercício físico: habitue-se a praticar regularmente atividade física aeróbica por, pelo menos, 30 minutos por dia, de três a cinco vezes por semana.
Tenha hábitos saudáveis. Lembre-se que seu estilo de vida hoje, vai determinar a sua qualidade de vida amanhã.
Bruna Mello é nutricionista e consultora do Bio Salgante, primeiro sal sem sódio do Brasil.

Santa Casa tem ação sustentável de reciclagem

O Projeto Recicla SC é um trabalho de reciclagem de papel, papelão e plástico, realizado com os funcionários do hospital. Teve inicio no 2° semestre de 2008, após ruídos gerados por desinformação, no qual diziam que todo o lixo hospitalar era infectado. Engano! O lixo do hospital é separado em quatro tipos, sendo: comum, orgânico, infectante e perfuro cortante (ex: agulhas).
Atualmente o projeto é administrado pelo Gestor de Higiene e Limpeza, Laércio Fação e tem como propósito, contribuir com o meio ambiente. A Santa Casa de Jales já arrecadou em dinheiro aproximadamente R$ 6 mil reais, que foram revertidos em custeios e despesas hospitalares. 
Todo o mês papel, papelão e plástico são recolhidos e vendidos para a uma empresa privada de Jales que paga pelo material. Em 2008 eram arrecadados cerca de 300 kg de papelão por mês e hoje esta média passou a ser de aproximadamente 600 kg.
De acordo com Laércio Fação quase 80% do lixo é reciclado. "Nossa meta é alcançar os 100% da reciclagem, e tenho certeza que com a ajuda contínua dos funcionários iremos conseguir. O mais essencial é poder contribuir com o meio ambiente e também com recursos financeiros para o nosso hospital. Ressaltando que o descarta precisa ser feito corretamente, para que possamos continuar com este trabalho".
Os colaboradores do setor Raio-X estão contribuindo com a reciclagem e segundo Renan Bernardes, controlador de acesso, este é um trabalho que favorece a natureza e o hospital. "Sempre tive este hábito em casa e acho essencial mantermos isto em nosso ambiente de trabalho. O projeto é um beneficio para nós e o hospital, afinal, é um lixo que não seria aproveitado. No meu setor, a cada dois dias descartamos dois sacos de reciclados", finalizou.

Programa de Visita abre portas à população

A Santa Casa de Jales convida a população local e regional a conhecer todas as dependências do hospital. Além de expor com transparência os procedimentos realizados, os visitantes tem a liberdade de tirar dúvidas e conhecer minuciosamente os processos financeiros.

A ideia é mostrar de forma clara e precisa como é realizado o tratamento aos pacientes, atendimentos, equipamentos, o que está sendo ampliado, e ainda realizar orientações, buscando reduzir inseguranças e preocupações. O Programa de Visita é uma ação do Centro Integrado de Humanização e vem para criar um circulo virtuoso entre as pessoas, afinal, a população também é responsável pelo hospital.

Segundo o provedor José Pedro Venturini, a importância deste projeto é trazer a população junto a Santa Casa. "As portas do hospital estão abertas a todos que quiserem conhecer como é feito o nosso trabalho. Como sempre digo, esta instituição é nossa e por tal motivo, todos estão convidados a participarem desta visita detalhada. Realizamos um trabalho sério e transparente, e queremos compartilhar isto com vocês".

Para os interessados em participar deste projeto é necessário entrar em contato com o setor de comunicação pelo telefone (17) 3622-5000 ramal 5103, que explicará detalhadamente os procedimentos a serem tomados antes da visita.

O grupo que deverá ser formado por apenas cinco pessoas serão acompanhados pela Enfermeira Técnica Responsável, Ana Lúcia Silva, o Técnico de Segurança do Trabalho, Delvaci Trevisan, assessora de Comunicação, Caroline Guzzo.

Palestras no retorno às aulas


Os alunos da Fatec Jales retornaram às aulas nesta segunda-feira, 9 de fevereiro, quando o Executive Coach Jean Evaristo proferiu a palestra abordando o tema "Liderança e o Foco na Carreira dos Sonhos" aos alunos da instituição do período da manhã.
No período da noite, a palestrante foi a também Executive Coach Sueli Paixão, que ministrou a palestra sobre o mesmo tema, além de apresentar um "caso de sucesso", convidando o jovem Tadeu Fernandes para compartilhar suas experiências profissionais entre os presentes.

Colação de grau

No sábado, 28 de fevereiro, a Faculdade de Tecnologia de Jales - Fatec, realiza a solenidade de Colação de Grau da 10ª Turma de Tecnólogos em Agronegócio e da 5ª Turma de Tecnólogos em Sistemas para Internet.O evento acontecerá às 19 horas no Plenário Tancredo Neves da Câmara Municipal de Jales

Festa das Mulheres

Acontece na sexta-feria, 6 de março, no Vila Dourados Buffet, das 20 h às 1h30m mais uma edição do Festa das Mulheres, numa realização da AVCC Região de Jales. Os convites estão à venda na AVCC Região de Jales

ou pelo tel 17-3621-1507.
Reserve o seu


Tribunal condena contrato para divulgação de atos oficiais em Auriflama

11/02/15 – AURIFLAMA – O colegiado do Tribunal de Contas paulista, reunido durante sessão ordinária da Segunda Câmara, julgou irregular a licitação, o contrato e 5 (cinco) aditivos, formalizados entre a Prefeitura de Auriflama e a empresa Juliane Pereira da Silva ME., formalizado com o objetivo de contratação de jornal local para publicação de atos oficiais e institucionais da administração.
O ajuste, firmado em 5 de janeiro de 2009, no valor de R$ 116.370,00, com a vigência até 31 de dezembro do mesmo ano, foi precedido de licitação na modalidade Pregão. Os 5 (cinco) aditivos formalizados ao contrato original tiveram como finalidades o acréscimos de R$ 15.000,00 ao contrato, correspondente a 22,05% do valor originário e prorrogações da vigência contratual.
O relator da matéria, Conselheiro Antonio Roque Citadini consignou em seu voto que restaram irregularidades graves que comprometeram a lisura da presente contratação, dentre elas que a origem ao formalizar a presente licitação deixou de incluir a declaração de disponibilidade financeira, bem como a falta de realização da prévia pesquisa de preços.
"Ademais, o preço do presente ajuste ficou 90,67% acima do contratado anteriormente celebrado com a mesma empresa", pontuou o relator.

Musa do bodyboard, Juliana Freitas tira a roupa para site sensual

Estreia nesta sexta-feira, 13 de fevereiro, a segunda parte do ensaio da vice-campeã brasileira de bodyboard Juliana Freitas no site Bella da Semana(www.belladasemana.com.br).


A musa, que atualmente mora no Havaí, é top do circuito mundial de bodyboard e nos presenteia com um ensaio voltado ao esporte.

Considerada uma das melhores atletas do Brasil na atualidade, Juliana é conhecida também por sua beleza e carisma. A atleta participou de eventos no Havaí e Chile, onde foi eleita a musa do mundial de Antofagasta em 2014, uma das competições mais importantes do circuito mundial.  
Bem à vontade, Juliana mostrou a mesma desenvoltura que tem com as ondas neste belo ensaio clicado pelo fotógrafo Alex Ribeiro.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Prefeita Nice é patrona em formatura da Unijales

Fotos da prefeita Nice com os alunos formandos do curso de Enfermagem; graduados em Administraçãoe com , os alunos do curso de Farmácia
 


 
A prefeita de Jales Nice Mistilides fez parte de uma noite memorável de festa de três turmas da Unijales - Centro Universitário de Jales na noite da sábado, 7 de fevereiro, quando foi convidada para ser patrona de 35 alunos formandos.
A cerimônia de colação de grau ocorreu no Villa Rocca e concluíram a graduação os cursos de Enfermagem, Farmácia e Administração. A noite de festa contou com a presença de familiares e professores dos cursos.
Os alunos receberam os cumprimentos da prefeita, que ao usar da palavra parabenizou os formandos, agradecendo pela honra de ser convidada para ser patrona, desejando uma boa sorte a todos nessa nova etapa de vida que se inicia. "Externo minha gratidão por fazer parte deste momento tão importante na vida de cada um. Hoje é uma data comemoração, pois vocês concluem mais uma etapa importante na vida, a conclusão de um curso que provavelmente será a profissão escolhida para toda a vida. Desejo sucesso e que Deus abençoe seus passos e guie cada um de vocês, concedendo um futuro próspero", comentou.

 

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Nem a Prefeitura e nem os vereadores fiscalizam a aplocação da lei dos panfletos

No dia 20 de dezembro de 2014, foi publicada a lei n° 4.338 de 15 de dezembro, aprovada por unanimidade pelos vereadores que regulamenta a distribuição de panfletos pela cidade. A lei que precisa ser regulamentada pela prefeita municipal diz em seu artigo 1°: "fica pela presente Lei, proibida a colocação de panfletos de propaganda nas maçanetas e para-brisas de veículos e motocicletas" . Infelizmente para os proprietários de veículos a Lei não está sendo aplicada e os vereadores responsáveis pela sua criação e aprovação não estão fiscalizando. Quando se diz que não existe ordem, esse é um dos motivos. A administração municipal com a lei em poder não divulga para conhecimento à população de sua obrigatoriedade. E com isso o pessoal que distribui panfletos, vai abusando da paciência dos donos de veículos. A prefeita e os vereadores precisam agir. Enquanto a preocupação maior nessa cidade for a cassação da prefeita, outras coisas vão se arrastando.