Páginas

sábado, 6 de setembro de 2014

Paranapuã participa do XXV Brasileiro de Softbol em Londrina e conquista o vice na categoria adulto CO XXV Campeonato Brasileiro de Softbol Interclubes Aberto, considerado o maior torneio da modalidade na América Latina, movimentou no fim de semana os campos da Associação Cultural e Esportiva de Londrina (Acel). Passaram pelo local 71 equipes e mais de 1.500 atletas de equipes do Paraná e outros estados, como Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Distrito Federal e Paranapuã (SP) que participou com nove atletas da cidade. As partidas tiveram início no sábado e seguiram até o final da tarde de domingo. Foram 84 jogos por dia.


Atletas de Paranapuã e suas posições em campo: Left field André Franzzato, High Field Tiago Lima, 1ª Base Arthur Franzzato, Catcher Ronaldo Sonoda, Short Stop Michael Kawano, Center field Vitor Sangali, 2ª Base Diego Shimazu, 3ª Base & pitcher Silvio Kanasiro (capitão), pitcher & 3ª base Taka Kawano (técnico)

Taka Kawano (e) recebendo troféu de jogador destaque do certame,
e com o Silvio Kanasiro recebendo troféu de vice-campeão


O XXV Campeonato Brasileiro de Softbol Interclubes Aberto, considerado o maior torneio da modalidade na América Latina, movimentou no fim de semana os campos da Associação Cultural e Esportiva de Londrina (Acel). Passaram pelo local 71 equipes e mais de 1.500 atletas de equipes do Paraná e outros estados, como Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Distrito Federal e Paranapuã (SP) que participou com nove atletas da cidade. As partidas tiveram início no sábado e seguiram até o final da tarde de domingo. Foram 84 jogos por dia.
O evento celebrou o Jubileu de Prata do campeonato e reuniu crianças, jovens e adultos. A maioria dos competidores, cerca de 60%, integravam equipes de adultos. As categorias são de adulto A. B e C; e veteranos de até 50 anos, até 60 manos, até 69 e até 75 anos.
. "De certa forma, é um legado que se está deixando para outras gerações com esse esporte. Daqui a 20 anos, ainda teremos jovens jogando softbol", diz o diretor de Softbol da Acel, Miguel Nishihara.
De acordo com a direção de Softbol da Acel, o primeiro lugar da chave Ouro na categoria 50 anos ficou com Naviraí. Na 60 anos, os vencedores foram a equipe de Brasília, enquanto na categoria 65, a equipe da Central Glória Ladies, de Curitiba. Os veteranos de Dourados levam o Ouro na categoria 70 anos.
A equipe de Paranapuã conquistou o vice-campeonato na Categoria Adulto C perdendo o título no finalzinho do jogo para Floripa.
A equipe que representou a região, jogou debaixo de chuva com muita raça e determinação, arrancando do aplausos e admiração dos torcedores presentes em vista de que, disputou cinco jogos em dois dias com os mesmos jogadores uma vez que a equipe paranapuense e não tinha jogadores reservas.
Jogos da equipe de Paranapuã

Dia 30/08
Paranapuã 15 x 5 Mud Sox (SP)
Paranapuã 10 x 3 Nikkey Club (Curitiba)
Dia 31/08
Paranapuã 9 x 8 Guapirama
Paranapuã 12 x 9 Doctors B (SP)
Paranapuã 8 x 10 Floripa (final)
Vice campeão – Paranapuã
Campeão – Floripa
Destaques

Para o pitcher & 3ª base Taka Kawano, 54 anos, e técnico da equipe recebeu premiação de jogador destaque.
- Home Run (quando o rebatedor é capaz de circular todas as bases, terminando na casa base) dos jogadores Vitor Sangali e Silvio Kanasiro
- Defesa grandiosa do Center Field (Big Show) Vitor Sangali.
Equipes participantes Adulto
Categoria A
- Assaí - Naviraí - Acopumps - Rolândia - TJ Marmoraria - Pereira Barreto - Hashtag - All Star - Prudente
Categoria B
- Adamantina - Paranavaí- Alambrados - Araçatuba - Nova Andradina - Gravataí - Rolandia N. Club - Assaí Central - Ibiborã Vila Formosa - Nippon Blues Jays - Jales- São José dos Campos - N. Curitiba- Brasília - Floripa 89 ERS - Assaí B - Bastos - Imin Seinen
Categoria C
Nikkey GG - Mud Sox - Paranapuã - Floripa - Astorga - Arena Ball - Doctors B - Nikkey Club Curitiba - Guapirama - Doctors A - Ibiborã - Londrina

Agente de Saúde vence Concurso Cultural

Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, o Instituto Corpore entendendo a importância da reflexão sobre a crise ambiental, que causa séria degradação à natureza, promoveu a 4º Edição do Projeto SOS Planeta – Concurso Cultural com o tema "O futuro que eu quero para o planeta". O concurso teve abrangência em todo o Brasil e a ganhadora do primeiro lugar foi a Agente de Saúde, Mirlei Gonçalves Rezende Pereira, da ESF Setuo Suetugo, localizada no Jardim São Jorge.
O concurso objetivou a reflexão sobre meio ambiente e suas problemáticas regulamentando que os participantes usassem a criatividade para compartilhar em uma frase de 400 caracteres o futuro desejado para o planeta. Em Jales, participaram todas as agentes de saúde das Estratégias de Saúde da Família – ESF’s.
O primeiro lugar do concurso foi para a jalesense com a frase: "No futuro eu quero um planeta que destaque ainda mais o verde da nossa bandeira representando pelas matas, que esse verde nunca seja substituído pelo cinza das queimadas". A ganhadora levou para a casa um tablet e um livro.
O Instituto Corpore, através da Secretaria Municipal de Saúde, realiza no município diversas ações que promovem o atendimento e o bem estar da comunidade. Segundo a coordenadora de projetos da Corpore em Jales, a enfermeira Lindalva de Alencar, o Concurso Cultural é uma das ações que o Instituto oferece para despertar a conscientização e responsabilidade com o planeta na garantia de qualidade de vida.
A secretária de Saúde, Nilva Gomes Rodrigues e a coordenadora das ESF’s, Gisele Lauer Murta, ofereceram todo apoio ao projeto, que além de educar, promove uma reflexão sobre o tema e estimula uma consciência maior do "SOS Planeta" que significa "O Planeta pede Socorro".

TCESP desaprova contas de 2012 de Santa Clara d´Oeste

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP), reunido durante a 26ª sessão da Primeira Câmara, nesta quinta-feira, 4 de setembro, emitiu parecer desfavorável às contas prestadas pela Prefeitura de Santa Clara d´Oeste, relativas ao exercício de 2012. O relator da matéria foi o Conselheiro Dimas Eduardo Ramalho e as contas foram fiscalizadas pela equipe técnica da Unidade Regional do TCE em Fernandópolis (UR-17).
Dentre os motivos que ensejaram a emissão de parecer desaprovando as contas municipais, o relator cometeu falhas quanto à efetuação de despesas de pessoal. De acordo com a fiscalização do TCE, os gastos promovidos atingiram 55,63% da receita corrente líquida em 31 de janeiro, acima, portanto, do limite de 54% estabelecido no artigo 20, III, ‘b’, da Lei de Responsabilidade Fiscal.
No que tange aos encargos sociais, o município não efetuou o recolhimento das contribuições previdenciárias ao INSS, relativas às competências de outubro, novembro e décimo terceiro salário. O Executivo também cometeu falhas quanto à abertura de créditos adicionais que atingiram o total de 31,60%, indicando falta de planejamento na elaboração da peça orçamentária.

Jalesense participa do III CESGOIÁS


O III Congresso Estadual dos Socorristas de Goiás – CESGOIÁS foi realizado entre os dia 28 e 31 de agosto no Centro de Convenções diRoma, na cidade de Caldas Novas (GO).
O evento foi direcionado aos profissionais de emergência como Corpo de Bombeiros, SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, médicos, enfermeiros, entre outros profissionais da área. O congresso teve como objetivo promover a reflexão sobre a universalidade e integralidade da assistência médica, além da troca de experiência entre os presentes, incluiu palestras e workshops, ministrados por profissionais qualificados, com diversos temas sobre o assunto, entre eles, queimaduras, enfermagem no aeromédico, ventilação mecânica no APH, emergências em nefrologia, entre outros.
A enfermeira Crislaine Nascimento de Assis (foto), profissional do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Jales, particiou do Congresso e ressaltou que "o Congresso proporcionou várias reflexões sobre o sistema de urgência e emergência com novas informações e  novas técnicas que vão aperfeiçoar o serviço. "O encontro proporcional nossa qualificação profissional nos sistemas de urgência e emergência. Como agente causador de melhorias, entendendo o sistema e sua dinâmica, estaremos provocando mudanças no perfil assistencial, pois a partir do advento de uma dificuldade saberemos conduzir a situação, otimizando o serviço e seus recursos disponíveis".

Recentemente, da redação



O deputado federal Edinho Araújo (PMDB), foto,  requereu à presidenta Dilma Rousseff, a qual é aliado no Congresso Nacional, a implantação de uma Universidade Federal e o Instituto Federal de Educação em São José do Rio Preto para atender a região noroeste paulista.
Mas ao
que parece alguém em Jales não vai com a cara do deputado Edinho Araújo e deve ter orientado a prefeita Nice Mistilides a apresentar à presidenta Dilma Rousseff quando de sua visita a Jales, sábado passado, o mesmo pedido: Universidade Federal de Jales.
Quando
vereador no período de 1997 a 2000, Elizier de Oliveira Colodetti (Tié) lutou junto ao governo federal pela implantação de um Campus de Jales da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).
A luta pela
Universidade continuou por mais algum tempo entrando no governo petista e visitas a São Carlos e Brasília foram feitas . A coluna escreveu por várias vezes que tudo era uma utopia e a região não comportaria uma Federal E até lembrou que Sorocaba com mais de 600 mil habitantes e uma região com mais de um milhão de habitantes não possuía a universidade. E foi pra lá que o então presidente Lula autorizou o campus de Sorocaba da UFSCar
Apenas três:
Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Universidade Federal de São Paulo UNIFESP (São Paulo), Universidade Federal do ABC UFABC (Santo André), estão instaladas no estado de São Paulo.
Se uma
Universidade Federal for instalada em Jales será um marco histórico no desenvolvimento da cidade e região. Mas venhamos e convenhamos. Trocar o certo pelo duvidoso, o governo federal jamais o fará. Ao invés de reivindicar o que realmente pode ser destinado concretamente para o município. A não ser claro, que o pedido foi apenas pano de fundo para as outras reivindicações como os pontilhões, já que em período eleitoral todo papel entregue ao candidato ele pega e diz que vai estudar com "muito carinho o pedido". Mesmo assim não deixa de ser demagogia.
Ah!
Para não esquecer, ali do outro lado do rio Grande, em Iturama (MG) já foi autorizada os estudos do Campus de Iturama da Universidade Federal de Uberlândia
Segundo a
imprensa noticiou, enquanto o PMDB recebia as liderança e prefeitos no Jales Clube no dia 30 de agosto, no mesmo dia mais de uma dezena de prefeitos peemedebistas se encontravam com o governador e candidato à reeleição Geraldo Alckmin, em São José do Rio Preto.
O vereador
Tiago Abra cobra da prefeita Nice Mistilides algumas explicações sobre a "Área Azul", estacionamento pago no perímetro central. Ele deveria também solicitar informação o porque da não fixação de limite de tempo e cobrança da taxa para uso da vaga para idosos e deficientes. A lei faz exigência de xis por cento de vagas do total geral para idosos e deficientes, mas não ser gratuito e tempo ilimitado para deixar o veículo estacionado. Vê-se por aí muito idoso e deficiente proprietários de veículos zero e de alto valor. Se tem, pode pagar a vaga.
A Confederação
Nacional do Transporte (CNT) divulga, na próxima terça-feira, dia 9 de setembro, às 10h30, em sua sede, em Brasília, os resultados da 121ª Pesquisa CNT/MDA. A pesquisa mostra cenários para o 1º e o 2º turnos da eleição presidencial e traz a avaliação de governo e pessoal da presidente Dilma Rousseff.
Estão
comentando nos bastidores que os depoimentos das testemunhas convocadas.na "CPI do Lixo" podem comprometer a administração municipal.
O pessoal
lá do botequim da vila comentou nesses dias que um nobre edil vai ter que rebolar muito para não ser pego no decoro parlamentar.

Carta aberta, por Nilton Mário Pavan Alves



Jales é uma terra de prosperidade.
Conhecida como Centro de Região tem à frente do Executivo uma mulher .
Uma mulher que já prestou bons serviços à Saúde na administração do saudoso Dr. José Carlos Guisso.
Nice era uma lutadora e enfrentava todos os desafios com muito vigor.
O tempo passou, hoje ela é a prefeita da cidade de Jales e não consegue realizar o mesmo trabalho.
Não tem humildade, Não gosta de ouvir. Não têm um bom relacionamento com o Poder Legislativo, o que é muito ruim para a administração. Até parece que a prefeita não tem em mãos um planejamento. A cidade está quase parando.
Nos últimos doze meses, dezenas de secretários foram trocados, causando transtornos à máquina administrativa.
Realizou-se os 58° Jogos Regionais sem nomear alguém para o cargo de Secretário Municipal de Esportes, Cultura e Turismo.
A responsabilidade de comandar as equipes de Jales ficou para Reinaldo Azevedo (Rolinha), chefe de Gabinete e dos diversos funcionários. O resultado do trabalho foi bom na organização do evento.
Os coordenadores José Antonio de Carvalho e Wilter Guerzoni, com o apoio da Associação Comercial e Industrial de Jales foram impecáveis. Sucesso absoluto.
Alegando ser necessário fazer corte nas despesas, a prefeita assina portaria demitindo o chefe de gabinete do Esporte, que fez um brilhante trabalho.
Tudo acontece na administração da prefeita Nice, que parece não ter planejamento e metas a cumprir.
Está na hora de homens e mulheres de punho firme e fé, se unirem para tirar Jales desta inércia administrativa.
Está na hora de partir para um futuro melhor, com novos sonhos mas para acontecer isto, é necessário que a prefeita desça do pedestal, abra o coração e dê as mãos para toda a sociedade civil organizada.
Seria bom que a Chefe do Executivo nas suas viagens encontrasse um tempo para ler e meditar os editoriais de jornais e revistas da cidade.
Assuntos importantes e ´sérios são abordados pelos editores com muita visão, inclusive, sinalizando metas e rumos a seguir visando um futuro melhor para Jales. Com trabalho, suor, humildade e união Jales certamente irá superar os novos desafios que vem por aí e colher novos frutos. Gostaria de ver a força da união e o amor de todos para uma Jales melhor, a começar pelo Legislativo.
Nilton Mário Pavan Alves
, reside em Mirassol d`Oeste (MT), foi Chefe de Gabinete do Poder Executivo e secretário Municipal de Esportes, Cultura e Turismo em Jales.

Visita ao Tribunal de Justiça

Presidente Nalini recebeu a comitiva de Três Fronteiras

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador José Renato Nalini, recebeu nesta quinta-feira, 4 de setembro, no gabinete da Presidência, a visita da comitiva de Três Fronteiras, integrada pelo juiz José Gilberto Alves Braga Júnior, da 1ª Vara e diretor do fórum de Santa Fé do Sul, pelo prefeito de Flavio Luiz Renda de Oliveira, pelo vice-prefeito José Márcio Lopes da Silva, pelo representante da 115ª Subseção da OAB – Santa Fé do Sul, Odair Donizete Ribeiro, pelo procurador do município, Gilberto Antonio Luiz e pelo secretário de Planejamento, Elton Poiatti Olivio. Do encontro participou o juiz assessor da Presidência Afonso de Barros Faro Júnior.

Membros do HC Jales são recebidos por Dilma

Adriana Maria, presidenta Dilma Rousseff e Eduardo Petrov
Na visita a Jales no sábado, 30 de agosto, a presidenta e candidata a reeleição Dilma Rousseff atendeu o diretor jurídico do Hospital de Câncer de Barretos, Eduardo Petrov e a Gerente de Captação de Recursos da unidade de Jales, Adriana Mariano que solicitaram em nome de Henrique Prata, diretor geral do hospital, uma audiência com a presidente para que Henrique demonstre o trabalho desenvolvido pelo hospital e entregue os projetos que necessitam de apoio do Governo Federal. Dilma confirmou que atenderá Henrique Prata e a diretoria do hospital e os trâmites para o agendamento da audiência já estão encaminhados.

Jantar Violada 5 Estrelas



A Violada 5 Estrelas, organizada pelo empresário Sebastião Junior Ferreira de Jales, que já é sucesso de público terá sua 9º edição de novembro totalmente revertida para a unidade de Jales do Hospital de Câncer de Barretos.
O empresário procurou a gerente de captação de recursos  do hospital, Adriana Mariano   para saber das necessidades que a unidade tem em equipamentos hospitalares, já que realizou doação de 50 caixas de leite na última edição do evento e conheceu as dependências do hospital.
Na visita Junior informou que a violada que será realizada no dia  7 de novembro,   será 100% para a Unidade de Jales e será justamente, para compra de equipamentos hospitalares definidos pelo gerente administrativo, Roger Dib.
O evento será realizado no Galdino Eventos a partir das 20 horas, com bebidas e jantar ao valor individual do ingresso de R$ 60,00  com apresentação da Violada 5 Estrelas e sua Banda e também a presença da premiadíssima dupla Célio e Nando (foto), de Jaú - SP. 
O empresário ressaltou que "conhecendo as dependências do hospital me sensibilizei e reforço que é necessário que todos abracem esta causa, pois o trabalho é  feito com amor e dedicação e cada um pode colaborar de alguma maneira" .  
Venda de convites e informações: 17-997043900 ( Altemar ).

Audiência Pública discute o uso indevido de drogas por crianças e adolescentes de Jales


O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Jales (CMDCA), com o apoio da Prefeitura do Município de Jales, realizou na última terça, dia 02, a 1º Audiência Pública para discutir o Plano Municipal de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente envolvida com o uso e abuso de álcool e drogas.
O encontro aconteceu no plenário da Câmara Municipal, reunindo aproximadamente 70 pessoas, entre autoridades, organizações e sociedade, com o intuito de ampliar a discussão sobre o assunto na busca de soluções para a minimização do problema. Representantes da sociedade civil puderam falar a respeito das ações que estão sendo promovidas e dar sugestões sobre a prevenção e combate ao uso indevido de drogas infanto-juvenil.
Durante a audiência, a presidente do CMDCA, Angélica de Oliveira Pereira, ressaltou a magnitude do problema que hoje é um desafio não só para a saúde pública, mas para todas as áreas. O evento também contou com a presença dos promotores de Justiça, Horival Marques de Freitas Júnior e Eduardo Shintani, do presidente da Câmara, Gilberto Alexandre de Moraes, da secretária municipal de Desenvolvimento e Promoção Social, Celma Crepaldi e do representante da Polícia Militar, sargento Elvis Schiavo.
Os trabalhos foram conduzidos pelo Professor Mestre Reinaldo Carvalho, de Votuporanga, que proferiu uma palestra sobre o tema. O psicólogo do CREAS, Igor Sanches Zinza, também apresentou um relatório preliminar do levantamento sobre a situação do município.
Celma Crepaldi, que na ocasião representou a prefeita Nice Mistilides, acompanhada da secretária municipal de Saúde, Nilva Gomes Rodrigues, apontou diversos projetos cumpridores de medidas sócios educativas realizados pela Prefeitura em atendimento aos adolescentes "O município tem realizado uma série de ações dentro do que lhe compete. No âmbito da assistência social e na saúde, temos atividades dentro dos CRAS, CREAS e principalmente no CAPS, conquistado recentemente pela secretaria de Saúde e pela prefeita Nice, através do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região de Jales", destacou.
O debate permitiu ao Conselho garantir o apoio da comunidade para o desenvolvimento de seus trabalhos e para aprimorar seus serviços, afim de que os Jalesenses se sintam parte integrante do processo de elaboração da política pública do município em combate a esta questão. A reunião colocou em pauta ações que buscam a integração e o fortalecimento de vínculos entre a sociedade e seus compromitentes, através do debate das questões que impedem a Criança e o Adolescente de terem uma vida digna e uma infância plena, conscientizando as pessoas do seu papel enquanto cidadãos de poder contribuir com a cidadania.
Todas as discussões e sugestões debatidas pelos presentes durante a audiência serão apontadas em um relatório para posteriormente ser encaminhado às autoridades competentes a fim de elaborar o Plano Municipal de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente envolvida com o uso e abuso de álcool e drogas.

Cegueira Espiritual, por Adelvair David


A cegueira espiritual é mais cruel do que a cegueira do corpo, nos ensinam os espíritos venerandos.
Já dizia Jesus: "que vejam aqueles que tem olhos de ver". Ele, o mestre e Senhor, conhecendo a natureza humana ensinou o verdadeiro sentido da vida e de como o homem deve olhar para a sua caminhada.
Quando cego espiritualmente o ser humano nega, blasfema, critica e aponta denegrindo aqueles que possuem uma proposta de vida moral melhor. Falta-lhe coragem para ser ético, amoroso e responsável.
Jesus sabia que todos os males do homem procedem do seu interior onde se encontram arraigados e enraizados os hábitos doentios, filhos diletos do orgulho, do egoísmo e da violência.
Pela cegueira do orgulho o homem coloca máscaras de ironia, tornando a sua convivência com os seus irmãos desagradável, porém, por não se conhecer, acostumado a representar, tomba diante dos menores enfrentamentos, muita vez, carecendo da ajuda até mesmo daqueles a quem desdenhou.
Cego de egoísmo ele quer viver o prazer imediato, sem se preocupar mesmo com a própria família, mergulhando depois em quadros íntimos de desinteresse pela vida, não raro, conduzindo-se para a autodestruição por diversas maneiras.
A violência contida ou exteriorizada é uma das cegueiras que atacam as delicadas nuanças do comportamento; através da grosseria, da irritação, do nervosismo, denunciam um estado de inquietude na alma do seu detentor. Haverá momento em que ela explodirá, podendo magoar, ferir ou até destruir, deixando resquícios difíceis de serem erradicados. É comum alguém dizer: Eu não queria ter dito isto... Eu não queria ter feito aquilo. É importante analisarmos que o querer é produto do cultivo íntimo, dos valores que se possui. A vivência de valores nobres reforma a alma e a livra de reações automáticas que destroem e plantam infelicidade.
Para livrar-se da cegueira espiritual é preciso viver como espírito não como corpos. É cultivar todo dia os bons hábitos, corrigindo os ruins, é orar, é manter a fé viva em Deus através da prática do bem.
Lembremos que na terra o amor é sacrificial. Para amar, o homem terá de se esforçar, lutar consigo mesmo para não iludir-se na própria cegueira. Disse Jesus aos fariseus: "Se fosseis cegos não teríeis pecado, mas como dizem que veem o pecado permanece em vós".
Os pequenos insucessos fazem parte da caminhada, porém, perseverando na paciência, resignação e coragem o progresso moral vai se consolidando.
VER, SOMENTE COM JESUS.

Nice pede implantação de Universidade Federal em Jales para presidenta Dilma



A prefeita Nice Mistilides entregou à presidenta da República, Dilma Roussef, e candidata à reeleição, o pedido de instalação de uma Universidade Federal em Jales. A presidenta esteve em Jales no sábado, 30, em campanha eleitoral participando de um encontro organizado pelo PMDB no Jales Clube.
Ante a presidenta Dilma participou de uma reunião com o bispo Dom Demétrio Valentini, na Cúria Diocesana.
Ao recepcionar a presidenta e candidata à reeleição Dilma Rousseff no aeroporto municipal, a prefeita Nice aproveitou a oportunidade para entregar em mãos outras reivindicações para Jales, como a construção de dois pontilhões sobre a linha férrea e pedidos de recursos para infra-estrutura urbana. A vinda de novos cursos do Pronatec e a efetivação do programa "Cidades Digitais" foram pedidos.
No ofício que solicita a vinda de uma Universidade Federal, a prefeita expôs as características do município sendo centro de região e a importância do ensino gratuito para a população. "Os dados sobre o número de instituições de ensino superior, bem como dos cursos oferecidos pela rede privada e a rede pública, demonstram o quanto a população dessa região também necessita de cursos superiores públicos, gratuitos e de qualidade voltados para as necessidades específicas da região", destacou a prefeita.
Nice aproveitou a oportunidade para entregar uma cesta com produtos artesanais feita pelos produtores rurais da cidade.

Anseios difusos, por D. Demétrio Valentini


Paira no ar um difuso descontentamento, uma insatisfação indefinida, um generalizado desejo de mudança.
A situação atual encontra um denominador comum, não em propostas objetivas no cenário político e econômico, mas no clima subjetivo, que faz multidões participarem de eventos onde os objetivos não são formulados nem expressos de maneira clara e consistente.
A força da emoção subjetiva parece dispensar a definição das necessárias transformações a serem feitas.
Em tempos de campanha eleitoral, este sentimento pode levar a opções que satisfazem o desejo de mudanças, mas que levam consigo as contradições subjacentes, que não tardariam em acumular impasses, que amargurariam decepções tardias.
O outro lado desta moeda, que está sendo empenhada com ênfase nesta Semana da Pátria, é o pouco entusiasmo com que se encaram propostas concretas e específicas, elaboradas com muita dificuldade de consensos mínimos.
São várias propostas em andamento, que mereceriam, certamente, mais atenção e poderiam suscitar debates mais objetivos, em vista de municiar planos concretos de governo.
Existe em andamento uma "iniciativa popular de lei" sobre a Reforma Política, fruto de uma "coalizão" de entidades, ente as quais se destacam a CNBB e OAB, com sua força emblemática. Seria o caso de aproveitar o clima da Semana da Pátria para uma ampla difusão da proposta, e de adesão a ela por meio de assinaturas dos eleitores. Mas, tanto o debate, como o incentivo para a coleta de assinaturas, não correspondem à importância da proposta.
Parece que o amplo desejo de mudança não se satisfaz com a prosaica elaboração de uma lei.
E assim com as outras iniciativas, de resto muito generosas, que estão sendo realizadas neste ano por ocasião da Semana da Pátria.
Entre elas, destaca-se a realização de um plebiscito popular, não oficial, propondo a convocação de uma assembleia constituinte soberana e específica para realizar a Reforma Política. Esta iniciativa, se contasse com uma entusiasta adesão dos eleitores, poderia deixar o caminho aberto para que finalmente, neste próximo mandato, fosse feita esta reforma que vem patinando há décadas. Mas, cadê o entusiasmo? Parece mais cômodo deixar que os outros façam o que faz parte de nossos desejos. Mas será que farão?
No próprio Sete de Setembro, continuam duas iniciativas tradicionais, muito vinculadas ao Santuário de Aparecida, que são a Romaria dos Trabalhadores e o Grito dos Excluídos.
Os lemas destas duas iniciativas, também eles, se coadunam mais com o generoso anseio de mudanças, do que com a elaboração concreta de propostas específicas. O lema do Grito parece narrativo, e tenta se vincular com manifestações já ocorridas: "Ocupar ruas e praças por liberdade e direitos". E o lema da Romaria dos Trabalhadores: "Mãe Negra Aparecida padroeira deste chão, o povo trabalhador não aceita escravidão".
Diante do difuso desejo de mudanças, fica o desafio de discernir as opções que o tornam viável, adequado e efetivo.
Temos o voto para expressar nossa vontade.

SUS terá novo tratamento para tumor raro

O Ministério da Saúde acaba de incluir na tabela SUS um novo procedimento de quimioterapia para o Tumor Estromal Gastrointestinal (GIST) para pacientes atendidos no Sistema Único de Saúde (SUS).
A partir de agora, a rede passa a contar com o uso do medicamento Mesilato de Imatinibe também para quimioterapia adjuvante da doença, ou seja, um tratamento auxiliar recomendado para pacientes com risco de retorno da doença após retirada cirúrgica do tumor. Antes desta recomendação, o medicamento já era usado no SUS para tratamento outros cânceres, como Leucemia Mielóide Crônica e Leucemia Linfoblástica Aguda, e também para quimioterapia paliativa do próprio GIST.
A estimativa é de que a medida beneficie cerca de 500 pacientes ao ano e gere impacto financeiro da ordem de R$ 5,8 milhões. O objetivo da incorporação do uso do medicamento na quimioterapia após a cirurgia é reduzir o risco de recaída e, assim, aumentar a sobrevida do paciente. O GIST é um tipo raro de câncer que atinge principalmente o trato digestivo.
No mês de julho deste ano, o Ministério da Saúde publicou uma portaria de atualização do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do GIST. Nesta atualização, foi mantido o uso do Mesilato de Imatinibe para a finalidade paliativa e definidos os critérios também para o uso adjuvante do medicamento. Mas ainda faltava incluí-lo na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais do SUS.
Com a inclusão do procedimento na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais, os serviços podem registrar e faturar o procedimento ofertado e receber pelos atendimentos realizados, sendo o medicamento adquirido pelo Ministério da Saúde e fornecido pelas secretarias estaduais de saúde aos hospitais credenciados no SUS e habilitados em oncologia. A incorporação foi decidida pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia (CONITEC), que estabelece garantias à proteção do cidadão quanto à segurança e eficácia de novas tecnologias incorporadas ao SUS, por meio da comprovação da evidência clínica consolidada e os estudos de custo-efetividade.
GIST
- O Tumor Estromal Gastrointestinal é uma neoplasia rara. A doença ocorre em ambos os sexos e em qualquer faixa etária, entretanto, é mais comum em pessoas acima dos 40 anos de idade, com média de idade ao diagnóstico de 58 a 63 anos. Esses tumores correspondem a aproximadamente 1% das neoplasias primárias do trato digestivo, e estima-se que a incidência seja de 7 a 20 casos por milhão de habitantes.
Os sintomas da doença são tumor, sangramento, perfuração e obstrução. Cerca de 20% dos casos são assintomáticos, sendo os tumores encontrados durante endoscopias, exames de imagem do abdômen ou procedimentos cirúrgicos, como gastrectomias.
Incorporação
- A inclusão de qualquer medicamento no SUS obedece às regras da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec), que exige comprovação da eficácia, custo-efetividade e segurança do produto por meio de evidência clínica consolidada e assim garante a proteção do cidadão que fará uso do medicamento. Após a incorporação, o medicamento ou tecnologia pode levar até 180 dias para estar disponível ao paciente. Por Maressa Ribeiro e Vera Stumm

Palavras de Chico Xavier


Pergunta
– O perdão realmente existe? Então por que existe o carma?
Chico Xavier
– Uma das grandes virtudes buscadas pelo espírito, o perdão que parte do coração, manifestado com o completo esquecimento das ofensas, é digno das almas evoluídas. A lógica do espírita é simples: a própria pessoa que sofre pede a Deus a chance de reencarnar na Terra e passar por aquela provação para assim se livrar de um débito cármico, ou seja, algum mal praticado em vidas passadas que precisa ser expiado para que o espírito volte a ter paz. Nessa linha de entendimento, ensinam-nos os Espíritos que o arrependimento concorre para a melhoria do espírito, mas ele tem que expiar o seu passado.
Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da
"Associação Espírita "Chico Xavier" de Jale

Urologista alerta para o isolamento social de mulheres com incontinência urinária



O urologista Raphael Moreira (foto), médico urologista dos hospitais Samaritano, Presidente e Adventista, alerta para as consequências psicológicas que podem atingir mulheres que sofrem de incontinência urinária. "Esta é uma doença que, muitas vezes, é erroneamente interpretada como parte natural do envelhecimento", explica o médico.
Segundo ele, a incontinência urinária afeta a qualidade de vida das pacientes pois compromete o convívio social, causando vergonha, depressão e isolamento. Para que a paciente não chegue a este ponto é fundamental o acesso a informações adequadas, já que a grande maioria das causas da doença pode ser tratada com sucesso.
A incontinência urinária é definida pela Sociedade Internacional de Continência como a perda involuntária de urina. A doença é mais comum em mulheres, principalmente na população idosa. "Além disso, as próprias alterações secundárias à gravidez e ao número de gestações podem modificar os mecanismos de suporte do assoalho da bacia feminina", diz o especialista.
O tipo mais comum da doença entre as mulheres é a incontinência urinária por esforço, que muitas vezes ocorre durante ações básicas do dia a dia, como tosse, espirros ou qualquer esforço abdominal. Outras possíveis causas de perda urinária são a Bexiga Hiperativa (urgência súbita para urinar) e doenças neurológicas, como a esclerose múltipla.
Segundo Dr. Raphael Moreira, alguns fatores podem contribuir para a incontinência urinária feminina. Entre eles, o médico destaca tabagismo, sedentarismo, doenças neurológicas, diabetes e número elevado de gestações (principalmente quando há uma má assistência ao parto). Já a prevenção pode ser feita com atividades físicas regulares, pré-natal e assistência ao parto adequados e evitando-se o tabagismo e a ingestão de álcool.
"O tratamento envolve várias áreas. Temos uma técnica cirúrgica para mulheres com incontinência urinária de esforço chamada SLING, que consiste na colocação de uma pequena tela abaixo da uretra para ajudar na contenção urinária após aumento da pressão abdominal", explica o médico.
No caso de mulheres com Bexiga Hiperativa, a mudança de hábitos também é fundamental: "É importante parar de fumar, praticar atividades físicas e evitar a ingestão de cafeína e de alimentos muito temperados e condimentados, que podem irritar a bexiga".
Diferentes tipos de fisioterapia também fazem parte do tratamento. A fisioterapia perineal pode melhorar o quadro por meio de exercícios para o fortalecimento da musculatura pélvica da mulher. Já a cinesioterapia e a eletroestimulação vaginal são técnicas fisioterápicas que visam à reeducação da musculatura contribuindo para a reabilitação do assoalho da pelve.
Já o uso da toxina botulínica (botox) no interior da bexiga pode melhorar significativamente a qualidade de vida de pacientes com perda urinária secundária a doenças neurológicas, como a Esclerose Multipla. "Quando as medicações e outras medidas clínicas não têm o resultado esperado, partimos para esta cirurgia, que é simples e tem beneficiado muitas mulheres", comenta o urologista. Dr. Raphael Moreira ressalta ainda que, com a intervenção, espera-se diminuir as contrações involuntárias da bexiga e, como consequência, a perda urinária. A aplicação tem um efeito médio de seis meses e pode ser repetida diversas vezes.

O ceguinho que enxergava demais, por Flávio Rodrigo Masson Carvalho


O cruzamento de duas avenidas, de uma pequena cidade do interior de São Paulo, era ponto, a mais de 40 anos de um senhor chamado Desidério, aparentava ele mais de 60 anos, idade estimada, pois ninguém sabia ao certo sua idade e nem seu nome verdadeiro, ninguém sabia nada sobre o homem. Somente que ele era cego desde o nascimento e que tocava viola, que na infância aprendera com um velho boiadeiro.
Vivia da doação dos transeuntes que todos os dias passavam pelas movimentadas avenidas da pequena cidade, e que se encantavam pela maneira que o ceguinho dedilhava sua velha viola, herança que lhe deixara o velho boiadeiro.
O ceguinho Desidério, como era conhecido, entendia tudo de política, conhecia todos os políticos, não somente da cidade mas, de toda a região, e muitos eram os políticos que com ele iam ter, afim de obter algum conselho ou orientação.
Desidério era sempre da situação, ele jamais fazia oposição, ele sabia como criticar, como cobrar. Defendia ele que todos deviam apoiar o prefeito eleito, não importando o partido, a plataforma política, todos deveriam trabalhar juntos em benefício da cidade, todos deveriam dar suporte para o prefeito, e os vereadores deveriam todos estarem irmanados do mesmo intuito, ou seja, todos deveriam trabalhar juntos para o progresso e o crescimento ordenado da cidade.
Desidério adorava a época de eleições, adorava as campanhas, a disputa entre os candidatos, gostava ele até das baixarias e falcatruas que os mesmos proporcionavam. Desidério dizia que política era coisa séria, e que as disputas, a corrida em busca do poder era saudável e importante mas, defendia que depois de eleitos os candidatos, todos deveriam se unir para trabalharem juntos pela cidade, deveriam todos remar juntos, já que estavam no mesmo barco, ou seja na mesma cidade. Defendia que deveria ter oposição, haver cobranças, mas estas cobranças deveriam ser feitas pelo povo, por aqueles que elegeram os políticos. Defendia que a população deveria ser mais participativa, acompanhando de perto os trabalhos realizados pelos políticos.
Dizia o ceguinho que é muito fácil cobrar, o difícil é fazer. Ele não se conformava com as brigas e baixarias entre os políticos, entre partidos, era um tentando "engolir" o outro, os que não eram eleitos, viravam ferrenhos opositores, sem nem mesmo dar uma chance aos eleitos.
O ceguinho não entendia nada, já que os políticos da cidade tinham esposa, filhos, pais, irmãos, amigos e seus negócios na cidade, suas vidas, seus futuros e os dos seus ficariam mais fáceis e melhor se a cidade progredisse, se desenvolvesse adequadamente e com harmonia.
O ceguinho não entendia por que tantos políticos trabalham contra a própria cidade, que tanto eles dizem amar. Muitos destes políticos ele conheceu bebês, nos colos de suas mães, muitos destes políticos cresceram ouvindo o ceguinho tocar sua viola, e muitos destes políticos ouviram desde muito cedo, os gratuitos conselhos que ele dava sobre política, e a maioria destes políticos jamais acataram tais conselhos.
Desidério amava demais esta cidade do interior de São Paulo, amava demais a política, e acreditava ser a mesma o melhor instrumento para a transformação social. O ceguinho enxergava demais!
O ceguinho não mais faz ponto no cruzamento das duas avenidas. Já faz alguns anos que não se ouve naquela cidade o som da velha viola.
A cidade segue sua trajetória de evolução, com muitos problemas, com muitas dificuldades, com muitos políticos cegos, mas o ceguinho que enxergava demais não mais fazia daquela cidade que tanto amava sua morada. Têm ele agora uma nova morada, vive em outra cidade vizinha, não mais toca a sua viola, vive triste, solitário, mas ainda amando muito a política. O ceguinho que enxergava demais, hoje vive em uma instituição chamada Bezerra de Menezes.
*Flávio Rodrigo Masson Carvalho
Equilibriumtc@hotmail.com

Editais de Proclamas

Ademir de Mattis
, Oficial do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.
ÉDIO WILSON POLO DA SILVA e LUCINEIA ALVES. ELE,
natural de Colorado, Estado de Paraná, nascido aos 16 de agosto de 1.970, pedreiro, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Laudelino José da Costa e de Regina Polo. ELA, natural de Olimpia, deste Estado, nascida aos 06 de fevereiro de 1.975, auxiliar de limpeza, divorciada, residente e domiciliada em Orindiúva, filha de Oscar Pinto Alves e de Terezinha Batista Alves. Cópia recebida do Oficial de Registro Civil de Orindiúva, deste Estado, onde se processa a habilitação.
LUÍS HENRIQUE VALERETTO e JAQUELINE TAIS DA SILVA. ELE,
natural de Jales, deste Estado, nascido aos 14 de fevereiro de 1.991, auxiliar de recepção, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Valdenir Valeretto e de Rosangela dos Santos. ELA, natural de Fernandópolis, deste Estado, nascida aos 12 de junho de 1.987, do lar, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Celia Aparecida da Silva.
MÁRCIO ROGERIO VECHI MARENA e LELIA PEREIRA GALHARDO. ELE,
natural de Jales, deste Estado, nascido aos 20 de fevereiro de 1.973, motorista operador de guincho, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Pedro Marena e de Deoridice Vechi Marena. ELA, natural de Francisco Morato, deste Estado, nascida aos 29 de janeiro de 1.981, funcionária pública municipal, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade de Jales, filha de Jesus Galhardo Cardoso e de Elzira Maria Pereira Galhardo.
EDUARDO LAINE e SOLANGE RIBEIRO DOS SANTOS. ELE,
natural de Santo André, deste Estado, nascido aos 12 de dezembro de 1.981, microempresário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Antonio Laine e de Lourdes Moreira de Lima Laine. ELA, natural de Santo André, deste Estado, nascida aos 28 de setembro de 1.981, microempresária, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade de Jales, filha de Sebastião Ribeiro dos Santos e de Irany Teixeira dos Santos.
EURICO FÁVARO e ZANAIDE THIAGO. ELE, natural de Estrela d’Oeste, deste Estado, nascido aos 06 de outubro de 1.956, pedreiro, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Cirilo Fávaro e de Nair Alves do Prado Fávaro. ELA, natural de Fernandópolis, deste Estado, nascida aos 15 de setembro de 1.968, do lar, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade de Jales, filha de João Fagundes Thiago e de Minervina Tiago dos Reis.
GERALDO ROBERTO BIGOTTO e VILMA POMINI NOGARINI. ELE,
natural de Jales, deste Estado, nascido aos 02 de setembro de 1.958, auxiliar de serviços gerais, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Pedro Bigotto e de Dalva Ferrari Bigotto. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 03 de fevereiro de 1.967, telefonista, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade de Jales, filha de Alécio Pomini Nogarini e de Maria Eluina Quintéla Nogarini.
SERGIO RICARDO MORELATO e ALINE GOMES DONINI. ELE,
natural de Jales, deste Estado, nascido aos 11 de janeiro de 1.985, soldador, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Mario Sergio Morelato e de Maria do Carmi Cicareli Morelato. ELA, natural de Nova Xavantina, deste Estado, nascida aos 09 de março de 1.987, balconista, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade de Jales, filha de José Hamilton Donini e de Isabel Aparecida Gomes Donini.
RENATO GERALDO DE ABREU LIMA e JÉSSICA TUPONI MAGNANI. ELE,
natural de Jales, deste Estado, nascido aos 02 de junho de 1.993, agricultor, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Aparecido de Abreu Lima e de Olinda Penna Lima. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 06 de agosto de 1.995, vendedora, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade de Jales, filha de Dejair Magnani e de Eliana Pereira Tuponi Magnani.
JOSÉ CARLOS DELICOLI LONGO e MARLI CRISTINA AIJADO. ELE,
natural de Jales, deste Estado, nascido aos 31 de outubro de 1.955, comerciante, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Aurélio Antônio Longo e de Angelina Delicoli Longo. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 12 de janeiro de 1.966, enfermeira, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade de Jales, filha de Diomar Aijado e de Deolinda Idalgo.
JOÃO EMANUEL DE MORAES CORTINHAS JUNIOR e VANESSA DA SILVA. ELE,
natural de Belém, Estado de Pará, nascido aos 05 de maio de 1.984, advogado, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de João Emanuel de Moraes Cortinhas e de Carmen Edifrance Soares Cortinhas. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 16 de julho de 1.981, secretária, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade de Jales, filha de Manoel Narcizo da Silva e de Dirce de Souza Silva.
DANIEL JÚNIOR DURAN PINATTO e JANIELEN LORENCETE. ELE,
natural de Paranapuã, deste Estado, nascido aos 21 de dezembro de 1.981, advogado, solteiro, residente e domiciliado em Paranapuã, filho de Daniel Pinatto e de Maria Lúcia Duran Pinatto. ELA, natural de Paranapuã, deste Estado, nascida aos 20 de maio de 1.988, autônoma, solteira, residente e domiciliada em Paranapuã, filha de Jair Aparecido Lorencete e de Roseli de Oliveira Lorencete.
SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.
Ademir de Mattis - Oficial

Projeto “Seja Amigo da Santa Casa” convida novos voluntários

A Santa Casa de Jales convida a população interessada para integrar o grupo de voluntariado do hospital. Para isso, criou o projeto "Seja Amigo da Santa Casa", que tem por objetivo estimular a vinda de novos voluntários à entidade, a fim de contribuir com a recuperação do paciente e ainda auxiliar com outras tarefas na instituição.
O propósito do projeto é acompanhar o trabalho do voluntário, oferecendo a oportunidade e o espaço para que ele se sinta parte da equipe da Santa Casa e, de fato, essencial na evolução do tratamento dos pacientes.
Nessa proposta, a meta inclui também a realização de reuniões mensais para ouvir as necessidades de cada um. O setor de Provedoria e Assistência Social irão apresentar as propostas de atividades a serem desenvolvidas.
Os interessados em se tornar um voluntário devem entrar em contato com o setor de Provedoria pelo telefone (17) 3622-5000 ramal-5103 para efetuar seu cadastro.
"Queremos dar mais atenção aos voluntários que dispõem do seu tempo para ajudar a outras pessoas. Seja uma hora por dia ou algumas vezes na semana, a atitude de ser voluntário é extremamente gratificante e importante para o hospital", ressaltou o provedor José Pedro Venturini.

Decisões, por Reginaldo Villazón


Há dois anos, em 07 e 28 de outubro de 2012, houve eleições para escolha de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores nos 5.568 municípios brasileiros, envolvendo 140 milhões de eleitores aptos a votar. A participação vigorosa dos partidos políticos e seus candidatos propiciou disputas acirradas. Para um grande número de eleitores, não foi fácil escolher em quem votar. Em todo o país, no primeiro turno, a abstenção (não-comparecimento) dos eleitores superou 16% e na votação dos prefeitos houve 11,00 % de votos brancos e nulos.
De fato, as eleições são importantes. Apesar do despreparo político de grande parte dos brasileiros, o povo sente que suas conquistas e agruras têm a ver com o desempenho dos políticos eleitos democraticamente. Então, é preciso votar melhor. Mas há fatos que complicam as decisões dos eleitores. Os partidos políticos perderam suas identidades e hoje atuam conforme as conveniências. Os políticos desaprenderam a se comunicar com o povo, fazem discursos preparados por assessores e prometem as mesmas coisas em todas as eleições.
Naquelas eleições municipais, havia vontade de mudanças. Vontade de quebrar o continuísmo político e dar oportunidade a novos gestores municipais. Havia esperança de melhorar as atitudes e o desempenho no poder executivo. Uma pergunta persistia no ar: como confiar nos novos candidatos, que faziam boas propostas de governo? Não havia como responder com certeza. Os políticos são seres humanos, irracionais. Podem prometer e não cumprir. E nenhum político é punido pelo fato de não cumprir promessas de campanha.
Hoje, o país está de novo em campanha eleitoral. Para o cargo de presidente da República, há três candidatos fortes. E o povo quer mudanças. Dilma Rousseff (PT) é a candidata mais conhecida. Já é presidente da República, mas tem muitos buracos no telhado e não tem votos suficientes para reeleger-se no primeiro turno. Aécio Neves (PSDB) repete o discurso tradicional do partido, que já esteve por oito anos no poder. Marina Silva (PSB) é inteligente, bem preparada e anuncia grandes mudanças. Mas é uma incógnita.
Novamente, a questão: como confiar nesta candidata, que é uma ótima candidata, mas não há certeza de que ela vai honrar seu programa de governo? Uma vez eleita, ela terá o direito de governar o país por quatro anos. Se ela fosse escolhida a governar o Brasil como primeira-ministra, no sistema parlamentarista, pelo Congresso Nacional, poderia manter-se no cargo ou ser substituída em qualquer momento. Mas o parlamentarismo, que existe em países desenvolvidos (Inglaterra, Alemanha, Itália, Espanha e outros), não existe aqui.
Assim, decisões políticas importantes na escolha dos candidatos ficam completamente sob responsabilidade dos eleitores, num clima de desconfiança e esperança. Os eleitores devem, em primeiro lugar, tentar votos válidos. Mas, se a consciência não permitir, podem votar em branco, votar nulo ou não comparecer às eleições. A pior decisão é votar de modo viciado, sempre nos mesmos partidos e candidatos, independente do mérito. Ainda que, cometendo enganos, só é possível promover o progresso do país com o uso da consciência.

O Cras de Urânia realiza palestra aos beneficiários dos programas sociais sobre “Família e Filhos”



O Centro de Referência da Assistência Social - Cras de Urânia, em parceria com a Prefeitura Municipal, realizou na terça- feira, 26 de agosto, as 19h30min, no prédio da Secretaria do Bem Estar Social de Urânia, uma palestra onde se abordou o tema "Família e Filhos", para os beneficiários do programa Bolsa Família e Renda cidadã.
Durante a palestra foram abordados os tópicos: Valores e Importância e Parcerias, onde cada tópico se posicionava a questão familiar, inserindo vídeo motivacional onde se perguntava em que lugar as pessoas se enquadrariam, com a subsequência de estarmos conectados, ON ou OFF.
Orientadora social Crislaine Calanca e Facilitadora social Caroline C. Andrade, responsáveis pela equipe do SCFV, disseram que "vivemos em um mundo onde nossas primícias estão deixando de ter valores fundamentais, devido ao cotidiano que buscamos a melhora, então muitas vezes deixamos projetos idealizados de grande importância sentimental que faz toda a diferença para geração de nossos filhos, netos e o núcleo familiar".
A palestra se enfatizou com um único objetivo e foco, que na opinião de Crislaine Calanca "para podermos fazer o agora diferente entre nosso meio familiar, criando-se a expectativa de que podemos ter a capacidade de pensar, antes de agir comunicando-se com clareza, gentileza e ser solidário, podendo colaborar simplesmente com gestos, ações, demonstrações de que os valores entre o seu próprio grupo, equipe familiar fortalece vínculos jamais esquecidos, apagados ou arrancados, porque ‘’ser, fazer é mais importante do que ter’‘.

Primeiro pedir, depois litigar, por José Renato Nalini


Auspiciosa a notícia veiculada esta semana. O Ministro LUIS ROBERTO BARROSO reconheceu que a exigência de prévio requerimento administrativo, antes de ingressar em juízo, é legítima. Não fere o princípio da inafastabilidade do controle jurisdicional, consagrado no inciso XXXV do artigo 5º da Constituição da República.
Não há interesse de agir do segurado que, antes de recorrer à Justiça, deixou de requerer o seu benefício diretamente ao INSS. Tem-se a impressão de que é mais fácil desde logo entrar em juízo, em lugar de pleitear à autarquia previdenciária os direitos a que os beneficiários fazem jus.
Esse julgamento coloca em questão um tema que a sociedade brasileira precisa ter presente e para o qual é chamada a refletir. O equipamento judiciário é muito dispendioso, complexo, lento e burocratizado. Tem de ser reservado para questões efetivamente sérias, aquelas que necessitam de um técnico especializado. Postulações mais simples, que podem ser resolvidas no âmbito da própria Administração, podem e devem ser ali requeridas.
Um País que tem quase 100 milhões de processos judiciais em curso é uma Nação enferma. Incapaz de resolver seus problemas como qualquer cidadania madura e sensata sabe fazer. Conversando, postulando, argumentando, persuadindo a parte contrária. Não necessariamente se submetendo ao ritual de um Judiciário muito sofisticado para as condições socioeconômicas do Brasil.
É importante que esta República assuma a responsabilidade de formar uma cidadania apta a implementar a Democracia Participativa. O modelo prometido pelo constituinte de 1988 é o de um Estado em que as pessoas tenham condições de atuar, de fazer valer a sua vontade, de encarar o outro como um semelhante, a merecer tratamento de igual dignidade.
A formação jurídica é responsável pela edificação de uma cultura adversarial, que só enxerga uma solução para os desentendimentos, controvérsias e conflitos inevitáveis e resultantes da convivência humana: o Poder Judiciário. Tem-se de começar por algum lugar, enquanto essa tendência não sofre uma retração inadiável, resultante do excessivo demandismo e do dispêndio cada vez maior com o custeio de um equipamento estatal superutilizado. O Ministro LUIS ROBERTO BARROSO emite esplêndida sinalização do que deve ser o bom uso da Justiça. Que ela seja bem compreendida pela comunidade jurídica. *José Renato Nalini é presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo

“Lembralenda” será apresentado dia 13, no Ginásio de Esportes

O Circuito Cultural Paulista leva shows e espetáculos de teatro, dança, circo e infantil a cidades do Estado de São Paulo. O projeto do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com as prefeituras das cidades, promove o acesso da população à diversidade artística. Todas as apresentações têm entrada gratuita.
No sábado, 13 de setembro, no Ginásio Municipal de Esportes Valdemar Lopes Ferraz, na rua 17, centro, as 16 horas, será apresentado o espetáculo infantil "Lembralenda" da Cia Paca Tatu será apresentado em Jales. A peça resgata a cultura popular do norte e nordeste do país com enfoque em diversos personagens do folclore brasileiro e também nos ritmos musicais tradicionais àquela região como: côco, baião e forró. Conta uma divertida história onde Saci, Iara, Curupira e Boto Cor-de-Rosa auxiliam Pedro Malasartes a desfazer a maldição da Mula-Sem-Cabeça. Esse espetáculo vibrante e cheio de brasilidade é apresentado por um variado teatro com: mamulengos, bonecos de dedo, de vara e de manipulação direta e até um boneco de 1,70m de altura. Toda a trilha sonora é tocada ao vivo com pandeiro, zabumba, caxixi, ganzá, etc.

Ele chegou lá, por Rosangela Bordon Bigulin



A grande vantagem do facebook para nós professores, é que por intermédio dele podemos acompanhar a trajetória da vida profissional de muitos dos nossos ex alunos. Este é o caso do ex aluno do curso de Turismo, Marcos Seixas, que soube aliar os conceitos teóricos aprendidos no curso, com a prática, vencendo barreiras para conquistar o mercado de trabalho, tarefa hoje em dia, nada fácil.
Após a conclusão do curso na UniJales, Marcos decidiu investir na carreira começando, em 2008, a trabalhar no Hotel Fazenda Paraíso do Sonhos, como auxiliar administrativo e mensageiro. Em pouco tempo passou a ser responsável pelo almoxarifado e pelo setor de compras do hotel. Em seguida, trabalhou como recepcionista, recreador e, por fim, assumiu o cargo de Gerente Operacional.
Em 2012, foi convidado para ser o Gerente Geral no Eco Hotel Lago Verde em Goiânia, hotel com um clube de pesca, tendo a possibilidade de ampliar sua experiência na gerencia.
Não demorou para ser conhecido no meio hoteleiro e, em 2013, veio o seu grande desafio: assumir a gerencia do Vila Velluti Hotel Spa & Convenções, localizado no km 24 da BR-060, distante apenas 50 km de Brasília, com 110 funcionários e situado em uma das regiões mais bonitas do Distrito Federal, cercado por montanhas em meio a um vale de natureza exuberante.
Gerente competente, em julho de 2014, foi convidado para ser sócio do primeiro hotel onde havia iniciado sua carreira, o hotel fazenda Paraíso dos Sonhos localizado a 3 km de Corumbá de Goiás, em uma belíssima região montanhosa. O hotel oferece inúmeras atividades como: caminhadas, cavalgadas, pesca esportiva, rapel, tirolês, acquaride (boia cross), entre outros. Utilizando sua experiência, a estrutura foi ampliada oferecendo espaço para a realização de eventos, seminários, congressos, com 04 salas devidamente equipadas e refrigeradas, com capacidade para até 340 pessoas e acesso à internet banda larga de alta velocidade.
Em depoimento para a UniJales, Marcos enfatiza: "Tenho orgulho em dizer que fui aluno da UniJales. Minha vida mudou muito nestes 6 anos, depois que me formei. Os conhecimentos que obtive na faculdade foram essenciais para o meu desempenho como profissional. Hoje, tenho vários contatos na rede hoteleira do Estado de Goiás e de outros estados brasileiros. Estou casado com Glaucia Costa Silveira, instrumentador cirúrgica, que conheci no Eco Hotel Lago Verde, mas minhas raízes estão em Jales, onde até hoje reside minha família e onde tenho grandes amigos que me ajudaram nos momentos iniciais da minha vida. Agradeço aos meus professores todo o conhecimento adquirido e a segurança em enfrentar desafios. Convido todos vocês de Jales e região para conhecerem o nosso hotel onde serão muito bem recepcionados." www.paraisodossonhos.com.br

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Governo Federal autoriza 14 novos cursos de Medicina em São Paulo

Os jovens paulistas terão mais oportunidades de se formarem médicos. Nesta quinta-feira (4), o governo federal autorizou a criação de 39 novos cursos de Medicina, 14 deles em municípios de São Paulo – Cubatão, Jaú, Mauá, Osasco, Limeira, Guarujá, Guarulhos, Araçatuba, Araras, Bauru, Piracicaba, Rio Claro, São Bernardo do Campo e São José dos Campos. São cidades com 70 mil habitantes ou mais e não têm curso superior para graduação de médicos. A iniciativa faz parte da estratégia do Programa Mais Médicos de expansão da formação no país. Também foi divulgada pelo Ministério da Saúde a primeira pesquisa feita com os usuários do Programa, que completou um ano essa semana.
 As oportunidades de formação em Medicina que serão criadas fazem parte das ações estruturantes da saúde. Na seleção das 39 cidades, o Ministério da Educação levou em conta a necessidade do curso, a estrutura da rede de saúde para realização das atividades práticas e a capacidade para abertura de residência médica. Os municípios selecionados estão em regiões metropolitanas e no interior, nenhum deles é capital. Outras sete cidades com o mesmo perfil terão prazo de seis meses para fazerem as adequações recomendadas na rede pública de saúde para habilitação dos novos cursos. É o caso de Pindamonhangaba e Indaiatuba, em São Paulo.
 Para o ministro da Saúde, Arthur Chioro, “o programa Mais Médicos efetivamente está garantindo mais acesso, qualidade e mais humanização no atendimento. E a pesquisa feita com a população confirma que aqueles que usam o Programa Mais Médicos, na periferia de grandes cidades, no interior do país, na Floresta Amazônica, no sertão nordestino, estão muito satisfeitos com o médico”.
 “O Mais Médicos prevê que o Brasil passe a ter mais cursos de medicina. O nosso objetivo é ofertar cursos de qualidade, para isso precisamos de planejamento e é o que estamos fazendo com esse edital para novos cursos. Estamos invertendo o processo que era feito antes. Agora, primeiro definimos quais as regiões devem receber para que a estrutura seja preparada para receber o ensino de qualidade”, afirmou o ministro da educação, Henrique Paim.
 Atualmente, o Brasil conta com 21.674 vagas autorizadas para cursos de Medicina. Deste total, 11.269 estão no interior e 10.045 em capitais. Essa distribuição já é resultado do processo de interiorização do ensino superior adotado pelo governo federal. Até 2012, predominava a oferta de vagas nas capitais, que tinham 8.911, enquanto no interior havia 8.772 vagas disponíveis.
 PESQUISA DE OPINIÃO – A pesquisa de opinião apresentada pelo Ministério da Saúde traz as primeiras avaliações da população sobre o desempenho dos profissionais que atuam pelo Programa Mais Médicos, dentro do eixo voltado ao provimento imediato de médicos. A pesquisa foi feita pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe). Foram realizadas cerca de 4 mil entrevistas em 200 municípios de todos os estados do país que contavam com médicos do Programa, no período de 4 de junho a 6 de julho de 2014.
 Questões relacionadas ao atendimento foram as que mais evoluíram na opinião dos entrevistados: 86% dizem que a qualidade da assistência melhorou após a chegada dos profissionais do Mais Médicos. Quase a totalidade dos entrevistados (95%) disse estar satisfeita com a atuação dos médicos e deu notas acima de 8 à atuação dos profissionais. Os itens que mais evoluíram na opinião dos usuários se referem às questões diretamente relacionadas ao atendimento dos pacientes pelos médicos. Para 86% da população ouvida, a qualidade do atendimento melhorou muito após a chegada dos profissionais.
 Um total de 84% dos entrevistados apontou estar satisfeito em relação à duração da consulta médica. Para 83%, houve melhoria nos esclarecimentos sobre problemas de saúde e 80% revelaram satisfação em relação ao acompanhamento sendo feito sempre pelo mesmo profissional. Os usuários ressaltaram que durante o atendimento também tiveram informações sobre prevenção e ações para melhorar a saúde: 67% das pessoas ouvidas receberam recomendações sobre alimentação e 56% tiveram orientações sobre práticas de atividades físicas.
 A população ouvida também destacou, em pergunta espontânea, os pontos fortes do Programa: a ampliação do atendimento e o aumento no número de consultas (58%), a presença dos médicos todos os dias nas unidades básicas (33%) e médicos atenciosos com os pacientes (37%). A pesquisa abordou ainda a conduta do médico do Programa, sendo que 96% dos usuários concordaram que os profissionais são competentes e 90% aprovaram a forma como foram tratados durante o atendimento. 
 A pesquisa revelou que 74% dos entrevistados acreditam que o Mais Médicos está melhor do que o esperado, contra 19% que acham que está como se esperava e 2% consideram que o Programa está pior do que o objetivo traçado.
 BALANÇO – O eixo de provimento do Programa Mais Médicos atendeu 100% da demanda apontada pelas prefeituras, disponibilizando 14.462 profissionais para 3.785 municípios e para os 34 distritos indígenas, expandindo o atendimento em saúde para 50 milhões de brasileiros.
 No eixo de infraestrutura, o governo federal está investindo na expansão da rede de saúde. São R$ 5,6 bilhões para o financiamento de construções, ampliações e reformas de Unidades Básicas de Saúde (UBS) e R$ 1,9 bilhão para construções e ampliações de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Das 26 mil UBS que tiveram recursos aprovados para construção ou melhoria em todo o país, 20,6 mil (79,2%) estão em obras ou já foram concluídas. No estado de São Paulo, das 2.648 propostas com recursos aprovados, 1.893 estão em obras ou já foram concluídas. Em relação às UPAs, 363 já foram concluídas de um total de 943 propostas aprovadas em todo o país.
 Já as medidas relativas à expansão e reestruturação da formação médica no país, que compõem o terceiro eixo do programa, preveem a criação, até 2017, de 11,5 mil novas vagas de graduação em medicina e 12,4 mil de residência médica, com o foco na valorização da Atenção Básica e outras áreas prioritárias para o SUS. Em relação à residência, um total de 2.822 novas vagas já foram criadas. 
 A abertura de novos cursos e vagas de graduação leva em conta a necessidade da população e a infraestrutura dos serviços – com isso, mais faculdades surgirão em localidades com escassez de profissionais, como no Nordeste e no Norte do país, e em cidades do interior de todas as regiões brasileiras.
 Municípios em São Paulo autorizados a criar novos cursos de Medicina
SPCubatão
SPJaú
SPMauá
SPOsasco
SPLimeira
SPGuarujá
SPGuarulhos
SPAraçatuba
SPAraras
SPBauru
SPPiracicaba
SPRio Claro
SPSão Bernardo do Campo
SPSão José dos Campos


UFMunicípio
SPCubatão
SPJaú
SPMauá
SPOsasco
SPLimeira
SPGuarujá
SPGuarulhos
SPAraçatuba
SPAraras
SPBauru
SPPiracicaba
SPRio Claro
SPSão Bernardo do Campo
SPSão José dos Campos
 Por Newton Palma e Priscila Costa, da Agência Saúde