Páginas

sábado, 2 de agosto de 2014

Saracuza assinará convênio inédito para construção de casas populares em Urânia

Prefeito Airton Saracuza, assessor José Carlos Neves e o
 vice-prefeito Cristhiano Neto. durante assinatura de convênio
A população de Urânia pode comemorar. Nas próximas semanas, o prefeito Francisco Airton Saracuza, assinará mais um convênio, desta vez trata-se de um projeto inédito no estado de São Paulo com Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) em conjunto com a Companhia Habitacional Regional – Cohab de Ribeirão Preto e a Prefeitura Municipal de Urânia.
A assinatura desse convênio é fruto da última reunião na Secretaria de Estado da Habitação entre o prefeito Saracuza, Dr. Silvio Martins, presidente da Cohab de Ribeirão Preto e o Secretário da Habitação Marcos Penido, onde elaboraram um Plano Piloto, que consiste na construção de 92 casas pela CDHU em parceria com a COHAB de Ribeirão Preto. 
As casas serão construídas no terreno existente atrás da escola Benedito Pinto Ferreira Braga, em continuação a COHAB mais antiga da cidade de Urânia. A construção dessas casas visa atender a população com renda de até três salários mínimos.
O prefeito Saracuza disse que "fiquei muito contente com mais essa conquista para Urânia, pois há cinco anos que venho tentando junto a COHAB de Ribeirão Preto e a CDHU realizar a construção de casas naquele terreno e essas 92 casas somadas as 172 casas que já estão quase concluídas serão 264 casas para atender nossa população". 
Saracuza enfatizou ainda que "este Plano Piloto inédito, obtendo êxito em Urânia será estendido a outras cidades do estado de São Paulo, o que já é de grande orgulho nosso município participar efetivamente de um projeto tão importante não só à nossa população bem como, vem dando resultado positivo, a toda população do Estado".

Prefeita Nice exonera 20% dos ocupantes em cargo de confiança


O presidente da Câmara Municipal de Jales, Gilberto Alexandre de Moraes (DEM) diz que a prefeita hoje quer "atribuir o desequilíbrio em suas contas á não aprovação pela Câmara Municipal do Programa de Recuperação Fiscal – REFIS, que isentaria de juros e multas os devedores de impostos de município"

Para não descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e não cair na malha fina do Tribunal de Contas do Estado - TCE-SP, a prefeita Nice Mistilides (foto)
promoveu a exoneração de 20% dos ocupantes em cargos comissionados, como a execução judicial de contribuintes em débitos com o município e efetuando a revisão de portarias irregulares de anos anteriores concedidas aos servidores públicos.
Segundo nota divulgada pela Secretaria Municipal de Comunicação nesta sexta-feira, 1º agosto , as medidas estão sendo tomadas em razão do limite de gastos com a folha de pagamento que atinge 54,67% do orçamento municipal. "A Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece que as prefeituras não podem chegar ao montante de 54% da receita corrente liquida, porém, a rigor, a referida despesa não pode ultrapassar o limite prudencial de 51,30%, pois quando isso ocorre, o Tribunal de Contas já emite um alerta para que o município reduza a despesa ao limite prudencial", diz a nota
Esse índice foi atingido, segundo a assessoria de comunicação, devido à perda de receitas e ao reajuste salarial concedido aos funcionários públicos nos últimos dois anos, "sendo 5,9% neste ano e 10% em 2013, um dos maiores concedidos na região".
De acordo com a nota da Secretaria de Comunicação, a administração municipal alega que "o orçamento do segundo semestre" raramente apresentará aumento na arrecadação, sendo prejudicado principalmente com a não aprovação do Programa de Recuperação Fiscal, o "Refis Municipal", pela Câmara Municipal 
"Caso fosse aprovado, os contribuintes em débito com a administração municipal poderiam quitar suas dívidas e regularizar sua situação fiscal com anistia de multas e juros, o que representaria mais dinheiro nos cofres públicos, uma vez que a dívida com o município ultrapassa R$ 6 milhões", diz a nota.
O presidente da Câmara Municipal, Gilberto Alexandre de Moraes (DEM) (foto), em nota
divulgada diz que "nos oito anos da administração anterior em nenhum momento atingiu-se, muito menos se extrapolou, o limite prudencial do total de orçamento que, por força da Lei de Responsabilidade Fiscal, pode ser gasto com a folha de pagamento dos servidores municipais. Aliás, destaque-se, que a Prefeita assumiu seu mandato sabendo das suas obrigações legais, dos limites impostos e com apenas 48% do orçamento comprometido com a folha de pagamento que, em pouco mais de um ano de desmandos, sempre denunciados pelos vereadores, resultaram em aumento que chegou a comprometer 56% do orçamento municipal. Resultado este, oriundo de nomeação indiscriminada de apaniguados e que resultou inclusive na intervenção do Ministério Público, devido a prática ilegal de nepotismo. Em termos financeiros o aumento na folha de pagamento representou cerca de sete milhões de reais por ano.
Gilberto Alexandre disse ainda que "a prefeita hoje quer atribuir o desequilibro em suas contas á não aprovação pela Câmara Municipal do Programa de Recuperação Fiscal – REFIS, que isentaria de juros e multas os devedores de impostos de município. Primeiramente, a aprovação de tal projeto, seria uma afronta, para não dizer uma ofensa, aos munícipes que cumprem rigorosamente com suas obrigações e pagam seus impostos. Em segundo lugar a prefeita quer vender a ideia de que tal projeto resultaria em uma arrecadação extra de seis milhões de reais. Mais uma vez vende-se uma fantasia sem vínculo com a realidade, pois os mesmos programas municipais, anteriormente realizados, arrecadaram cerca de 20% deste valor e que, portanto, seria insuficiente para corrigir o desiquilíbrio orçamentário resultante da má gestão dos recursos".
Gilberto de Moraes destacou também "que a não aprovação do REFIS pela Câmara Municipal deveu-se ao não cumprimento de acordo anteriormente firmado entre a Prefeita, Sindicato e Vereadores, que previa a revogação de atos anteriores que envolviam a retirada de portarias de servidores municipais".
Para o demista, o Poder Executivo é totalmente responsável por desgoverno que hoje "atinge tão severamente os servidores municipais. Muitos outros despropósitos administrativos são cometidos em todas as áreas, que resultam numa insatisfação popular nunca registrada na história de Jales" e que só tem a lamentar as medidas adotadas pelo Poder Executivo, com vistas à redução da folha de pagamento dos servidores municipais, que implicam em retirada de portarias, duramente conquistadas por estes e que, agora, representam uma redução drástica, em muitos casos, dos seus salários. Nesta última semana, situações de total desalento e desespero de servidores municipais atingidos pelas medidas foram testemunhadas por muitos.
Segundo a Secretaria Municipal de Comunicação, até 31 de dezembro de 2012, eram 90 o total de cargos comissionados a disposição do Poder Executivo, mas que na atual administração, apenas 45 dos cargos de confiança foram preenchidos e, destes, nove foram exonerados ou pediram exoneração nesta quinta-feira, 31 de julho.

Convite palestra

 
Convidamos a todos para uma palestra de Marival Veloso de Matos, ex-presidente da União Espírita Mineira
Neste domingo,3 de agosto, as 19h30´ no Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores de Jales, a CASA DE MADÔ, sito à rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu, Jales-SP
Sejam bem-vindos a nossa afetuosa casa.


Donizete reelembra Galopeira no Viola, Minha Viola

Neste domingo, 3 de agosto às 9h, o programa Viola, Minha Viola, conduzido por Inezita Barrosa, recebe as duplas João Mulato & Douradinho e Miller & Fernando, além do cantor Donizete, que se apresenta acompanhado da filha Bruna Garcia.
Em conversa com a apresentadora, os músicos relatam grandes marcos de sua carreira, contam como foi a trajetória até o presente momento e ainda destacam os laços que criaram com o universo musical. "A viola foi entrando na minha alma e aí deu no que deu", diz João Mulato.
No repertório, João Mulato & Douradinho interpretam Mensageiro do amor (Zé Matão/Tião Carreiro), Escravo do chicote (João Mulato/Tocantins), Meu baú da saudade (Valdemar Reis/João Mulato) e Canga do tempo (José Fortuna/Paraíso).
Posteriormente, Inezita chama atenção ao trabalho do músico e apresentador Donizete, que aos 5 anos de idade tornou-se nacionalmente conhecido como A voz de ouro do Brasil. A apresentação do cantor traz um trecho de grandes modas de viola, como o clássico Galopeira (Maurício Cardozo Ocampo/ vrs.:Pedro Bento), com o qual emplacou em todo país ao lado de seu pai, Bill, além dos sucessos Ainda ontem chorei de saudade (Moacyr Franco), Telefone mudo (Peão Carreiro/ Franco), entre outras.
A edição desta semana da atração conta ainda com a estreia da dupla rio-pretense Miller & Fernando, que formou-se na escola de viola Zape. Além da prosa, a dupla completa a trilha sonora do programa com as canções O caçador (Moacir dos Santos/ Sulino) e Ditado Sertanejo (Carreirinho/ Guimarães de Faria).
Inezita Barroso canta Calixto Bento (Domínio público) e Festa de Peão (Bezerra de Menezes).

Queridos amigos e amigas, Doutores Datrapalhada










È com grande alegria que nó, Doutores Datrapalhada, vimos mui respeitosamente agradecer a cada um de vocês que participaram, ajudaram e colaboraram para que a nossa III Festa do Cachorro-Quente e 1º Festival de Música Infantil acontecesse neste 22 de julho de 2014.
Com grande amor e carinho não cansamos de agradecer a vocês, que mais uma vez nos ajudaram a manter esse trabalho voluntário que já se vão 8 anos sorrindo e animando cada cantinho dos hospitais de Jales, levando sempre a mais eficaz receita " Sorrir é o Melhor Remédio!!"
"A vida só vale a pena se por onde passarmos deixarmos um pouco de nós e levarmos muito do outro".
Com estima e consideração, desejamos sucesso em suas realizações.
Que Deus abençoe.
Carinhosamente,
Dra Fifi, Dra Bilu, Dr Pirulito, Dra Thatha e Dr Juquinha


Momento de beleza para pacientes do Hospital de Câncer de Barretos- Unidade III Jales

Na quarta-feira, 6 de agosto, os maquiadores Giseli Bonadio e Eduardo Ike, realizarão um momento de beleza especial para as pacientes do Hospital de Câncer de Barretos – Unidade III Jales, possibilitando uma transformação trazendo auto-estima e ânimo, para as pacientes, assim renovadas continuam com o tratamento que se tornou rotina de seu dia a dia. O evento terá inicio as 9 horas estendendo-se atés as 17 horas, passando em todas as recepções com a colaboração da Natura e participação de Duda Moreira.

Gesto de Humanização e Amor que ajudam a salvar vidas!
 

Ilustre aniversariante


O destaque desta semana é o esportista Nilton Mário Pavan Alves que na quinta-feira, 7 de agosto, estará completando 73 anos de vida. Hoje com residência em Mirassol d´Oeste (MT), Pavan acompanha no dia a dia o que acontece na cidade de Jales através dos órgãos de imprensa, principalmente pela Antena 102 - via internet. Ao aniversariante Nilton Pavan os nossos efusivos votos de um feliz aniversário com muita paz e alegria.

Três mulheres são as ganhadoras dos carros da campanha do Lar dos Velhinhos de Jales

Na terça-feira, 22 de julho, nas dependências do Lar dos Velhinhos, foram entregues os três carros sorteados na Campanha "Solidariedade para a 3ª Idade" pela Loteria Federal do dia 28 de junho.
A ganhadora do 1º prêmio, um carro Gol 0 Km, foi Lucimar Rodrigues Passarini Zuim, moradora no jardim América, em Jales. O 2ª prêmio, um Fusca ano 1973 totalmente reformado, foi para Tamires Henrique de Carvalho Silva, moradora também em Jales. A sorteada com o 3º prêmio, um carro Buggy ano 1972, totalmente reformado, foi Érica Fernanda Pereira, moradora no jardim Santo Expedito, em Jales. O ganhador do 4º prêmio, uma TV de 32" nova, foi o Conselho Central de São José do Rio Preto da Sociedade de São Vicente de Paulo e o ganhador do 5º prêmio, um Tablet, foi Nassau Honório de Carvalho, da cidade de Franca.
Os números sorteados pela Loteria Federal foram:
1º prêmio: 13.309
2º prêmio: 64.858
3º prêmio: 41.666
4º prêmio: 70.042
5º prêmio: 12.279
Como o regulamento aprovado pela Caixa Econômica Federal, previa que os ganhadores seriam os compradores dos cupons conforme a "junção" dos números sorteados pela Loteria Federal do dia 28 de junho, ficou assim então os números dos ganhadores:
1º prêmio: 98629 (como este número não foi vendido, o número mais próximo vendido e ganhador foi o 00001)
2º prêmio: 05647
3º prêmio: 38602
4º prêmio: 34102 (como este número não foi vendido, o número mais próximo vendido e ganhador foi o 35001)
5º prêmio: 16471
Foram vendidos 30.069 cupons, que correspondeu a 60,138% do total dos 50.000 cupons colocados à venda. Ver no quadro um pequeno demonstrativo da receita, das despesas e o valor do pagamento da dívida trabalhista que foi a finalidade principal desta campanha.
Com todo o trabalho ao longo destes cinco meses que a Campanha abrangeu e mesmo não atingindo os 100% esperados com a venda dos cupons, a Diretoria do Lar dos Velhinhos classificou como muito bom o resultado obtido pois com ele será possível quitar toda a dívida trabalhista e ainda, com a sobra de R$ 35.073,14, já está havendo investimento na finalização do jardim.
"Queremos agradecer todos os diretores e funcionários da entidade, os vicentinos, voluntários e colaboradores parceiros que ajudaram nas vendas dos cupons, todos os doadores dos prêmios que sem eles não seria possível a realização da Campanha, agradecer também todas as empresas de comunicação de nossa cidade, as rádios, os jornais, carro de som e gráficas, e agradecer especialmente todos os compradores dos cupons que nos ajudaram na obtenção do resultado positivo da Campanha e que também acreditam no trabalho que a entidade realiza em prol aos idosos que aqui residem", assim se expressou a Diretoria do Lar dos Velhinhos.

Receita bruta com as vendas dos cupons 150.044,31
Despesas: Imposto de Renda sobre os prêmios 6.660,00
Despesas: repasse aos fundos federais 9.002,66
Desp Diversas (confecção cupons, cartazes, faixas e outros) 3.484,00
Sub-total 130.897,65
Pagamento total dívida trabalhista 95.824,51
Saldo final 35.073,14
 


Artesã jalesense expõe trabalhos na 14ª Mega Artesanal em São Paulo

A jalesense Lucilene Aparecida Fiochi (foto) representou Jales através da exposição de seus trabalhos de artesanato na sexta-feira, 25 de julho, na 14º Mega Artesanal, a maior e mais completa feira na área de técnicas para arte e artesanato da América Latina, que aconteceu de 22 a 26 de julho, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.
Em uma área de 33 mil m², centenas de empresas, entre indústrias, atacadistas, varejistas, ateliês, escolas, ONGs, editoras e artesãos mostraram tudo para quem gosta e faz artesanato, seja por hobby ou como fonte de renda. Além disso, quem deseja aprender ou aperfeiçoar as técnicas das artes manuais e do artesanato, pode participar das centenas de cursos grátis oferecidos na feira.
Dentre os espaços para expositores, a Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades Sutaco, abriu 90 vagas para artesãos e entre elas, a jalesense foi sorteada para expor a sua arte na feira.
"Graças à prefeita Nice eu fui sorteada e consegui esta oportunidade. A prefeita proporcionou nosso registro profissional, através da filiação da nossa classe de artesãos na Sutaco, uma conquista que há anos nós buscávamos e recentemente a prefeita nos presenteou", salientou a artesã.

GFV de Urânia realiza palestra sobre o BPC


Nesta segunda-feira, 28 de julho, às 19:30h, o Grupo Fortalecimento de Vínculo – GFV de Urânia, realizou uma palestra sobre o Benefício de Prestação Continuada - BPC, no prédio da Secretaria do Bem Estar Social. O grupo é acompanhado pela orientadora social Crislaine Calanca e da facilitadora social Caroline C. Andrade.
O objetivo do Grupo de Fortalecimento de Vínculo é a integração social mediante a troca de experiências e a convivência familiar e comunitária e visa a garantia de direitos, o desenvolvimento de mecanismos para a inclusão social, a participação e o desenvolvimento da autonomia das pessoas, a partir de suas necessidades e potencialidades individuais e sociais, prevenindo situações de risco, a exclusão e o isolamento.
A palestra sobre o BPC segundo a orientadora social Crislaine Calanca foi para esclarecer o Programa Social, que é proferido do Governo Federal juntamente aos Municípios. "Sabemos que a comunidade busca informações com a valorização e dignidade do ser existente e, portanto, nossa preocupação com o social no município de Urânia é simplesmente em poder acrescentar algo que motiva as pessoas que com o cotidiano de suas atividades, acabam esquecendo de priorizar detalhes que fazem a diferença em seu meio familiar, educacional e sociedade", lembrou ela.
A orientadora social Crislaine explicou que "o vínculo firmado com a população uraniense se torna a cada tempo mais fortalecido e com isso ganhamos o respeito de um trabalho desempenhado com o pensar satisfatório de valorização e acreditar em plantar uma boa semente sabendo a certeza que irá germinar bons frutos".

Editais de Proclamas

Ademir de Mattis, Oficial do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.
EDINEI MOREIRA CAROLINO e MARLEI MARTINS COSTA. ELE, natural de Formoso, Estado de Goiás, nascido aos 08 de outubro de 1.978, pintor, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Iolina Moreira Carolino. ELA, natural de Santa Salete, deste Estado, nascida aos 10 de abril de 1.973, do lar, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Antonio Barbosa Costa e de Maria Martins Costa.
ANTONIO LIMEIRA DE SOUZA e HERMINIA ALVES DA SILVA. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 17 de fevereiro de 1.965, operador de máquinas, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Placido Limeira de Souza e de Julia Venerando da Conceição. ELA, natural de Santa Albertina, deste Estado, nascida aos 25 de novembro de 1.972, doméstica, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Manoel Alves da Silva e de Maria Reis da Silva.
SILVIO GUERREIRO MARTINS e PRISCILA CAVALCANTE. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 16 de março de 1.974, repositor de mercadorias, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de José Guerreiro Martins Filho e de Vera Lucia Preti Martins. ELA, natural de São Paulo - Capital, deste Estado, nascida aos 31 de agosto de 1.992, atendente, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Juraci Cavalcante e de Rita Lisboa de Souza Cavalcante.
ERNESTO GOMES e MARLENE BATISTA MACHADO. ELE, natural de Jaci, deste Estado, nascido aos 03 de julho de 1.953, serralheiro, viúvo, residente e domiciliado em Nova Canaã, filho de João Gomes e de Aparecida Salustiana Gomes. ELA, natural de Fernandópolis, deste Estado, nascida aos 20 de setembro de 1.959, do lar, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Valdemar Batista Machado e de Olinda Bernardo Naves Machado. Cópia para ser afixada no Cartório de Registro Civil de Nova Canaã - SP, onde reside o contraente.
JOEL SILVA DE LIMA e LEANDRA GONÇALVES. ELE, natural de Mirassol D’Oeste, Estado de Mato Grosso, nascido aos 22 de janeiro de 1.989, açougueiro, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de José Carlos Pereira de Lima e de Elenir Silva de Lima. ELA, natural de Figueirão, Estado de Mato Grosso do Sul, nascida aos 11 de novembro de 1.992, do lar, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Leonardo Gonçalves e de Ivanete de Souza Gonçalves
DOUGLAS JOSÉ PEREIRA ALVES DA ROCHA e ROSEMARY CARDOSO DOS SANTOS. ELE, natural de São Paulo, deste Estado, nascido aos 19 de novembro de 1.988, motorista, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Juvenal Alves da Rocha e de Dirce Pereira. ELA, natural de São Paulo, deste Estado, nascida aos 23 de outubro de 1.985, gari, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Davi Cardoso dos Santos e de Cleusa Rodrigues da Silva.
LUAN APARECIDO GODOY DA SILVA e LETICIA RODRIGUES BRAZÃO. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 28 de junho de 1.993, auxiliar de carregamento, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Sebastião Pereira da Silva Filho e de Iracy Severino de Godoy. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 26 de fevereiro de 1.994, do lar, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Antonio Brazão Filho e de Mauricia Andreia Rodrigues.
NELSON PEDRO NOUJAIN DE LIMA e ALESSANDRA CRISTINA ANGELINI. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 12 de abril de 1.977, empresário, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Nelson Nazare de Lima e de Elizabeth Noujain Ramos de Lima. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 19 de setembro de 1.982, esteticista, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Osvaldo Angelini e de Helena Maria Tranquim Angelini.
SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.
Ademir de Mattis - Oficial


Falta humanização nas escolas médicas, Antonio Carlos Lopes

O uso das novas tecnologias deixa mais evidente a recorrente deficiência na formação médica: hoje, quase 70% dos exames solicitados são desnecessários. Isso ocorre por que as escolas médicas não graduam seus acadêmicos da maneira adequada.
Há falhas gritantes em todo o processo de formação. O problema central é de visão do papel da medicina. Ou melhor, da falta de visão. A maior parte das faculdades de medicina foca seus cursos no tratamento das doenças, quando deveriam se preocupar com o doente, com o paciente que, por vezes, passa desapercebido.
O aparelho formador trabalha sob a falsa ótica de que a tecnologia é suficiente para resolver todos os problemas de saúde, o que é um grande equívoco. As máquinas jamais substituirão o ser humano. Um bom médico é o resultado de sua história, vivências, consistência e sentimentos; da forma como enxerga e se entrega à tarefa de buscar o bem estar do paciente. Enfim, é aquele que possui educação médica e não apenas escolaridade.
A formação requer a presença do professor, contemplando habilidades, ética, atitudes, valorizando também o cognitivo. Infelizmente, nas escolas de agora, nada disso acontece. Em muitas delas não há quem ensine ou, principalmente nas que estão sendo abertas, há somente aqueles que deveriam estar aprendendo.
Medicina se aprende ao lado de quem sabe. É evidente que se aprende à beira do leito, nos ambulatórios, sendo que a tecnologia, além de esfriar o relacionamento com o paciente, faz com que a nossa medicina seja uma das mais caras do mundo.
Se quisermos avaliar um médico, basta analisar a receita dele: quanto mais medicamentos prescritos, menos se sabe sobre o diagnóstico. Quanto mais exames solicitados, menos sabe o médico sobre o paciente.
A falta de conhecimento básico compromete a boa anamnese, absolutamente fundamental para o diagnóstico. Como bem dizia o professor Oswaldo Ramos, "médico não pode ser um gigolô de máquina".
A nobreza da medicina advém, além de tudo, do fato do médico poder tocar seu paciente, procurando dar-lhe o que é mais importante, a saúde. Essa interação, quando feita com carinho, tem consequências valiosas, provocando várias alterações positivas no doente quando ele sente a presença do verdadeiro médico.
A criação de muitas escolas médicas infelizmente se baseia na vaidade, prepotência e na busca de prestígio, além de estar apoiada em elementos distorcidos, como o tecnicismo e a busca desenfreada pelo lucro, como se a medicina fosse feita de paredes, máquinas e luxo.
Essa doença agora em moda, associada à fala de infraestrutura minimamente necessária, é que ameaça matar a medicina brasileira. Só temos a lamentar.

*Antonio Carlos Lopes, presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica

CEI do lixo ouve mais uma testemunha

Os vereadores Luís Fernando Rosalino (PT) e Jesus Martins Batista (DEM), presidente e vice-presidente da Comissão Especial de Inquérito– CEI do Lixo, que investiga a contratação de empresa de coleta de lixo, ouviram, na quarta-feira, dia 30 de julho, o engenheiro agrônomo José Roberto Bois, da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Meio Ambiente. O vereador Tiago Abra, relator da comissão, por compromissos assumidos não pôde comparecer.
Na ocasião também seria ouvida a prefeita Nice Mistilides, que justificou através de ofício o não comparecimento à oitiva por motivos de compromissos já assumidos.
A "CEI do lixo" tem como objetivo apurar eventuais irregularidades na contratação emergencial, pela Prefeitura de Jales, da empresa Proposta Engenharia de Edificações e Engenharia Ambiental. A empresa tem por obrigação contratual realizar a coleta de lixo no perímetro urbano da cidade, efetuar a varrição das ruas e gerir o aterro sanitário municipal.
O pedido de instauração de CEI foi baseado no fato de que, de acordo com levantamentos iniciais, o contrato emergencial firmado entre a prefeitura e a empresa, apresentou valores bem superiores aos do contrato anterior, firmado entre a Prefeitura e a empresa Ecopav, que era responsável pelos mesmos serviços. Segundo os vereadores, também foi relatado a eles que os serviços da empresa contratada sofria diversas críticas e gerava descontentamento na população.
A Comissão foi constituída na sessão ordinária do dia 7 de abril e prorrogada por mais 90 dias, a partir de 28 de julho, por solicitação do presidente da CEI, Luís Fernando Rosalino.

Simplicidade, por Adelvair David

 
As muitas necessidades que o homem vai criando em torno da sua existência o enche de ansiedades e aflições.
A vida moderna, com todos os seus atrativos, convencionou que felicidade é poder satisfazer todas as vontades e ir a toda parte.
Asseveram os espíritos venerandos que existe uma felicidade comum a todos os homens: "com relação à vida material, é a posse do necessário. Com relação à vida moral, a consciência tranquila e a fé no futuro." Satisfeitas, estas seriam condições suficientes para que toda gente pudesse experimentar bem estar e alegria de viver, considerando-se ser a Terra um mundo de provas e expiações onde o conforto interior e exterior como se deseja é possibilidade remota entre a maioria; aqui, o homem sofre naturalmente os efeitos das próprias imperfeições que lhe impedem as realizações completas.
Ser simples não é ser desleixado, esquecer-se dos seus deveres com relação à aparência, bom gosto e delicadeza; é a capacidade de ser acessível, de não criar distâncias e complexidades em relação aos seus irmãos. É ser dócil, consciencioso dos seus deveres sociais e morais, é não se deixar possuir pelo que se tem, é viver para amar e servir como fez o autêntico Senhor deste mundo, o mestre Jesus. Ele possuía a verdadeira autoridade, foi simples e amigo de todos, para que o seu amor pudesse impregnar e transformar corações ao seu contato amoroso; tendo procedido desta maneira, deixou para a humanidade exemplo infalível e único que jamais será substituído ou equiparado, o nobre norteamento para tantos quantos desejam ser felizes e fazer os outros felizes.Neste entendimento, ser simples é tarefa inadiável ao homem que ruma irremediavelmente para a sua destinação, a felicidade sem mácula que o aguarda no futuro.
SIMPLIQUE-SE PARA QUE A SIMPLICIDADE LHE TRAGA PAZ.

Procuradores de Jales visitam assentamento rural do Incra em Aparecida d’Oeste

Os procuradores da República José Rubens Plates e Carlos Alberto dos Rios Júnior visitaram na quarta-feira, 30 de julho, um assentamento rural do município de Aparecida d’Oeste. Os assentados, que formam aproximadamente 55 famílias, estão na Fazenda Nossa Senhora Aparecida, área que está em processo de desapropriação para que possa ser destinada à reforma agrária. Os dois procuradores estão lotados na Procuradoria da República no Município de Jales, noroeste do Estado, e o município de Aparecida d’Oeste faz parte daquela jurisdição.
José Rubens e Carlos Alberto estiveram no local para ver de perto a situação das famílias assentadas e conversar sobre a área, cuja ação de desapropriação para fins de reforma agrária vem recebendo decisões judiciais divergentes – ora autorizando a ocupação do terreno e a consequente permanência das pessoas que lá estão, ora determinando a desocupação.
Atualmente está em vigor a decisão que permite que famílias continuem assentadas, pois foi concedida provisoriamente a posse do imóvel ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Mas como a situação pode ser revertida a qualquer momento, os procuradores alertaram para a necessidade que se dê cumprimento a uma eventual ordem de desocupação sem resistência e sem violência. Os representantes do MPF também esclareceram aos moradores que cabe à Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Aparecida d’Oeste a atualização do cadastro das famílias que ali residem para subsidiar a correta atuação dos órgãos públicos envolvidos na questão.
A ação de desapropriação da Fazenda Nossa Senhora Aparecida está sendo movida pelo Incra desde outubro de 2012. De acordo com o Art.18 da Lei 4.504/64, conhecida como Estatuto da Terra, a desapropriação por interesse social tem como finalidades, entre outras, condicionar o uso da terra à sua função social e promover a justa e adequada distribuição da propriedade. A mesma lei estabelece os critérios para que uma área seja desapropriada por interesse social.
A Ação de Desapropriação por Interesse Social tramita na Justiça Federal sob o número 00012863220124036124. Embora seja movida pelo Incra contra particulares, o Ministério Público Federal atua nesse tipo de ação como fiscal da lei.

Proposta de reforma política, por D. Demétrio Valentini

 
A reforma política não é só difícil de fazer, mas é também complicada de entender. Basta conferir o pouco entusiasmo em recolher assinaturas para o projeto de iniciativa popular de lei, com uma proposta concreta sobre o assunto.
Foi lançado o apelo em todas as comunidades da Diocese de Jales, sugerindo que as folhas de assinaturas fossem colocadas à disposição por ocasião das celebrações, com o convite a quem quisesse assinar o projeto recomendado pela CNBB.
Pois bem, está sendo difícil até de recolher as poucas assinaturas conseguidas em cada paróquia. Que diferença entre os tempos da Constituinte, quando encaminhamos a Brasília milhares de assinaturas para diversos projetos.
Verdade é que muitos se perguntam em que consistem a reformas propostas. E antes de assinar, querem saber o conteúdo do projeto. E de fato, assim deveria ser. A campanha de assinaturas deveria se transformar também em campanha de conscientização sobre nossa realidade política.
Nem é o caso de achar que estas mudanças vão produzir qualquer efeito, se não forem acompanhas e urgidas pela cidadania.
Na tentativa de colaborar no entendimento das propostas que somos chamados a subscrever, acenamos para algumas delas.
A primeira se refere ao financiamento das campanhas eleitorais. É urgente diminuir a influência do poder financeiro sobre as campanhas eleitorais. O projeto propõe que seja proibido qualquer financiamento vindo de empresas. E que se instaure o financiamento público das campanhas, com a permissão de cada cidadão poder contribuir com o máximo de R$ 700,00 reais. Assim, haveria uma maior igualdade de condições para cada candidato disputar o cargo que pleiteia.
Outra proposta consiste em introduzir os dois turnos também para as eleições proporcionais, da seguinte maneira: no primeiro turno o eleitor vota no partido que ele quer apoiar. Os votos recebidos por cada partido, determinariam, por exemplo, o número de deputados que o partido teria. E no segundo turno, cada eleitor escolheria um dos candidatos indicados pelo partido. De tal modo que depois de saber quantos eleitos cada partido vai ter, os mais votados em cada partido comporiam sua representação parlamentar. 
Outra providência interessante seria a alternância de gênero na lista proposta por cada partido. Isto é, na lista para os eleitores escolherem o seu candidato, haveria uma sequência alternada: se o primeiro nome é um homem, o segundo seria uma mulher, ou vice-versa. E assim até o final da lista: ela conteria o mesmo número de homens e mulheres. Isto estimularia a participação das mulheres, que por enquanto é muito pequena. Seria um fator, com certeza, de uma significativa mudança política.
Outra proposta importante, e urgente, seria regulamentar os instrumentos de Democracia Participativa, como o plebiscito, o referendo, a iniciativa popular de lei, que já estão previstos no Artigo 14 da Constituição, mas até hoje não foram regulamentados.
São assuntos complexos, mas não impossíveis de concretizar. Diante de tantas distorções que o sistema atual apresenta, está mais do que na hora de efetivar uma reforma política que torne mais autêntica nossa democracia, e mais eficaz na consecução dos seus objetivos de justiça e de solidariedade.  

Sebrae-SP abre inscrições para palestras de agosto

O Escritório Regional do Sebrae-SP em Votuporanga promove  encontro neste mês de agosto em Santa Fé do Sul, com temas que envolvem administração, empreendedorismo, finanças, gestão de pessoas, marketing e planejamento
"Organize o caixa da sua empresa e não perca dinheiro" é o tema das orientações que serão passadas pela equipe do Sebrae-SP no dia 6, das 19 às 21 horas, na prefeitura de Santa Fé do Sul, à av. Conselheiro Antônio Prado. Os microempreendedores serão alertados sobre a importância de utilizar o fluxo de caixa para a administração dos recursos financeiros nos negócios. Para se inscrever, o empresário pode entrar em contato pelos telefones (17) 3631-6145 ou 0800 570 0800. O encontro é gratuito.

Santa Casa de Jales adquire equipamento para hemodiálise

A Santa Casa de Jales acaba de adquirir com recursos próprios um equipamento de alta tecnologia para procedimentos de hemodiálise em pacientes internados na UTI – Unidade de Terapia Intensiva. Orçado em R$56,5 mil, o equipamento vai atender às necessidades urgentes de pacientes com deficiência renal grave. "O paciente internado na UTI terá todo respaldo, caso haja necessidade de hemodiálise. Estamos ampliando as possibilidades de atendimento para melhorarmos o serviço prestado. Nosso objetivo de trabalho é fazer ‘tudo pelo paciente’", disse o provedor do hospital, José Pedro Venturini.
O médico de plantão na UTI será o responsável pelo procedimento. A equipe de enfermagem da Santa Casa também passará por treinamento. A previsão é que em até 30 dias o aparelho já esteja à disposição para atendimento.

PALAVRAS DE CHICO XAVIER

 
Pergunta – O casal tem o direito de programar o número de filhos em sua própria casa?
Chico Xavier – Hoje, os campos se dividem em diversas opiniões; mas, à frente da problemática da civilização atual com severos impositivos de educação e de assistência à família, pessoalmente acreditamos que o casal tem direito de pedir a Deus inspiração para que não venha a cair em compromissos nos quais eles, os cônjuges, permaneçam frustrados.
Muitos de nós nos pertencemos a famílias numerosas – pessoalmente partilho de uma equipe familiar constituída de 15 irmãos.
Mas, de 20 anos para cá, a vida no planeta tem sofrido profundas alterações e temos a obrigação de examinar este assunto com muito respeito à vida e, consequentemente, a Deus, em nossos deveres de uns para com os outros, para não cairmos em qualquer calamidade de omissão ou de deserção de encargos assumidos.
Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da  "Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales.


PMEs da região investem R$ 7,1 milhões no 1º semestre

Os pequenos e médios empresários da Região Administrativa de São José do Rio Preto estão investindo mais. Financiados por meio da Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista, foram R$ 7,1 milhões destinados para implantação, expansão e modernização de empresas apenas no 1º primeiro semestre de 2014, valor 1064% superior ao liberado no mesmo período do ano anterior, quando o volume foi apenas de R$ 613 mil. O setor de serviços foi o principal tomador de créditos.
As empresas financiadas na região de Jales, estão localizadas nas cidades de Jales e Santa Rita d’Oeste
De acordo com o balanço, a alta dos desembolsos foi puxada pelo setor de serviços, responsável por 77% dos recursos tomados. Foram R$ 5,5 milhões investidos, contra R$ 385 mil nos primeiros seis meses de 2013. A industria, representando 13%, financiou R$ 958 mil, contra R$ 157 mil em igual período. Já os pequenos e médios comerciantes paulistas, que não buscaram crédito no ano anterior, investiram R$ 240 mil até o momento, o equivalente a 3% do montante. Os outros 6%, R$ 429 mil, foram tomados por prefeituras da região para a realização de obras de infraestrutura nos municípios.
"A missão da Desenvolve SP é incentivar o desenvolvimento de São Paulo. A região de Rio Preto é muito importante para a economia do Estado, destacando-se, sobretudo, na área de prestação de serviços. Temos recursos para fazer muito mais pelos pequenos e médios empresários", diz Milton Luiz de Melo Santos, presidente da instituição.
Ainda segundo o levantamento, a participação das pequenas empresas também cresceu nos desembolsos realizados na região. No 1º semestre de 2013, pequenos negócios representavam 26% dos financiamentos e os médios, 74%. Neste ano, a proporção foi de 77% e 23%, respectivamente.
Desde 2009, início das operações da Desenvolve SP, já são mais de R$ 58 milhões desembolsados para o crescimento sustentável das pequena e médias empresas da Região Administrativa de Rio Preto. Outras empresas financiadas estão localizadas nas cidades de Bálsamo, Cardoso, Catanduva, Cedral, Fernandópolis, Itajobi, Jaci, José Bonifácio, Mendonça, Mirassol, Pindorama, São José do Rio Preto e Votuporanga.
A Desenvolve SP, instituição de desenvolvimento do governo do estado, financia empresas com faturamento anual a partir de R$ 360 mil com taxas de juros a partir de 0,41% ao mês (+IPC/Fipe) e prazos que chegam até 10 anos. Os interessados podem entrar no site da instituição (desenvolvesp.com.br) e solicitar o financiamento diretamente pelo portal.

Bater à porta do coração, por Paiva Neto

 
É indispensável orar e vigiar, mormente nas ocasiões de crise, qualquer que seja o local ou o instante. A dor não aguarda oportunidade para bater à porta do coração. E a prece não é somente útil nos transes dramáticos da vida, mas essencial na hora de buscar as soluções para os desafios de ordem filosófica, política, econômica, científica, religiosa, artística, esportiva etc.
Esse é um pequeno trecho de artigo que escrevi na década de 1980, com o título "Vencer o sofrimento do corpo e da Alma". Recentemente, a professora Adriane Schirmer citou essa minha palavra no programa "Aprendendo Português", na Rádio Brasília, 1.210 kHz, que integra a Super Rede Boa Vontade de Comunicação. Ela quis exemplificar o verbo "bater" em seus diferentes empregos na nossa gramática. No caso aqui, "bater à porta do coração" [com crase], no sentido de anunciar alguma coisa.
Há imensos dramas que nem sempre se anunciam e por vezes invadem numerosos lares pelo mundo, também provindos de conflitos bélicos. Igualmente se assiste ao "baterem a porta" [sem crase] aos apelos de fraternidade, de entendimento, de misericórdia, de Paz. O planeta ainda é assim. Contudo, Deus é maior! Não existe tempestade que não seja procedida por bonança. Continuaremos orando e trabalhando na conquista de tempos melhores para os povos da Terra.
Disse Jesus: "Vigiai e orai para não cairdes em tentação" (Evangelho, segundo Marcos, 14:38).
Homenagens – Aqui, uma singela homenagem a quatro figuras ilustres do Brasil que faleceram este mês.
No dia 18, aos 73 anos, o premiado escritor baiano João Ubaldo Ribeiro; dia 19, o reconhecido educador mineiro Rubem Alves, com 80 anos; dia 23, o respeitado dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna, aos 87; e no dia 25, aos 79, o renomado astrônomo e físico carioca Ronaldo Rogério de Freitas Mourão. O currículo de todos mostra brilhante atuação no cenário brasileiro e mundial.
No meu acervo e no da LBV, guardamos com esmero obras desses caros Irmãos em Humanidade. Dentre elas, "Viva o povo brasileiro", com essa dedicatória: "Para José de Paiva Netto, com um abraço, muito cordial, de João Ubaldo"; "Perguntaram-me se acredito em Deus", que recebi autografado: "Para o Paiva Netto (...), com um abraço do amigo, Rubem Alves"; "A história do amor de Fernando e Isaura", com essas fraternas palavras: "Para José de Paiva Netto, a quem, por Leila, mando este livro com as saudações de Ariano Suassuna"; e "Astronomia & Budismo", de Rogério Mourão, que foi um dos conselheiros do Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência, da LBV.
Conscientes de que os mortos não morrem, sabemos que, onde estiverem, no Plano Espiritual, esses nossos amigos receberão as vibrações de Paz dos Legionários da Boa Vontade. Aos seus entes queridos, a solidariedade de todos nós.
*José de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

Hepatites virais lideram casos de transplantes de fígado

Na semana em que se celebra o Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais , 28 de julho, o Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo, unidade da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo gerenciada em parceria com a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina), faz um alerta: 65% dos pacientes transplantados de fígado na unidade desde 2010 na unidade eram portadores de hepatites B ou C que evoluíram para cirrose.
O coordenador dos transplantes de fígado do hospital, Carlos Baía explica que, segundo estimativas, cerca de 3% da população mundial pode estar infectada com o vírus da hepatite C.
"Infelizmente, na maioria dos casos que atendemos, a pessoa só descobre que tem o vírus da hepatite C quando o único e último tratamento possível já é o transplante de fígado, com a cirrose em estágio avançado", ressalta.
Consideradas um grave problema de saúde pública, as hepatites virais são doenças silenciosas que muitas vezes não apresentam sintomas. Somente após exames de sangue específicos é que se pode confirmar o diagnóstico. O contágio da hepatite B ocorre por fluidos corpóreos, por meio do sangue de uma pessoa contaminada, pela relação sexual sem o uso do preservativo, ou de mãe para filho pelo cordão umbilical. A doença já pode ser prevenida com vacina disponível na rede pública de saúde.
No caso da hepatite C, a transmissão acontece somente pelo sangue já contaminado com vírus. Pode se contrair hepatite C por alicates de manicures, piercings, tatuagens, navalhas de barbeiros, consultórios dentários que não utilizam material descartável ou esterilizado adequadamente. É importante também observar que compartilhar escovas de dente e lâminas de barbear aumenta o risco de contágio da hepatite C.

1914 – 1918, por Reginaldo Villazón

Nesta semana, fez 100 anos o início da Primeira Guerra Mundial. O conflito começou em 28 de julho de 1914, quando a Áustria-Hungria declarou guerra e bombardeou a Sérvia. Em seguida, a Rússia (aliada da Sérvia) mobilizou suas forças bélicas em sinal de alerta. Por sua vez, a Alemanha (aliada da Áustria-Hungria) declarou guerra à Rússia e atacou Luxemburgo, Bélgica e França. Então, a Rússia e a Alemanha se enfrentaram. O conflito se expandiu e durou mais de 4 anos. Terminou com um tratado em 11 de novembro de 1918.
Foi uma guerra mundial localizada principalmente na Europa. De um lado, a aliança militar entre o Reino Unido, a França e a Rússia se fortaleceu com vários países aliados, como a Bélgica, a Itália, a Grécia, os Estados Unidos e outros. Do outro lado, a aliança militar entre a Alemanha, a Áustria-Hungria, o Império Otomano (potência turca decadente) e a Bulgária. A entrada dos Estados Unidos no conflito, em 1917, em apoio aos seus parceiros comerciais Reino Unido e França, foi decisiva. A aliança de países aliados venceu a guerra.
Os historiadores avaliam o estopim e as causas das guerras. Neste caso, o estopim foi a morte do arquiduque Franz Ferdinand e sua esposa Sofia, da Áustria-Hungria, num atentado praticado por um nacionalista sérvio. Por isto, a Áustria-Hungria iniciou a guerra contra a Sérvia. Entre as causas (verdadeiros motivos), havia a disputa gerada pela ganância de poder. Na época, os países formavam impérios: Império Alemão, Império Austro-Húngaro, Império Otomano, Império Britânico, Império Francês, Império Russo e outros.
Além das dificuldades de manutenção da paz entre potências imperialistas, havia a competição comercial. Estava em curso uma crescente crise capitalista de superprodução. Os países industrializados não conseguiam escoar toda a produção das suas fábricas. A maior competição se dava entre o Reino Unido e a Alemanha. Estas questões geopolíticas e econômicas estimularam o nacionalismo nos países europeus e isto contribuiu para uma corrida armamentista na qual se apostava em paz mantida à custa do poder de fogo.
Muitas novas tecnologias de guerra foram usadas, como tanques, aviões, submarinos, morteiros e granadas. Os custos sociais foram altos. Morreram cerca de 9 milhões de pessoas e cerca de 30 milhões ficaram feridas. A guerra de trincheira foi intensa. Muitas cartas preservadas, escritas por soldados entrincheirados, contam o drama de passar fome, sede e frio nas valas cavadas pelas próprias mãos. Fotos de combatentes mostram meninos vestidos de soldados, portando armas. Os males foram os mesmos de todo tipo de guerra.
Em consequência, a Europa restou devastada e pobre. Teve que importar alimentos e produtos industrializados. Teve que reorganizar-se e reerguer-se, mas viu surgir uma potência mundial mais forte: os Estados Unidos. Muitos ressentimentos favoreceram o crescimento do nazismo, do fascismo e do comunismo. Tal como diz o ditado – "violência gera violência" – a primeira guerra mundial preparou terreno para outra grande guerra. E, assim, o mundo continua fazendo guerras, produzindo mortos, feridos, destruição e miséria.

Saúde inclui medicamento para infarto no SAMU

As vítimas de infarto socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) terão mais chances de sobreviver e ficar sem sequelas, com a inclusão de um novo medicamento nas ambulâncias do serviço. A inclusão do trombolítico é prevista na portaria assinada nesta segunda-feira,28 de agosto, pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, durante o IV Congresso Nacional do SAMU. A estimativa é de que a incorporação reduza em 17% o número de óbitos por infarto. A portaria também prevê recursos financeiros para os municípios que aderirem à ação.
O Sistema Único de Saúde (SUS) registrou, em 2012, 84.157 mortes e 59.510 internações por infarto agudo do miocárdio. A expectativa é que, com o medicamento, o SAMU possa salvar até 8.368 pessoas por ano.
Com a portaria, o Ministério irá repassar o recurso para que os municípios realizem a aquisição. O impacto da demanda no orçamento, tendo em vista os preços de mercado do trombolítico, seria de até R$ 19,6 milhões. No entanto, a negociação do Ministério da Saúde com a única farmacêutica fabricante medicamento permitiu uma redução de até 57%, ou seja, para R$ 8,5 milhões.
"Esse é um ganho importante para o serviço de urgência porque as doenças do aparelho cardiovascular são as que mais matam brasileiros hoje. Então, ter esse medicamento disponível representa a diferença entre a vida e a morte e melhora o prognóstico dos pacientes infartados que terão uma melhor qualidade de vida e menos sequelas", enfatizou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.
O trombolítico estará disponível nos veículos que dispõem de Suporte Avançado de Vida e que dispõe de profissional médico capacitado para realização da trombólise. São elas a Unidade de Suporte Avançado Terrestre (USA), a equipe embarcação e a equipe aeromédico.
Para ter acesso ao recurso, está a indicação pelo município de leitos de terapia intensiva (UTI tipo II ou III) e leitos habilitados como Unidade Coronariana, além de referenciar um estabelecimento habilitado em procedimentos de hemodinâmica. Também deve ser informado que os profissionais do SAMU da localidade foram especificamente capacitados para a administração do trombolítico.
Trombolótoco – No infarto, a artéria que irriga o coração fica obstruída. Com isso, o sangue não consegue levar oxigênio para o coração e o músculo cardíaco entra em necrose (morre), causando o infarto e podendo ocasionar uma parada cardíaca. O medicamento trombolítico desfaz a obstrução e a circulação no coração volta a acontecer, interrompendo o infarto.
Os pacientes poderão ter o tratamento já na ambulância, uma vez que o trombolítico é de fácil e rápida administração no veículo – apenas uma ampola é suficiente. Além disso, o uso precoce do medicamento reduz as chances de o infartado apresentar sequelas como a insuficiência cardíaca, que obriga o paciente a tomar medicamentos por toda a vida. Ou seja, além do benefício à população, a medida diminui o valor gasto com a compra de medicamentos que seriam utilizados em casos com sequelas.
Avanços – Há dez anos, o SAMU contava com 31 Centrais de Regulação das Urgências, cobria 25,8 milhões de habitantes e contava com 392 veículos. Hoje, o serviço tem 185 Centrais de Regulação das Urgências, atende 149,9 milhões de pessoas e possui 3.181 unidades móveis.
De 2004 a junho deste ano, o Ministério da Saúde investiu R$ 925,7 milhões na compra de mais de seis mil veículos para o SAMU. Desde a criação do serviço, o governo federal investiu ainda R$ 64,7 milhões para estruturação física e tecnológica das Centrais de Regulação das Urgências.
"O SAMU é das políticas públicas mais exitosas porque em 10 anos conseguiu atingir a marca de 150 milhões de brasileiros atendidos pelo serviço em todo o país", avaliou o ministro.
Melhorias – Nos últimos anos, o Ministério da Saúde também tem promovido uma série de melhorias no atendimento à população. Uma delas é a implementação das ambulâncias 4x4 em 2012. Essas unidades são capazes de atuar em localidades de difícil acesso e regiões onde houve acidentes naturais, como enchentes. Até o momento, foram adquiridos e doados 400 veículos.
Outro aperfeiçoamento recente foi o aumento do valor de custeio repassado para os municípios, pro meio da portaria 1.473, de julho de 2013. Além disso, teve início neste ano o monitoramento da produção do SAMU 192 no Brasil. Com isso, foi possível observar que, de janeiro a maio, as 185 Centrais de Regulação das Urgências receberam 2,4 milhões de ligações de indivíduos com alguma necessidade em saúde. Por Luís Felipe Sardenberg, da Agência Saúde

O amor está no ar, por Flávio Masson Carvalho

 
O amor está no ar, na atmosfera, na estratosfera, na camada de ozônio, nas constelações... mas não está onde é preciso, ou seja, entre nós, entre os seres humanos.
Tanta violência, guerras, homens matando homes por um pedaço de chão, muitos homens sem ao menos ter um pedaço de pão, o numero exacerbado de divórcios, que faz a falência da instituição casamento, a estrutura familiar está aos frangalhos, não possui nem mais os seus simples rituais, a televisão é o mais novo membro da família, roubou todas as atenções. Concebemos uma família sem a figura paterna ou materna, sem seus rituais, sem vinculo amoroso, sem troca de carinho, mas não aceitamos um lar sem televisão, isso é inadmissível.
A educação virou um descalabro, não se respeita mais os mestres, e estes já não mais ensinam com amor. A falta de ideologia entre os jovens é gritante. A cultura e as tradições foram esquecidas, mas houve um crescente "amor" pelos vícios, pelas dependências, pela escravidão psicológica.
O amor não é mais nem cantado pelas novas músicas, já não é mais constante nos versos e prosas, hoje em dia a moda é o sofrimento, as dores da traição, nem ao menos se aborda a compaixão.
Se o amor estivesse entre nós os presídios estariam vazios, ou melhor, seriam escolas, ou centros de lazer. Se o amor estivesse entre nós a renda seria melhor distribuída, não haveria aqueles poucos que ganham muito, e não existiria os miseráveis que não ganham nada. Se o amor estivesse entre nós não seriamos racistas, preconceituosos. Se o amor estivesse entre nós não mataríamos em nome de Deus, ou Alá, nem por intolerância religiosa. Se o amor estivesse entre nós trabalharíamos menos e sorriríamos mais. Se o amor estivesse entre nós não abandonaríamos nossas crianças, e nenhuma delas seria órfã. Se o amor estivesse entre nós teríamos um mundo perfeito, não precisaríamos esperar para encontrar tal mundo no Paraíso, o Paraíso seria aqui.
Como nos disse certo poeta: "é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã", e pode mesmo não haver amanhã, muitos morreram, e ainda morrerão hoje, para estes não haverá o amanhã.
Acredito que Deus ao nos fazer sua imagem e semelhança, nos encheu de amor. Todos os corações são repletos de amor, basta que exercitemos a bondade para que o mesmo aflore. O exercício diário de nos tratarmos bem, a prática da caridade, o respeito, e o estimulo da Fé, mas não a fé religiosa, a fé no ser humano, a fé no próximo, a fé nas instituições, a fé na educação, enfim, a fé no amor. Amar faz bem a saúde, faz bem a alma, faz bem ao espírito. Quem ama sofre menos. Amar é sair da escuridão. Amar é o único caminho rumo à felicidade plena.
Vamos trazer o amor para entre nós, e somente faremos isso nos amando. Vamos fazer um mundo melhor, começando pelos nossos lares, pelos nossos familiares. Vamos nos amar mais a cada dia. Vamos mostrar aos desiludidos, aos pessimistas, aos violentos que o amor é mais forte que tudo, e sempre vence no final.
Para exercitar o amor comece a tratar melhor a pessoas que está a seu lado agora, ame-a mais agora, e prometa a si mesmo que amará cada vez mais todos aqueles que estiverem perto de ti, e depois comece a amar aqueles que estão distantes, aqueles que você não conhece, ore por eles, emita boas vibrações, desejos salutares. Mas lembre-se, você será incapaz de amar alguém se não se amar muito antes. Se ame mais, se perdoe, pare de se punir, acredite sempre que você é muito especial, e é mesmo, eu acredito.
Ame mais, ame a todos e a tudo, e prepare-se para ser verdadeiramente feliz.

Flávio Rodrigo Masson Carvalho.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O concurso Miss Bumbum Brasil 2014 vai começar! Confira as musas que já tentaram levar o título e não conseguiram

O Miss Bumbum inicia a apresentação das candidatas para voto popular no dia 11 de agosto e a final acontece em novembro. O prêmio para a primeira colocada este ano é de R$ 50 mil.
 
Uma das concorrentes mais famosas da história do concurso é Andressa Urach (acima), que ficou em segundo lugar em 2012, confira outras musas (abaixo) que tentaram levar o título:

Ana Paula Minerato – Musa da Gaviões – 2011, ficou entre as 15 finalistas

Laura Keller - Ex–atriz de Pé na cova – 2012, ganhou o titulo de Miss Bumbum Simpatia

Lucilene Caetano – Ex- Musa do Brasileirão - 2011 – Não conseguiu classificação entre as 15 finalistas

Babi Muniz – Panicat – 2011 - Não conseguiu classificação entre as 15 finalistas
Jéssica Lopes – Ex-peladona de congonhas - 2011 e 2012, até desistir em 2013

Graciella Carvalho – Apreentadora do Multishow e Musa Fitness – Conseguiu o vice campeonato em 2011.
Fotos: MBB

Acessoriedade condena nove termos aditivos em Dirce Reis

 O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP), no plenário ‘Professor José Luiz de Anhaia Mello, às 11h00, o colegiado considerou irregulares, ao considerar o princípio da acessoriedade, 9 (dois) termos de aditamento ao contrato celebrado entre a Prefeitura de Dirce Reis e a empresa Pedro Luis Fernandes-Jales, o qual objetivou o fornecimento de materiais de construção destinados à construção de unidades habitacionais, no valor originário de R$ 657.057,92.
Relator do processo durante sessão da Segunda Câmara, o Conselheiro Robson Marinho afirmou que, como já exposto em outras ocasiões, é inaplicável a concessão de validade à matéria em exame, já que não há como dissociar a apreciação dos aditamentos do ajuste inicial que os precedeu.
Segundo discriminado no voto do relator, tanto o contrato inicial, como a licitação que o precedeu, foram julgados definitivamente irregulares pela Corte de Contas. As despesas decorrentes dos ajustes firmados também foram consideradas ilegais.

Veja na íntegra o voto do relator

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO
GABINETE DO CONSELHEIRO ROBSON MARINHO
Segunda Câmara
Sessão: 29/7/2014
46 TC-000433/011/07
Contratante: Prefeitura Municipal de Dirce Reis.
Contratada: Pedro Luís Fernandes – Jales.
Autoridade(s) que firmou(aram) o(s) Instrumento(s): Bento Barbosa N de Oliveira Júnior, Donizete Pereira da Silva, Aleixo Gilberto da Silva e Euclides Scriboni Benini (Prefeitos).
Objeto: Fornecimento de materiais de construção destinados à construção de 68 unidades habitacionais, tipologia – CDHU TI24A, no empreendimento denominado Dirce Reis "D", comrepasse de recursos financeiros pela CDHU ao Município.
Em Julgamento: Termos Aditivos firmados em 24-07-07, 15-10- 07, 14-12-07, 18-02-08, 05-05-08, 02-07-08, 11-08-08, 26- 08-08 e 25-02-09. Termo de Supressão firmado em 04-08-08.
Justificativas apresentadas em decorrência da(s) massinatura(s) de prazo, pelo Conselheiro Robson Marinho, publicada(s) no D.O.E. de 18-09-12 e 12-12-12.
Procurador(es) de Contas: Rafael Neubern Demarchi Costa.
Fiscalizada por: UR-11 – DSF-II.
Fiscalização atual: UR-11 – DSF-II.
Relatório
Em exame, vários aditamentos relativos ao contrato celebrado entre a Prefeitura de Dirce Reis e Pedro Luis Fernandes-Jales, o qual objetivou o fornecimento de materiais de construção destinados à construção de unidades habitacionais, no valor originário de R$ 657.057,92.
Inicialmente, ressalto que o contrato inicial e a licitação que o precedeu foram julgados irregulares pela
Segunda Câmara – decisão confirmada em grau recursal, na sessão de 31/8/2011 do Tribunal Pleno.
Aditamentos em exame:
- nº 1 de 24/7/2007 – valor de R$ 28.592,00;
- nº 2 de 15/10/2007 – valor de R$ 14.764,30;
- nº 3 de 14/12/2007 – sem valor;
- nº 4 de 18/2/2008 – valor de R$ 18.994,82;
- nº 5 de 5/5/2008 – valor R$ 698,00;
- nº 6 de 2/7/2008 – valor de R$ 10.881,00;
- nº 7 de 11/8/2008 – sem valor;
- nº 8 de 26/8/2008 – valor de R$ 10.225,96; e
- nº 9 de 25/2/2009 – valor de R$ 10.367,72.
Os termos de nº 3 e nº 7 visaram apenas à prorrogação da vigência; o termo de supressão objetivou excluir do objeto o fornecimento relativo a uma unidade habitacional, enquanto que os demais tiveram por finalidade a majoração do valor de alguns itens de material de construção.
A fiscalização concluiu pela irregularidade, principalmente em face da aplicação do princípio da
acessoriedade, embora também tenha compilado algumas impropriedades em relação aos aditamentos. Em face destes questionamentos, foram encartadas aos autos as justificativas tanto do Prefeito do município à época, como dos anteriores.
De forma sintética, o primeiro alegou que a sua responsabilidade atinge somente o termo de nº 9, cujas
alterações não produziram qualquer prejuízo ao erário. Já os anteriores sustentaram que houve falhas formais, mas sem a intenção de prejudicar a comunidade e obter vantagens ilegais para quem quer que seja.
Ainda argumentaram que os termos foram assinados nos anos de 2007 e 2008, antes do julgamento definitivo da matéria inicial.
Ao ser ouvida, a ATJ (chefia e assessoria), propugnou pela irregularidade.
Após ter sido garantido ao Ministério Público de Contas o direito de vista dos autos, que o exerceu nos termos do Ato nº 006/2014 – PGC, publicado no D.O.E de 08/02/2014, o processo seguiu a SDG, retornando sem a sua manifestação.
É o relatório.
Voto
TC-433/011/07
De início, afasto a impossibilidade de responsabilização alegada por um dos ex-prefeitos, já que
um dos termos fora firmado por ele, como mencionado na própria peça defensória.
Quanto ao mérito, a aplicação do princípio da acessoriedade, por si só, é suficiente para condenar os
atos praticados.
De fato, como já exposto em outras ocasiões, inaplicável a concessão de validade à matéria em exame, já que não há como dissociar a apreciação dos aditamentos do ajuste inicial que os precedeu – julgado definitivamente irregular por esta Corte de Contas -, dada a existência nítida do grau de dependência entre eles – aqui mais evidente, à medida que os termos ora prorrogaram a sua vigência, ora majoraram ou suprimiram itens do objeto.
Também não há como validar o argumento temporalsuscitado pela defesa, à medida que as decisões desta Corte de Contas não constituem a irregularidade, mas simplesmente a declaram.
Aliás, esta intelecção encontra-se pacificada no âmbito deste Tribunal, como são exemplos os TC-1734/003/06, TC-000072/008/05 e TC-003452/003/07, dentre outros.
Ante o exposto, voto pela irregularidade dos termos de aditamento em exame, bem como pela ilegalidade das despesas decorrentes, aplicando-se ao caso o disposto nos incisos XV e XXVII do artigo 2º do Estatuto da Corte.
Outrossim, deixo de propor multa aos responsáveis, uma vez que já houve aplicação de penalidade quando do julgamento da licitação e contrato.
É como voto.